Nossa rede

É Destaque

Manifestantes fazem protesto contra reabertura de comércios e escolas no DF

Publicado

dia

O ato intitulado Todas as Vidas Importam reuniu faixas e manifestante vestidos de preto em homenagem às vítimas de coronavírus na capital federal

Manifestacao-contra-reabertura

Um grupo de aproximadamente 100 pessoas realizou uma manifestação contra o decreto de reabertura dos comércios e escolas no Distrito Federal, na manhã desta sexta-feira (3/7), em frente ao Palácio do Buriti. O ato intitulado Todas as Vidas Importam reuniu faixas, cruzes e manifestantes vestidos de preto em homenagem às vítimas de coronavírus na capital federal.

A manifestação começou por volta das 8h. O grupo espalhou cruzes pelo chão e levantou placas com frases como: “A vida é muito breve. Agosto é cedo”, “Romper o isolamento é promover o genocídio” e “Escolas podem ser reabertas quando a pandemia passar. As vidas dos estudantes importam”.

O ato acontece um dia após publicação de decreto, assinado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), no Diário Oficial do DF, autorizando a reabertura dos bares, restaurantes, academias, salões de beleza e escolas no DF.

Para Lêda Gonçalves de Freitas, uma das organizadoras da manifestação, essa é uma forma de denunciar uma atitude do governo. “Para nós, romper o isolamento do modo que ele está propondo é aumentar mortes, é perder vidas. A gente quer pedir um basta. Não deve retornar as escolas, não deve abrir os bares e geral, como ele está colocando”, disse.

Ela ressaltou que as cruzes usadas no ato simbolizam o número de mortes por coronavírus no DF. “Ontem, Brasília chegou a 631 mortos. Para a gente, ao mesmo tempo, é uma forma de homenagear as pessoas que foram, que é uma dor das perdas de todas as famílias, e dizer para o governador se ele quer que aumente ainda mais o número de mortes”, explica Lêda.

Preocupação

A manifestação contou com a presença de representantes de vários setores. A cirurgiã-dentista Geovânia Rodrigues conta que se juntou ao movimento porque acredita que o DF “vai pagar um alto preço” com a liberação das atividades econômicas. “Justo no momento do pico da pandemia previsto para o início de julho a gente se depara com a liberação”, diz.

Para ela, a liberação vai colocar muitas vidas em risco. “Estamos aqui somando a representantes de uma série de movimentos e de pessoas da sociedade que levam a mesma preocupação de como será o preço alto que a sociedade do DF pode vir a pagar com esse ato. Esse é o motivo de estarmos aqui”, destacou a dentista.

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

É Destaque

Coronavírus: DF registra 3 mil novos casos em 24 horas e passa dos 126 mil infectados

Publicado

dia

Secretaria de Saúde confirmou 31 mortes nesta segunda-feira (10). Total de óbitos chega a 1.762.

Testagem rápida para coronavírus no DF — Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

O Distrito Federal registrou 3.012 casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas. O total de infectados chegou a 126.069. A informação foi dada pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), no início da noite desta segunda-feira (10). Desse total, 84,4% estão recuperados.

A pasta também registrou mais 31 mortes por Covid-19. Desde o começo da pandemia o total de óbitos chega a 1.762 pessoas (veja detalhes abaixo).

De acordo com a secretaria, 154 pessoas que morreram na capital vieram de outras regiões para buscar atendimento médico em Brasília. “A maioria era do Entorno do DF”, aponta a pasta.

