Nossa rede

É Destaque

Após 118 dias de seca, volta a chover em Brasília

Publicado

dia

Chuva foi assunto nas redes sociais dos brasilienses

Após 119 dias de seca, volta a chover no DF.

Ainda pela manhã, mensagens nas redes sociais começaram a se multiplicar. Pessoas relataram pingos de chuva em diferentes regiões do Distrito Federal. As notícias logo se espalharam e foram acompanhadas de saudações e repercussões bem humoradas na internet.

“Você sabe que a galera é de Brasília quando ela começa a postar fotos dos primeiros pingos de chuva com os agradecimentos e os dizerem: Finalmente chuva, obrigada Deus!”, disse uma usuária do Twitter. “Pessoal aqui está batendo palma e gritando pra chuva. Ai Brasília”, comentou outra.

Após 119 dias de seca, volta a chover no DF.
Após 118 dias de seca, volta a chover no DF. – Marcelo Camargo/Agência Brasil

Foram 118 dias de seca neste ano. Intervalo maior do que em 2019, quanto a capital ficou 113 dias sem chover. A estação é conhecida típica dos moradores não só de Brasília como da região central do país.

O dia começou com o céu nublado, mas por alcance das fumaças ocasionadas pelas queimadas do Pantanal. Mas por volta do meio-dia a chuva se estendeu para as diferentes regiões administrativas do DF.

Após 119 dias de seca, volta a chover no DF.
Após 118 dias de seca, volta a chover no DF. – Marcelo Camargo/Agência Brasil

Segundo o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) Mamedes Luiz Melo, a chuva de hoje foi decorrente de um canal de umidade vindo da Região Norte e de uma frente fria vinda do Sudeste.

A previsão do Inmet é que a chuva dure até quarta-feira (23) desta semana. Contudo, depois uma nova fase de seca deve retornar e as águas devem voltar a cair do céu somente na segunda quinzena de outubro, com mais chances para os dias do fim do mês.

As chuvas amenizam as principais características da estação de seca, as altas temperaturas e a baixa umidade. Também contribuem para diminuir os focos de incêndio, mais presentes neste ano no Pantanal, mas que também já foram registrados na capital.

Após 119 dias de seca, volta a chover no DF.
Depois de 118 dias de seca, chove no Distrito Federal. – Marcelo Camargo/Agência Brasil

Além disso, as águas também contribuem para dissipar a fuligem vinda das queimadas do Pantanal e que chegaram ao céu de Brasília hoje.

“A chuva não vai molhar por inteiro, mas vai reduzir os focos de queimada e começa a limpar a atmosfera”, explicou Melo.

Agencia Brasil

 

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

É Destaque

Cinco estações do metrô ganham pontos de coleta de lixo eletrônico

Publicado

dia

Por

Os pontos de entrega voluntária (PEVs) estão nas estações do Guará, Águas Claras, Terminal Samambaia, Ceilândia Centro e Terminal Ceilândia

Os resíduos passarão por triagem e, em seguida, serão encaminhados para reciclagem – (crédito: Metrô-DF/ divulgação)

Cinco estações do Metrô no Distrito Federal receberam novos postos de coleta de lixo eletrônico. Os pontos de entrega voluntária (PEVs) estão instalados nas estações do Guará, Águas Claras, Terminal Samambaia, Ceilândia Centro e Terminal Ceilândia. Após a triagem, os resíduos serão destinados à reciclagem ou ao descarte correto.

A ação integra um conjunto de iniciativas para celebrar a Semana do Lixo Zero, que ocorre até 31 de outubro e envolve mais de 100 cidades brasileiras. A Semana é uma idealização do Instituto Lixo Zero Brasil, uma organização da sociedade civil autônoma, sem fins lucrativos e pioneira na disseminação do conceito Lixo Zero no Brasil.

Atenta à questão da sustentabilidade, um dos eixos trabalhados pela Gerência de Projetos Especiais, a Companhia aderiu à causa. “As várias parcerias que fazemos nos permitem unir esforços para realizarmos diversas ações que melhorem de forma significativa a vida da população. O Metrô acredita na importância da destinação correta dos resíduos e agora consegue tornar acessível o descarte correto, através dos PEVs localizados nas estações”, conta Letícia Divina, gerente de Projetos Especiais.

A instalação dos PEVs também é parte do Projeto Reciclotech, que tem como parceiro governamental a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), e é gerido pela Programando o Futuro, organização da sociedade civil (OSC). A entidade foi selecionada e habilitada a partir de processo de chamamento público junto à Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF).

Apenas em 2019, o projeto Reciclotech e seus parceiros garantiram que 23 toneladas de resíduos tivessem descarte final ambientalmente correto. Foram reciclados 95 mil Kg de plástico e doados mais de 1.600 computadores. Isso evitou que 1.560 kg de metais tóxicos fossem emitidos, Além disso, dois milhões de litros de água foram economizados.

