Nossa rede

Aconteceu

Desidratados, idosos que estavam em situação de risco continuam internados

Publicado

dia

Depois de encontrado por funcionária de prédio, casal morador do Cruzeiro é encaminhado para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) com sinais de desidratação e de descuido. Filha do casal responderá por falta de assistência

“A senhorinha estava com a boca aberta pedindo água, mas não conseguiu nem sugar o canudo. Foi aí que chamei um morador, que é médico, para prestar assistência”

Maria Antônia Aparecida,

funcionária do prédio
A Polícia Civil investiga o suposto abandono de um casal de idosos, moradores do Cruzeiro. A mulher tem 79 anos, e o marido, 87. Os dois vivem sozinhos em um apartamento da Quadra 1.405, mas ontem vizinhos os encontraram sujos, com sinais de desidratação e famintos. A filha do casal, Luziane Campos, 51 anos, foi autuada por deixar de prestar assistência, crime previsto no Estatuto do Idoso. Entre janeiro e maio do ano passado, o Distrito Federal registrou 1.102 delitos contra idosos, um aumento de 508,8% em relação ao mesmo período de 2017.

No caso mais recente, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) socorreu o casal e o encaminhou para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran). Eles permanecem internados por desidratação, mas o estado de saúde é estável. A filha prestou depoimento ontem na 5ª Delegacia de Polícia (Área Central), mas foi liberada por se tratar de um crime de menor potencial ofensivo.

A primeira pessoa a socorrer as vítimas foi a mulher do zelador do prédio, Maria Antônia Aparecida, 51 anos. Ela vai até o apartamento do casal rotineiramente para checar se está tudo bem. Ontem pela manhã, quando subiu, a mulher de 79 anos estava com sede. “A senhorinha estava com a boca aberta pedindo água, mas não conseguiu nem sugar o canudo. Foi aí que chamei um morador, que é médico, para prestar assistência”, contou.O vizinho faz residência em geriatria e constatou sinais de desidratação. Foi ele quem acionou o Samu. Segundo Maria Antônia, o casal mora no prédio há 14 anos e sempre viveu sozinho, mas, há 20 dias, a idosa ficou mais debilitada. Além disso, o marido apresentava ferimentos de um tombo, na sexta-feira. “Eu liguei para a filha deles no sábado e disse para ela tomar alguma providência, levá-los ao médico. Ela foi, mas, se chamou socorro, ninguém viu”, afirmou.

A mulher do zelador sugeriu que a filha contratasse um profissional para cuidar do casal. “Ela dizia que, nesse momento, não podia chamar ninguém. Ontem mesmo (sábado), o meu marido falou com ela que, se não aparecesse, acionaria a síndica para tratar do caso deles em uma reunião com os outros moradores”, disse. Depoimento

A filha do casal negou o abandono. Professora aposentada da rede pública por invalidez, Luziane garantiu que visita os pais todos os dias. “Eles só dormem sozinhos porque eu também cuido da minha filha, que tem abscesso pulmonar”, alegou. Ela acrescentou que, no sábado, após ser acionada pela mulher do zelador, passou a noite com os idosos. “Eu faço compras para eles todos os dias. Não há sinais de abandono. Eles são bem cuidados, alimentados”, ressaltou.

Luziane, no entanto, minimizou os sinais de desidratação e a falta de higiene do casal. “A minha mãe foi parando de se alimentar há duas semanas, mas, ontem (sábado), eu dei água de coco para ela. O meu pai não deixa eu cortar as unhas dele, e as da minha mãe são muito grossas. Eu não estava conseguindo encontrar um alicate que eu pudesse utilizar”, justificou. A professora confirmou a queda do pai, na sexta-feira. “Ele caiu na quina da cozinha, mas como eu vou impedir que isso aconteça?”, questionou. “Apesar disso, ele está bem. Só está com o problema de coluna devido à queda”, avaliou.

O delegado plantonista da 5ª DP lavrou um termo circunstanciado, e o documento será encaminhado à Justiça. Outra parte da ocorrência seguirá para a 3ª Delegacia de Polícia (Cruzeiro). A unidade policial será responsável por dar continuidade à investigação.

Para saber mais

Quase 330 mil idosos na capital
A estimativa da Companhia de Planejamento (Codeplan) é de que, no Distrito Federal, vivam 328,3 mil idosos, ou seja, mais de 11% da população da capital é composta por pessoas acima dos 60 anos. Essa população tende a aumentar nos próximos anos. Dados da Projeção da População 2018, feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que, em 2060, a capital será a segunda unidade da Federação com mais idosos, sendo dois para cada jovem. No Brasil, um quarto da população (25,5%) deverá ter mais de 65 anos naquele ano. 

Comentário

Aconteceu

Caso de vendedora arrastada pode evoluir para tentativa de homicídio

Publicado

dia

Delegado-chefe da 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro), responsável pela investigação, espera que o casal suspeito se apresente até terça-feira (18/6)

Vendedora precisava da renda dos balões para pagar contas
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

O delegado responsável porinvestigar o caso da vendedora de balões arrastada por um carro na porta de uma festa junina espera que o casal suspeito pelo crime se apresente até terça-feira (18/6). A ocorrência é tratada, inicialmente, como uma lesão corporal, mas, segundo o chefe da 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro), pode evoluir até para uma tentativa de homicídio. “Somente as investigações vão poder dizer qual a proporção do fato”, explicou o delegado Josué Ribeiro.
Ele acredita que o motorista não tenha tido intenção de arrastar Marina Izidoro de Morais, 63 anos. “A passageira do carro puxou o balão da mão da vendedora, mas, possivelmente, pode não ter notado que eles estavam presos no pulso da vítima”, esclareceu o delegado.
Nas redes sociais, uma internauta contou ter visto o exato momento em que a vítima caiu no asfalto e foi arrastada pela força do veículo. A Polícia Civil tenta localizar a testemunha para colher depoimento formal dela.

Entenda o caso

Marina estava trabalhando na porta de uma escola particular de Taguatinga Sul no domingo (16/6), desde às 11h, vendendo balões. Por volta de 19h30, um casal em um carro de luxo parou na sua frente e pediu desconto nos produtos. Já na negociação eles ficaram irritados, mas pediram para levar três.

Braços ficaram com a marca da corda dos balões
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

“Quando abaixei para pegar o balão para a mulher que estava no passageiro, ela puxou a corda que estava amarrada na minha mão. Quando fez isso, ele fechou o vidro e saiu me arrastando. Foi horrível, comecei a gritar por socorro. Vi a morte de perto”, lembrou a senhora.
O casal apontado como suspeito está foragido desde domingo. “Agora eu só quero justiça, eles têm que pagar pelo que fizeram. Porque eu fiquei toda machucada, quase não estou mais aqui para contar história, e vou ficar sem trabalhar, sem poder pagar minhas contas”, lamentou.
Ver mais

Aconteceu

Começam as inscrições para a castração de cães e gatos no DF

Publicado

dia

Ao todo, serão oferecidas 2 mil vagas para cadastros on-line e presenciais, que serão divididos em cinco endereços. Os interessados poderão cadastrar até três animais

Os cadastros podem ser feitos online e presenciais
(foto: Instituto Brasília Ambiental/Divulgação)

As inscrições para a castração de cães e gatos começam nesta segunda-feira (17/6) no Distrito Federal. Ao todo, serão oferecidas 2 mil vagas para cadastros on-line e presenciais. Os interessados poderão fazer a ficha de até três animais em cinco endereços diferentes: sede do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e nas administrações de Ceilândia, Paranoá, Taguatinga e São Sebastião.
Serão oferecidas 650 vagas pela internet a partir da 9h de desta segunda. Os interessados devem acessar o site do Ibram e realizar o cadastro. É necessário fazer o upload dos arquivos digitais contendo os dados pessoais. Confira toda a

documentação.
Já o cadastro presencial acontece na sede do Ibram nesta segunda. Serão oferecidos 250 vagas. As senhas do atendimento são distribuídas no local a partir das 8h. É necessário ter em mãos os documentos de identidade e comprovante de endereço do DF em nome do responsável ou declaração de residência.
Na terça-feira (18/6), os cadastros acontecem nas administrações de Ceilândia e Taguatinga. Ambos disponibilizarão 300 vagas de castração. Já na quarta (19/6), as inscrições são no Paranoá e São Sebastião, que vão cadastrar 250 vagas cada.
O resultado estará disponível a partir do dia 25 de junho no site do Ibram.

