Nossa rede

Aconteceu

PMs do DF são presos em operação que investiga crimes de tortura e associação criminosa

Publicado

dia

Força-tarefa cumpre 13 mandados de prisão e 17 de busca e apreensão contra policiais. Auditoria militar também investiga casos de corrupção e fraude processual.

A Polícia Civil cumpriu, nesta quinta-feira (6), 13 mandados de prisão preventiva e 17 de busca e apreensão contra policiais militares do Distrito Federal. A investigação apura crimes de associação criminosa, tortura, corrupção passiva e fraude processual (entenda abaixo).

A determinação foi expedida pela Auditoria Militar do DF. O juiz manteve os casos sob segredo de Justiça, portanto, novos detalhes da investigação não foram divulgados.

Os detidos foram levados para um ala reservada a militares no sistema penal de Brasília, no prédio conhecido como “Papudinha”. Eles ficarão presos por tempo indeterminado.

A ação é feita em parceria com a Corregedoria da PM e do Ministério Público (MPDFT). Em nota, as instituições afirmam que “buscam assegurar […] a certeza de que a segurança pública deve ser conduzida com responsabilidade e respeito”.

A investigação

A operação foi batizada de “Dolus Malus” e é um desdobramento da “Torre de Babel”, iniciada em outubro do ano passado. Na época, a PCDF prendeu, temporariamente, três militares suspeitos de tráfico interestadual de drogas e desvio de cargas.

Na casa dos detidos, segundo a Polícia Civil, foram encontradas 4 armas ilegais, 50 munições usadas em armamentos pesados, porções de crack e uma balança de precisão (veja detalhes abaixo).

Policiais civis chegam a Brasília com apreensões da operação Torre de Babel — Foto: TV Globo/Reprodução

Policiais civis chegam a Brasília com apreensões da operação Torre de Babel — Foto: TV Globo/Reprodução

Desvio de drogas

A operação começou com a investigação de Toninho do Pó, traficante preso em Brasília. Com ele, foi encontrada meia tonelada de maconha, mas a Polícia Civil afirma que apenas 250 kg foram apresentados na delegacia no Gama.

Na época, os policiais teriam dito que o traficante fugiu. Tempos depois, ao ser preso, Toninho prestou depoimento ao delegado e confessou possuir uma quantidade maior da droga. Ao G1, a Polícia Civil disse ainda que o traficante foi mantido em cárcere privado pelos militares presos.

Para a polícia, trata-se de uma organização criminosa interestadual “dedicada não apenas à traficância, mas também a roubos, furtos e desvios de cargas”. Os itens seriam revendidos em cidades de seis estados brasileiros, além do Distrito Federal.

Dinheiro apreendido durante a operação Torre de Babel — Foto: Polícia Civil do DF/Divulgação

Dinheiro apreendido durante a operação Torre de Babel — Foto: Polícia Civil do DF/Divulgação

Ainda de acordo com a investigações, o líder da organização contava com o apoio de dois “braços” para praticar roubos e furtos de cargas. Eles teriam recrutado motoristas e falsificado as notas fiscais dos produtos roubados, além de registrado falsas ocorrências de roubo e furto de carga.

Na outra frente de atuação, “Toninho do Pó” recebia ajuda de um homem que, segundo a polícia, mantinha “vigorosa atuação na seara do tráfico de drogas”.

Torre de Babel

O nome da operação “Torre de Babel” refere-se à grande quantidade de cidades alvos da atuação do grupo criminoso e, também, ao grande número de forças mobilizadas para desarticular o esquema.

Comentário

Aconteceu

Caso de vendedora arrastada pode evoluir para tentativa de homicídio

Publicado

dia

Delegado-chefe da 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro), responsável pela investigação, espera que o casal suspeito se apresente até terça-feira (18/6)

Vendedora precisava da renda dos balões para pagar contas
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

O delegado responsável porinvestigar o caso da vendedora de balões arrastada por um carro na porta de uma festa junina espera que o casal suspeito pelo crime se apresente até terça-feira (18/6). A ocorrência é tratada, inicialmente, como uma lesão corporal, mas, segundo o chefe da 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro), pode evoluir até para uma tentativa de homicídio. “Somente as investigações vão poder dizer qual a proporção do fato”, explicou o delegado Josué Ribeiro.
Ele acredita que o motorista não tenha tido intenção de arrastar Marina Izidoro de Morais, 63 anos. “A passageira do carro puxou o balão da mão da vendedora, mas, possivelmente, pode não ter notado que eles estavam presos no pulso da vítima”, esclareceu o delegado.
Nas redes sociais, uma internauta contou ter visto o exato momento em que a vítima caiu no asfalto e foi arrastada pela força do veículo. A Polícia Civil tenta localizar a testemunha para colher depoimento formal dela.

