Nossa rede

Aconteceu

Mais de 90 pessoas estão desalojadas após incêndio em prédio na Asa Norte

Publicado

dia

A Defesa Civil mantém, por tempo indeterminado, a interdição de 24 apartamentos afetados pelo incêndio no bloco M da 110 Norte. As labaredas, que atingiram 700ºC, romperam os 18 cabos que dão resistência à prumada

Cobertura onde o fogo começou ficou completamente destruída: há risco de desabamento da laje atingida pelas chamas. (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)

 

Mais de 90 pessoas estão desalojadas desde que um incêndio destruiu um apartamento e atingiu outros três no sexto andar do bloco M da 110 Norte, na segunda-feira. A Defesa Civil manteve a interdição de 24 imóveis da prumada afetada pelas chamas, por causa do risco de desabamento da laje da cobertura atingida pelo fogo. Os moradores só vão poder retornar após o escoramento da estrutura, trabalho que deve começar hoje e terminar amanhã. Os outros condôminos do prédio de seis pavimentos e 60 unidades residenciais retornaram para casa na manhã de ontem, após liberação do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil.

Uma vistoria realizada pela Defesa Civil, ontem de manhã, identificou o rompimento dos 18 cabos de protensão que dão resistência a toda prumada atingida pelas chamas. Elas atingiram 700ºC. Duas perícias vão identificar as causas do incêndio: uma feita pelo Corpo de Bombeiros e outra, pela Polícia Civil. Agentes do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Civil fizeram uma inspeção preliminar ontem e retornam na manhã de hoje. A previsão é de que o resultado fique pronto em 30 dias.
Uma das peritas do IC, que não quis ser identificada, contou ao Correio que o foco do incêndio ficou concentrado em um quarto conjugado com a sala do apartamento 603, onde começou o fogo. “A instalação elétrica desse quarto e sala foi feita muito tempo depois. É uma instalação externa, mas existe a possibilidade de até os indícios do incêndio terem sido destruídos pelo fogo em razão do tamanho da destruição”, avaliou.
Engenharia
O tenente-coronel Sinfrônio Lopes, da Defesa Civil, ressaltou que o projeto de engenharia garantiu que o prédio permanecesse em pé. “É uma construção de alto padrão e, além dos cabos, havia outra estrutura que avisaria se a construção fosse ceder. Se não fosse isso, a varanda do sexto andar poderia desabar, o que ocasionaria em uma destruição sequenciada de todos os outros andares”, explicou.
Sinfrônio destacou ainda que a estrutura da cobertura foi calculada para aguentar um peso maior que o padrão, o que trouxe segurança e evitou desabamento em efeito dominó. “Há um risco iminente de destruição da laje, mas o engenheiro que fez o projeto atendeu todas as normas de segurança com todos os requisitos necessários”, comentou.
Segundo o projetista estrutural à frente do escoramento da laje, Alexandre Campos, chega hoje o material para dar início ao escoramento da laje da cobertura atingida pelo fogo e da laje do quinto andar .“Ainda é muito cedo para falarmos sobre o grau de comprometimento, bem como determinar quando os moradores poderão voltar para casa. Precisamos fazer esses ajustes mais técnicos, como escoramento, para começar a trabalhar”, frisou.
Seguro
Subsíndico do edifício, Luiz Antônio Tizoco Melgaço apontou que a seguradora do edifício, o Grupo SulAmérica, fará uma avaliação dos estragos. “A empresa informou que mandará um técnico em até 48 horas para avaliar os danos e poder estimar o que o seguro cobre. Contudo, eles dependem do escoramento para realizar a análise”, observou. Os donos do apartamento atingido pelas chamas não quiseram dar entrevista sobre o seguro do imóvel.
O delegado Laércio Rosseto, chefe da 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte), responsável pela investigação, descartou qualquer indício de o incêndio ser criminoso. Por causa disso, ele ainda avalia a necessidade de abertura do inquérito, mas garantiu que, independentemente da instauração do procedimento, agentes trabalham para esclarecer as causas do fogo. “Todas as providências estão sendo tomadas de forma independente e haverá perícia para detectar as causas do incêndio”, afirmou.
Pertences
As labaredas de fogo começaram por volta das 15h30 de segunda-feira no apartamento duplex 603 e só foi extinto cinco horas depois.  Na manhã de ontem, moradores dos 24 imóveis interditados puderam entrar no prédio para retirar os pertences. Por segurança, só subia uma pessoa acompanhada de dois militares dos bombeiros. A maioria saía com documentos, roupas e alimentos. Por causa do acidente, alguns cogitam se mudar do edifício para sempre.
É o caso de Débora De La Vega, 39 anos, e do marido dela, João Paulo De La Vega, 40. “Quando vi as labaredas indo para o lado do nosso apartamento, entrei em desespero. Vimos vidros caindo e as chamas tomarem a cobertura. A sensação era de que íamos perder tudo. Por sorte, foi só fumaça. Hoje (ontem) de manhã, a parede ainda estava quente”, contou a mulher.
A sogra dela estava no imóvel no momento do incêndio e conseguiu sair com o cachorro da família. “Ela desceu e ligou para mim. Vim o mais rápido que pude. Subi e busquei o que tínhamos de valor. Dinheiro, documentos e alguns aparelhos eletrônicos. Não sei se  vamos continuar morando aqui ou como vai ser a partir de agora”, contou João Paulo.
Unidades a partir de R$ 1 milhão
Sites especializados na venda e compra de imóveis anunciam apartamentos no bloco M da 110 Norte com valores a partir de R$ 1 milhão. Antes do incêndio, uma cobertura no edifício estava avaliada em R$ 2 milhões. O Correio apurou com moradores que um homem comprou um apartamento no terceiro andar da prumada C — não atingida pelas chamas —, por R$ 1,1 milhão, ontem, no momento
em que as labaredas consumiam o apartamento 603, na prumada A.
    Clique para comentar

