Nossa rede

Espaço Mulher

O segundo tipo mais comum de câncer nas mulheres é o ginecológico

Publicado

dia

Esse grupo de tumores, que afeta o sistema reprodutor feminino, é muito comum, mas pouco conhecido. Conheça as causas, os sintomas e formas de prevenção

Os tumores do aparelho reprodutor feminino estão entre os mais comuns nas mulheres. (Foto: GI/Getty Images)

É fundamental aproveitar o Dia Internacional da Mulher e o mês de março como um todo para falar sobre saúde feminina. E principalmente sobre doenças comuns e sérias, a exemplo dos tumores ginecológicos. Entram nesse grupo: câncer de colo uterino, endométrio, ovário, vulva e vagina.

Recentemente, o “EVA – Grupo Brasileiro de Tumores Ginecológicos” lançou a campanha “Nós seremos a primeira geração sem câncer do colo do útero”, que representa tanto um desejo dos especialistas quanto uma possibilidade real. Hoje, ele é o terceiro câncer mais incidente entre as brasileiras, com mais de 16 mil novos casos por ano e alta mortalidade (cerca de 30%). No entanto, é passível de prevenção. Isso porque mais de 90% dos casos são relacionados com a infecção por HPV, que pode ser praticamente extinta com vacinação, conforme foi explicado no último artigo do blog Câncer em Pauta pela oncologista Karime Kalil.

O câncer de corpo do útero (ou endométrio), por sua vez, ocupa a oitava posição entre os mais comuns no sexo feminino. O sintoma mais encontrado é o sangramento vaginal anormal. Isso envolve sangramentos mais intensos que o habitual, fora do período menstrual, entre os ciclos menstruais ou quando a mulher havia parado de menstruar.

Nos últimos anos, houve um aumento significativo na incidência do tumor de corpo do útero, que, na maioria dos casos, pode ser prevenido. Como? Adotando hábitos saudáveis, como a prática regular de atividade física, alimentação balanceada e controle do peso (mulheres com obesidade são mais propensas à doença). Um estilo de vida balanceado, aliás, diminui o risco de vários tipos de câncer e de outras doenças.

Já o câncer no ovário, sétimo no ranking feminino geral, se difere mais dos tumores na região do útero (colo e corpo). A doença ainda não possui fatores de risco estabelecidos em muitos casos — por isso a prevenção é tão difícil. Os especialistas sabem que há relação com a idade (acima de 50 anos) e aspectos hormonais, ambientais e hereditários. Porém, cerca de 90% dos casos ocorrem sem causa conhecida.

Além disso, não existem sintomas específicos e o diagnóstico é bem difícil. Também não possuímos exames de rastreamento — a exemplo da mamografia para câncer de mama. Resultado: 75% dos casos são descobertos em estágio avançado.

Essa conjuntura resulta em alta mortalidade. Aproximadamente 6 em cada 10 pacientes falecem em decorrência do tumor no ovário.

Embora os dados sejam alarmantes para essa doença, existe uma maneira de diminuir os riscos de ser surpreendido por ela: o mapeamento genético. Metade dos diagnósticos de câncer no ovário ocorre devido a uma mutação em genes envolvidos no reparo de danos ao DNA. Aliás, 50% dessas mutações são herdadas dos pais e o restante surge ao acaso.

Quando a paciente apresenta uma mutação hereditária no gene BRCA (presente em 14% das mulheres com câncer de ovário), falamos que ela tem a síndrome Mama-Ovário. É o caso da atriz norte-americana Angelina Jolie, que optou pela retirada preventiva das mamas e dos ovários.

Essa alteração pode ser comprovada por meio de teste genético. No entanto, para ser elegível a ele, é necessário apresentar algumas características, como:

· Câncer de mama diagnosticado antes dos 40 anos

· Câncer de mama bilateral; câncer de mama em homem

· Mutação genética BRCA1/BRCA2 na família

· Histórico de câncer de ovário na família.

