Nossa rede

É Destaque

Superada a denúncia, governo Temer acelera agenda econômica

Publicado

dia

Palácio do Planalto vai buscar interlocução com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para destravar projetos; reforma da Previdência segue como prioridade

Antes mesmo de ser encerrada a votação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB), rejeitada pelos deputados por 251 a 233 votos, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já havia tomado as rédeas das negociações para a retomada das votações dos projetos econômicos do governo. Maia chamou para uma reunião em sua casa o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, para definir as prioridades da agenda após a votação da denúncia.

Depois de ter esticado a corda na relação com Maia, o Palácio do Planalto busca agora deixar nas mãos do deputado a condução da retomada das discussões sobre a reforma da Previdência, paralisada há mais de cinco meses. A estratégia do governo é não bater de frente com o presidente da Câmara para tentar destravar a votação dos projetos.

Paralelamente, a equipe econômica começa a rediscutir medidas de estímulo à economia. Duas já estão em ritmo acelerado: a liberação, no primeiro trimestre de 2018, de uma nova rodada de saques do PIS/PASEP, e a privatização da Eletrobras.

A prioridade do governo continua sendo a reforma da Previdência, mesmo que enxuta. O Palácio do Planalto tem de acertar também o envio até o dia 30 deste mês do pacote de medidas de ajuste fiscal para reforçar as receitas do Orçamento de 2018. Sem essas medidas, a situação das contas públicas no ano que vem ficará mais difícil.

Maia e a equipe econômica vão fechar um novo calendário. A partir daí, serão retomadas as negociações com parlamentares, segundo fontes do governo. Michel Temer sancionou – na véspera da votação e com menos vetos do que os recomendados pela Fazenda – a MP do refinanciamento das dívidas tributárias (Refis) para atender parlamentares. Ontem, o deputado Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG) disse, pelo Twitter, que o governo vai editar na segunda-feira outra MP prorrogando o prazo de adesão ao programa para o dia 14 de novembro.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), inicialmente contrário à extensão do prazo – mais uma concessão aos parlamentares – indicou que deve concordar. “Pode ser prorrogado, mas existem algumas questões que têm de ser definidas”, afirmou, após participar de evento em Brasília. A adesão terminaria no próximo dia 31.

Segundo o ministro, cálculos indicam que a arrecadação do programa neste ano ficará em sete bilhões de reais. A última previsão oficial era de 8,6 bilhões. Meirelles ressaltou que a arrecadação de impostos está crescendo, o que poderá compensar a diferença.

Desbloqueio

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse que um novo desbloqueio do Orçamento dará um horizonte mais favorável. “A Câmara vai se reunir para fazer uma proposta de votação de temas que estão lá e o Senado também”, disse Jucá. Para ele, o Senado avançou nas votações ao aprovar, nas duas últimas sessões, os projetos de leniência e do cadastro positivo.

Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), relator da reforma da Previdência, esteve ontem com o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha (PMDB). A intenção do governo é que Oliveira Maia retome a interlocução com Rodrigo Maia e com as bancadas. Após as delações dos executivos da JBS, as negociações ficaram completamente paralisadas.

A área econômica oficialmente vai insistir na versão mais ampla da reforma, mas nos bastidores já reconhece que o mais provável é uma proposta que reúna apenas fixação de idade mínima, maior tempo de contribuição e a instituição de uma regra de transição para quem já está hoje no mercado de trabalho. Ontem à noite, Rodrigo Maia defendeu uma reforma mais ‘enxuta’. “Misturam-se muitos temas e, quando se mistura, acaba somando adversários”, disse.

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

É Destaque

Hran recebe doação de três aparelhos de hemodiálise

Publicado

dia

Por

Máquinas entregues pelos acionistas da Brasal vão aumentar em 50% a capacidade de diálise no setor da UTI

Mais vidas poderão ser salvas com a doação dos equipamentos | Foto: divulgação

“Como muitos pacientes renais crônicos em diálise não puderam realizar isolamento, eles se contaminaram com Covid-19. Com isso, cerca de 50% dos pacientes com Covid-19 da nossa UTI, necessitam de diálise”, explica Fábio Ferraz, responsável técnico do setor de diálise do Hran.

