Nossa rede

É Destaque

Secretário de Saúde explica medidas de combate à Covid-19 a distritais

Publicado

dia

Deputados não ficaram satisfeitos com explicações sobre UTIs, materiais adquiridos pelo governo e fornecimento de EPIs para equipes de Saúde

Distrito Federal, Covid-19

No dia em que o Distrito Federal chegou a 79 mortes pelo novo coronavírus, deputados distritais se reuniram com o secretário de Saúde, Francisco Araújo, para tratar das medidas adotadas pelo Executivo local no enfrentamento da pandemia de Covid-19.

O encontro, presencial, ocorreu na sede da Câmara Legislativa, na tarde desta quinta-feira (21/05). Todos os participantes usavam máscaras de proteção facial. Francisco Araújo chegou e saiu do prédio sem falar com a impressa. Parlamentares que participaram da reunião se mostraram insatisfeitos, ao final da conversa.

Os distritais apresentaram ao secretário reclamações de servidores da área de Saúde – os mais afetados dentre os profissionais que estão na linha de frente de combate à doença. Eram denúncias sobre baixa qualidade do equipamento de trabalho, como as máscaras faciais distribuídas pela Secretaria de Saúde, bem como queixas de falta de estrutura e de equipamentos de proteção individual (EPIs).

Conforme o relato dos deputados, o secretário respondeu que os materiais comprados pelo GDF vêm sendo testados e estão dentro do padrão. Contudo, reconheceu dificuldades para a aquisição de equipamentos. O secretário destacou que todo o investimento feito agora pelo Executivo para o combate ao coronavírus ficará para o sistema de saúde do DF, passada a pandemia.

Outro ponto abordado foi a montagem de leitos em unidades de terapia intensiva (UTIs) para os pacientes com coronavírus. Segundo o planejamento do governo, 827 leitos particulares estão sendo contratados pelo governo. Porém, Francisco Araújo não teria informado aos deputados em que pé está a liberação dos novos leitos aos pacientes.

“As resposta não foram suficientes. Eles disseram que os materiais que vêm sendo adquiridos foram testados, mas cadê os dados, a assinatura do servidor atestando que os materiais estão sendo comprados com qualidade”, questionou Jorge Vianna (Podemos).

“O secretário negou que haja falta de material, mas eu mesmo vi, na UPA de Samambaia, um capote sendo reutilizado por falta de material. Eu avisei para que, se morrer algum servidor, ele será responsabilizado, pois os servidores estão desprotegidos”, ressaltou.

De acordo com boletim sobre o avanço do coronavírus no DF divulgado nesta quinta-feira (21/05) pela Secretaria de Saúde, já eram 587 profissionais da área acometidos pela doença, sendo que três servidores morreram em decorrência da Covid-19.

Médica, a deputada Arlete Sampaio, reclamou de falta de transparência do governo: “Fica claro que está tendo uma falta de transparência nas informações. Para tudo ele tem uma resposta, mas elas nunca são satisfatórias”. A distrital também reclamou da falta de informações sobre o funcionamento do Hospital São Vicente de Paula durante a pandemia e das medidas adotadas para o controle da doença no sistema prisional.

Líder do governo na CLDF, o deputado Claudio Abrantes (PDT) também participou do encontro. O presidente da Casa, Rafael Prudente (MDB), não compareceu.

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

É Destaque

Cena Contemporânea chega à 21ª edição com atividades online e de graça

Publicado

dia

Por

Evento, pela web, vai de 1º até 11 de dezembro. Inscrições para oficinas devem ser feitas até esta quinta-feira (26); veja como participar.

Festival Cena Contemporânea, edição de 2018, em imagem de arquivo — Foto: Giovani Rufino/Divulgação

Se no ano passado o desafio do Festival Internacional de Teatro de Brasília era realizar um evento sem o patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), agora o obstáculo é levar a arte cênica para o público em meio a pandemia do novo coronavírus.

Para superar esta barreira, a 21ª edição do Cena Contemporânea, que é considerado um do mais importantes festivais de artes cênicas do Centro-Oeste, acontece em dois módulos: um online e outro presencial. A primeira parte começa na próxima terça-feira (1ª) e vai até 11 de dezembro, com atividades gratuitas, pela internet.