    You must be logged in to post a comment Login

    Comentar

    Aconteceu

    Muro desaba sobre funcionário de obra em Vicente Pires

    Publicado

    dia

    Por

    O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) foi acionado para socorrer a vítima por volta das 10h50 desta quinta-feira (21/10). Mesmo ferido, homem estava consciente e orientado

    O homem ficou com ferimentos nos membros inferiores e escoriações pelo corpo – (crédito: Reprodução/CBMDF)

    Parte do muro de uma obra desabou e acertou um funcionário que trabalhava na região de Vicente Pires, na manhã desta quinta-feira (21/10). O local fica próximo ao supermercado Super Bom, na Rua 4-B. O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) foi acionado para socorrer a vítima por volta das 10h50.

    Identificado como Adeilson, 41 anos, o homem apresentava ferimentos nos membros inferiores e escoriações pelo corpo. Apesar de estar consciente e orientado, o senhor foi avaliado e transportado para a rede hospitalar.

    Segundo relatos de populares, uma máquina que trabalhava na obra atingiu acidentalmente o muro, que veio a desabar e acertou o homem. O CBMDF atendeu a ocorrência empregando três viaturas e doze militares.

    Acidente de trabalho

    No mês de setembro, especificamente terça-feira (14/9), um trabalhador sofreu uma queda de andaime e foi transportado em estado grave ao Hospital Regional de Taguatinga. O acidente ocorreu na QN 502, na avenida Central em Samambaia Sul, na obra em frente ao Fórum. Segundo o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), o homem, identificado como Ananias Alvino, 63 anos, apresentava ferimento grave no lado direito do abdômen e estava desorientado.

    Os trabalhadores do local informaram que a vítima ficou presa pelo abdômen em uma estaca de madeira, que foi retirada antes da chegada das equipes. No local, as equipes encontraram o homem próximo ao tapume de proteção da obra. O Resgate Aéreo chegou a ser acionado, mas o médico do SAMU, que atendeu a vítima, decidiu levá-lo para o Hospital Regional de Taguatinga devido à gravidade dos ferimentos.

    Ver mais

    Aconteceu

    Homem que revendia abortivos em todo o Brasil é preso durante operação

    Publicado

    dia

    Por

    Segundo as investigações, o suspeito atuava como revendedor para integrantes do grupo criminoso, que abordava mulheres em redes de apoio na internet

    Prisão ocorreu em Salvador, na Bahia – (crédito: Divulgação/PCDF)

    A polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu, nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (21/10), um homem acusado de integrar uma organização criminosa especializada na revenda de remédios abortivos em todo o país por meio da internet. A ação, coordenada pela Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), ocorreu em Salvador (BA) e é a segunda fase da operação Sexto Dia.

    Na primeira fase da operação, os investigadores prenderam uma estudante de medicina veterinária, 24 anos, também na Bahia, pela venda de medicamentos ilegais. “À época, cumprimos dois mandados de busca e apreensão nas residências de suspeitos. A principal suspeita informou que realiza a venda dos medicamentos para todo o território nacional por meio da rede social, onde os interessados preenchiam um formulário e citavam a possibilidade de aborto de até 12 semanas”, afirmou o delegado à frente do caso, Dário Freitas.