Vale ressaltar que todas as pacientes com câncer de ovário epitelial são candidatas a rastreamento de mutações.

No ano passado, foi sancionada em Minas Gerais a Lei 23.449/2019, que permite às mulheres com alto risco de câncer de mama e ovário realizarem esse exame genético gratuitamente. Porém, até o momento, ela não foi colocada em prática. Como a aprovação, por si só, não garante o direito de pacientes terem um diagnóstico precoce, é necessário oferecer infraestrutura, educar os profissionais e criar procedimentos para que a legislação seja cumprida efetivamente.

Para a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), é imprescindível colocar esforços em melhorias nas condições de atendimento, tratamentos e equipamentos. Além de capacitar os profissionais da atenção básica do SUS em prevenção, rastreamento e diagnóstico precoce, fundamentais no combate ao câncer.

Comentário

Espaço Mulher

Os modelos de bolsa que serão tendência este ano

Publicado

dia

Materiais naturais e correntes nos acessórios marcaram presença nas semanas de moda

(Pinterest/Reprodução)

 

Costumamos sempre nos atentar às tendências de roupas e sapatos da estação, mas a verdade é a que as bolsas também estão se destacando nas passarelas das semanas de moda. Para 2020, algumas tendências antigas, como as maxi bolsas, prometem voltar e dividir espaço com novidades, como as alças de bambu.

Hobo

A bolsa hobo tem o formato de meia-lua e uma alça única mais longa (algumas vezes, ela também pode ser ajustável), que permite carregá-la nas mãos ou nos ombros. O modelo foi tendência no início dos anos 2000 e, depois de reaparecer nas passarelas, promete bombar este ano em vários tamanhos, materiais e texturas.

 (Pinterest/Reprodução)

 (Pinterest/Reprodução)

Alça de correntes

As correntes são tendência na moda este ano, seja nos acessórios, sapatos ou bolsas. Boa parte dos modelos de bolsas que estavam nas passarelas das últimas semanas de moda tinham uma pequena alça de corrente dourada ou prateada como um detalhe. Se quiser, é fácil personalizar as bolsas que já tem. Basta comprar a corrente que mais gostar – as mais grossas são as preferidas – e prendê-las na alça da bolsa.

 (Pinterest/Reprodução)

 

 (Pinterest/Reprodução)

Alça de bambu

Os materiais inspirados em matérias-primas naturais também serão tendência, especialmente nas estações mais quentes. Nas passarelas, o destaque ficou para o bambu, que foi usado como alça para bolsas nos desfiles da Miu Miu, Gucci e Prada. O detalhe traz graça a bolsas básicas, além de um ar tropical para materiais mais pesados, como o couro.

 (Pinterest/Reprodução)

 

Ver mais

Espaço Mulher

Dicas para cuidar das sobrancelhas em casa

Publicado

dia

A especialista Denise Honda fala como manter os fios saudáveis durante o isolamento

(PeopleImages/Getty Images)

Se você está acostumada a fazer as sobrancelhas com um especialista, pode ser que você precise ficar alguns meses sem visitar o salão durante a pandemia. Mas isso não significa que você precisará ficar sem cuidar dos fios, os dias em casa podem ser ótimos para investir no crescimento das sobrancelhas. Denise Honda, especialista do Studio Honda, deu 7 dicas para você colocar em prática nesses dias em casa e continuar mesmo depois o retorno à vida normal para conseguir sobrancelhas cheias, saudáveis e sem falhas. Confira:

Deixe crescer e respirar: aproveite o tempo de isolamento, em que está saindo apenas para o essencial, para deixar suas sobrancelhas crescerem. Se precisar, use um pouquinho de rímel incolor para mantê-las no lugar, mas resista ao desejo de retirar por conta própria. “Você pode estragar o trabalho que a sua profissional faz, tirando em excesso e depois ter muito mais trabalho para concertar e voltar ao design original”, explica Denise. O mesmo vale para o uso de maquiagem para a correção das falhas. Aproveite essa fase para manter os pelos limpinhos e sem make alguns dos dias, isso deixará poros respirarem e ajudará no crescimento dos fios.

