Nossa rede

Brasília

Sob risco de acabar, Governo pede estoque de “kit intubação” da indústria

Publicado

dia

Em contrapartida, o presidente do Grupo FarmaBrasil, que representa a indústria nacional de medicamentos, Reginaldo Arcuri, afirma que não há falta de produção

a intubar pacientes, como sedativos, anestésicos e bloqueadores musculares, que passaram a ficar escassos em alguns locais do país após a explosão de casos de covid-19 nas últimas semanas. Segundo a pasta, a ordem de entrega dos fármacos foi feita na quarta-feira, 17, e deve suprir a demanda do Sistema Único de Saúde (SUS) por 15 dias, com 665,5 mil comprimidos.

Diversos hospitais e regiões do País têm apontado falta ou preocupação sobre risco de desabastecimento. Secretário-executivo do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Mauro Junqueira afirma que a alta de casos “voltou a trazer risco” de falta do produto. Ele afirma que o ministério fez entrega de medicamentos no fim de semana para garantir o uso em hospitais por 20 dias. “Pedimos para suspender cirurgias eletivas, para que não haja concorrência por estes medicamentos”, disse.

O ministério também tem ordenado a entrega dos estoques de oxigênio de algumas empresas. A Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) cobrou nesta quinta-feira, 18, ações do governo Jair Bolsonaro para evitar a falta desse insumo.

O Conselho Federal de Farmácia (CFF) manifestou em, nota, “extrema preocupação a falta de medicamentos essenciais à qualidade da assistência e a manutenção da vida de pacientes em estado grave”. Conforme o órgão, há relatos de falta de bloqueadores neuromusculares, sedativos e outros medicamentos usados em terapia intensiva, como o midazolan, para entubação, e imunoglobulina, indicado para amenizar os sinais e sintomas da artrite reumatoide.

Segundo José de Arimatea Rocha Filho, farmacêutico hospitalar e membro do CFF, o Sul tem a pior situação. “Santa Catarina estava bastante crítica e o Rio Grande do Sul também”, diz. Ele trabalha no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco, que, segundo ele, tem estoque desses tipos de medicamento por até 40 dias e já precisou ajudar outros hospitais da região.

No Hospital Paraná, em Maringá, o estoque de bloqueadores neuromusculares terminou na terça-feira16, . “Ninguém morreu por isso, mas atrapalha muito o tratamento. Dificulta sincronizar o paciente com o respirador, a ventilação mecânica fica prejudicada”, disse um médico da unidade, que preferiu não se identificar. Um intensivista do Rio Grande do Sul disse que os estoques de rocurônio, um tipo de relaxante muscular, estão baixos em hospitais de Porto Alegre.

O presidente do Conasems, Wilames Freire, disse que o órgão pediu ao ministério que acione a Organização Panamericana da Saúde (Opas), braço da Organização Mundial da Saúde (OMS) no continente, para a facilitar a importação dos remédios. “Estamos em uma situação que está se agravando a cada momento”, afirmou. A pasta da Saúde está em um momento de troca de comando, coma saída do general Eduardo Pazuello, cuja atuação foi alvo de crítica de especialistas, e a chegada do cardiologista Marcelo Queiroga.

“A gente está com as dificuldades que o Brasil inteiro está. Está faltando anestésico, medicamentos de intubação, até mesmo mão-de-obra”, comentou o prefeito de Araçatuba (SP), Dilador Borges (PSDB). “Estamos lutando com as ferramentas que temos”, disse.

O governo federal já teve de requisitar estoques do “kit intubação” entre junho e setembro de 2020, quando houve falta destes medicamentos em diversos locais. Sem o produto, equipes médicas têm dificuldade de intubar um paciente, por exemplo. Após este período, os medicamentos voltaram a ser comprados pelos prestadores de serviço do SUS. Em nota, o ministério informou que monitora os estoques dos Estados.

A Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), em reunião nesta quinta-feira, 18, com a Anvisa e outras entidades representativas do setor, relatou a falta de medicamentos essenciais para o tratamento de pacientes acometidos pela Covid-19 no Brasil, como os sedativos necessários para intubação.

A entidade fez uma pesquisa entre seus associados – um recorte com 40 respondentes – que indicou baixa dos estoques. Alguns medicamentos têm reserva de apenas cinco dias, em média, como é o caso do propofol, artracúrio e cisatracurio. Segundo a Anahp, a Anvisa se comprometeu em facilitar processos como medida emergencial, além de revisar resoluções que dizem respeito à importação dos medicamentos.

Indústria diz que não há falta de produção

O presidente do Grupo FarmaBrasil, que representa a indústria nacional de medicamentos, Reginaldo Arcuri, afirma que não há falta de produção. Ele diz que a indústria precisa receber demanda “clara e organizada”. “O grande problema é que os hospitais demandam a sua necessidade para ser entregue tudo de uma vez. Ou querem, por razões até justificadas, fazer um estoque. Você não consegue atender todos os pedidos em período curto. O que precisa é articular”, disse.

Já o presidente do Sindusfarma, Nelson Mussolini, reconheceu que o uso dos produtos está acima “de qualquer estimativa”. Ele afirmou que a indústria “está trabalhando para atender as necessidades” do País. Disse também que “se preocupa” com requisições de estoques, “pois isso pode desorganizar o mercado”.

Em nota, o Ministério da Saúde afirma que as requisições não atingem produtos já vendidos pela indústria a Estados e municípios.

Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Comentar

Brasília

Ibaneis é o governador mais econômico do Brasil

Publicado

dia

Governador não faz uso de carro oficial, de residência oficial e abre mão de salário

No ano de 2018, ainda em campanha, Ibaneis Rocha (MDB) disse que se eleito fosse, abriria mão de salário de governador, da residência oficial e de carros oficiais. “Eu fui presidente da Ordem e acabei com todos os carros de representação e também sem receber nada, então vou mostrar que é possível fazer política com honestidade”, pontuou.

Desse modo, Ibaneis honrou com sua palavra e agora como governador, abre, verdadeiramente, mão dos benefícios. O emedebista faz uso de seu carro, , mora em sua casa no Lago Sul e o seu salário é destinado para entidades filantrópicas.

Eliane Silva é moradora do DF e se surpreende com a iniciativa do governador, por nunca ter visto algo semelhante antes. “A atitude é inovadora, porque eu nunca vi alguém fazer algo desse modo em 31 anos de vida que tenho. É um gesto realmente lindo”, diz.

Nesse sentido, se torna claro que a missão do chefe do executivo local é apenas transformar a vida daqueles que moram no DF, por meio de quase 2.000 obras que impactam positivamente dia após dia na vida da população, em todos os setores, além dos programas sociais, como Cartão Prato Cheio, Cartão Material Escolar e Cartão Gás, que já beneficiaram mais de 700 mil famílias, ao invés de ostentar por meio da sociedade pagando. Com isso, há uma economia muito grande nos cofres públicos.

 