Materiais que podem ser descartados nos PEVs:

– Informática: microcomputador, monitor (tubo, LCD, LED e plasma), notebook, servidor, teclado, mouse, modem, roteador, impressora, estabilizador, tablet e no-break.
– Televisão: televisão de tubo de imagem, LED, LCD e plasma.
– Eletroeletrônicos: videocassete, DVD player, aparelho de som, controle remoto, forno de microondas, secador de cabelo, prancha de cabelo.
– Aparelhos telefônicos: aparelho celular, acessórios, smartphone, aparelhos telefônicos com e sem fio, fax e secretária eletrônica.
– Resíduos eletrônicos: baterias de notebooks, baterias de no-breaks, chapas de raios-X, cabos de força, cabos, carregadores e adaptadores.

Materiais que não são recolhidos nos PEVs:

Lâmpadas, papel, plástico, copos, bitucas de cigarro, vidro e resíduos orgânicos.

 Agência Brasília

Ver mais

É Destaque

Bolsonaro participa da comemoração ao Dia do Aviador e da FAB

Publicado

dia

Por

Aeronáutica apresentou oficialmente a 1ª unidade do caça F-39 Gripen

O presidente Jair Bolsonaro participou hoje (23) das comemorações ao Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira (FAB), celebrados nesse 23 de outubro. Durante o evento, realizado na Base Aérea de Brasília, a FAB apresentou oficialmente a primeira unidade do caça F-39 Gripen, aeronave produzida pela empresa sueca Saab e que terá a tecnologia transferida para o Brasil.

Para Bolsonaro, 2020 será um ano marcante para a FAB, com a incorporação do novo caça. “Fomos capazes de colocar no ar dois vetores que podem transformar de forma irreversível nossa operacionalidade, nossa capacidade logística e de afirmar nossa superioridade nos 22 milhões de quilômetros quadrados de espaço aéreo, indispensáveis à nossa soberania”, disse, lembrando ainda a incorporação da aeronave militar de carga KC-390, no ano passado, fabricada no país em parceria com a Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer).

O presidente Jair Bolsonaro, participa comemoração do Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira.

O presidente Jair Bolsonaro, participa comemoração do Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira. – Isac Nóbrega/PR.

Em 2014, Brasil e Suécia iniciaram as atividades conjuntas com assinatura do contrato para o desenvolvimento e produção de 36 aviões Gripen para a FAB, que se baseia no design de versões anteriores, mas com as particularidades solicitadas pelo comando da Aeronáutica. As plataformas são desenvolvidas e produzidas na Suécia com a participação de técnicos e engenheiros brasileiros.

De acordo com a FAB, essa integração faz parte da transferência tecnológica e visa proporcionar o conhecimento necessário para a continuidade das atividades no Brasil. Para a corporação, o F-39 Gripen representa “um significativo salto tecnológico para a aviação de caça da FAB, bem como um exemplo exitosos de desenvolvimento colaborativo”.

Caça Gripen E, adquirido na Suécia, faz seu primeiro voo no Brasil

Aeronáutica apresenta oficialmente o caça Gripen, adquirido na Suécia – Sgt Bianca / Força Aérea Brasileira

A aeronave chegou ao Brasil no dia 20 de setembro, no Porto de Navegantes, em Santa Catarina, após ter sido transportado de navio da Suécia. Ela ficará no Centro de Ensaios em Voo do Gripen, na planta da Embraer, em São Paulo, estrutura construída para a transferência de tecnologia, suporte e atualizações no ciclo de vida da plataforma na FAB.As atividades acontecerão em cooperação entre a Saab e as empresas nacionais selecionadas como beneficiárias no programa de transferência de tecnologia, que se preparam para produzir partes e montar as unidades Gripen no Brasil. As últimas 15 aeronaves deverão ser produzidas integralmente dentro das instalações da Embraer.

O Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira, celebrados em 23 de outubro, marcam o primeiro voo do 14 Bis realizado pelo brasileiro Alberto Santos Dumont. O voo do aparelho mais pesado do que o ar ocorreu em 1906, no Campo de Bagatelle, em Paris. O 14 Bis percorreu 60 metros em sete segundos, voando a dois metros do solo perante mais de mil espectadores e a Comissão Oficial do Aeroclube da França, instituição de reconhecimento internacional autorizada a homologar descobertas aeronáuticas marcantes.

Durante o evento também foi realizada a imposição da Ordem de Mérito Aeronáutico, a mais importante condecoração da FAB. A medalha é concedida a personalidades civis e militares, brasileiras ou estrangeiras, por terem se destacado no exercício da sua profissão ou em reconhecimento aos serviços prestados ao país. Foram agraciados, nesta sexta-feira, entre outros, ministros de Estado, como Tarcísio Freitas, da Infraestrutura, e Rogério Marinh, do Desenvolvimento Regional, além de parlamentares, autoridades militares e embaixadores.