Limpeza frequente: se mesmo durante a quarentena você quiser se maquiar e preencher as sobrancelhas, a limpeza é essencial. Antes de dormir retire todo o excesso de produtos que ficaram ao longo do dia com um demaquilante e/ou sabonete específico para o rosto. Não esfregue muito a área porque o atrito pode fazer alguns dos pelinhos caírem.

Faça uma esfoliação: muita gente não se dá conta, mas assim como o resto do rosto, essa região acumula sujeira e, naturalmente, pele morta. Por isso, é importante fazer uma esfoliação para eliminar as impurezas mais fundas dos poros e, assim, estimular o crescimento. O mais importante é investir em um produto suave para não agredir a pele.. “Faça movimentos leves e circulares usando um esfoliante de rosto ou uma misturinha caseira de água e um pouquinho de café”, ensina a especialista.

Penteie todos os dias: pode parecer bobo, mas pentear as sobrancelhas todos os dias também é um cuidado simples, mas importante para a saúde dos fios. O pentear ajuda na circulação local e aumenta a irrigação de sangue, deixando os fios mais fortes e saudáveis.

Use apenas produtos exclusivos para a região: a indústria da beleza avançou muito e hoje em dia, há uma grande variedade de produtos pensados e formulados especialmente para as sobrancelhas. Por isso, nada de usar a mesma tintura do cabelo para adequar a cor dos pelos ou sombras e lápis que não são próprios para a região para acertar as falhas. Erros como esses podem resultar em alergias ou prejudicar o crescimento dos pelos, tornando os mais finos e falhos.

Escolha bem os procedimentos: tenha profissionais de confiança ao seu lado antes de decidir fazer algum procedimento nas sobrancelhas. Além de prejudicar a harmonia com o resto do seu rosto, procedimentos em excesso ou mal feitos podem trazer prejuízos a saúde da pele e dos pelos.

Invista no consumo de vitamina D: presente em alimentos como o ovo, carnes e leite, a vitamina D está diretamente relacionada à saúde dos cabelos e também dos pelos das sobrancelhas. O nutriente ajuda a torná-los muito mais fortes, consequentemente, as sobrancelhas mais cheias e sem falhas. “Nesse tempo em casa, preste mais atenção na alimentação e invista em alimentos ricos na vitamina para cuidar do corpo e da beleza também”, aconselha Denise. Além dessa vitamina, o consumo de comida de verdade e reduzir o industralizados fará uma bem para a saúde de todo o corpo e, consequentemente, também das sobrancelhas.

Ver mais

Espaço Mulher

Você sabia? O cacau é um ótimo aliado da rotina de beleza

Publicado

dia

Além do delicioso chocolate, o fruto também é ingrediente valioso em produtos de cuidados com a pele e cabelo

O cacau, por ter rico em vitaminas e minerais importantes para a saúde da pele e dos cabelos, pode ser um ótimo aliado da rotina de beleza (Anna-Ok/Getty Images)

Você sabia que o cacau, além de se transformar no irresistível chocolate, também pode ser um aliado poderosíssimo na rotina de beleza? Para celebrar o Dia do Cacau, comemorado nesta quinta-feira (26), conversamos com Andrea Frange, dermatologista e especialista em cabelos, para mostrar quais são as propriedades do fruto para deixar sua rotina de beleza mais deliciosa.

Propriedades antioxidantes

“Pelo cacau ser um alimento rico em vitaminas como a A, B1 e E e minerais importantes como ferro, magnésio e zinco, ele traz elementos importantes para a saúde do organismo e, consequentemente, para a saúde da pele e dos cabelos”, explica Frange.

Além disso, o fruto tem alta concentração de polifenóis, antioxidantes que combatem os radicais livres e previnem, assim, o envelhecimento cutâneo, o que, para a pele, é um excelente benefício. Outro diferencial é a gordura que tem potencial hidratante e calmante evitando a perda de água da cútis. O resultado? Pele macia e iluminada.

Smiling woman applying serum on her face (DragonImages/ThinkStock)

Já para os cabelos, a manteiga do cacau tem a propriedade de deixar os fios mais sedosos, com mais brilho, hidratados e mais fáceis para desembaraçar. “A vitamina B1 presente no cacau tem alto poder nutritivo no cabelo porque ela repara os fios da raiz às pontas e devolve os nutrientes necessários para deixar as madeixas sedosas e macias”, completa a dermatologista.

Os benefícios do cacau servem para qualquer tipo de pele e cabelo?

Frange explica que, pelos benefícios antioxidantes, o cacau tem uma atuação efetiva tanto em peles jovens, como prevenção, quanto em peles maduras. Ele também se apresenta como um ótimo aliado para os cabelos mais desnutridos, ou seja, ressecados, com mais frizz, que têm facilidade para embaraçar.

Apesar de funcionar tanto para cabelos lisos, quanto para cacheados, as encaracoladas e crespas devem usar e abusar do cacau. “Os cacheados precisam de uma nutrição e uma hidratação maior, porque os óleos que produzimos no couro cabeludo demoram para chegar às pontas devido ao formato espiralado dos fios. Então, é preciso aplicas as manteigas e óleos de cacau para fazer a umectação”, afirma a especialista.

(Reprodução/Reprodução)

Quais tratamentos posso fazer com cacau?

Para atingir o resultado desejado, o ideal é usar produtos que contém as propriedades do cacau em seus componentes, além de serem dermatologicamente testados.

Que tal aproveitar o tempo livre usando máscaras faciais com alta concentração de cacau? Você pode deixar agir por entre 15 e 20 min, dependendo da especificação de cada produto.

Já as máscaras capilares podem ser usadas tanto na pré-lavagem, antes do uso do shampoo, quanto depois da higienização do couro cabeludo, como máscara de hidratação, deixando agir por 20 minutos ou pelo tempo recomendado do fabricante do produto. Depois, enxágue bem os fios.

(Divulgação/CLAUDIA)

  1. Máscara Facial “Chocolate Pode”, Ricca, R$ 8,34* (compre aqui)
  2. Argila Cacau 250g, By Samia, R$ 46,19* (compre aqui)
  3. Máscara Vegana Love Vegan Cacau, Abela Cosmetics, R$ 32,90* (compre aqui)
  4. Máscara Capilar Nutritiva “A Fantástica Máscara de Chocolate”, Ricca, R$ 6,99* (compre aqui)
Ver mais

Espaço Mulher

Coronavírus: 12 exercícios para fazer em casa durante o isolamento social

Publicado

dia

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou um treino para você se manter ativo durante a pandemia sem pegar ou transmitir o coronavírus

A OMS lançou um guia com exercícios para ninguém ficar parado durante o isolamento social. (Foto: OMS/Divulgação)

O fechamento de academias e o isolamento das pessoas para evitar a transmissão do novo coronavírus impuseram desafios para a manutenção da atividade física. Até por isso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) criou um manual com treinos que podem ser realizados dentro de casa.

“Nesse momento, qualquer movimento conta. Fazer faxina, subir escadas e mesmo levantar de vez em quando e andar pelos cômodos da casa”, orienta Toni Martins, personal trainer de São Paulo. Ele destaca que o Colégio Americano de Medicina do Esporte também elaborou um documento com explicações e treinos para não deixar você cair no sedentarismo durante o isolamento.

Abaixo, colocamos os 12 exercícios propostos pela OMS, que incluem até espaço para meditação. Você não precisa cumprir toda a rotina em uma só sessão:

1. Joelho no cotovelo

(Foto: OMS/Divulgação)

Encoste um joelho no cotovelo oposto, alternando entre os lados. Encontre seu próprio ritmo. Tente repetir esse gesto de 1 a 2 minutos, descansar por 30 a 60 segundos. Faça isso até 5 vezes. Você deve sentir o coração bater mais rápido e ficar ofegante.