Serviço:

Campanha de castração de cães e gatos
Segunda-feira (17/6)- Site do Ibram disponibiliza 650 vagas e sede do Ibram, para atendimento presencial, 250 vagas
Terça- feira (18/3)- Administração Regional de Ceilândia (300 vagas) e Administração Regional de Taguatinga (300 vagas)
Quarta-feira (19/3)- Administração Regional do Paranoá (250 vagas) e Administração Regional de São Sebastião (250 vagas).
Ver mais

Aconteceu

Quase 50 municípios de Goiás enfrentam risco de desabastecimento de água

Publicado

dia

Entre eles, há oito vizinhos do DF e três que são destinos muito procurados por turistas brasilienses

Gado magro em pasto seco e queimado, durante período de estiagem em Alto Paraíso: município da Chapada dos Veadeiros é um dos que correm risco de ficar sem água este ano (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)

 

Um ano após o fim da maior crise hídrica da história do Distrito Federal, municípios do Entorno enfrentam risco de desabastecimento de água. O alerta foi emitido pela Companhia Saneamento de Goiás (Saneago). O órgão elaborou uma lista das 46 cidades ameaçadas e apresentou ações para manter a regularidade do serviço. Entre elas, oito são vizinhas de Brasília e três, destinos muito procurados por turistas brasilienses em feriados e fins de semana.
O risco de desabastecimento tem relação com a redução do nível de capacidade dos mananciais e do período da estiagem. Para evitar impacto, o Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente e Urbanismo (CAO) do Ministério Público de Goiás (MPGO) enviou um ofício aos promotores das cidades pedindo que eles acompanhem e investiguem o caso.
Coordenador do CAO, o promotor Delson Leone Júnior cobra medidas de segurança, de emergência e de contingência por parte dos municípios, inclusive quanto a eventual racionamento. “O escopo da nossa ação foi levantar essas informações junto à Saneago e alertar os promotores para um cenário de desabastecimento. Sugerimos algumas providências, além de contar com a consciência da população para buscar alternativas”, contou Delson Júnior, em entrevista ao Correio.
O promotor aponta três medidas como urgentes: conscientizar a população para o uso racional da água, fiscalizar os mananciais para combater os usos irregulares e começar um processo de recuperação das bacias. “Temos recursos hídricos bastante degradados e isso impacta na qualidade e na quantidade de água. Fizemos sugestões para minimizar os impactos, e a expectativa é para que isso aconteça”, destacou Delson Júnior.
O promotor também alertou que o crescimento desordenado do Entorno aumenta a demanda por água e ultrapassa a disponibilidade. “Não se fala ainda em crise hídrica, mas de uma melhor gestão do recurso, em especial nesses municípios, cujos mananciais estão com redução da vazão. Existem medidas sendo adotadas, inclusive com apoio do Ministério Público, e verificaremos se elas serão suficientes ou não com o passar dos dias.”

Histórico de redução

Para elaborar a lista das cidades com risco de desabastecimento, a Saneago considerou o histórico do baixo nível dos mananciais. Mas só há monitoramento digital disponível para ser acessado pela população do manancial da Região Metropolitana de Goiânia. As outras bacias, principalmente as do Entorno, não têm dados on-line.
Diretor de Produção da Saneago, Wanir José de Medeiros Júnior garantiu providenciar a disponibilidade dos dados. “Desde 2015 os mananciais apresentam redução da vazão e temos feito ações para minimizar a escassez hídrica”, confirmou. O governo estadual tem investido em campanhas educativas e começou a fazer perfurações e interligação de poços artesianos, além de abastecer asilos, unidades de saúde e escolas com caminhão pipa e investir em melhorias nas estações de tratamento, segundo a Saneago.
“Assim como no Distrito Federal, em 2017 tivemos uma crise difícil com redução das vazões dos mananciais. Em 2018, essa situação foi minimizada e não houve problema de desabastecimento, mas, desta vez, o relatório demonstra risco com relação ao recurso hídrico”, reforçou Wanir Júnior.
Segundo o diretor de Produção da Saneago, servidores atuam para não haver racionamento nem rodízio de água. “Essa possibilidade sempre existe, mas, pela nossa expectativa, não deve acontecer. A probabilidade seria fazer uma manobra no sistema para reduzir a pressão (da água), o que não deve ocorrer por causa do histórico de 2018 e pelo índice pluviométrico”, explicou.
Entre as cidades do Entorno, o Novo Gama conta com apoio de abastecimento da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb). “Quando necessário, importamos água da adutora da Caesb que fica na região, mas revertemos a perda de água e reduzimos o volume importado. Com essa diminuição no prejuízo, praticamente não estamos mais contando com o recurso do Distrito Federal”, disse Wanir.
“Não se fala ainda em crise hídrica, mas de uma melhor gestão do recurso, em especial nesses municípios, cujos mananciais estão com redução da vazão. Existem medidas sendo adotadas, inclusive com apoio do Ministério Público, e verificaremos se elas serão suficientes ou não com o passar dos dias”, Delson Leone Júnior, promotor de Justiça.

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade