Nossa rede

Tecnologia

Samsung lança TV 8K com “tela infinita”

Publicado

dia

Fabricante mostra visão de futuro com televisor vertical, Smart TVs com assistentes de voz e telas de MicroLED

QLED 950: TV da Samsung tem bordas finas como os smartphones (Lucas Agrela/Site Exame)

Las Vegas – A sul-coreana Samsung anuncia nesta semana a nova linha de TVs QLED, voltados ao segmento premium. Pela primeira vez, a fabricante criou TVs que combinam resolução 8K (que têm 32 vezes mais pixels do que o padrão Full HD) e bordas extremamente finas. Os televisores contam com telas que aproveitam 99% da área frontal — uma tendência de design que vem dos smartphones e ficou conhecida como tela infinita, assim como as piscinas de borda infinita.

A QLED 950 é o principal produto anunciado em uma conferência para imprensa antes da CES 2020, maior evento de tecnologia do mundo, realizado em Las Vegas. Ele tem tamanho de 75 polegadas e vem com novas tecnologias para imagem e som.

Como ainda há uma quantidade limitada de conteúdo em resolução 8K disponível para reprodução, a empresa usa a mesma abordagem que adotou com os televisores 4K no passado. Por meio de um processo de melhoria de imagens chamado upscalling, o processador de imagem das TVs aumenta artificialmente a qualidade de imagem de vídeos em Full HD ou 4K para deixá-los similares ao filmados em 8K. A novidade deste ano é que o processador de imagem agora usa inteligência artificial baseada em rede neural, que simula o funcionamento do cérebro humano, e fica melhor com o uso. O acervo de imagens de referência para a melhoria de cenas aumentou de 8 milhões para 10 milhões.

De acordo com Erico Traldi, diretor de áudio e vídeo da Samsung Brasil, o maior desafio para a oferta de conteúdos em resolução 8K não é a filmagem, mas, sim, a transmissão. “Trabalhamos junto a empresas como a Amazon para melhorar os codecs de compressão e descompressão de imagens em 8K”, afirma Traldi, . A sul-coreana também atua em parceria com o YouTube para levar vídeos em 8K para as TVs.

De acordo com previsão da consultoria Mordor Intelligence, as vendas de TVs 8K devem saltar de 2 milhões de unidades em 2017 para 18 milhões em 2023. A consultoria prevê ainda que, no mesmo período, o valor de mercado de 8K passará de 146.5 milhões de dólares para 2,11 bilhões de dólares, um crescimento de 33,5%. A próxima Olimpíada do Japão, que será realizada neste ano, contará com transmissão de conteúdos em 8k, pavimentando o caminho para mais imagens com a máxima qualidade disponível no mercado de consumo na atualidade.

YungKyung Park, pesquisadora de imagens de alta resolução na Universidade Ewha Womans, localizada na Coreia do Sul, a necessidade de resoluções mais altas se faz necessária com o aumento do tamanho das telas de TVs avançadas, que hoje tem 65 polegadas ou mais. “O 8K tem uma combinação de profundidade de imagens e temperatura de cores que causa um efeito de sinestesia no espectador. Isso leva à percepção de realidade nas imagens quando são reproduzidas em telas grandes. Não há um limite de resolução para aumentar a percepção de realidade passada pelas imagens”, afirma Park.

As novas TVs 8K da linha QLED da Samsung serão lançadas no Brasil em meados de 2020.

Fabricantes como LG e TCL também apresentaram Smart TVs com resolução 8K para a CES deste ano. O principal destaque da LG é a TV com tela que enrola, que será vendida nos Estados Unidos a partir deste ano. A empresa também aposta em inteligência artificial para a melhoria de imagens em Smart TVs, tanto para aparelhos com resolução 4K quanto 8K. A LG não revelou preços ou data de lançamento de suas novas TVs.

The Sero

A Samsung mostra, também, na CES a primeira TV vertical, feita para quem consome muitos vídeos de redes sociais, como o Instagram. Chamada The Sero, ela será lançada no Brasil em 2020.

Samsung-Sero-TV-Vertical

Sero: TV tem 43 polegadas (Samsung/Divulgação)

Quando pareada com um smartphone, ela pode mudar sua orientação de vertical para horizontal, conforme o usuário faz o movimento com o celular; Ainda não há preço definido para o aparelho.