2. Prancha

(Foto: OMS/Divulgação)

Apoie os antebraços no chão, com os cotovelos na altura do ombro. Mantenha o quadril na altura da cabeça Mantenha-se firme nessa posição por 20 a 30 segundos (ou mais, se conseguir), descanse por 30 a 60 segundos, e repita até 5 vezes. Essa atividade fortalece seu abdômen e pernas

3. Extensão das costas

(Foto: OMS/Divulgação)

Encoste nas orelhas com a ponta dos dedos e eleve o tronco, mantendo as pernas no chão. Aí abaixe o tronco. Faça o gesto de 10 a 15 vezes, descanse por 30 a 60 segundos, e repita até 5 vezes. É uma forma de fortificar suas costas.

4. Agachamento

(Foto: OMS/Divulgação)

Coloque os pés na distância dos quadris, com os dedões apontado ligeiramente para fora. Então dobre os joelhos, mantendo o calcanhar no chão. Os joelhos devem ficar na altura dos pés, mas não ultrapassá-los (é o bumbum que deve ser jogado para trás). Agache de 10 a 15 vezes, descanse de 30 a 60 segundos, e repita até 5 vezes.

5. Levantamento lateral de joelho

(Foto: OMS/Divulgação)

Toque o joelho com o cotovelo do mesmo lado do corpo, levantando o joelho bastante. Alterne entre os lados. E tente manter esses movimentos de 1 a 2 minutos. Descanse por 30 a 60 segundos e repita tudo até cinco vezes. De novo, a ideia é fazer você ficar ofegante, com o coração batendo mais rápido.

6. Super-homem

(Foto: OMS/Divulgação)

Coloque suas mãos embaixo dos ombros e os joelhos abaixo dos quadirs. Levanta um braço e a perna oposta, alternando entre os lados. Faça esse gesto de 20 a 30 vezes, descanse por 30 a 60 segundos, e repita tudo até cinco vezes. O exercício fortalece abdômen, glúteos e músculos das costas.

7. Ponte

(Foto: OMS/Divulgação)

Coloque as solas dos pés inteiras no chão e levante os quadris até onde achar confortável. Aí desça devagar. Repita o gesto de 10 a 15 vezes, descanse por 30 a 60 segundo, e faça tudo de novo até 5 vezes. A atividade trabalha o bumbum.

 

8. Afundamento com cadeira

(Foto: OMS/Divulgação)

Segure na cadeira, com os pés a meio metro da cadeira, mais ou menos. Dobre os braços enquanto abaixa os quadris até quase tocar no chão. Aí erga o corpo com os braços. Realize o gesto de 10 a 15 vezes, descanse de 30 a 60 segundos, e repita até 5 vezes. Isso fortalece o tríceps.

9. Expansão de peitoral

(Foto: OMS/Divulgação)

É hora dos alongamentos! Entrelace os dedos com as mãos nas costas. Estique os braços e expanda o peitoral. Mantenha essa posição de 20 a 30 segundos (ou mais). Essa posição alonga o peito e os ombros.

10. Pose infantil

(Foto: OMS/Divulgação)

Com os joelhos no chão, leve o bumbum até os calcanhares. Deixe sua barriga apoiada nas coxas e estique ativamente os braços para frente. Respire normalmente. Mantenha essa posição de 20 a 30 segundos. Essa posição alonga suas costas, ombros e laterais do corpo

11. Meditação sentada

(Foto: OMS/Divulgação)

Sente confortavelmente, com as pernas cruzadas (se não gostar, pode sentar em uma cadeira). Deixe as costas eretas. Feche os olhos, relaxe o corpo e aprofunde a respiração lentamente. Concentre-se na respiração, e tente não ficar focado em um único pensamento ou preocupação. Mantenha essa posição de 5 a 10 minutos ou mais, para acalmar a mente.

