Nossa rede

Brasil

Estado e prefeitura do Rio buscam alunos que não voltaram para escola

Publicado

dia

A estimativa é que 105 mil estudantes não retornaram aos estudos

© Rovena Rosa/Agência Brasil

As secretarias de Educação do município e do estado do Rio de Janeiro estão desenvolvendo estratégias para localizar os estudantes que deixaram de assistir às aulas durante a pandemia da covid-19 e ainda não retornaram às escolas. A estimativa é que sejam 25 mil estudantes na capital e cerca de 80 mil na rede estadual.

Segundo a Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, responsável principalmente pela educação infantil e ensino fundamental, todos os anos há estudantes que deixam de frequentar as aulas e até mesmo abandonam os estudos. Com a pandemia e o fechamento prolongado das escolas em 2020, no entanto, o quadro se agravou.

“Houve um forte desengajamento dos alunos e seus familiares. Chegamos ao número de 25 mil contabilizando os alunos que não estão em aulas presenciais e não interagiram com a escola e seus professores”, disse a pasta em nota.

Já a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc-RJ), responsável principalmente pelo ensino médio, informou que cerca de 80 mil estudantes permanecem infrequentes, ou seja, frequentaram menos de 75% das aulas presenciais ou remotas. Isso não significa, de acordo com a pasta, que esses alunos tenham abandonado a escola. Ainda é possível a reposição dos conteúdos e o cumprimento da frequência exigida até o final do ano letivo, segundo a secretaria.

Busca ativa

Para evitar que esses estudantes abandonem permanentemente os estudos, ambas as redes de ensino desenvolvem ações para trazê-los de volta às escolas.

A secretaria municipal informou que está em curso um projeto de busca ativa que conta com uma articulação com as demais secretarias, especialmente a de Saúde e a da Assistência Social, e subprefeituras. Além disso, a pasta utiliza a plataforma de Busca Ativa Escolar, elaborada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) para identificar crianças e jovens fora da escola.

A secretaria atua ainda na mobilização dos diretores e professores junto aos responsáveis e colegas dos alunos ausentes e utiliza as redes sociais e até mesmo carros de som.

No âmbito do estado, para manter o vínculo do estudante com a escola, a Seeduc-RJ tem orientado a rede sobre os procedimentos para realização da busca ativa e promovido diferentes campanhas de resgate de alunos com baixa frequência e/ou nota.

Segundo a pasta, as escolas estaduais também desenvolvem estratégias autônomas de acordo com as necessidades e a realidade local, tais como visita às residências de estudantes; mensagens por redes sociais; reuniões virtuais com pais e responsáveis; articulação com grêmios estudantis, associação de moradores e entidades públicas locais; apoio de rádios comunitárias, entre outras.

Aulas presenciais

A rede municipal de ensino do Rio de Janeiro começou o retorno das aulas presenciais sem rodízio de alunos, na segunda-feira (18). Na primeira fase, retomam as aulas a pré-escola, 1º, 2º, 5º e 9º anos do ensino fundamental e o programa Carioca II.

Até a semana passada, as aulas presenciais vinham sendo feitas em sistema de rodízio, com metade da lotação das turmas, devido à pandemia da covid-19. Os grupos se alternavam de semana em semana entre os ensinos presencial e remoto.

Todas as escolas da rede estadual de ensino estão abertas, ofertando o modelo de ensino híbrido, com aulas remotas e também presenciais para todos os alunos que optarem por essa modalidade, exceto aquelas escolas cujos municípios encontram-se com norma proibitiva para atividades pedagógicas presenciais. As unidades escolares cumprem todos os protocolos e orientações definidos pela Secretaria de Estado de Saúde.