MicroLED

Os painéis de MicroLED, que são pequenas lâmpadas que iluminam a tela, agora chegam em tamanhos menores. Agora, os tamanhos começam em 75 polegadas. No Brasil, ela estava disponível em 156 polegadas – apenas sob encomenda. Com proposta modular, ela pode ser ampliada com a aquisição de novos painéis. Durante a CES, a TCL apresentou uma tecnologia similar que é chamada de MiniLED.

The Frame

Na terceira geração da TV The Frame, que vem com um loja virtual de obras de arte que são exibidas na tela como se fossem quadros, a Samsung trouxe um modelo de 32 polegadas pela primeira vez. A resolução desse modelo é Full HD, e não 4K.

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Tecnologia

WhatsApp apresenta instabilidade e fica fora do ar nesta terça

Publicado

dia

Aplicativo de mensagens parou de funcionar na tarde desta terça-feira, 14

WhatsApp Web: Relatos no Twitter mostravam que o serviço também tinha parado em outros países. (Bloomberg/Getty Images)

O aplicativo de mensagens WhatsApp parou de funcionar momentaneamente na tarde desta terça-feira, 14. A função via computador –  Whatsapp Web –  foi a primeira a ser afetada. Depois, o aplicativo não envia nem recebia mensagens de texto, voz ou anexos.

De acordo com o site Down Detector, que monitora o funcionamento de serviços online, o aplicativo começou a apresentar falha a partir das 17h.

A falha afeta todos os continentes e já há mais de 25 mil relatos de problemas. Os principais focos do problema são Brasil, Reino Unido, Holanda, Alemanha e Espanha.
Por volta das 17h35, o serviço começou a ser restabelecido.
O WhatsApp não emitiu comunicado sobre a falha desta terça-feira.

Ver mais

Tecnologia

Apex rompe com entidade que ajudou Facebook a banir páginas bolsonaristas

Publicado

dia

Parceria com o think tank Atlantic Council iria até outubro, mas foi encerrada na quinta-feira, 9, um dia depois de a rede social tirar do ar as páginas

Ver mais

Tecnologia

Review: testamos a versão beta da nova atualização do iPhone

Publicado

dia

É claro que, como muitas outras versões anteriores à oficial, o Beta do iOS 14 apresenta alguns bugs

iPhone: nova atualização Beta foi liberada na quinta (Lucas Agrela/Site Exame)

A versão beta da nova atualização do iPhone se tornou disponível nesta quinta-feira (9). A versão completa do iOS 14 deve ficar pronta em meados de setembro.

 (Tamires/Exame)

 

 

 

É claro que, como muitas outras versões anteriores à oficial, o Beta do iOS 14 apresenta alguns bugs. Por exemplo, para quem usa o Amazon Music, a versão beta do iOS é um problema — o aplicativo simplesmente não abre.

Outro grande problema está no armazanamento do iPhone: ele foi testado em um iPhone 11 de 64GB. A versão beta do sistema operacional ocupou um total de 58,8 GB (o que deve ser arrumado quando sair a versão oficial comprimida do iOS 14, mas não deixa de incomodar).

A opção de editar a tela inicial também é um pouco ruim — depois de ter tirado alguns aplicativos, não conseguimos voltá-los à página inicial ou sequer adicionar outros.

O ponto positivo fica para a Biblioteca de Apps, que é realmente um diferencial para manter tudo mais organizado. Por lá, fica mais fácil achar os seus aplicativos, de acordo com organizações (feitas automáticas pelo iPhone) como “Produtividade”, “Criatividade” e “Utilitários. Uma das pastas, inclusive, é voltada para aplicativos instalados recentemente.

Outra coisa legal é que a atualização permite também que o espelhamento da câmera frontal seja cancelado, o que pode fazer com que você se sinta menos esquisito toda vez que tirar uma selfie.

Apesar de ter pontos positivos, o conselho final é que é melhor aguardar a versão oficial ser lançada. A nossa experiência final foi de que as coisas boas, no fim, não compensaram os bugs.

Para quais iPhones a versão beta está disponível?

  • iPod Touch (sétima geração)
  • iPhone SE (primeira e segunda geração)
  • iPhone 6s e 6s Plus
  • iPhone 7 e 7 Plus
  • iPhone 8 e 8 Plus
  • iPhone X
  • iPhone XR
  • iPhone XS e  XS Max
  • iPhone 11, 11 Pro, e 11 Pro Max

Como instalar a versão beta do iOS 14?

Para instalar a atualização, se você tem um dos dispositivos compatíveis, o primeiro passo para garantir a segurança do teste é fazer um backup de tudo que tem no seu celular — uma recomendação dada, inclusive, pela Apple. Como qualquer versão beta, a do iOS não seria diferente e pode acabar causando alguns bugs indesejáveis.

O segundo passo é abrir este link, de preferência no Safari (principal navegador dos dispositivos da maçã). Depois, faça o login, baixe o perfil do iOS 14.

Em seguida, entre em “Configurações”, acesse o perfil baixado e reinicie o aparelho. Quando ele voltar, basta clicar novamente nas ferramentas, em seguida vá para “Geral > Atualização de software” e voilá!

Ver mais

Tecnologia

Facebook pode se integrar a Instagram e WhatsApp após saída de fundadores

Publicado

dia

A informação foi obtida pelo WABetaInfo, um site conhecido por testar versões preliminares do WhatsApp

BERLIN, GERMANY – FEBRUARY 25: The Logo of instant messaging service WhatsApp is displayed on a smartphone on February 25, 2018 in Berlin, Germany. (Photo by Thomas Trutschel/Photothek via Getty Images) (Thomas Trutschel/Getty Images)

Facebook, WhatsApp e Instagram podem ter mais a ver com “Dark” do que você imagina. A série da Netflix ganhou o público nas últimas semanas após o lançamento da terceira e última temporada. Se tudo na série está interligado, a realidade de Mark Zuckerberg pode não ser muito diferente. Não que ele seja capaz de viajar no tempo (ou pelo menos ainda não), mas a ideia do bilionário é interligar todas as suas redes sociais em uma só. O que não é de todo uma surpresa.

No ano passado, Zuckerberg já havia dito que estava planejando fazer uma união entre seus aplicativos Facebook, Instagram e WhatsApp.

A ideia dele é que, se você tiver uma conta no Facebook, ficará mais fácil de achar seus amigos também no WhatsApp.

A interligação pode acontecer após a saída dos fundadores do app de mensagens, Brian Acton, que se tornou um crítico forte à rede social, e Jan Koum, que disse ter saído da empresa para ir curtir seus carros da Porsche.

Segundo Alessandro Paluzzi, um desenvolvedor conhecido no Twitter, o Instagram já está pedindo para que seus usuários baixem também o Messenger. Ele também publicou prints de possíveis novas ferramentas na rede social, como a possibilidade de salvar vídeos no IGTV — já disponível — e de acessar seu histórico de vídeos assistidos.

A principal novidade que pode estar sendo desenvolvida, no entanto, é a conexão entre o Messenger e o WhatsApp. Nesse caso, os usuários de ambos os aplicativos poderiam se comunicar entre si sem necessariamente usar o mesmo app.

Calma, ficou complicado? É o seguinte: pense que você é uma das poucas pessoas no mundo que não usa o WhatsApp, e prefere conversar pelo Messenger, se a mudança der certo, você poderá conversar com seus amigos no “zap” mesmo sem ter uma conta.

Não há previsão de quando as novidades estarão disponíveis e nada foi confirmado pelo Facebook. A informação foi obtida pelo WABetaInfo, um site conhecido por testar versões preliminares do WhatsApp. Resta saber como a empresa lidará com a privacidade dos usuários no WhatsApp, um aplicativo que sempre se associou a esse valor.

 

Ver mais

Tecnologia

Apple lança serviço de eletrocardiograma no Brasil

Publicado

dia

Sistema estará disponível em relógios e iPhones da marca e recebeu aval da Anvisa em maio

Apple: empresa vai lançar o serviço de eletrocardiograma no Brasil (David Paul Morris/Getty Images)

A Apple vai lançar o serviço de eletrocardiograma no Brasil. A dona do iPhone obteve a aprovação da Anvisa no fim de maio. O recurso, lançado há dois anos nos Estados Unidos, registra a frequência e a intensidade dos impulsos elétricos que fazem o coração bater através de medidores presente em seus relógios.