12. Pernas na parede

(Foto: OMS/Divulgação)

Leve seus quadris para perto da parede (de 5 a 10 centímetros), estique as pernas e deixe-as descansarem na parede. Feche os olhos, relaxa o corpo e respire lentamente. Concentre-se na respiração e não fique focado em um único pensamento ou preocupação. Mantenha-se assim por 5 minutos. Essa posição serve para relaxar.

 

Ver mais

Espaço Mulher

Como Deixar suas Unhas Bonitas

Publicado

dia

Quem não gostaria de ter unhas bonitas e bem cuidadas? Para isso, é necessário tomar alguns cuidados. Mesmo quem frequenta manicure enfrenta probleminhas como unha ressecada ou lascada, cutícula despelando e esmalte que descasca. Veja alguns cuidados para manter as unhas bonitas e saudáveis.

Beleza

As unhas tem importância como órgão funcional e estético. A unha é formada basicamente de queratina, mas há também componentes como proteínas, enxofre e cálcio. Apresenta crescimento médio de 0,1 mm/dia nas mãos, sendo mais lento nos pés. Unhas em boas condições podem ser muito atraentes e refletem a saúde das mãos.

Cuidados com as Unhas

Como Deixar suas Unhas Bonitas

  • Mantenha a cutícula sempre hidratada. Para isso, esfolie semanalmente e hidrate diariamente.
  • A cutícula não deve ser retirada por completo. Ela forma uma barreira protetora contra a invasão de microorganismos causadores de doenças. Comece aplicando um creme específico para amolecer cutículas e, em seguida, empurre-as. Com a própria espátula, retire somente o excesso de pele. O que sobrar, retire com o alicate, mas sem eliminar toda a cutícula.
  • Para amolecer a cutícula, aplique um creme específico e coloque a mão de molho na água morna por cinco minutos. Depois, empurre com uma espátula e só se aventure com o alicate se tiver prática.
  • Na hora de lixar, o formato oval é ideal para unhas fracas, porque quebra com menos facilidade. O quadrado exige movimentos firmes e retos da lixa. Unhas redondas devem ser lixadas na diagonal. Uma vez por mês, lixe também a superfície das unhas com a parte mais fina da lixa para retirar as impurezas e as células mortas. Limpe qualquer eventual sujeirinha e Use a lixa de polimento para dar brilho nas unhas.
  • Mantenha todos os instrumentos (espátula e alicate) limpos e, se possível, desinfetados. Se você vai à manicure, verifique se ela desinfeta o material após utilizá-lo em cada cliente. Não tente reaproveitar esmaltes ressecados utilizando solventes, pois eles modificam sua composição química, comprometendo a qualidade do produto.
  • Aplique base, mesmo se for usar esmalte por cima, senão a unha pode ficar amarelada. Limpe os excessos com palito próprio de manicure.
  • Se a sua unha é fraca, use base fortalecedora e cremes específicos.
  • Para tornar sua unha mais comprida, deixe uma faixa bem fininha sem pintar nas laterais. Mas o efeito tem de ser sutil, para não ficar com ar de desleixo.
  • Para não ressecar as unhas, remova o esmalte com um produto que não contenha acetona na fórmula.
  • Evite usar acetona. Esse tipo de produto, quando usado em excesso, resseca as unhas, que se tornam frágeis e quebradiças. Use removedores de esmalte sem acetona.
  • Para o esmalte durar mais tempo, a dica é passar a ponta do dedo sobre a parte lixada da unha logo depois que ela for pintada. Isso ajuda a retirar o excesso de esmalte, o principal culpado pelas pontas das unhas descascarem rapidamente. O esmalte seca mais se você tirar limpar bem o pincel do esmalte ante de aplicá-lo. Depois disso mergulhe as mãos em um pote com água bem gelada ou use um óleo secante. Quando o esmalte começa a descascar, é hora de retirá-lo e aproveitar para caprichar na hidratação da área.