Agência Brasil

Ver mais

É Destaque

Governo regulamenta renegociação de dívidas com o Fies

Publicado

dia

Por

Medida entra em vigor em 3 de novembro e adesão vai até 31 de dezembro

O governo federal regulamentou o programa que permite a renegociação de dívidas de financiamentos concedidos com recursos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). A medida estava prevista na Lei nº 14.024/2020, sancionada em julho, que suspendeu o pagamento de parcelas do Fies até 31 de dezembro, em razão da pandemia de covid-19.

A resolução do Comitê Gestor do Fundo de Financiamento Estudantil, com as regras do programa, foi publicada hoje (22) no Diário Oficial da União. A medida vale para os contratos assinados até o segundo semestre de 2017 e para os débitos vencidos e não pagos até o dia 10 de julho deste ano, na fase de amortização, quando o estudante já concluiu o curso.

A resolução entra em vigor em 3 de novembro e a adesão ao programa poderá ser solicitada ao banco até 31 de dezembro e será efetuada mediante termo aditivo ao contrato de financiamento, podendo ser assinado eletronicamente pelos financiados e seus fiadores.

No caso de quitação, em parcela única, do débito vencido ou saldo devedor total, haverá redução de 100% dos encargos moratórios, desde que o pagamento seja feito até 31 de dezembro. Também poderá ser feita a liquidação do saldo devedor em quatro parcelas semestrais, até 31 de dezembro de 2022, ou 24 parcelas mensais, com redução de 60% dos encargos e pagamento a partir de 31 de março de 2021.

Já os parcelamentos do saldo devedor feitos em 145 ou 175 parcelas mensais receberão redução de 40% e 25%, respectivamente, e os pagamentos começam a partir de janeiro de 2021. Em caso de prorrogação do estado de calamidade pública em razão da pandemia, ficará suspensa automaticamente a obrigação do pagamento da primeira parcela em janeiro, exceto no caso da liquidação total em parcela única.

O valor da parcela mensal resultante da renegociação não poderá ser inferior a R$ 200, mesmo que isso implique redução do prazo máximo de parcelamento. Os descontos concedidos no programa são referentes apenas aos encargos moratórios, permanecendo a cobrança dos débitos contratuais.

Será permitida apenas uma renegociação no âmbito do programa. Em caso de não pagamento de três parcelas consecutivas ou alternadas do saldo devedor renegociado, o cidadão perderá o direito ao desconto concedido sobre os encargos, e o valor correspondente será reincorporado ao saldo devedor do financiamento.

As pessoas que têm dívidas em discussão judicial e queiram aderir ao programa de regularização deverão renunciar em juízo à ação. Nesse caso, a renúncia sobre quaisquer alegações de direito é irretratável e não exime o autor da ação do pagamento de custas e honorários advocatícios.

O Fies é o programa do governo federal que tem o objetivo de facilitar o acesso ao crédito para financiamento de cursos de ensino superior oferecidos por instituições privadas. Criado em 1999, ele é ofertado em duas modalidades desde 2018, por meio do Fies e do Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies).

O primeiro é operado pelo governo federal, sem incidência de juros, para estudantes que têm renda familiar de até três salários mínimos por pessoa; o percentual máximo do valor do curso financiado é definido de acordo com a renda familiar e os encargos educacionais cobrados pelas instituições de ensino. Já o P-Fies funciona com recursos dos fundos constitucionais e dos bancos privados participantes, o que implica cobrança de juros.

Ver mais

É Destaque

Após decisão de Bolsonaro, China defende vacina e pede cooperação

Publicado

dia

Por

Presidente Jair Bolsonaro de cancelar a compra de 46 milhões de doses da vacina para o coronavírus produzida pelo laboratório chinês Sinovac

Jair Bolsonaro: ministério das Relações Exteriores da China defendeu a eficácia do imunizador e exortou o governo brasileiro a continuar trabalhando em parceria com o país asiático (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

“Acreditamos que a cooperação relevante contribuirá para a derrota completa da epidemia na China, no Brasil e para as pessoas de todos os países do mundo”, disse o porta-voz do órgão Zhao Lijian, em entrevista coletiva.
O representante da pasta destacou que as pesquisas clínicas chinesas estão em “uma posição de liderança”. Segundo ele, quatro fórmulas entraram na fase 3 dos ensaios em vários países. Zhao Lijian também reforçou o compromisso de tornar o imunizante um bem público global, a fim de contribuir para “disponibilidade e acessibilidade das vacinas nos países em desenvolvimento”.
Ver mais

É Destaque

Auxílio emergencial: 3,8 mi podem sacar o benefício nesta quinta-feira

Publicado

dia

Por

Podem sacar nesta quinta-feira, os beneficiários nascidos em novembro e que fazem parte do calendário ciclo 2

Auxílio emergencial: saques podem ser feitos nas agências ou lotéricas (Marcello Casal Jr/Agência Brasil/Agência Brasil)

Os beneficiários do auxílio emergencial, ciclo 2, nascidos em novembro podem a partir desta quinta-feira, 22, sacar o benefício ou transferir o dinheiro da conta poupança social digital. Segundo a Caixa, foram creditados 2,5 bilhões de reais para 3,8 milhões de pessoas.