Perfil das vítimas

Das 31 mortes confirmadas nesta segunda, 17 eram mulheres e 14, homens. Com relação à faixa etária, a maioria tinha entre 60 e 69 anos. Veja detalhes abaixo:

Faixa etária

  • 11 a 19 anos: 1
  • 50 a 59 anos: 6
  • 60 a 69 anos: 10
  • 70 a 79 anos: 6
  • 80 ou mais anos: 8

Região de residência

  • Águas Claras: 1
  • Arniqueira: 1
  • Brazlândia: 2
  • Ceilândia: 5
  • Guará: 2
  • Jardim Botânico: 1
  • Planaltina: 1
  • Plano Piloto: 2
  • Recanto das Emas: 2
  • Samambaia: 3
  • São Sebastião: 1
  • Sobradinho: 1
  • Sobradinho II: 2
  • Taguatinga: 4
  • Vicente Pires: 1

Comorbidades

Ao todo, 23 pacientes tinham comorbidades – doenças relacionadas capazes de agravar o quadro – e oito, não. Os distúrbios registrados são:

  • Doença Cardiovascular: 19
  • Distúrbios Metabólicos: 15
  • Nefropatia: 3
  • Imunossupressão: 1
  • Obesidade: 2
  • Pneumopatia: 1

Onde ocorreram as mortes

  • Hospitais particulares: 9
  • Hospital das Forças Armadas: 1
  • Hospital Regional da Asa Norte: 2
  • Hospital Regional de Ceilândia: 2
  • Hospital Regional de Samambaia: 2
  • Hospital Regional de Santa Maria: 6
  • Hospital Universitário de Brasília: 4
  • Hospital de Base: 1
  • Upa – Núcleo Bandeirante: 1
  • Upa – Recanto das Emas: 1
  • Upa – Sobradinho: 2

Ocupação de leitos de UTI

Leito de UTI em hospital público do Distrito Federal  — Foto: TV Globo/Reprodução

Leito de UTI em hospital público do Distrito Federal — Foto: TV Globo/Reprodução

De acordo com o portal Sala de Situação, do governo do DF, que monitora a ocupação dos hospitais durante a pandemia, mostrava que apenas 23, das 287 vagas reservadas para pacientes com Covid-19 na rede privada estavam disponíveis. A taxa de ocupação era de 91,84%.

Na rede pública, até às 16h31 desta segunda, 77,07% dos leitos para cuidado intensivo estavam ocupados, ou seja, das 752 vagas, 548 estavam ocupadas e 41, bloqueadas. Os leitos livres eram 163. O número inclui unidades pediátricas, neonatais e adultas.

Perfil de infectados

Segundo o governo do DF, a maioria dos pacientes infectados é composto por mulheres (53,1%) e tem entre 30 e 39 anos. Veja abaixo os casos por faixa etária:

  • Menor de 2 anos: 771
  • 2 a 10 anos: 2.528
  • 11 a 19 anos: 5.736
  • 20 a 29 anos: 23.678
  • 30 a 39 anos: 34.143
  • 40 a 49 anos: 27.921
  • 50 a 59 anos: 17.179
  • 60 a 69 anos: 8.262
  • 70 a 79 anos: 3.845
  • 80 ou mais anos: 2.006

Com relação às regiões do Distrito Federal, Ceilândia tem a situação mais grave na capital. Até o início da noite desta segunda, a cidade ultrapassou 15.754 casos e 336 mortes. Veja tabela completa abaixo:

Casos de coronavírus por região do DF, em 10 de agosto  — Foto: SES-DF/Reprodução

Casos de coronavírus por região do DF, em 10 de agosto — Foto: SES-DF/Reprodução

Ver mais

É Destaque

Ibaneis reforça projetos especiais da governadoria

Publicado

dia

Empossado nesta segunda-feira (10), Marcelo Lavocat Galvão agora chefia assessoria ligada ao gabinete do governador

O advogado Marcelo Lavocat Galvão tomou posse nesta segunda-feira (10) como chefe da Assessoria de Projetos Especiais do gabinete do governador Ibaneis Rocha. Membro decano do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o procurador cedido ao Governo do Distrito Federal trabalhará lado a lado com o chefe do Executivo.

Foto: Renato Alves/Agência Brasília

Marcelo Galvão foi Procurador-Geral do DF entre os anos de 2009 a 2011. É formado em Direito pela Universidade de Brasília (UnB) e possui mestrado e doutorado em Direito Tributário pela Universidade de São Paulo (USP). Ele compôs a equipe jurídica durante o governo de transição e, agora, assume o cargo do advogado Gustavo Rocha, atual chefe da Casa Civil.