Mas as inscrições para as oficinas voltadas para os profissionais do teatro só podem ser realizadas até esta quinta-feira (26), às 18h (saiba mais abaixo).

A segunda etapa do festival está marcada para acontecer entre 25 de maio e 6 de junho de 2021. Segundo os organizadores, a expectativa é que esta versão do evento seja presencial, mesmo que para isso as encenações precisem ocorrer ao ar livre, ou com público reduzido nos teatros.

Novas linguagens

Peça "Black off" interpretada pela atriz sul-africana Ntando Cele durante a 18º edição do Cena Contemporânea, em imagem de arquivo — Foto: Luiza Garonce/G1

Peça “Black off” interpretada pela atriz sul-africana Ntando Cele durante a 18º edição do Cena Contemporânea, em imagem de arquivo — Foto: Luiza Garonce/G1

Carmem Moretzsohn, uma das curadoras do Cena Contemporânea, explica que o evento em 2020 vem com um tom de comemoração, o festival completa 25 anos. “A gente insistiu em fazer esta edição até porque percebemos que o teatro está se reinventando em meio a pandemia”, diz ela.

Para Carmem, a arte passou a dialogar também com as mídias digitais e as altas tecnologias. Para a curadora, o teatro está se apropriando destas linguagens.

“O que a gente vai conseguir, é mostrar para as pessoas a diversidade de olhares e de linguagens que o teatro está usando para continuar vivo”, diz Carmem Moretzsohn.

Para a etapa online, foram selecionados trabalhos produzidos no Brasil e no exterior. As apresentações podem ser assistidas até três dias depois da estreia, no canal do festival no Youtube.

Um dos espetáculos é o “Cage Shuffle: a digital duet”. A obra foi criada pelos norte-americanos Paul Lazar e Bebe Miller. A apresentação ocupa as redes sociais no dia 6 de dezembro, às 19h30.

“A dupla apresenta uma performance criada para a plataforma digital a partir de uma partitura de John Cage que propõe a encenação de pequenas histórias de um minuto cada”, explica a organização do evento.

Artista paranaense Maikon Kempinski encena a performance "DNA de Dan"; ele esteve no Cena Contemporânea 2017 — Foto: VictorTakayama/Divulgação

Artista paranaense Maikon Kempinski encena a performance “DNA de Dan”; ele esteve no Cena Contemporânea 2017 — Foto: VictorTakayama/Divulgação

A programação do Cena Contemporânea 2020 tem ainda encontros e oficinas que propõem um mergulho nas técnicas, informações e estéticas da arte cênica. Os encontros são abertos ao público, no entanto, para participar, é preciso fazer uma inscrição prévia.

Já as oficinas são voltadas para os profissionais do teatro e têm vagas limitadas. Uma delas, é a “Clínica de Obsessão”, ministrada pelo artista argentino Matías Umpierrez. Para participar, é preciso fazer as inscrições até esta quinta-feira (26), às 18h. As atividades acontecem nos dias 2, 4, 8 e 9 de dezembro, das 9h às 14h.

A outra oficina é “Uploading the Rhythm”, do moçambicano Idio Chichava. As inscrições também precisam ser feitas até esta quinta. A oficina está marcada para os dias 5, 6 e 7 de dezembro, das 9h às 12h.

Segundo os organizadores, as oficinas precisam de inscrição prévia porque os participantes vão passar por uma seleção.

Programe-se

21º Cena Contemporânea, Festival Internacional de Teatro De Brasília – versão online

  • Quando: de 1º a 11 de dezembro
  • Onde: pela internet
  • Valor: de graça
  • Encontros: aberto ao público, mas é preciso fazer as inscrições pelo link
  • Oficinas: voltadas para os profissionais do teatro
  • Inscrições até quinta-feira (26), às 18h
  • Clique no nome da oficina para acessar o formulário de inscrição
  • “Clínica de Obsessão”
  • “Uploading the Rhythm”

Ver mais

É Destaque

Saiba como calcular o valor do 13º salário

Publicado

dia

Por

O pagamento do benefício é pago em duas parcelas; entenda como calcular o valor e confira as datas de recebimento

13º salário: caso o trabalhador já tenha recebido uma parte do 13º salário adiantado durante as férias receberá só a segunda parcela (Marcello Casal Jr/Agência Brasil/Agência Brasil)

O pagamento do 13º salário está chegando. A primeira parcela será paga aos trabalhadores até a próxima segunda-feira, dia 30 de novembro. Já a segunda parcela deve ser paga até o dia 20 de dezembro.

Na primeira parcela, até 30 de novembro, o trabalhador recebe um valor equivalente à metade do salário atual, sem descontos de impostos e benefícios. O valor é equivalente à metade do último salário recebido, e não à média do salário no ano. Assim, se o salário aumentou durante o ano, o cálculo será feito com base no último salário, o mais alto.

Vale destacar que caso o trabalhador já tenha recebido uma parte do 13º salário adiantado durante as férias receberá só a segunda parcela.

Já na segunda parcela (até 20 de dezembro), o valor recebido é equivalente ao salário de novembro, descontando Imposto de Renda e INSS sobre esse salário inteiro, e também o valor da primeira parcela que você já recebeu. Ou seja, o valor da segunda parcela será menor que o da primeira. Os descontos de INSS e Imposto de Renda variam conforme o valor do salário. Confira:

INSS

Salário Desconto
Até R$ 1.045 7,5%
De  R$ 1.045,01 até R$ 2.089,60 9%
De R$ 2.089,61 até  R$ 3.134,40 12%
De R$ 3.134,41 até R$ 6.101,06 14%

Imposto de Renda

Salário Desconto Parcela a deduzir
Até R$ 1.903,98 0% R$ 0
De R$ 1.903,99 até R$ 2.826,65 7,5% R$ 142,8
De R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05 15% R$ 354,8
De R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68 22,5% R$ 636,13
Acima de R$ 4.664,68 27,5% R$ 869,36

Salário reduzido

Os trabalhadores que tiveram redução de salário devido a MP 936 receberão o 13º salário integral. A orientação foi dada pelo governo por meio de uma nota divulgada pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

O governo reforçou o entendimento de que o pagamento do 13º salário e das férias para os trabalhadores que fizeram acordos de redução de jornada e de salário deve ser integral. Já no caso de suspensão temporária do contrato de trabalho, os valores da gratificação natalina e das férias deverão ser calculados de forma proporcional ao tempo de serviço efetivo.  Ou seja, se o trabalhador teve suspensão de contrato por três meses, por exemplo, e voltou a trabalhar depois, esses três meses não entram no cálculo no 13º.

Horas extras, adicional noturno e comissões

Se o trabalhador recebeu horas extras, adicional noturno ou comissões ao longo do ano, o  13º salário terá um acréscimo proporcional, normalmente recebido na segunda parcela.

Para calcular horas extras ou adicional noturno, some todas as horas feitas, divida pelo número de meses trabalhados até novembro e multiplique esse valor pelo custo da hora extra ou do adicional noturno. O mês de novembro entra na conta, e as horas proporcionais às trabalhadas em dezembro devem ser pagas em janeiro.

Para calcular as comissões, some todas as recebidas ao longo de 2020, divida pelo número de meses trabalhados até novembro e adicione o valor ao décimo terceiro. O mês de novembro entra na conta, e as comissões de dezembro devem ser pagas em janeiro.

E quem não trabalhou o ano inteiro na empresa?

Se o trabalhador foi contratado no meio do ano, o 13º salário será menor, proporcional ao número de meses trabalhados.

Para calcular a primeira parcela, que deve ser recebida até 30 de novembro, divida o salário por 12 e multiplique o resultado pelo número de meses em que trabalhou, até novembro.

Se trabalhou menos do que 15 dias no mês que entrou na empresa, esse mês não entra na conta. A primeira parcela será equivalente à metade desse valor, sem descontos.

Para calcular a segunda parcela, que será paga até 20 de dezembro, basta dividir o valor do salário de novembro por 12 e multiplique o resultado pelos meses trabalhados até dezembro. Em seguida, desconte desse valor o INSS, o Imposto de Renda e a pensão alimentícia, se for o caso. Por último, subtraia o valor da primeira parcela já recebida.