Brasil

A exclusão escolar é uma preocupação não apenas no Rio de Janeiro, mas em todo o Brasil. O número de crianças e adolescentes sem acesso à educação no país saltou de 1,1 milhão em 2019 para 5,1 milhões em 2020, de acordo com o estudo Cenário da Exclusão Escolar no Brasil – um Alerta sobre os Impactos da Pandemia da Covid-19 na Educação, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), em parceria com o Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec) Educação. Agência Brasil

Brasil

Réveillon cancelado? Veja situação em SP, Rio, Salvador e outras capitais

Publicado

dia

Por

O atraso na vacinação e a persistência da pandemia podem prejudicar os eventos da virada do ano em algumas das cidades em que esses festejos são tradicionais

Ano novo: São Paulo planeja realizar o réveillon na Avenida Paulista. (Gabriel Monteiro/secom/Agência Brasil)

A realização de réveillon com público e a tradicional queima de fogos da festa entrou em compasso de espera nas capitais brasileiras. O atraso na vacinação e a persistência da pandemia podem prejudicar os eventos da virada do ano em algumas das cidades em que esses festejos são tradicionais.

A prefeitura de Salvador espera definir o assunto nos próximos dias e o mesmo vale para Recife e Fortaleza. Em Belo Horizonte, o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 desaconselhou a realização do evento, enquanto a prefeitura de Florianópolis já lançou o Verão da Virada 2022, que inclui a festa com queima de fogos. Em São Paulo e no Rio, a programação está mantida.

Em Salvador, a definição ocorrerá após encontro entre o prefeito Bruno Reis e o governador Rui Costa (PT). No ano passado, a queima de fogos ocorreu sem público e foi transmitida pela internet.

Já as festas particulares devem ocorrer em mais de 20 locais na capital baiana. A última edição do festival da virada, na passagem de 2019 para 2020, reuniu 2 milhões de foliões durante os cinco dias de festa.

São Paulo planeja realizar o réveillon na Avenida Paulista. O prefeito Ricardo Nunes (MDB) já disse que o evento voltaria a ser realizado depois da interrupção forçada pela pandemia de 2020 para 2021. Na quarta-feira, 24, a capital paulista alcançou a marca de 100% da população adulta totalmente vacinada.

No Rio, o prefeito Eduardo Paes (PSD) também planeja realizar o festejo na orla de Copacabana. Ele já vem repetindo desde julho que o evento ocorrerá em sua total capacidade, como em anos pré-pandemia. Na semana passada, a prefeitura informou que não há mais pacientes com covid-19 na rede municipal de saúde.

SEM CONFIRMAÇÃO

Situação diferente do Recife, onde a prefeitura ainda não confirmou o Réveillon com público. “O Recife entende que apenas com a superação da pandemia será possível assegurar os eventos”, disse, em nota.

Em Fortaleza, a festa também está indefinida. O prefeito José Sarto (PDT) criou um grupo para discutir a realização do evento. A possibilidade de haver a queima de fogos com a liberação das praias para o público já vinha sendo estudada pelo comitê da covid-19, devido à queda nos indicadores da pandemia. Uma das possibilidades é de que o réveillon só seja permitido para pessoas com a imunização completa.

O Comitê de Enfrentamento à Covid-19 desaconselhou a realização do Réveillon na capital mineira, devido ao risco de aglomerações. Foram levados em conta os índices de vacinação abaixo do desejado e o risco de aparecimento de variantes do coronavírus.

FLORIANÓPOLIS

Na capital catarinense, a queima de fogos será realizada exclusivamente na baía norte, com visualização da Beira-Mar Norte e Continental. Não haverá show musical.

Ver mais

Brasil

Nova variante: Anvisa recomenda restrições a voos de 6 países da África

Publicado

dia

Por

A orientação é em decorrência da identificação de nova variante do coronavírus B.1.1.529.

Anvisa: Países da Europa já restringiram viagens para o local de origem da nova variante e entrada de viajantes (Leandro Fonseca/Exame)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou nota técnica nesta sexta-feira, 27, recomendando que o governo brasileiro restrinja voos e viajantes vindos dos países da África que identificaram a nova variante do coronavírus B.1.1.529.

Os países identificados na nota técnica são, especificamente, África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue.

Por não haver voos diretos desses países para o Brasil, a Anvisa recomenda a restrição de entrada de viajantes dessas áreas também por qualquer outro meio de entrada. Brasileiros ou residentes legais que tiverem passagem por um desses países devem realizar quarentena de 14 dias, segundo o órgão.