“Ficarei à disposição do governador para realizar consultorias. Vou fazer ponte com o Poder Judiciário e Procuradoria-Geral do DF, sem interferir na competência de cada uma delas”, afirma Galvão. Ele usará as experiências jurídica e de governo para assessorar pessoalmente as ações da gestão.

Ver mais

É Destaque

GDF investe na saúde mental dos servidores

Publicado

dia

Desde o fim de março foram mais de mil atendimentos on-line. Subsecretaria de Segurança e Saúde no Trabalho mantém serviços contínuos e reforça ações


Em tempos de crise, como o que afeta o mundo em 2020, são comuns e até esperados sinais e sintomas de tristeza, angústia, ansiedade, insegurança e medo – assim como alterações no sono, na alimentação e no humor. Embora nem sempre sejam indicativos de transtorno, é preciso ficar atento.

Nesse contexto da pandemia de Covid-19, servidores do Governo do Distrito Federal contam com atendimentos online para cuidar da saúde mental. Além da psicoterapia e dos atendimentos tradicionais, há o plantão de acolhimento. De 25 de março, quando ocorreu a primeira sessão de suporte psicológico on-line, até o fim de julho, foram 1.273 atendimentos a distância.

Foto: Freepik

Os serviços são prestados pela Subsecretaria de Segurança e Saúde no Trabalho, da Secretaria de Economia. A unidade tem entre suas responsabilidades atividades e programas de promoção à saúde de servidores efetivos – exceto policiais civis e militares, bombeiros e funcionários de empresas públicas. Os serviços de atenção à saúde mental, compostos por ações coordenadas e sistematizadas em formato de programas, são contínuos.

“No caso da psicoterapia, há data para começar, mas não para terminar. Já o plantão online é uma estratégia de prevenção ao adoecimento psíquico durante a pandemia, com sessões determinadas. O acolhimento aos servidores já existia anteriormente e vai continuar acontecendo”, afirma a psicóloga Jacqueline Ferraz da Costa, que atua na Gerência de Saúde Mental e Preventiva da Subsecretaria de Segurança e Saúde no Trabalho.

Transtornos de ansiedade
Durante a pandemia, as queixas seguem o padrão internacional e o que já era observado em atendimentos anteriores, com predomínio de transtornos de ansiedade. Em 2019, foram registrados 17.755 afastamentos de 9.127 servidores do GDF relacionados a transtornos mentais e comportamentais — um terço foi classificado como transtornos ansiosos.

Os dados deste ano ainda estão em análise, mas, segundo a equipe Gerência de Saúde Mental e Preventiva, já é notável o crescimento dos registros de transtorno obsessivo-compulsivo, principalmente relacionados aos comportamentos obsessivos de limpeza ou de higiene. “Em alguns casos, as mãos chegam a ficar feridas pelo excesso de uso do álcool em gel, da lavagem ou da limpeza do ambiente”, diz a Jacqueline.

Também aumentou o número de casos de fobia social. “Há muitas pessoas manifestando medo de sair de casa. Se precisam fazer isso, começam a ter taquicardia, náusea e dor de cabeça, sintomas clássicos da ansiedade”, relata. Outras demandas comuns têm sido a necessidade de conversar com alguém que não seja da família — em muitos casos, o servidor quer justamente saber como ajudar parentes ansiosos —  e como lidar com o luto.

O acolhimento inicial pode minimizar a angústia em uma única sessão ou o profissional responsável pelo atendimento pode identificar a necessidade de acompanhamento por um período maior. Há servidores que diariamente recebem a ligação de um psicólogo ou psiquiatra.

Aliada aos atendimentos, uma das estratégias da Subsecretaria de Segurança e Saúde no Trabalho de prevenção para minimizar os fatores de risco para o adoecimento psíquico é a psicoeducação. A abordagem é utilizada em intervenções individuais ou em grupo e com a produção de materiais informativos sobre os cuidados com a saúde mental durante a pandemia.