Entenda o caso

Marina estava trabalhando na porta de uma escola particular de Taguatinga Sul no domingo (16/6), desde às 11h, vendendo balões. Por volta de 19h30, um casal em um carro de luxo parou na sua frente e pediu desconto nos produtos. Já na negociação eles ficaram irritados, mas pediram para levar três.

Braços ficaram com a marca da corda dos balões
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

“Quando abaixei para pegar o balão para a mulher que estava no passageiro, ela puxou a corda que estava amarrada na minha mão. Quando fez isso, ele fechou o vidro e saiu me arrastando. Foi horrível, comecei a gritar por socorro. Vi a morte de perto”, lembrou a senhora.
O casal apontado como suspeito está foragido desde domingo. “Agora eu só quero justiça, eles têm que pagar pelo que fizeram. Porque eu fiquei toda machucada, quase não estou mais aqui para contar história, e vou ficar sem trabalhar, sem poder pagar minhas contas”, lamentou.
Ver mais

Aconteceu

Começam as inscrições para a castração de cães e gatos no DF

Publicado

dia

Ao todo, serão oferecidas 2 mil vagas para cadastros on-line e presenciais, que serão divididos em cinco endereços. Os interessados poderão cadastrar até três animais

Os cadastros podem ser feitos online e presenciais
(foto: Instituto Brasília Ambiental/Divulgação)

As inscrições para a castração de cães e gatos começam nesta segunda-feira (17/6) no Distrito Federal. Ao todo, serão oferecidas 2 mil vagas para cadastros on-line e presenciais. Os interessados poderão fazer a ficha de até três animais em cinco endereços diferentes: sede do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e nas administrações de Ceilândia, Paranoá, Taguatinga e São Sebastião.
Serão oferecidas 650 vagas pela internet a partir da 9h de desta segunda. Os interessados devem acessar o site do Ibram e realizar o cadastro. É necessário fazer o upload dos arquivos digitais contendo os dados pessoais. Confira toda a

documentação.
Já o cadastro presencial acontece na sede do Ibram nesta segunda. Serão oferecidos 250 vagas. As senhas do atendimento são distribuídas no local a partir das 8h. É necessário ter em mãos os documentos de identidade e comprovante de endereço do DF em nome do responsável ou declaração de residência.
Na terça-feira (18/6), os cadastros acontecem nas administrações de Ceilândia e Taguatinga. Ambos disponibilizarão 300 vagas de castração. Já na quarta (19/6), as inscrições são no Paranoá e São Sebastião, que vão cadastrar 250 vagas cada.
O resultado estará disponível a partir do dia 25 de junho no site do Ibram.

Serviço:

Campanha de castração de cães e gatos
Segunda-feira (17/6)- Site do Ibram disponibiliza 650 vagas e sede do Ibram, para atendimento presencial, 250 vagas
Terça- feira (18/3)- Administração Regional de Ceilândia (300 vagas) e Administração Regional de Taguatinga (300 vagas)
Quarta-feira (19/3)- Administração Regional do Paranoá (250 vagas) e Administração Regional de São Sebastião (250 vagas).
Ver mais

Aconteceu

Quase 50 municípios de Goiás enfrentam risco de desabastecimento de água

Publicado

dia

Entre eles, há oito vizinhos do DF e três que são destinos muito procurados por turistas brasilienses

Gado magro em pasto seco e queimado, durante período de estiagem em Alto Paraíso: município da Chapada dos Veadeiros é um dos que correm risco de ficar sem água este ano (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)

 