Ver mais

Brasília

Vacinas contra covid-19 nesta sexta (20/5) no DF

Publicado

dia

Por

pontos de vacinação

 contra covid-19

Quarta dose ou segundo reforço

  • UBS 1 Lago Norte
    Horário de vacinação: das 8h às 16h30
  • UBS 1 Varjão
    Horário de vacinação: das 8h às 16h30
  • UBS 1 Asa Norte
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Asa Norte
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 3 Vila Planalto
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Asa Sul
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Cruzeiro
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Cruzeiro
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • Drive-thru da UBS 1 Asa Sul
    Atendimento somente para pessoas de 18 anos ou mais
    Horário de vacinação: das 18h às 22h
  • Estação Metrô 112 Sul
    Horário: 9h às 17h
  • Hospital Militar de Área de Brasília
    Horário: 7h30 às 12h30
  • UBS 1 Sobradinho
    Horário de vacinação: das 8h às 11h50 e das 13h às 17h
  • UBS 2 Sobradinho II
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h
  • UBS 4 Planaltina
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h
  • UBS 1 Itapoã
    Horário de vacinação: 8h às 12h e das 13h às 17h
  • UBS 3 Paranoá
    Horário de vacinação: das 13h às 17h
  • UBS 1 Jardins Mangueiral
    Horário de vacinação: das 13h às 16h
  • UBS 2 São Sebastião
    Horário de vacinação: das 13h às 16h
  • UBS 1 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 4 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 5 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 6 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Santa Maria
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 6 Santa Maria
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Guará
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 3 Guará
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Estrutural
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Núcleo Bandeirante
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Riacho Fundo I
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Riacho Fundo II
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Taguatinga
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 3 Taguatinga
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 7 Samambaia
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 8 Samambaia
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Recanto das Emas
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Águas Claras (Areal)
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 2 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 3 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 5 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 6 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 7 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 8 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 9 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 10 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 11 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 12 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 15 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 16 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 17 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 1 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 2 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 6 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 8 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 9 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30

Terceira dose ou dose de reforço

  • Drive-thru da UBS 1 Asa Sul
    Atendimento somente para pessoas de 18 anos ou mais
    Horário de vacinação: das 18h às 22h
  • Rodoviária do Plano Piloto
    Horário de vacinação: das 7h às 20h
  • Estação Metrô 112 Sul
    Horário: 9h às 17h
  • Hospital Universitário de Brasília
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h30 às 17h
  • UBS 1 Asa Sul
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Sobradinho
    Horário de vacinação: das 8h às 11h50 e das 13h às 17h
  • UBS 2 Sobradinho II
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h
  • UBS 1 Fercal
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Planaltina
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Planaltina
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h
  • UBS 4 Planaltina
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h
  • UBS 1 Itapoã
    Horário de vacinação: 8h às 12h e das 13h às 17
  • UBS 3 Paranoá
    Horário de vacinação: das 13h às 17h
  • UBS 1 Jardins Mangueiral
    Horário de vacinação: das 13h às 16h
  • UBS 2 São Sebastião
    Horário de vacinação: das 13h às 16h
  • UBS 1 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 4 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 5 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 6 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Santa Maria
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 6 Santa Maria
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Guará
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 3 Guará
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Estrutural
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h
  • UBS 1 Núcleo Bandeirante
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Riacho Fundo I
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Riacho Fundo II
    Horário de vacinação: 8h às 12h e das 13h às 16h30
  • UBS 2 Taguatinga
    Horário de vacinação: das 7h30h às 17h30
  • UBS 3 Taguatinga
    Horário de vacinação: das 7h30h às 17h30
  • UBS 7 Samambaia
    Horário de vacinação: das 7h30h às 17h30
  • UBS 8 Samambaia
    Horário de vacinação: das 7h30h às 17h30
  • UBS 2 Recanto das Emas
    Horário de vacinação: das 7h30h às 17h30
  • UBS 1 Águas Claras (Areal)
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 2 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 3 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 5 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 6 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 7 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 8 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 9 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 10 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 11 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 12 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 15 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 16 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 17 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 1 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 2 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h3
  • UBS 6 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30

Primeira e segunda dose

  • Drive-thru da UBS 1 Asa Sul

Atendimento somente para pessoas de 18 anos ou mais

Horário de vacinação: das 18h às 22h

  • Estação Metrô 112 Sul
    Horário: 9h às 17h
  • Rodoviária do Plano Piloto
    Horário de vacinação: das 7h às 20h
  • Hospital Universitário de Brasília
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h30 às 17h
  • UBS 1 Asa Sul
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Sobradinho
    Horário de vacinação: das 8h às 11h50 e das 13h às 17h
  • UBS 2 Sobradinho II
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h
  • UBS 4 Planaltina
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h
  • UBS 20 Planaltina
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Itapoã
    Horário de vacinação: 8h às 12h e das 13h às 17h
  • UBS 3 Paranoá
    Horário de vacinação: das 13h às 17h
  • UBS 1 Jardins Mangueiral
    Horário de vacinação: das 13h às 16h
  • UBS 2 São Sebastião
    Horário de vacinação: das 13h às 16h
  • UBS 1 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 4 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 5 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 6 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Santa Maria
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 6 Santa Maria
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Guará
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 3 Guará
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Estrutural
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h
  • UBS 1 Núcleo Bandeirante
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Riacho Fundo I
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Riacho Fundo II
    Horário de vacinação: 8h às 12h e das 13h às 16h30
  • UBS 2 Taguatinga
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 3 Taguatinga
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 7 Samambaia
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 8 Samambaia
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Recanto das Emas
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Águas Claras (Areal)
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 2 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 3 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 5 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 6 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 7 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 8 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 9 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 10 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 11 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 12 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 15 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 16 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 17 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 1 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 2 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 6 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • Vacinação infantil (CoronaVac para crianças de 6 a 11 anos)
  • UBS 1 Lago Norte
    Horário de vacinação: das 13h às 17h
  • UBS 1 Cruzeiro
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Sobradinho II
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h
  • UBS 20 Planaltina
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h
  • UBS 1 Paranoá
    Horário de vacinação: das 13h às 17h
  • UBS 1 São Sebastião
    Horário de vacinação: das 8h às 12h
  • UBS 3 Itapoã
    Horário de vacinação: das 8h às 12h
  • UBS 3 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Santa Maria
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 4 Guará
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Estrutural
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Candangolândia
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Riacho Fundo II
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 16h30
  • UBS 5 Taguatinga
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 4 Recanto das Emas
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 12 Samambaia
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 2 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 3 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 5 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 6 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 7 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 8 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 9 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 10 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 11 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 12 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 15 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 16 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 17 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 1 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 2 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 4 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 5 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 6 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30

Vacinação infantil*

  • UBS 1 Lago Norte
    Horário de vacinação: das 13h às 17h
  • UBS 1 Cruzeiro
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Sobradinho II
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 17h
  • UBS 1 Paranoá
    Horário de vacinação: das 13h às 17h
  • UBS 1 São Sebastião
    Horário de vacinação: das 8h às 12h
  • UBS 3 Itapoã
    Horário de vacinação: das 8h às 12h
  • UBS 3 Gama
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Santa Maria
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 4 Guará
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Estrutural
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Candangolândia
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 2 Riacho Fundo II
    Horário de vacinação: das 8h às 12h e das 13h às 16h30
  • UBS 5 Taguatinga
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 4 Recanto das Emas
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 12 Samambaia
    Horário de vacinação: das 8h às 17h
  • UBS 1 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 2 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 3 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 5 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 6 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 7 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 8 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 9 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 10 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 11 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 12 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 15 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 16 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 17 Ceilândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 1 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 2 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30
  • UBS 6 Brazlândia
    Horário de vacinação: das 7h30 às 18h30

*Pfizer-BioNTech pediátrica para crianças imunossuprimidas ou com 5 anos

Ver mais

Brasília

Após dia mais frio da história, DF registra mínima de 3,2ºC nesta sexta-feira

Publicado

dia

Por

Baixa temperatura é resultado de uma massa polar que se iniciou no Sul do Brasil. Na quinta-feira (19), termômetros marcaram 1,4ºC; recorde anterior era de 1975.

Massa de ar frio que veio do Sul trouxe névoa e baixou a temperatura na capital federal. O Congresso Nacional ficou encoberto — Foto: Agência Brasil

Após o dia mais frio da história no Distrito Federala temperatura mínima registrada na capital nesta sexta-feira (20) foi de 3,2ºC, na estação meteorológica do Gama. O índice foi atingido na madrugada e é resultado de uma massa de ar frio que se iniciou no Sul do Brasil e avançou pelo Sudeste e Centro-Oeste.

