Nossa rede

Brasília

Pacheco defende aprovação das reformas administrativa e tributária em 2021

Publicado

dia

A reforma administrativa está na Câmara e, nesta semana, teve os prazos alargados, atrasando a tramitação. A tributária, por outro lado, está parada

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), defendeu a aprovação das reformas administrativa e tributária ainda neste ano após receber o presidente da República, Jair Bolsonaro, para uma reunião. Na conversa, os dois citaram agendas do pós-pandemia, apesar de o enfrentamento da crise de covid-19 ter sido colocado pelo senador como prioridade para este momento.

A reforma administrativa está na Câmara e, nesta semana, teve os prazos alargados, atrasando a tramitação. A tributária, por outro lado, está parada e ainda não tem texto comum entre deputados e senadores, conforme acordo anunciado em fevereiro.

Pacheco avalia votar uma proposta de reforma primeiro no Senado, mas a decisão ainda não foi tomada.

“Salvar vidas, essa é a prioridade absoluta. Mas logo na sequência nós precisamos tratar de reforma administrativa, de reforma tributária. Na verdade, tratar nós já trataremos, mas nós vamos ter de aprovar ao longo deste ano”, disse Pacheco em entrevista coletiva após a reunião com Bolsonaro. O presidente da República não fez declarações públicas.

Pacheco também anunciou uma relação de projetos que serão pautados no Senado por demanda de governadores, com os quais se reuniu mais cedo. A securitização de dívidas e o pagamento de precatórios estão entre os temas.

Outra proposta citada por ele é o projeto da Câmara que incentiva pessoas físicas e empresas a financiar leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no sistema público por meio de dedução de impostos.

Para a próxima semana, de acordo com o presidente do Senado, a Casa vai pautar uma proposta para lançar uma nova rodada da Lei Aldir Blanc, que concedeu um auxílio emergencial a profissionais da cultura no ano passado em razão do novo coronavírus.

Reunião de governadores com Pacheco é marcada por críticas a comitê de Bolsonaro

A reunião de governadores com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) foi marcada por críticas ao comitê criado pelo presidente Jair Bolsonaro para enfrentar a covid-19. O grupo formalizado após reunião de chefes de Poderes nesta semana deixou de fora estados e municípios. Para governadores, Bolsonaro se recusa a mudar de postura e continua confrontando medidas adotadas nos governos locais.

O presidente Jair Bolsonaro ligou para Pacheco antes da reunião com governadores e foi até a residência do presidente do Senado após o encontro, na manhã desta sexta-feira, 26. Pacheco entregou a Bolsonaro as demandas dos estados, que pediram repasses federais no mesmo patamar de 2020, o que implicaria um aumento de 43 bilhões de reais de gastos em relação ao planejado para este ano. No ano passado, porém, o governo federal contava com o orçamento de guerra e executou essas despesas fora do teto de gastos, cenário que não pode se repetir em 2021.

“Dissemos da importância de que esse comitê nacional tenha a presença de estados e municípios. Não é razoável sem a presença de estados e municípios”, afirmou o governador do Piauí e coordenador do Fórum de Governadores para a crise de covid-19, Wellington Dias (PT). O comitê anunciado por Bolsonaro fará a primeira reunião na próxima segunda-feira, 29.

Apesar da insatisfação, os governadores concordaram em manter conversas periódicas com Pacheco para definir as demandas. “Houve muita crítica ao comitê criado e ao comportamento do presidente de enfrentamento aos governadores e alimentação de sua base política para enfrentar os governadores. Isso prejudicou o trabalho imensamente até agora”, disse o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB).

Vacinação

Após a reunião com governadores, o presidente do Senado afirmou ter recebido o pedido de que o cronograma de vacinação contra a covid-19 por faixa etária fosse uniformizado em todos os Estados e no Distrito Federal. “Eles pediram inclusive que houvesse uma uniformização do Programa Nacional de Imunização para permitir que entre os Estados haja igualdade em relação à questão das faixas etárias de alcance da vacinação para não fazer desequilíbrio entre os estados federados”, relatou o senador.

Pacheco comentou, ainda, que acredita ser possível atingir a meta anunciada recentemente pelo novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, de aplicar 1 milhão de doses por dia.

Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Comentar

Brasília

Relatório de ações do GDF Presente de 19 de maio de 2022

Publicado

dia

Por

Confira os resultados dia a dia

 

Relatório das ações de 19 de maio de 2022

Ver mais

Brasília

GDF e Fiocruz fecham parceria para melhorar atendimento em saúde mental

Publicado

dia

Por

Convênio, que visa aperfeiçoar os serviços prestados na rede pública, foi assinado pelo secretário de Saúde durante evento que marcou o Dia de Luta Antimanicomial

A Secretaria de Saúde (SES) e a Fiocruz Brasília assinaram convênio em pesquisa, desenvolvimento e inovação. Juntos, os órgãos vão realizar supervisão clínico-institucional voltada à rede de saúde mental do Distrito Federal, para promover a melhoria dos serviços prestados e garantir a integralidade do cuidado aos usuários. A parceria foi selada na tarde na quarta-feira (19), durante evento que marcou o Dia de Luta Antimanicomial.

Juntos, Secretaria de Saúde e Fiocruz vão realizar supervisão clínico-institucional voltada à rede de saúde mental do DF | Fotos: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

A psicóloga da Diretoria da Saúde Mental (Dissam), da SES, Brenda Abreu, explicou que a ideia do convênio surgiu a partir de portaria do Ministério da Saúde que, no fim de 2020, destinou recurso aos Centros de Atenção Psicossociais (Caps) para qualificar a assistência no contexto da pandemia de covid-19.

“Buscamos pensar em como poderíamos atuar nesse sentido, já que a supervisão clínico-institucional é uma demanda antiga. Depois de muita articulação entre a secretaria e a Fiocruz, firmamos o acordo”, destacou Brenda.

Ela salientou que o trabalho em conjunto com a Fiocruz “é um momento especial para toda nossa equipe”. A diretora da Fiocruz Brasília, Fabiana Damásio, também enalteceu a parceria com a pasta. “Esse convênio representa o trabalho que vem sendo construído na atenção primária à saúde do DF”, disse.

Palestra

Após a assinatura do acordo, no contexto do Dia de Luta Antimanicomial, a professora Maria Aparecida Gussi, da Universidade de Brasília (UnB), ministrou palestra sobre saúde mental na perspectiva psicossocial. O secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, falou sobre o tema e lembrou que, neste momento, após a baixa de casos e óbitos por covid-19, “naturalmente haverá grande demanda no que diz respeito à saúde mental.”

Luciana Claudino, que frequenta o Caps do Riacho Fundo há 19 anos, destacou o comprometimento do secretário de Saúde: “Me senti privilegiada”

O gestor também citou as Conferências Regionais de Saúde Mental, ocorridas nas regiões de saúde do DF durante o mês de abril. Essas reuniões antecederam a Conferência Distrital, a ser realizada nos dias 22 e 23 de junho. “Queremos que o evento local esteja à altura do que nossos pacientes merecem, para representarmos de forma satisfatória o Distrito Federal na conferência nacional, que ocorrerá em novembro”, diz Maria Aparecida.

Luciana Claudino, que representa os usuários dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), agradeceu o posicionamento do secretário. “É o primeiro secretário de Saúde que visita os Caps, que se compromete a ajudar e que realmente pensa na saúde mental. Eu me senti privilegiada”, disse Luciana.

Ela, que há 19 anos frequenta o Caps do Riacho Fundo, celebrou ainda a realização das Conferências de Saúde Mental. “Também fiquei muito feliz em saber que o secretário vai na Conferência Distrital. Para nós, a presença dele é muito importante”, ressaltou.

O evento contou com presenças do secretário-adjunto de Assistência à Saúde, Pedro Zancanaro; do coordenador da Atenção Primária à Saúde, Fernando Erick Damasceno; do subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Oronides Urbano Filho; da diretora-substituta de Serviços de Saúde Mental, Rúbia Marinari Siqueira; da coordenadora de Atenção Especializada à Saúde, Camila Gaspar, e do representante dos usuários do Caps, José Alves.

Ver mais

Brasília

Alunos da rede pública têm isenção de taxa no Enem, que inscreve até 21/5

Publicado

dia

Por

Estudantes da 3ª série do ensino médio das escolas públicas podem se inscrever gratuitamente. Aos não isentos, pagamentos podem ser feitos até o dia 27 deste mês. Provas serão aplicadas em novembro

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2022 terminam neste sábado (21). Elas podem ser feitas na Página do Participante, no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Estudantes que cursam a 3ª série do ensino médio na rede pública estão entre aqueles que têm direito à isenção da taxa. Para os que não estão isentos, o valor é de R$ 85 e deverá ser pago até 27 de maio por boleto bancário, pix ou cartão de crédito.

Este ano, a versão digital do Enem também será aplicada e realizada nas mesmas datas da versão impressa, em 13 e 20 de novembro. O Enem Digital é exclusivo para concluintes do Ensino Médio e para pessoas que já tenham terminado esta etapa. Nessa modalidade, o exame será realizado em laboratórios de informática de instituições escolhidas pelo Ministério da Educação (MEC). O local da prova será distribuído pelo Inep e divulgado no cartão de confirmação, próximo à data da prova.

A estrutura do exame será a mesma para as duas versões: quatro provas objetivas, constituídas por 45 questões cada, e a redação. Durante o processo de inscrição, o participante ainda deverá selecionar uma opção de língua estrangeira – inglês ou espanhol.

O DF conta com 81 mil estudantes, aproximadamente, cursando o ensino médio em 93 escolas da rede pública que atendem esta etapa educacional.

*Com informações da Secretaria de Educação

Ver mais

Brasília

GDF destaca a importância de a população tomar o reforço contra a covid-19

Publicado

dia

Por

Faixa etária de 20 a 49 anos representa 50% dos casos recentes. Secretaria de Saúde estima que cerca de 743 mil pessoas estejam aptas a receber a terceira dose da vacina

A população do Distrito Federal, principalmente jovem, precisa completar o ciclo vacinal contra a covid-19. Entre os que têm entre 20 e 40 anos, apenas 35% estão com o registro da dose de reforço. O dado foi apresentado pela Secretaria de Saúde em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (19).

“Hoje, 50% dos contaminados são da faixa etária de 20 a 49 anos”, detalhou o secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache. O gestor lembrou da expectativa que havia para a chegada da vacina para as faixas etárias menores e que essa motivação precisa envolver, também, a dose de reforço. “Precisamos que os jovens voltem a nos procurar e tomem a sua vacina.”

Coletiva de imprensa da Secretaria de Saúde nesta quinta (19) | Foto: Tony Winston/Agência Saúde DF

De acordo com a gerente do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde do Distrito Federal (Cievs-DF), Priscilleyne Reis, “a população que não procura a cobertura vacinal está adoecendo mais”. “Após um determinado tempo da vacina, a produção de anticorpos começa a cair, por isso é importante a dose de reforço”, frisou.

A transmissão de covid-19 voltou a subir neste mês, passando de 1, o que significa uma nova aceleração da doença. A boa notícia é que a taxa de ocupação dos leitos de UTI covid-19 continua abaixo de 50% e o registro de óbitos não tem acompanhado a subida de casos. Porém, o secretário de Saúde fez um alerta: “Nós podemos ter um aumento de casos e, em razão disso, ter algum impacto nos óbitos”.

A Secretaria de Saúde estima que cerca de 743 mil pessoas estejam aptas a receber a dose de reforço, mas não procuraram um local de vacinação. Todas as pessoas acima de 18 anos que tomaram a segunda dose de Pfizer, Coronavac ou Astrazeneca, há pelo menos quatro meses, devem receber o reforço, também disponível para adolescentes de 12 a 17 anos com doenças imunossupressoras, gestantes ou puérperas. Quem tomou o imunizante da Janssen deve tomar a dose de reforço após um intervalo de dois meses.

Clique aqui para conferir os locais de vacinação.

 

*Com informações da Secretaria de Saúde

Ver mais

Brasília

Você é carpinteiro e tem experiência? Há 16 vagas disponíveis no DF

Publicado

dia

Por

No total, estão sendo ofertadas 203 oportunidades nas agências do trabalhador nesta sexta-feira (20

A agências do trabalhador da Secretaria do Trabalho do Distrito Federal oferecem nesta sexta-feira 16 vagas para carpinteiro, sendo 12 para trabalhar no Setor Noroeste e quatro na Asa Norte. O salário oferecido é de R$ 1.870, mais benefícios, além de ser necessário comprovar experiência.

R$ 6 milé o maior salário oferecido no dia, mais benefícios, para coordenador de restaurante, diretor de marketing, diretor de suprimentos e gerente de projetos e serviços de manutenção

Ajudantes de estruturas metálicas estão com oferta de 20 oportunidades. Os interessados não precisam comprovar experiência e nem escolaridade e podem ganhar salário de R$ 1.330, mais benefícios. Existem, ainda, 20 vagas para quem deseja trabalhar como vendedor de porta a porta. O salário oferecido é de R$ 1.356 e não é necessário já ter trabalhado no ofício. No total, são oferecidas neste último dia da semana 203 vagas para quem procura uma colocação.

Também estão disponíveis vagas para candidatos com ensino médio, sendo 18 para quem não completou o ciclo. As oportunidades para este nível de escolaridade destinam-se a auxiliar administrativo, auxiliar de logística, eletricista, técnico de refrigeração e gerente operacional. Esta última, que exige ensino médio completo, oferece remuneração de R$ 4.500, e não pede experiência.

Para nível superior, ainda não foram preenchidas as vagas para coordenador de restaurante, diretor de marketing, diretor de suprimentos e gerente de projetos e serviços de manutenção, com salário de R$ 6 mil, mais benefícios. As chances são todas para trabalhar em Águas Claras. Continua sendo necessário comprovar experiência.

Empregadores que desejarem ofertar vagas ou utilizar o espaço das agências do trabalhador para entrevistas podem se cadastrar pessoalmente nas unidades e pelo aplicativo do Sine Fácil. Também é possível solicitar atendimento através do e-mail gcv@setrab.df.gov.br. Pode ser utilizado, ainda, o Canal do Empregador, no site da Secretaria de Trabalho.

Ver mais

Brasília

Sintomas de dengue? Procure uma unidade básica de saúde

Publicado

dia

Por

Diagnóstico pode ser feito tanto por exame quanto por análise clínica; importante é buscar orientação em tempo hábil

Febre alta, dor de cabeça, manchas vermelhas no corpo, dor nas articulações, mal-estar, dor nos olhos e falta de apetite são sintomas que podem indicar a contaminação por dengue e devem ser comunicados à unidade básica de saúde (UBS) mais próxima. Consulte aqui.

Unidades de saúde são o primeiro lugar a procurar para esclarecer dúvidas sobre os sintomas da dengue, que se assemelham aos da covid-19 | Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde

“Clinicamente, a gente é capaz de formular a hipótese diagnóstica de dengue e, com um exame simples de hemograma, conseguimos acompanhar esse paciente, intervir e ajudar no bom desfecho”, explica o subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Oronides Urbano Filho. Segundo o médico, o diagnóstico pode ser feito tanto por exame quanto por análise clínica. O mais importante, indica ele, é iniciar o tratamento imediatamente, em geral com a reidratação.

“A dengue tem um agente intermediário, que é o mosquito; o caso da covid, não: você é o transmissor”Divino Valero, subsecretário de Vigilância à Saúde

O critério do diagnóstico clínico também é apresentado no Boletim Epidemiológico da Secretaria de Saúde (SES), divulgado semanalmente.

O documento trabalha com o número de casos considerados prováveis, isto é, pessoas que apresentam sintomas de dengue e que morem ou tenham viajado nos 14 dias anteriores para áreas com ocorrência da doença ou presença do mosquito Aedes aegypti. Os exames ajudam a ampliar a vigilância epidemiológica e tirar dúvidas em determinados casos de pacientes, mas não impedem a notificação do caso nem o tratamento.

O subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero, lembra que, diferentemente da covid-19 – situação em que a pessoa precisa ser isolada para impedir a disseminação da doença –, a dengue não é transmitida diretamente.

“O principal fator é que a dengue tem um agente intermediário, que é o mosquito; o caso da covid, não: você é o transmissor”, alerta o gestor. Como a dengue e a covid-19 apresentam sintomas semelhantes, é sempre aconselhável procurar uma unidade básica de saúde em caso de suspeita.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?