Ver mais

É Destaque

Pazuello participará de audiência sobre testes parados na próxima quarta

Publicado

dia

Por

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, vai explicar a situação dos 6,86 milhões de testes parados do novo coronavírus

Ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, em Brasília. (Adriano Machado/Reuters)

A Comissão Mista da Covid-19 no Congresso Nacional confirmou para quarta-feira, 2, a audiência pública com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para explicar a situação dos testes parados do novo coronavírus.

Conforme o Estadão revelou, um total de 6,86 milhões de testes para o diagnóstico da doença comprados pelo Ministério da Saúde perde a validade entre dezembro deste ano e janeiro de 2021.

O Congresso cobra do ministro uma explicação sobre a situação. O convite foi aprovado em audiência da comissão, que reúne deputados e senadores, na quarta-feira, 24. De acordo com o colegiado, a videoconferência com o titular da pasta está confirmada para o próximo dia 2.Questionado sobre a situação, o presidente Jair Bolsonaro disse nesta semana que são governadores e prefeitos, e não o governo federal, que devem explicação. Como mostrou o reportagem, os testes não foram repassados à rede pública. Os dados sobre prazo de validade dos testes estão registrados em documentos internos do próprio ministério.

 

Ver mais

É Destaque

3,6 milhões podem sacar o auxílio a partir desta quinta-feira

Publicado

dia

Por

Podem sacar o benefício do auxílio emergencial os trabalhadores nascidos em julho podem sacar ou transferir os recursos da poupança social

Auxílio emergencial: Para realizar o saque do dinheiro é preciso fazer o login no App Caixa Tem, selecionar a opção “saque sem cartão” e “gerar código de saque” (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Cerca de 3,6 milhões de beneficiários do auxílio emergencial nascidos em julho podem sacar ou transferir os recursos da poupança social a partir desta quinta-feira, 26. Foram creditados R$ 3 bilhões para esse público nos ciclos 3 e 4 de pagamentos do auxílio.

Desse total, R$ 1,2 bilhão são referentes às parcelas do auxílio emergencial e o restante, R$ 1,8 bilhão, às parcelas do auxílio emergencial extensão.

Para realizar o saque do dinheiro é preciso fazer o login no App Caixa Tem, selecionar a opção “saque sem cartão” e “gerar código de saque”. Depois, o trabalhador deve inserir a senha para visualizar o código de saque na tela do celular, com validade de uma hora. O código deve ser utilizado nos caixas eletrônicos da Caixa nas unidades lotéricas ou nos correspondentes Caixa Aqui.

Os saques em dinheiro podem ser feitos nas Lotéricas, Correspondentes Caixa Aqui ou mesmo nas agências.

Continua disponível aos beneficiários a opção de utilização dos recursos creditados na Poupança Social Digital para a realização de compras, por meio do cartão de débito virtual e QR Code, pagamento de boletos, contas de água, luz, telefone, entre outros serviços. Com o aplicativo Caixa Tem, também está disponível a funcionalidade para pagamentos sem cartão nas cerca de 13 mil unidades lotéricas do banco.

Ver mais

É Destaque

845 voluntários são vacinados com a CoronaVac e HUB procura novos candidatos

Publicado

dia

Por

Vacina da farmacêutica chinesa Sinovac Biotech segue com testes avançados e sem intercorrências graves. No DF, HUB vai ampliar o número de voluntários na pesquisa

(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press)

O Hospital Universitário de Brasília (HUB/UnB) e a Universidade de Brasília (UnB) alcançaram a meta inicial de aplicação de testes da CoronaVac, contra a covid-19, e estão expandindo o ensaio para participação de mais voluntários. A atualização foi divulgada nesta quarta-feira (25/11).

Atualmente, a vacina da farmacêutica chinesa Sinovac Biotech, com estudos coordenados pelo Instituto Butantan, é um dos produtos mais promissores na corrida para uma imunização eficaz contra o novo coronavírus e segura para a população. No Distrito Federal, os ensaios começaram em 5 de agosto, e estão sendo aplicados em profissionais da saúde.

Inicialmente, apenas pessoas da área com menos de 60 podiam participar dos testes de fase 3, como voluntários, mais os critérios foram expandidos em outubro, após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) verificar os dados do estudo realizado em 700 profissionais e concluir que havia segurança para ampliar a participação.