Osório Adriano Neto, acionista e vice-presidente das empresas Brasal, falou sobre a ligação do grupo com a cidade: “Brasília e os brasilienses são parte da história da Brasal. Assim, para nós, é um privilégio podermos contribuir para vencermos esse desafio”

*Com informações da Secretaria de Saúdeentre

Ver mais

É Destaque

Taxa de desemprego fica em 14,3% na 4ª semana de agosto, diz IBGE

Publicado

dia

Por

População desempregada foi estimada em 13,7 milhões de pessoas na quarta semana de agosto, cerca de 1,1 milhão a mais que o registrado na semana anterior

Carteira de trabalho: população ocupada e não afastada do trabalho foi estimada em 76,1 milhões de pessoas (Dedoc/Veja)

A taxa de desemprego no Brasil aumentou de 13,2% na terceira semana de agosto para 14,3% na quarta semana do mês, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid (Pnad Covid-19), divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado foi o mais elevado desde que a pesquisa teve início, em maio deste ano. Em apenas uma semana, cresceu o número de pessoas buscando emprego, enquanto diminuiu o total de trabalhadores ocupados.

A população desempregada foi estimada em 13,7 milhões de pessoas na quarta semana de agosto, cerca de 1,1 milhão a mais que o registrado na terceira semana do mês, quando essa população totalizava 12,6 milhões.

O total de ocupados foi de 82,2 milhões na quarta semana de agosto, cerca de 500 mil a menos que o patamar da terceira semana do mês, quando havia 82,7 milhões de pessoas ocupadas.

Cerca de 3,6 milhões de trabalhadores, o equivalente a 4,4% da população ocupada, estavam afastados do trabalho devido às medidas de isolamento social na quarta semana de agosto. O resultado representa cerca de 400 mil pessoas a menos que o patamar de uma semana antes, quando esse contingente somava 4,0 milhões ou 4,8% da população ocupada.

A população ocupada e não afastada do trabalho foi estimada em 76,1 milhões de pessoas, ante um contingente de 75,9 milhões de trabalhadores registrado na semana anterior.

Na quarta semana de agosto, 8,3 milhões de pessoas trabalhavam remotamente. Na semana anterior, também havia 8,3 milhões de pessoas em trabalho remoto.

A população fora da força de trabalho – que não estava trabalhando nem procurava por trabalho – somou 74,4 milhões na quarta semana de agosto, ante um total de 75 milhões na semana anterior. Entre os inativos, cerca de 26,7 milhões de pessoas, ou 35,8% da população fora da força de trabalho, disseram que gostariam de trabalhar. Aproximadamente 16,8 milhões de inativos que gostariam de trabalhar alegaram que não procuraram trabalho por causa da pandemia ou por não encontrarem uma ocupação na localidade em que moravam.

O nível de ocupação foi de 48,3% na quarta semana de agosto, ante um patamar de 48,6% na semana anterior, segundo o IBGE. A proxy da taxa de informalidade ficou em 34% na quarta semana de agosto, ante 33,4% na semana anterior.

Ver mais

É Destaque

Governo negocia até R$ 40 bilhões para novo programa social de Bolsonaro

Publicado

dia

Por

Ideia é desvincular recursos de fundos administrados pela União e, assim, preservar outros benefícios. Relatório será apresentado na segunda

A ideia é liberar entre R$ 30 bilhões e R$ 40 bilhões por meio da desvinculação de recursos de fundos setoriais (Adriano Machado/Reuters)

O governo negocia com o Congresso uma forma de financiar a criação de um novo programa social — que não deve se chamar mais Renda Brasil — sem reduzir gastos com outros benefícios, nem afetar o salário mínimo, aposentadorias ou recursos para saúde e educação.

A ideia é liberar entre R$ 30 bilhões e R$ 40 bilhões por meio da desvinculação de recursos que hoje são carimbados para fundos administrados pela União, os fundos setoriais. O senador Márcio Bittar (MDB-AC) apresentará um relatório preliminar aos líderes na próxima segunda-feira.

Os termos estão sendo negociados entre o Ministério da Economia; o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR); e o relator da proposta de emenda à Constituição (PEC) do pacto federativo, senador Márcio Bittar (MDB-AC). O senador apresentará um relatório preliminar aos líderes na próxima segunda-feira, de acordo com uma fonte a par das discussões.

A proposta foi defendida por Barros na quinta-feira, em debate com investidores transmitido pela internet.

“O governo assegura a todos os setores os recursos que já tem. Ninguém vai perder recursos. Do que crescer na arrecadação, esses que crescerem serão descarimbados. O Congresso Nacional decidirá onde alocá-los livremente”, disse Barros.

Enterro do Renda Brasil

Na última terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governo não irá mais criar o programa Renda Brasil e continuará apenas com o Bolsa Família.

O Renda Brasil pretendia aumentar o valor do Bolsa Família para um patamar próximo das últimas parcelas do auxílio emergencial, que terminará 2020 no valor de R$ 300.