Como clarear unhas amareladas por ação de esmalte

Como Deixar suas Unhas Bonitas

Se suas unhas ficam amarelas de pois de usar muito tempo o esmalte, cuidado com a marca do seu esmalte. A maioria dos produzidos no Brasil tem chumbo na composição. Procure usar os hipoalergênicos ou marcas estrangeiras que não são agressivos como: Revlon, Opi, Mavala, Sally Hansen…

A receita é bem simples e baratinha:

  • Um pote em que caiba suas mãos com água morna;
  • 2 colheres de sopa de água oxigenada de 10 volumes

Para fazer, é simples, basta misturar a água oxigenada na água morna e mergulhar suas unhas na solução, deixando de molho por 10 minutos. Suas unhas devem estar limpas e sem esmalte ou base. A água oxigenada vai agir nas manchas das unhas, deixando-as com aparência mais esbranquiçada e pura. Depois do tempo passado, lave bem as mãos com sabonete e seque bem.

Manchas brancas e unhas quebradiças

Como Deixar suas Unhas Bonitas

Unhas quebradiças ou com manchas brancas são um sinal de alerta. As unhas têm a capacidade de revelar se sua alimentação está deficiente ou que há contato em excesso com produtos de limpeza.

Para melhorar a saúde das unhas é preciso ter uma alimentação rica em vitamina A, Vitaminas do complexo B, ferro, zinco e cálcio.

As unhas quebradiças podem decorrer da falta de vitaminas e nutrientes na dieta. Mas para quem quer testar uma solução mais rápida existem bases e óleos fortalecedores que prometem combater o problema.

Muitas mulheres não conseguem manter as unhas sem que lasquem ou quebrem. Para deixá-las mais fortes, o segredo é aplicar produtos fortalecedores com frequência.

 

 

Ver mais

Espaço Mulher

Exercício físico pode diminuir o risco de doença renal crônica

Publicado

dia

Um estudo com quase 200 mil pessoas indica que ter uma vida ativa ajuda a manter o funcionamento adequado dos rins

Os rins também se beneficiam dos exercícios. (Ilustração: Saúde/SAÚDE é Vital)

 

O exercício é um célebre remédio para muitas doenças, mas sua ação nos rins ainda é pouco estudada em comparação com outros órgãos, como coração e cérebro. Pois uma nova pesquisa acaba de mostrar que suar a camisa com regularidade pode evitar a doença renal crônica.

Publicado no British Journal of Sports Medicine, o trabalho envolveu 199 421 taiwaneses com idade média de 20 anos. Eles foram acompanhados por cerca de quatro anos, passando por avaliações médicas, exames e aplicação de questionários que determinavam os níveis de atividade física de cada um.

Resultado: os sedentários apresentaram uma queda anual mais significativa na taxa de filtração glomerular (uma medida que indica a saúde dos rins). Entre eles, a probabilidade de ser diagnosticado com doença renal crônica era quase 10% maior, mesmo quando outros fatores de risco foram contabilizados.

O que é doença renal crônica

Carca de 10% dos adultos possuem algum grau dessa perda progressiva da capacidade de filtrar o sangue, trabalho principal dos rins. O agravamento do quadro pode culminar em transplante ou sessões de hemodiálise, além de prejudicar o bem-estar e até ameaçar a vida da pessoa.

Na maior parte do tempo, contudo, a enfermidade não manifesta sintomas claros. Ela é resultado de anos e anos de convívio com certas doenças crônicas (como hipertensão e diabetes) e maus hábitos, a exemplo de consumo excessivo de álcool e tabagismo.

Com o novo achado, o sedentarismo pode entrar nessa lista.

Como a atividade física beneficia os rins

Estudos realizados em animais indicam que o processo de filtragem das toxinas em si é mais eficiente nos indivíduos ativos. Outras pesquisas apontam o exercício como fator protetor contra pedras nos rins e até tumores no órgão, mas os motivos disso são desconhecidos, principalmente em humanos.

Fora que há uma relação indireta nessa história. O esforço físico regular, em intensidade moderada, por ao menos 150 minutos semanais, protege contra obesidade, diabetes e hipertensão, três problemas que comprometem a saúde renal.

Ver mais

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?