Ainda não é possível definir quantos moradores do DF serão incluídos na pesquisa nos próximos dias, mas os interessados já podem realizar o pré-cadastro para se voluntariar continua sendo feito pelo site app.profiscov.com, que estabelece os critérios mínimos de participação, como atuar em atividades de assistência à saúde que os exponham a adquirir a covid-19.

A Secretaria de Saúde do DF já começou a realizar o planejamento para recebimento, armazenamento e aplicação da futura vacina, quando um produto for aprovado pela Anvisa. “A Secretaria está realizando um levantamento das câmaras frias existentes no DF, e analisando qual delas apresenta as condições sanitárias necessárias, bem como a documentação mínima de autorização e liberação, que permita acondicionar imunobiológicos. Em seguida, após os trâmites necessários, se dará o contrato de locação do lugar escolhido”, detalhou a pasta, em nota.

 

Ver mais

É Destaque

DF tem 295 mil pessoas desempregadas, aponta levantamento

Publicado

dia

Por

Entre setembro e outubro, número de desocupados na capital cresceu em 7 mil. Cerca de 20 mil vagas de emprego foram criadas, mas população economicamente ativa aumentou em 26 mil pessoas.

Carteira de trabalho. — Foto: Heloise Hamada/G1

Em outubro, a taxa de desemprego total no Distrito Federal ficou em 18,5%. No último mês, cerca de 295 mil moradores da capital estavam sem emprego, sete mil a mais que na comparação com setembro, quando o índice ficou em 18,4%.

Os dados fazem parte da Pesquisa de Emprego e Desemprego no DF (PED-DF), realizada pela Companhia de Planejamento do DF (Codeplan) e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A pesquisa foi divulgada nesta quarta-feira (25).

O mês de outubro apresentou um aumento de 1,6%, no número de ocupados, em comparação com setembro. Isso equivale a 20 mil novos trabalhadores empregados.

No entanto, nesse mesmo período, foram incluídos mais 26 mil habitantes na população economicamente ativa da capital – formada por pessoas a partir de 14 anos. Por isso, mesmo com as novas vagas de emprego, a taxa de desocupação teve um leve aumento.

O maior número de oportunidades foi criada no setor privado. O índice de trabalhadores com carteira assinada cresceu 2,5%, o equivalente a 12 mil pessoas. Houve também aumento do número de postos de trabalho entre:

  • Trabalhadores autônomos (9 mil);
  • Empregados domésticos (5 mil);
  • Demais posições, onde estão incluídos os empregadores, donos de negócio familiar, trabalhadores familiares sem remuneração, profissionais liberais e outras posições ocupacionais (3 mil).

Entre setembro e outubro, houve uma pequena variação na taxa de desemprego aberto, de 15,2% para 15,3%. O índice inclui pessoas que procuraram trabalho de maneira efetiva nos últimos 30 dias e não exerceram nenhum trabalho nos últimos sete dias.

Já a taxa de desemprego oculto permaneceu estável em 3,2%. Essa taxa trata de moradores que procuram emprego e exerceram algum tipo de trabalho precário ou familiar recentemente, além daqueles que não procuraram serviço nos últimos 30 dias por desestímulo do mercado de trabalho ou outras circunstâncias.

Apesar do alto número, a situação está melhor que no início da pandemia do novo coronavírus. Em maio, o mesmo levantamento mostrava uma taxa de desemprego total de 21,3%. A taxa de desemprego aberto era de 17,2% e de desemprego oculto, de 4,1%.

Segundo a pesquisa, no mês passado, a taxa de desocupação entre homens subiu de 15,7% para 15,8%, em comparação com setembro. No mesmo período, o índice entre as mulheres permaneceu estável, em 21,4%.

Entre as pessoas de 16 a 24 anos, o desemprego subiu de 40,9% para 41,8%. E na faixa etária de 40 a 49 anos, o aumento foi de 11,9% para 12,1%. Houve redução de 17,4% para 16,9% entre as pessoas de 25 e 39 anos.

Também de acordo com a pesquisa,o desemprego entre pessoas negras foi de 20,6% na capital, no mês passado. Entre os não negros, o índice ficou em 15,1%.

Ver mais

Hoje é

sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Publicidade

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?