    Operação da PCDF prende homem que revendia abortivos em todo o Brasil

    Operação da PCDF prende homem que revendia abortivos em todo o Brasil (foto: Divulgação/PCDF)

    As investigações revelaram que a associação criminosa tem como modus operandi a disponibilização de perfis em redes sociais de apoio à mulher. Por lá, o grupo informava a possibilidade de aborto seguro com o uso do medicamento Cytotec. “A venda desse medicamento é restrita a estabelecimentos hospitalares devidamente cadastrados e credenciados junto à autoridade sanitária competente”, completou o delegado.

    Segunda fase

    Nesta quinta-feira (21/10), os policiais civis cumpriram dois mandados de busca e apreensão em Salvador. Um homem suspeito de operar a organização criminosa foi preso temporariamente. O Correio apurou que o rapaz, que é motorista, era responsável por revender o abortivo para o grupo. Ele foi ouvido formalmente e poderá ser indiciado pelo crime de venda e exposição à venda de produtos destinados a fins medicinais, de procedência ignorada, com pena de até 15 anos de reclusão.

    Ver mais

    Aconteceu

    Loja da Zara que barrou delegada negra tem código sobre clientes “suspeitos”

    Publicado

    dia

    Por

    Gerente da Zara de Fortaleza foi indiciada por racismo em caso de delegada negra barrada em loja

    (crédito: PCCE/Divulgação)

    O gerente da loja Zara de Fortaleza, no Ceará, foi indiciado pela Polícia Civil nesta terça-feira (19/10) pelo crime de racismo. A investigação se deu depois que uma delegada de polícia negra foi barrada ao tentar entrar na unidade em 14 de setembro. A PCCE apresentou detalhes do trabalho em coletiva de imprensa nesta terça.

    A delegada estava tomando um sorvete quando foi entrar na loja. De acordo com o estabelecimento, este foi o motivo pelo qual ela foi impedida de entrar na unidade devido à protocolos da covid-19. Porém, minutos antes uma outra pessoa entrou na loja sem utilizar a máscara de forma correta, foi atendida pelo mesmo funcionário, e não foi impedida de entrar na unidade e nem requerido que ela utilizasse o equipamento de proteção de forma correta.

    Além disso, o delegado-geral da Polícia Civil do Ceará, Sérgio Pereira dos Santos, disse que a loja utilizava de um código para informar aos funcionários quando alguém “suspeito” entrava no estabelecimento. Pelo  alto-falante, era dito “Zara zerou” quando pessoas negras de vestimenta simples entravam na loja. A informação foi dada, em depoimento, por uma ex-funcionária da Zara.

    “Isso era um comando que era dado pra que todos os funcionários da loja ou pelo menos alguns a partir de então começassem a observar aquela pessoa não mais como consumidor, mas como ‘suspeito em potencial’ que precisava ser mantido sob vigilância da loja”, afirma Sérgio Pereira.

    As delegadas da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Fortaleza, que lideram a investigação, concluíram que houve racismo após analisar as imagens de segurança interna da loja e com base no depoimento de oito testemunhas, além da vítima e do suspeito.

    O crime de racismo pode gerar reclusão de um a três anos e multa. Agora, o processo será encaminhado para o Ministério Público.  Em nota, A Zara disse que não tolera nenhum tipo de discriminação.

    Leia a nota

    A Zara Brasil, que não teve acesso ao relatório da autoridade policial até sua divulgação nos meios de comunicação, quer manifestar que colaborará com as autoridades para esclarecer que a atuação da loja durante a pandemia Covid-19 se fundamenta na aplicação dos protocolos de proteção à saúde, já que o decreto governamental em vigor estabelece a obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes públicos. Qualquer outra interpretação não somente se afasta da realidade como também não reflete a política da empresa. A Zara Brasil conta com mais de 1800 pessoas de diversas raças e etnias, identidades de gênero, orientação sexual, religião e cultura. Zara é uma empresa que não tolera nenhum tipo de discriminação e para a qual a diversidade, a multiculturalidade e o respeito são valores inerentes e inseparáveis da cultura corporativa. A Zara rechaça qualquer forma de racismo, que deve ser combatido com a máxima seriedade em todos os aspectos. 

    Ver mais

    Aconteceu

    Homem se recusa a desocupar quarto e coloca fogo em casa da família

    Publicado

    dia

    Por

    Discussão começou quando o homem se revoltou com pedido para desocupar um quarto, uma vez que ele tem uma casa no terreno

    Rua onde o crime ocorreu: havia idosos e crianças na casa – (crédito: Reprodução da internet/Google Maps)

    Um homem de 49 anos foi preso na noite desta terça-feira (19/10) por tentativa de homicídio no Bairro Bela Vista, em Contagem, na Grande BH. Ele teria colocado fogo na casa em que mora com a família e ameaçado esfaquear os parentes.