A recomendação foi enviada para a Casa Civil. A agência informa que a efetivação da medida depende de de portaria interministerial editada conjuntamente pela Casa Civil, pelo Ministério da Saúde, pelo Ministério da Infraestrutura e pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Países da Europa já restringiram viagens e entrada de viajantes do local de origem da nova variante. A nova variante preocupa autoridades mundiais pelo seu grande número de mutações: são 50 ao todo. Apesar de ainda ser cedo para dizer o quão transmissível ou perigosa ela é, a nova variante já levou a quedas nas bolsas.

Por Exame

Ver mais

Brasil

OMS alertou em março que a desigualdade nas vacinas geraria variantes

Publicado

dia

Por

Na época, Tedros Adhanom classificou como “sufocante” o pouco progresso feito em direção a uma distribuição mais igualitária dos imunizantes

Diretor da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus (Christopher Black/OMS/Reuters)

À medida que as vacinas contra o coronavírus eram produzidas, entre 2020 e 2021, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, reforçava recorrentemente que os governos mundiais levassem em conta as projeções de especialista de saúde sobre quantas doses, e em qual período os lotes deveriam ser enviados para que fosse possível vacinar todo o mundo, não apenas os países mais ricos.

Isso era necessário, dizia ele, para reduzir as taxas de mortalidade e doenças graves nas nações mais pobres e para proteger suas populações das consequências econômicas.

As evidências também apontavam outro e mais latente motivo: quanto mais o vírus se espalha, maior a probabilidade dele sofrer uma mutação e resultar em uma cepa que pode se tornar perigosa para todos, incluindo os vacinados.

Talvez pelo devido descaso com o alerta, há indícios de que este temor se concretizou. Uma nova variante do coronavírus chamada B.1.1.529 foi identificada na África do Sul e vem preocupando autoridades mundiais pelo seu grande número de mutações: são 50 ao todo.

O quão ela é transmissível ou perigosa ainda está sob análise, mas a nova variante já levou a quedas na bolsa e a países da Europa restringindo viagens para seu local de origem.

Em março, Tedros Adhanom reforçou publicamente o pedido de forma ainda mais contundente: clamou para que países ricos compartilhem mais doses de vacinas contra o coronavírus a nações mais pobres. Segundo ele, vacinar todos os cidadãos enquanto a maior parte da população mundial continua sem os imunizantes dá uma “sensação falsa de segurança”.

“Se não for por solidariedade, peço que países ricos compartilhem as doses pelo seu próprio interesse”, disse Tedros, que completou ao afirmar que as nações mais desenvolvidas do mundo vacinam suas populações ao custo das vidas de idosos e profissionais da saúde de regiões de menor renda.

Não está claro exatamente onde a nova variante foi gerada. Pode ter sido na África do Sul ou Botswana, ou em um país vizinho.

Mas ambos os países têm baixas taxas de vacinação e documentaram um luta diplomática para garantir as doses, inclusive acusando as nações ricas de acumularem vacinas.

Até quinta-feira, apenas 23,51% das pessoas na África do Sul e 19,58% no Botswana foram vacinadas, informou o Our World in Data.

Ver mais

Brasil

Governo distribuirá óculos de visão noturna a policiais de fronteira

Publicado

dia

Por

Programa Vigia receberá viaturas, capacetes, coletes e kits de saúde

© Wilson Dias/Agência Brasil

O Ministério da Justiça e Segurança Pública oficializou a entrega, nesta quinta-feira (25), de R$ 73 milhões em equipamentos de segurança para fortalecer o trabalho de policiais que atuam no Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (Vigia).

O evento contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro e do titular da pasta, Anderson Torres, entre outras autoridades do governo federal.

Ao todo, segundo o ministério, são 230 viaturas, 225 óculos de visão noturna, 225 capacetes, 700 placas de proteção balística, 700 kits de primeiros-socorros e quatro binóculos com tecnologia térmica avançada, capazes de identificar movimentação suspeita a 8 quilômetros de distância. “São equipamentos de ponta, que vão contribuir para uma atuação mais eficiente e segura dos nossos policiais que atuam nas fronteiras e divisas de 12 estados do país”, afirmou Torres.

Os itens serão distribuídos entre as polícias civis, militares e federais presentes nas regiões de divisa e fronteira do Acre, Amapá, Amazonas, de Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, do Paraná, Rio Grande do Sul, de Rondônia, Roraima, Santa Catarina e do Tocantins.