A informação é enviada a um aplicativo no celular que faz um eletrocardiograma e ainda detecta se o ritmo cardíaco estiver irregular.

O lançamento ocorre em um momento em que o segmento de relógios conectados vem registrando alta nas vendas, aponta a consultoria IDC Brasil. Os negócios tiveram alta de 218% no primeiro trimestre deste ano, chegando a quase 150 mil unidades comercializadas.

O serviço já foi lançado em diversos países da Ásia e Europa. O serviço estará disponível quando seu novo sistema operacional for lançado globalmente, o que deve ocorrer nos próximos meses. Ao todo, já são 34 países com a solução.Pelo sistema, o relógio consegue detectar o batimento irregular, indicando que a disritmia pode ser uma fibrilação atrial. Antes de usar, o usuário precisa informar se há algum problema cardíaco e dar informações como a data de nascimento. Segundo a companhia, o serviço não consegue detectar problemas como infarto.

O aplicativo no relógio também informa se o ritmo cardíaco está muito baixo (menor de 50 batidas por minuto) ou alto (acima de 120 batimentos por minuto). Segundo dados da Apple, 2% dos jovens sofrem com batimento irregular no coração, número que sobe para 9% em pessoas acima de 65 anos.

O novo recurso vai se juntar ao já lançado “detector de quedas”. Ambas as soluções estão disponíveis nos relógios das séries 4 e 5, lançados a partir de 2018. Nos Estados Unidos, a companhia vem selando parcerias com hospitais, universidades e seguradoras no desenvolvimento de pesquisas com foco em saúde.

A demanda por produtos como os relógios já vinha em alta, o que motivou o varejo a se abastecer no começo do ano. Assim, quando a pandemia chegou, havia estoque, oferta e procura e as vendas não foram impactadas — explica Renato Meireles, analista de pesquisa e consultoria da IDC Brasil.

O foco em saúde é uma das principais apostas dos fabricantes de relógios. A filandesa Polar está trazendo ao Brasil sua nova linha de modelos que monitoram a qualidade do sono e, através do histórico do usuário, consegue orientar a melhor opção para os usuários fazerem exercícios. Funciona, diz André Bandeira, diretor da companhia no Brasil, como uma espécie de mentoria.

O público-alvo é para a pessoa que se preocupa com atividades físicas e com a saúde.

Ver mais

Tecnologia

Após falha, é preciso trocar a senha do Nubank?

Publicado

dia

Por

Embora as senhas não tenham sido incluídas no pacote de dados vazados, é melhor prevenir do que remediar

Nubank: fintech teve dados vazados na última terça (Rafael Henrique/SOPA Images/Getty Images)

Uma falha de segurança expôs os dados de muitos clientes da fintech brasileira Nubank na noite desta terça-feira (8). Informações como número da conta, nome completo e CPF eram possíveis de serem encontrados em pesquisas feitas nos buscadores Google, Bing, Yahoo, entre outros. A falha, reportada pelo pesquisador em segurança digital Heitor Gouvêa, foi corrigida pela fintech, mas pode ter causado grandes problemas.

Para se proteger de um ataque cibernético, embora as senhas não tenham sido incluídas no pacote de dados vazados, é melhor prevenir do que remediar.

Como alterar a senha do seu cartão Nubank:

  1. Senha de 8 dígitos, para entrar no app: ao acessar o aplicativo, acesse o menu “Perfil” e selecione a opção “Alterar senha de acesso”
  2. Senha de 4 dígitos, usada nas compras presenciais: siga os mesmos passos do primeiro item, mas, em vez de selecionar a opção da senha de acesso, selecione a “Senha de 4 dígitos”.

Uma camada extra de proteção

É possível também adicionar o que o Nubank chama de “uma camada a mais de proteção” no app, o que inclui o cadastro para biometria, disponível para Android e iPhones. Para ativar a opção, é só clicar em “Proteção do app” nas configurações do mesmo.

 

Ver mais

Hoje é

terça-feira, 14 de julho de 2020

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?