Na quinta-feira (19), a capital bateu recorde, com mínima de 1,4ºC no Gama . Antes, a temperatura mais baixa tinha sido registrada em de julho de 1975, quando o Plano Piloto marcou 1,6ºC. A série histórica na capital teve início em 1961.

Atualização: no início da manhã desta sexta-feira, o Inmet informou que a mínima registrada no DF era de 4ºC. No entanto, o índice foi atualizado pelo instituto para 3,2ºC por volta das 7h30.

Nesta sexta, em Planaltina, os termômetros marcaram a mesma temperatura registrada no Gama. Já no Plano Piloto, a mínima foi de 5ºC. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), no Paranoá e em Brazlândia, o índice ficou em 6ºC e 9ºC, respectivamente.

O Inmet não informa a temperatura média para todo o DF. Os registros são divulgados de acordo com cada estação meteorológica, em diferentes regiões administrativas.

Segundo o instituto, para o fim de semana, a onda de frio perde força e as temperaturas começam a subir gradativamente. No sábado (21), no entanto, o dia pode amanhecer com mínimas em torno dos 5ºC.

Já entre domingo (22) e segunda-feira (23), os termômetros devem registrar temperaturas próximas aos 10ºC nas primeiras horas da manhã, com máximas de 25ºC.

Abrigo

 

GDF abre albergue para pessoas em situação de rua se abrigarem do frio — Foto: TV Globo/Reprodução

GDF abre albergue para pessoas em situação de rua se abrigarem do frio — Foto: TV Globo/Reprodução

Na noite desta quinta-feira, começou a funcionar um albergue para pessoas em situação de rua se abrigarem do frio. O local funciona no ginásio do CIEF, na 907 Sul, e é administrado pela Secretaria de Desenvolvimento Social.

O albergue fica aberto apenas para pernoite, das 21h às 8h, e tem capacidade para receber 100 pessoas. No local, há distribuição de lanche, cobertores e é possível tomar banho. Com pouca divulgação, nesta quinta-feira, apenas 14 pessoas se abrigaram no albergue.

Ver mais

Brasília

Relatório de ações do GDF Presente de 19 de maio de 2022

Publicado

dia

Por

Confira os resultados dia a dia

 

Relatório das ações de 19 de maio de 2022

Ver mais

Brasília

GDF e Fiocruz fecham parceria para melhorar atendimento em saúde mental

Publicado

dia

Por

Convênio, que visa aperfeiçoar os serviços prestados na rede pública, foi assinado pelo secretário de Saúde durante evento que marcou o Dia de Luta Antimanicomial

A Secretaria de Saúde (SES) e a Fiocruz Brasília assinaram convênio em pesquisa, desenvolvimento e inovação. Juntos, os órgãos vão realizar supervisão clínico-institucional voltada à rede de saúde mental do Distrito Federal, para promover a melhoria dos serviços prestados e garantir a integralidade do cuidado aos usuários. A parceria foi selada na tarde na quarta-feira (19), durante evento que marcou o Dia de Luta Antimanicomial.

Juntos, Secretaria de Saúde e Fiocruz vão realizar supervisão clínico-institucional voltada à rede de saúde mental do DF | Fotos: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

A psicóloga da Diretoria da Saúde Mental (Dissam), da SES, Brenda Abreu, explicou que a ideia do convênio surgiu a partir de portaria do Ministério da Saúde que, no fim de 2020, destinou recurso aos Centros de Atenção Psicossociais (Caps) para qualificar a assistência no contexto da pandemia de covid-19.

“Buscamos pensar em como poderíamos atuar nesse sentido, já que a supervisão clínico-institucional é uma demanda antiga. Depois de muita articulação entre a secretaria e a Fiocruz, firmamos o acordo”, destacou Brenda.

Ela salientou que o trabalho em conjunto com a Fiocruz “é um momento especial para toda nossa equipe”. A diretora da Fiocruz Brasília, Fabiana Damásio, também enalteceu a parceria com a pasta. “Esse convênio representa o trabalho que vem sendo construído na atenção primária à saúde do DF”, disse.

Palestra

Após a assinatura do acordo, no contexto do Dia de Luta Antimanicomial, a professora Maria Aparecida Gussi, da Universidade de Brasília (UnB), ministrou palestra sobre saúde mental na perspectiva psicossocial. O secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, falou sobre o tema e lembrou que, neste momento, após a baixa de casos e óbitos por covid-19, “naturalmente haverá grande demanda no que diz respeito à saúde mental.”

Luciana Claudino, que frequenta o Caps do Riacho Fundo há 19 anos, destacou o comprometimento do secretário de Saúde: “Me senti privilegiada”

O gestor também citou as Conferências Regionais de Saúde Mental, ocorridas nas regiões de saúde do DF durante o mês de abril. Essas reuniões antecederam a Conferência Distrital, a ser realizada nos dias 22 e 23 de junho. “Queremos que o evento local esteja à altura do que nossos pacientes merecem, para representarmos de forma satisfatória o Distrito Federal na conferência nacional, que ocorrerá em novembro”, diz Maria Aparecida.

Luciana Claudino, que representa os usuários dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), agradeceu o posicionamento do secretário. “É o primeiro secretário de Saúde que visita os Caps, que se compromete a ajudar e que realmente pensa na saúde mental. Eu me senti privilegiada”, disse Luciana.

Ela, que há 19 anos frequenta o Caps do Riacho Fundo, celebrou ainda a realização das Conferências de Saúde Mental. “Também fiquei muito feliz em saber que o secretário vai na Conferência Distrital. Para nós, a presença dele é muito importante”, ressaltou.

O evento contou com presenças do secretário-adjunto de Assistência à Saúde, Pedro Zancanaro; do coordenador da Atenção Primária à Saúde, Fernando Erick Damasceno; do subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Oronides Urbano Filho; da diretora-substituta de Serviços de Saúde Mental, Rúbia Marinari Siqueira; da coordenadora de Atenção Especializada à Saúde, Camila Gaspar, e do representante dos usuários do Caps, José Alves.

Ver mais

Brasília

Alunos da rede pública têm isenção de taxa no Enem, que inscreve até 21/5

Publicado

dia

Por

Estudantes da 3ª série do ensino médio das escolas públicas podem se inscrever gratuitamente. Aos não isentos, pagamentos podem ser feitos até o dia 27 deste mês. Provas serão aplicadas em novembro

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2022 terminam neste sábado (21). Elas podem ser feitas na Página do Participante, no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Estudantes que cursam a 3ª série do ensino médio na rede pública estão entre aqueles que têm direito à isenção da taxa. Para os que não estão isentos, o valor é de R$ 85 e deverá ser pago até 27 de maio por boleto bancário, pix ou cartão de crédito.

Este ano, a versão digital do Enem também será aplicada e realizada nas mesmas datas da versão impressa, em 13 e 20 de novembro. O Enem Digital é exclusivo para concluintes do Ensino Médio e para pessoas que já tenham terminado esta etapa. Nessa modalidade, o exame será realizado em laboratórios de informática de instituições escolhidas pelo Ministério da Educação (MEC). O local da prova será distribuído pelo Inep e divulgado no cartão de confirmação, próximo à data da prova.

A estrutura do exame será a mesma para as duas versões: quatro provas objetivas, constituídas por 45 questões cada, e a redação. Durante o processo de inscrição, o participante ainda deverá selecionar uma opção de língua estrangeira – inglês ou espanhol.

O DF conta com 81 mil estudantes, aproximadamente, cursando o ensino médio em 93 escolas da rede pública que atendem esta etapa educacional.

*Com informações da Secretaria de Educação

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?