Em balanço, o ministro da Justiça afirmou que, em dois anos, o Programa Vigia apreendeu 1,2 mil toneladas de drogas, com valor de mais de R$ 4,5 bilhões, além de ter feito investimentos de R$ 130 milhões na compra de equipamentos.

Por Agência Brasil

Ver mais

Brasil

Covid-19: Brasil registra 303 mortes e 12.126 casos em 24 horas

Publicado

dia

Por

País acumula 613,6 mil mortes e 22,055 milhões de casos

© 28/10/2021_Fernando Frazão/Agência Brasil

As secretarias estaduais e municipais de Saúde do Brasil registraram até o momento que 613.642 pessoas morreram em decorrência da covid-19. Desde ontem, as autoridades confirmaram 303 novas mortes por covid-19.  

Ainda há 2.837 falecimentos em investigação. Essa situação ocorre pelo fato de haver casos em que o paciente faleceu, mas a investigação sobre se a causa foi covid-19 ainda demandar procedimentos.

Também conforme as estatísticas das autoridades de saúde, a soma de pessoas infectadas pelo coronavírus durante a pandemia atingiu 22.055.238. Nas últimas 24 horas, foram registrados 12.126 novos casos da doença.

Boletim Covid-19 de 25-11-2021
Boletim Covid-19 de 25-11-2021 – Ministério da Saúde

Ainda há 166.387 casos em acompanhamento de pessoas que tiveram o quadro de covid-19 confirmado.

Até esta quinta-feira, 21.275.209 pessoas se recuperaram da doença.

Os dados estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado na noite desta quinta-feira (25). A atualização consolida informações sobre casos e mortes enviadas pelas secretarias estaduais de Saúde.

Estados

Segundo o balanço do Ministério da Saúde, no topo do ranking de estados com mais mortes por covid-19 registradas até o momento estão São Paulo (153.755), Rio de Janeiro (68.935), Minas Gerais (56.104), Paraná (40.763) e Rio Grande do Sul (36.034).

Já os estados com menos óbitos resultantes da pandemia são Acre (1.846), Amapá (2.002), Roraima (2.050), Tocantins (3.914) e Sergipe (6.041).

Vacinação

No total, até o início da noite desta quinta-feira (25) o sistema do Ministério da Saúde marcava a aplicação de 306,9 milhões de doses de vacina contra a covid-19 no Brasil, sendo 158,5 milhões como primeira dose e 134,6 milhões como segunda dose e dose única. Foram aplicadas 13,2 milhões de doses de reforço.

Ainda conforme o painel do Ministério da Saúde, foram enviadas aos estados 372,5 milhões de doses de vacinas contra a covid-19.

 

Ver mais

Brasil

Caravana Iluminada de Natal passa por cidades do Litoral Norte nesta terça-feira

Publicado

dia

Por

Já cidades do Norte e a capital Florianópolis recebem a caravana na quarta (11).

Caravana Iluminada de Natal passa por cidades do Vale do Itajaí e Litoral Norte nesta terça-feira — Foto: Divulgação

Cidades do Litoral Norte de Santa Catarina recebem nesta terça-feira (10) a Caravana Iluminada de Natal da Coca-Cola. Os caminhões passam por Itajaí, Balneário Camboriú e Camboriú.

Na edição deste ano, um dos destaques são os veículos totalmente cenografados com imagens de pessoas celebrando a união em família ou entre amigos.

As caravanas também percorrerão as ruas com elementos inéditos: o caminhão com o tradicional cenário do Papai e da Mamãe Noel será decorado com cerca de 3.750 garrafas PET recicladas de tamanhos variados, compondo elementos como trenó, árvores e renas. Para garantir a iluminação de toda a frota, serão usados dois mil metros de mangueira LED.

Caravana Iluminada de Natal passa por cidades de SC — Foto: Divulgação

Caravana Iluminada de Natal passa por cidades de SC — Foto: Divulgação

Na quarta-feira (11), os caminhões da campanha passam por Joinville, Jaraguá do Sul e Florianópolis. O roteiro completo está disponível no site.
Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?