    Quando a Polícia Militar (PM) chegou ao local, encontrou uma das moradoras na entrada. A idosa disse que houve uma discussão familiar devido ao excesso de pessoas morando na casa.

    O filho ficou inconformado quando foi pedido para desocupar o quarto que utiliza, já que ele tem uma casa no terreno. O homem teria discutido com os pais e com as irmãs e dito que se ele não ficasse na casa, ninguém ficaria. Em seguida o autor ateou fogo na residência.

    Os militares entraram no imóvel e encontraram um idoso sentado no sofá da sala com dificuldades para conversar em função da grande quantidade de fumaça. O homem também não conseguia se locomover porque está se recuperando de uma fratura no fêmur. O idoso foi auxiliado pelos policiais para sair.

    Ainda no interior da casa havia um bebê de 10 meses e duas crianças de 2 e 5 anos. Todos estavam assustados e tossindo muito por causa da fumaça.

    Em um dos quartos os militares encontraram o autor. O homem estava muito nervoso e disse que não aceitava a decisão da família de que ele deveria sair da casa. Ele afirmou que decidiu colocar fogo no imóvel e se matar em seguida. Ainda disse que as os parentes deram sorte que alguém conseguiu apagar o fogo.

    Com o suspeito foi encontrada uma faca. Ele contou aos policiais que usaria a arma para atacar quem tentasse impedir que a ação.

    O homem foi detido e, quando era encaminhado para a viatura ainda ameaçou a família. “Estou indo preso, mas vou voltar e matar todo mundo. Podem me esperar”, teria dito.

     

    Ver mais

    Aconteceu

    Homem foragido há 19 anos após matar ex-mulher é finalmente preso

    Publicado

    dia

    Por

    O homem é acusado de matar a ex-companheira e foi encontrado na cidade de Indianópolis, em ação conjunta das polícias militar e civil de Minas e Bahia

    (crédito: Prefeitura de Indianópolis/Divulgação)

     

    Foragido há 19 anos da Justiça do Estado da Bahia, um homem foi preso em Indianópolis, no Triângulo Mineiro, pela Polícia Militar (PM). Ele é acusado de matar uma ex-compaheira na cidade baiana de Monte Santo.

    O preso, que tem 69 anos, foi encontrado em casa e não reagiu à abordagem policial. A ação teve, além da PM, participação de investigadores de Araguari e da Polícia Civil da Bahia.

    O preso é aposentado, tem 9 filhos e os familiares dele conheciam o histórico de violência. Ele alega que cometeu o crime, esfaqueando a ex-mulher em 2002, em legítima defesa.

    Ele responderá pelo crime de assassinato sem a qualificadora de feminicídio, uma vez que a lei não existia à época e não pode ser retroagida contra um réu.

    O idoso está à disposição da Justiça e pode levado para Monte Santo (BA) a qualquer momento.

    Ver mais

    Aconteceu

    Idosa de 65 anos morre atropelada no Eixinho Norte, em Brasília

    Publicado

    dia

    Por

    Acidente envolveu motocicleta e carro, mas Corpo de Bombeiros não soube informar qual veículo atingiu vítima. Motoristas não se feriram.

    Motocicleta caída em frente à ambulância no Enxinho Norte, em Brasília — Foto: CBMDF/Divulgação

    Uma idosa de 65 anos morreu, nesta segunda-feira (18), após ser atropelada no Eixinho Norte, em Brasília. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o acidente envolveu um carro e uma motocicleta, por volta das 21h.

    Os militares não souberam informar qual veículo atingiu a vítima. Segundo os bombeiros, o motociclista apresentou apenas escoriações leves pelo corpo e o motorista saiu ileso.

    Os dois condutores foram atendidos e avaliados pelos socorristas. Eles estavam conscientes, orientados e estáveis, e não precisaram ser levados ao hospital. A idosa, no entanto, não resistiu.

    Ela foi encontrada no chão, “com sinais vitais incompatíveis com a vida”, segundo os bombeiros. Após o acidente, perícia da Polícia Civil foi acionada, e a via ficou totalmente interditada no sentido saída Norte.

    Casos

    Dados do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) mostram que, de janeiro a setembro, foram 114 vítimas de acidentes na capital. Em igual período do ano passado foram 168 óbitos, ou seja, houve redução de 18%.

    Com 30 casos, pedestres ficam em segundo lugar dos que mais morrem em acidentes. Em seguida, estão motociclistas (37), demais condutores (24), passageiros (17) e ciclistas (6).

    Ver mais
    Publicidade

    Escolha o assunto

    Publicidade
    Publicidade

    Viu isso?