Para realizar o saque, o beneficiário precisa fazer o login no App CAIXA Tem, selecionar a opção “saque sem cartão” e “gerar código de saque”. Depois, o trabalhador deve inserir a senha para visualizar o código de saque na tela do celular, com validade de uma hora. O código deve ser utilizado nos caixas eletrônicos da Caixa, nas unidades lotéricas ou nos correspondentes Caixa Aqui.

Os saques em dinheiro podem ser feitos nas lotéricas, correspondentes Caixa Aqui ou mesmo nas agências. A CAIXA reforça que não é preciso madrugar nas filas à espera de atendimento. Todas as pessoas que comparecerem, de segunda a sexta, das 8h às 13h, serão atendidas no mesmo dia.

Bolsa Família

A Caixa também credita nesta quinta-feira, 22, a segunda parcela do auxílio emergencial extensão para 1,6 milhão de beneficiários do Bolsa Família com final de NIS número 3.

Para quem recebe o Bolsa Família nada muda, ou seja, o recebimento do auxílio emergencial extensão atende aos mesmos critérios e datas do benefício regular, permitindo a utilização do cartão nos canais de autoatendimento, unidades lotéricas e correspondentes Caixa Aqui; ou por crédito na conta Caixa Fácil.

Para o pagamento do auxílio extensão, os beneficiários do Bolsa Família tiveram avaliação de elegibilidade realizada pelo Ministério da Cidadania – conforme Medida Provisória nº 1.000, de 02 de setembro de 2020 – e recebem o valor do Programa Bolsa Família complementado pela extensão do Auxílio Emergencial em até R$ 300 ou em até R$ 600  no caso de mulher provedora de família monoparental. Se o valor do Bolsa Família for igual ou maior que R$ 300 ou R$ 600, o beneficiário receberá o valor do Bolsa Família, sempre privilegiando o benefício de maior valor.

 

Ver mais

É Destaque

Bolsonaro diz que Doria faz “jogo político” quanto à vacina chinesa

Publicado

dia

Por

Presidente disse que governo federal não vai comprar lote de 46 milhões de doses da Coronavac, que já tem aplicação garantida pelo governo de SP

Jair Bolsonaro: “É um jogo político que, lamentavelmente, parece que ele (Doria) só sabe fazer isso” (Alan Santos/PR/Divulgação)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira, 21, que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), faz um “jogo político” quanto às negociações para compra de uma vacina contra a covid-19.

O chefe do Executivo afirmou que Doria distorceu as palavras do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello,em videoconferência realizada ontem na qual foi assinado protocolo de intenção para compra de vacinas de origem chinesa, que seriam produzidas no Brasil pelo Instituto Butantan.

“É um jogo político que, lamentavelmente, parece que ele (Doria) só sabe fazer isso. Parece que é a última cartada dele na busca de popularidade e de resgatar tudo aquilo que ele perdeu durante a pandemia”, disse o presidente em conversa com jornalistas em visita ao Centro Tecnológico da Marinha, em Iperó (SP). Bolsonaro destacou na entrevista que está “afinado” com Ministério da Saúde e que vacinas sem comprovação estão descartadas, informações além disso seriam “especulações”.

Grande parte das decisões tomadas pelo senhor João Doria não batiam com aquelas que eu gostaria de tomar caso eu não fosse tolhido pela Justiça”, disse. Aliados durante a campanha de 2018 desde o início da pandemia, Bolsonaro e Doria têm divergido quanto às medidas de prevenção e combate à covid-19.

A última desavença, intensificada na semana passada, envolveu a vacina contra a doença. Doria defende a vacinação obrigatória, enquanto Bolsonaro tem dito que a imunização será voluntária.O chefe do Executivo disse ainda que tem “zero” diálogo com o governador. “Eu não converso com uma pessoa que usou meu nome por ocasião das eleições e poucos meses depois começou a me atacar visando me desgastar e assim atrapalhar a política brasileira, pensando numa futura eleição”, disse. E acrescentou: “Não dá para conversar com esse tipo de gente que não tem qualquer responsabilidade com a vida do próximo, a não ser consigo próprio.”

 

Ver mais

Hoje é

sábado, 24 de outubro de 2020

Publicidade

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?