Com informações da Secretaria de Economia/DF

Ver mais

É Destaque

Festa do Morango, programada para setembro, será on-line

Publicado

dia

Emater-DF está montando um site para divulgar palestras e materiais técnicos sobre cultivo e receitas com o fruto

Morangos colhidos em propriedade rural em Brazlândia, maior região produtora do DF

A Festa do Morango de Brasília deste ano vai acontecer de forma virtual – e nos dias 11,12 e 13 e 18, 19 e 20 (sexta, sábado e domingo) de setembro. A Emater-DF participará por meio de um site que trará notícias, palestras, vídeos, materiais técnicos sobre o cultivo e receitas.

O Distrito Federal possui 225 produtores cultivando a fruta em 173,95 hectares, sendo Brazlândia a principal região produtora. Em 2019, foram colhidas 7.212 toneladas de morango.

O número de produtores de morango em Brazlândia cresceu mais de 230% nos últimos 25 anos, quando foi realizada a primeira Festa do Morango de Brasília, em 1995.

Com o apoio da Emater-DF e de pesquisas agropecuárias, a cadeia produtiva vem se desenvolvendo com o uso de cultivares adaptadas à região, manejo de irrigação, cultivo protegido e controle biológico de pragas, por exemplo.

* Com informações da Emater-DF

Ver mais

É Destaque

Tarifas bancárias aumentam até 393% em um ano. Veja os maiores reajustes

Publicado

dia

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) mostra quais tarifas tiveram os maiores aumentos

Tarifa avulsa “transferência entre contas da mesma instituição financeira presencialmente” da Caixa subiu de R$ 1,40 para R$ 6,90 (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Dois bancos públicos reajustaram o preço de sua tarifa avulsa “transferência entre contas da mesma instituição financeira presencialmente” em até 393% (Caixa, de R$ 1,40 para R$ 6,90) e 342% (Banco do Brasil – R$ 1,95 para R$ 6,85). É o que constata uma pesquisa realizada pelo Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) entre junho de 2019 e junho de 2020.

Entre as 45 tarifas avulsas, os reajustes praticados pelos bancos (Banco do Brasil, Bradesco, Caixa e Itaú) atingiu mais de 50% dos serviços com variação entre 1% (Itaú e Bradesco) e 393% (Caixa). Já o Santander e o Safra corrigiram o preço de apenas quatro tarifas.

Já quando se trata de pacotes de tarifas o Banco do Brasil, Bradesco, Caixa e Itaú reajustaram entre 2% (Bradesco) a 90% (Caixa) os custos de 53% dos produtos.  Somente o Santander e Safra não reajustaram os pacotes. No total os seis maiores bancos oferecem 75 pacotes de serviços, incluindo os pacotes padronizados pelo Banco Central.

Veja abaixo os principais resultados da pesquisa do Idec:

Para o Idec os consumidores devem ficar atentos às cobranças de tarifas nos extratos com descontos de pacote e tarifas avulsas. As cobranças são automáticas na conta o que facilita a ausência de controle por parte do consumidor e possibilita a prática abusiva.

Além dos bancos digitais e fintechs, que oferecem serviços gratuitos, os consumidores que optarem por manter as contas nos bancos tradicionais, também podem converter suas contas para o Serviços Essenciais, uma modalidade de conta sem pacote que garante ao consumidor a movimentação da conta com direito ao cartão de débito, 4 operações de saque, 2 extratos bancários, 2 transferências e consultas ao Internet banking e aplicativo pelo celular.

Ver mais

É Destaque

Com ou sem vacina, novo coronavírus pode nunca sumir

Publicado

dia

Afirmação é do pesquisador da Universidade do Texas, Vineet Menachery à NPR — apesar disso, ele tem visões otimistas sobre o vírus

(Getty Images/Getty Images)

Ver mais

Hoje é

terça-feira, 11 de agosto de 2020

Publicidade

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?