Ver mais

É Destaque

Caixa abre agências no sábado para o pagamento do auxílio e saque do FGTS

Publicado

dia

Por

Os beneficiários nascidos em janeiro – 3,9 milhões de pessoas – poderão sacar o auxílio emergencial em dinheiro

Caixa: agências abrirão das 8h às 12h (Leandro Fonseca/Exame)

A Caixa abrirá 770 agências no sábado, 19,  para o atendimento a 9 milhões de beneficiários do auxílio emergencial e para o saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O funcionamento será das 8h às 12h. A relação de agências que estarão abertas pode ser conferida no site do banco: www.caixa.gov.br/agenciasabado

O banco ressalta que todas as pessoas que procurarem atendimento durante o funcionamento das agências serão atendidas. Não é preciso chegar antes do horário de abertura.

Os beneficiários nascidos em janeiro – 3,9 milhões de pessoas – poderão sacar o auxílio emergencial em dinheiro e os trabalhadores nascidos em maio – 5,1 milhões de pessoas – poderão retirar em espécie os valores referentes ao saque emergencial do FGTS. Ao todo, os benefícios somam R$ 5,8 bilhões.

Os ciclos de crédito em conta e saques em espécie seguem até dezembro para o pagamento das cinco parcelas definidas pelo governo federal para o público do Cadastro Único (CadÚnico) e para quem se cadastrou pelo aplicativo App Caixa | Auxílio Emergencial ou pelo site.

Ao todo, no sábado (19/09), terão sido pagos R$ 200,5 bilhões do Auxílio Emergencial para 67,2 milhões de brasileiros, num total de 288,3 milhões de pagamentos. Veja calendário:

  • 19 de setembro: nascidos em janeiro
  • 22 de setembro: nascidos em fevereiro
  • 29 de setembro: nascidos em março
  • 01 de outubro: nascidos em abril
  • 03 de outubro: nascidos em maio
  • 06 de outubro: nascidos em junho
  • 08 de outubro: nascidos em julho
  • 13 de outubro: nascidos em agosto
  • 15 de outubro: nascidos em setembro
  • 20 de outubro: nascidos em outubro
  • 22 de outubro: nascidos em novembro
  • 27 de outubro: nascidos em dezembro

FGTS

A partir deste sábado, 19, os trabalhadores nascidos em maio que tiveram o crédito do saque emergencial do FGTS e que não movimentaram a conta poupança social digital ou que tenham saldo remanescente já poderão sacar o benefício em dinheiro. Também será possível transferir os valores, via aplicativo Caixa Tem, para outra conta, da Caixa ou de outras instituições financeiras.

Já na próxima segunda-feira, 21, o banco credita o saque emergencial do FGTS na conta Poupança Social Digital de aproximadamente 4,9 milhões de trabalhadores nascidos no mês de dezembro. Nessa etapa, o total de recursos liberados somam cerca de R$ 3 bilhões.

 

 

Ver mais

É Destaque

Agências do trabalhador oferecem 480 vagas de emprego no DF; número é recorde em 2020

Publicado

dia

Por

Segundo Secretaria do Trabalho, oferta é reflexo do ‘aquecimento no mercado de trabalho’ na capital. Salários variam de R$ 1.045 a R$ 3 mil; confira.

Agência do Trabalhador em Ceilândia — Foto: TV Globo/Reprodução

As Agências do Trabalhador do Distrito Federal oferecem, nesta quinta-feira (17), 480 vagas de emprego. De acordo com o GDF, o número é o maior disponibilizado em um apenas um dia, em 2020 (veja lista abaixo).

Segundo o secretário do Trabalho, Thales Mendes Ferreira, o número é reflexo da retomada da economia, resultado dos incentivos fiscais e da quantidade de obras realizadas na capital. “O aquecimento no mercado de trabalho é o maior sinal de recuperação da economia”, disse.

As Agências do Trabalhador do Distrito Federal oferecem, nesta quinta-feira (17), 480 vagas de emprego. De acordo com o GDF, o número é o maior disponibilizado em um apenas um dia, em 2020 (veja lista abaixo).

Segundo o secretário do Trabalho, Thales Mendes Ferreira, o número é reflexo da retomada da economia, resultado dos incentivos fiscais e da quantidade de obras realizadas na capital. “O aquecimento no mercado de trabalho é o maior sinal de recuperação da economia”, disse.

O maior salário oferecido é para as vagas de contador e de gerente de serviço de oficina, com remuneração de R$ 3 mil, mais benefícios. Veja as oportunidades:

Oportunidades de emprego da Agência do Trabalhador em 17 de setembro de 2020 — Foto: GDF/Divulgação

Oportunidades de emprego da Agência do Trabalhador em 17 de setembro de 2020 — Foto: GDF/Divulgação

Oportunidades de emprego das Agências do Trabalhador em 17 de setembro de 2020 — Foto: GDF/Divulgação

Oportunidades de emprego das Agências do Trabalhador em 17 de setembro de 2020 — Foto: GDF/Divulgação

Oportunidades de emprego da Agência do Trabalhador em 17 de setembro de 2020 — Foto: GDF/Divulgação

Oportunidades de emprego da Agência do Trabalhador em 17 de setembro de 2020 — Foto: GDF/Divulgação

Como se candidatar?

De acordo com o governo do DF, por conta da pandemia do novo coronavírus, apenas 15 das 18 das Agências do Trabalhador estão fazendo atendimento presencial. A unidade do Guará tornou-se itinerante. Estão fechadas as seguintes unidades:

  • Paranoá
  • Câmara Legislativa do DF

Veja lista de agências abertas no DF:

Ceilândia

  • Telefone: (61) 3255-3521
  • Endereço: EQNM 18/20, Bloco B – Praça do Povo

Estrutural

  • Telefone (61) 3255-3808 e 3255-3809
  • Endereço: AE n°05 – Setor Central – Administração

Gama

  • Telefone: (61) 3255-3820 e 3255-3821
  • Endereço: AE 01 Setor Central

Guará

  • Telefone: (61) 3255-3872 e 3255-3873
  • Endereço: QE 23, AE nº 1, Lote Único – Guará II

Agência Sobradinho

  • Telefone (61) 3255-3824 e 3255-3825
  • Endereço: Quadra 08, AE nº 03 – Sobradinho I

Agência do Trabalhador Autônomo

  • Telefone (61) 3255-3797 e 3255-3798
  • Endereço: SCS Qd. 06, Bl. A, Ed. Guanabara, Lt 10/11

Planaltina

  • Telefone (61) 3255-3715 e 3255- 3829
  • Endereço: Setor Administrativo, Av. Uberdan Cardoso

Plano Piloto

  • Telefone (61) 3255-3732 e 3255-3815
  • Endereço: SCS Qd. 06, Bl. A, Ed. Guanabara, Lt 10/11

Recanto das Emas

  • Telefone (61) 3255-3864 e 3255-3842
  • Endereço: Qd. 805, AE s/n – Prédio da Biblioteca Pública

Riacho Fundo II

  • Telefone (61)3255-3827 e 3255-3828
  • Endereço: QC 1, Cj. 5, Lt. 02, AE s/n

Samambaia

  • Telefone (61) 3255-3832 e 3255-3833
  • Endereço: QN 303, Cj. 01, Lt. 03

Santa Maria

  • Telefone (61) 3255-3836 e 3255-3837
  • Endereço: Av. Alagados, QC 1, Cj. H – Galpão Cultural

São Sebastião

  • Telefone (61) 3255-3840 e 3255-3841
  • Endereço: Qd. 104, Cj. 05, lote 09 – Setor Residencial Oeste

Taguatinga

  • Telefone (61) 3255-3848, 3255-3849 e 32553754
  • Endereço: C4 Lt. 03, Ed. TVA Imperial – Av. Das Palmeiras

Estação do Metrô – 112 Asa Sul

  • Telefone (61) 3255-3804 e 3255-3843
  • Atendimento para pessoas com deficiência (PCD)

 

Ver mais

Aconteceu

PCDF deflagra Operação Poderoso Chefão

Publicado

dia

Nesta quinta-feira (17), policiais da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes

Cibernéticos – DRCC, juntamente com equipes do Departamento de Polícia Especializada e da SPCOM da 15a Delegacia de Polícia, além da participação dos Promotores de Justiça do Núcleo de Combate ao Crime cibernético do MPDFT – NCYBER, deflagraram a Operação Poderoso Chefão em desfavor de suspeitos de integrarem uma organização criminosa armada, especializada na prática de furtos mediante fraude a contas bancárias de vítimas de diversos Estados e do Distrito Federal. Os prejuízos arcados por pessoas físicas e jurídicas ultrapassam R$ 2,5 milhões.

A investigação é decorrente de vestígios obtidos após a prisão, realizada pela DRCC em agosto de 2019, de um dos líderes da organização e que apontaram para um extenso esquema de lavagem de capitais, envolvendo empresas de fachada, incluindo bancas na Feira dos Importados do DF, uma empresa de materiais de construção e um bar de narguilé.

Nesse sentido, após autorização judicial, nesta quinta-feira, os policiais cumpriram 23 mandados de prisão preventiva, 36 mandados de busca e apreensão em endereços no Distrito Federal, Goiás, São Paulo e Bahia, além do sequestro de 22 veículos e bloqueio de ativos financeiros que poderão totalizar R$ 10 milhões, a fim de garantir eventual ressarcimento das vítimas e pagamento de custas e multas processuais.

Ver mais

Hoje é

domingo, 20 de setembro de 2020

Publicidade

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?