Um ano após o fim da maior crise hídrica da história do Distrito Federal, municípios do Entorno enfrentam risco de desabastecimento de água. O alerta foi emitido pela Companhia Saneamento de Goiás (Saneago). O órgão elaborou uma lista das 46 cidades ameaçadas e apresentou ações para manter a regularidade do serviço. Entre elas, oito são vizinhas de Brasília e três, destinos muito procurados por turistas brasilienses em feriados e fins de semana.
O risco de desabastecimento tem relação com a redução do nível de capacidade dos mananciais e do período da estiagem. Para evitar impacto, o Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente e Urbanismo (CAO) do Ministério Público de Goiás (MPGO) enviou um ofício aos promotores das cidades pedindo que eles acompanhem e investiguem o caso.
Coordenador do CAO, o promotor Delson Leone Júnior cobra medidas de segurança, de emergência e de contingência por parte dos municípios, inclusive quanto a eventual racionamento. “O escopo da nossa ação foi levantar essas informações junto à Saneago e alertar os promotores para um cenário de desabastecimento. Sugerimos algumas providências, além de contar com a consciência da população para buscar alternativas”, contou Delson Júnior, em entrevista ao Correio.
O promotor aponta três medidas como urgentes: conscientizar a população para o uso racional da água, fiscalizar os mananciais para combater os usos irregulares e começar um processo de recuperação das bacias. “Temos recursos hídricos bastante degradados e isso impacta na qualidade e na quantidade de água. Fizemos sugestões para minimizar os impactos, e a expectativa é para que isso aconteça”, destacou Delson Júnior.
O promotor também alertou que o crescimento desordenado do Entorno aumenta a demanda por água e ultrapassa a disponibilidade. “Não se fala ainda em crise hídrica, mas de uma melhor gestão do recurso, em especial nesses municípios, cujos mananciais estão com redução da vazão. Existem medidas sendo adotadas, inclusive com apoio do Ministério Público, e verificaremos se elas serão suficientes ou não com o passar dos dias.”

Histórico de redução

Para elaborar a lista das cidades com risco de desabastecimento, a Saneago considerou o histórico do baixo nível dos mananciais. Mas só há monitoramento digital disponível para ser acessado pela população do manancial da Região Metropolitana de Goiânia. As outras bacias, principalmente as do Entorno, não têm dados on-line.
Diretor de Produção da Saneago, Wanir José de Medeiros Júnior garantiu providenciar a disponibilidade dos dados. “Desde 2015 os mananciais apresentam redução da vazão e temos feito ações para minimizar a escassez hídrica”, confirmou. O governo estadual tem investido em campanhas educativas e começou a fazer perfurações e interligação de poços artesianos, além de abastecer asilos, unidades de saúde e escolas com caminhão pipa e investir em melhorias nas estações de tratamento, segundo a Saneago.
“Assim como no Distrito Federal, em 2017 tivemos uma crise difícil com redução das vazões dos mananciais. Em 2018, essa situação foi minimizada e não houve problema de desabastecimento, mas, desta vez, o relatório demonstra risco com relação ao recurso hídrico”, reforçou Wanir Júnior.
Segundo o diretor de Produção da Saneago, servidores atuam para não haver racionamento nem rodízio de água. “Essa possibilidade sempre existe, mas, pela nossa expectativa, não deve acontecer. A probabilidade seria fazer uma manobra no sistema para reduzir a pressão (da água), o que não deve ocorrer por causa do histórico de 2018 e pelo índice pluviométrico”, explicou.
Entre as cidades do Entorno, o Novo Gama conta com apoio de abastecimento da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb). “Quando necessário, importamos água da adutora da Caesb que fica na região, mas revertemos a perda de água e reduzimos o volume importado. Com essa diminuição no prejuízo, praticamente não estamos mais contando com o recurso do Distrito Federal”, disse Wanir.
“Não se fala ainda em crise hídrica, mas de uma melhor gestão do recurso, em especial nesses municípios, cujos mananciais estão com redução da vazão. Existem medidas sendo adotadas, inclusive com apoio do Ministério Público, e verificaremos se elas serão suficientes ou não com o passar dos dias”, Delson Leone Júnior, promotor de Justiça.

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade