Nossa rede

Brasília

PEC Emergencial: desvincular recursos pode impactar educação e saúde

Publicado

dia

Apesar de contar com o apoio do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-RJ), a medida é criticada por partidos de esquerda e de direita

(crédito: Marcos Vieira/CB/D.A Press)

O senador Marcio Bittar (MDB-AC) pode não ter calculado bem a desidratação da PEC (proposta de emenda à Constituição) Emergencial. Embora tenha retirado do texto a possibilidade de o governo reduzir o salário e a carga horária dos servidores públicos como uma fonte de ajuste fiscal, por exemplo, decidiu desvincular as verbas da educação e da saúde, inviabilizando, por exemplo, a emenda constitucional do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), sancionada em 28 de dezembro. Apesar de contar com o apoio do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-RJ), a medida é criticada por partidos de esquerda e de direita.

“Sou simpático à ideia de termos um Orçamento que permita a um gestor público, dentro de um mínimo unificado de educação e saúde, destinar verba para essas áreas a depender da necessidade do ente federado, no caso concreto”, afirmou Pacheco. “A desvinculação, a partir desses critérios, preservando investimento em educação e saúde, pode ser um caminho de meio-termo interessante, permitindo uma flexibilização dos gastos de acordo com cada ente federado”, acrescentou.

O líder do PSDB no Senado, Izalci Lucas (PSDB-DF), no entanto, criticou a iniciativa. “Acho muito ruim. Neste momento, vai ter muita dificuldade, muita resistência. Acabamos de aprovar o Fundeb para buscar mais recursos para a educação, ampliar até 2026. Vem uma emenda e muda tudo isso? Se fizer a desvinculação, a educação vai voltar para um valor irrisório. Vão jogar tudo na saúde e, depois, (o dinheiro) não retorna. Desindexar é reduzir”, frisou. O senador Paulo paim (PT-RS) também reprovou. “Um absurdo. Teremos mais pobreza e desigualdade social. Esses direitos são fundamentais para o bem-estar, o crescimento e o desenvolvimento do país”, postou no Twitter.

Em nota, o Todos Pela Educação alertou para os riscos de desvincular a verba do setor. “A PEC revoga trechos do artigo 212 da Constituição Federal, que extinguem a subvinculação dos recursos destinados à manutenção e ao desenvolvimento do ensino para União, estados e municípios (Inciso IV do Art. 4º da PEC)”, alertou a organização da sociedade civil. “Tal medida muda completamente o contexto orçamentário da educação brasileira. A desvinculação, além de potencialmente levar a uma redução substancial dos gastos públicos com educação, inviabilizará a implementação do Fundeb, mecanismo de redistribuição dos recursos vinculados à educação.”

De acordo com a presidente executiva da entidade, Priscila Cruz, não era esperado que o tema viesse à tona na PEC Emergencial “de forma tão intensa e tão rápida”, após a aprovação do Fundeb. “Votar como está no relatório é enterrar o Fundeb. Todo o trabalho de modelagem de uma política que é exemplo para o resto do mundo, todo esforço será enterrado se houver essa revogação do artigo 212 (da Constituição)”, enfatizou. “O que eles estão querendo realmente? O que eu acho que tentam fazer é jogar um obstáculo bem alto para chegar a um meio-termo, que é a união dos pisos para educação e saúde. Uma medida extremamente oportunista.”

Economista e fundador da ONG Contas Abertas, Gil Castello Branco disse ser perigoso debater a PEC “de forma açodada”. “O fim dos percentuais mínimos constitucionais para saúde e educação precisa ser analisado com cautela. Os municípios, atualmente, já gastam, em geral, mais do que os mínimos. Se diminuírem os repasses da União e dos estados, as dificuldades na ponta vão aumentar”, afirmou. “Na essência, a tese da desvinculação existe há anos, há vários governos, e é correta. Na prática e na forma, é necessário que seja avaliada com cautela, notadamente, em época de pandemia”, avisou. (Colaborou Fernanda Strickland, estagiária sob a supervisão de Cida Barbosa)

Saiba mais

Períodos autoritários
Desde a década de 1930, quando a Constituição passou a prever um percentual de aplicação mínima na educação, o piso deixou de existir apenas em períodos autoritários: durante o Estado Novo de Getúlio Vargas (1937-1946) e no período de 1967 a 1988, sob a Carta outorgada pelo Regime Militar. Já a vinculação da saúde foi incluída na atual Constituição, vigente há mais de 30 anos.

Percentuais nos dois setores

Atualmente, os estados e o Distrito Federal têm de destinar 12% das receitas com impostos às ações de saúde. Os municípios precisam aplicar o equivalente a 15%. Na União, esse índice também era de 15% da receita corrente líquida até 2017, quando o piso passou a ser atualizado pela inflação. No caso da educação, o mínimo é de 25% das receitas com impostos para estados e municípios. Na União, o piso era de 18% até 2017, quando o valor passou a ser atualizado pela inflação.

Disputa por verbas

Caso a desindexação de recursos seja aprovada pelo Congresso, os parlamentares federais, estaduais e municipais terão de decidir, ano a ano, qual será o montante de recursos destinado à educação e à saúde, disputando com outras demandas dentro do Orçamento.

Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Comentar

Brasília

GDF monitora casos suspeitos de Monkeypox no DF

Publicado

dia

Por

Duas pessoas estão em isolamento domiciliar, sendo monitoradas diariamente pelo Centro de Informação Estratégica em Vigilância em Saúde; Secretaria de Saúde distribui nota técnica para prevenção de profissionais da área

O Centro de Informação Estratégica em Vigilância em Saúde (Cieves) da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES) monitora os dois primeiros casos suspeitos de Monkeypox no Distrito Federal. As pessoas estão em isolamento domiciliar esperando o resultado do exame que vai confirmar ou descartar a contaminação pela doença. O serviço de vigilância faz o acompanhamento diário do estado de saúde dos pacientes. Como forma de prevenção, a SES distribuiu nota técnica aos profissionais de saúde das redes pública e privada com orientações para tratamento e manejo da doença.

A instrução no documento distribuído é que na unidade de saúde os pacientes suspeitos devem ser mantidos em área separada até receber atendimento, e usar máscara cirúrgica desde o momento em que forem identificados na triagem seguindo, assim, para o isolamento, que segundo a nota técnica, deve acontecer o mais rápido possível.

A orientação da pasta é que se o paciente estiver em bom estado geral, não será necessária a internação, podendo ficar em seu domicílio. As amostras colhidas devem ser encaminhadas ao Laboratório Central (Lacen) da Secretaria de Saúde. Todos os casos suspeitos devem ser notificados em até 24 horas pela redes pública ou privada de saúde ao Cieves pelo (61) 99145-9439 e pelo email notificadf@gmail.com.

Medidas de prevenção e biossegurança

A nota técnica também orienta sobre a prevenção de contágio entre os profissionais de saúde. Baseado nas formas de transmissão (contato e gotícula), medidas de prevenção e controle de infecção devem ser implementadas, a fim de evitar ou reduzir ao máximo a chance de transmissão de microrganismos durante a assistência à saúde realizada, bem como a ocorrência de surtos hospitalares.

Os serviços de saúde devem elaborar, disponibilizar de forma escrita e manter disponíveis, normas e rotinas dos procedimentos envolvidos na assistência aos casos suspeitos ou confirmados de Monkeypox, tais como: fluxo dos pacientes dentro do serviço de saúde, procedimentos de colocação e retirada de EPI, procedimentos de remoção e processamento de roupas/artigos e produtos utilizados na assistência, rotinas de limpeza e desinfecção de superfícies, rotinas para remoção dos resíduos, rotina de transporte dos pacientes, entre outros.

Ver mais

Brasília

Três novas bases do Samu inauguradas nesta sexta-feira (1º)

Publicado

dia

Por

Pontos em Águas Claras, Taguatinga e Samambaia tem capacidade de cobrir um território de até 450 mil pessoas

Três novas bases descentralizadas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-DF) foram inauguradas nesta sexta-feira (1º). Os novos pontos de apoio ficam em Águas Claras, Taguatinga e Samambaia, cada um com capacidade de cobrir um território de até 450 mil pessoas.

Bases têm o objetivo de viabilizar a chegada das equipes de atendimento móvel até as vítimas no menor tempo de resposta possível. Foto: Sandro Araújo-Agência Saúde-DF 

As bases têm o objetivo de viabilizar a chegada das equipes de atendimento móvel até as vítimas no menor tempo de resposta possível. O Distrito Federal conta com 23 locais como esse. “Essa base é importantíssima para a população e para os servidores da secretaria, porque ela presta assistência a uma das regiões mais populosas do DF em um serviço que o atendimento rápido faz toda a diferença.”, afirma a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio.

Para o diretor-geral do Complexo Regulador em Saúde do Distrito Federal, Marcus Antônio Costa, as bases vão auxiliar que o atendimento chegue mais rápido em um caso de acidente. “É o Samu se aproximando ainda mais da população, contribuindo com o socorro em instantes.”

Base modular tem a capacidade de acolher duas viaturas (ou uma viatura e duas motos), devidamente cobertas, com área de desinfecção, higienização e escoamento. Foto: Tony Winston-Agência Saúde-DF

O diretor do Samu, Victor Queiroz, destaca a importância de intensificar o desenvolvimento de bases descentralizadas para atendimento pré-hospitalares. “Há cerca de 15 anos que começamos com o Samu, mas os territórios já estavam ocupados. Então há uma dificuldade de encontrar locais que sejam estratégicos e disponíveis para pontos de apoio. Essas três pontos estão muito bem localizados nessas regiões administrativas”, explica.

Cada base modular tem a capacidade de acolher duas viaturas (ou uma viatura e duas motos), devidamente cobertas, com área de desinfecção, higienização e escoamento, além de instalações para acomodar suas respectivas equipes totalizando até seis servidores com sala de descanso, local para preparo das equipes antes e depois dos atendimentos.

“A Região de Saúde Sudoeste é a maior em quantidade de equipamentos públicos de saúde e que tem mais de um milhão de habitantes”, explica Shirlene Almeida, a superintendente-substituta da região – responsável por Águas Claras, Recanto das Emas, Samambaia, Taguatinga e Vicente Pires. No território, há dois hospitais regionais, três Unidades de Pronto-Atendimento, 34 Unidades Básicas de Saúde, 5 Centros de Atenção Psicossocial e 3 policlínicas.

Secretária Lucilene Florêncio destaca que a base presta assistência a uma das regiões de Saúde mais populosas do DF. Foto:Tony Winston-Agência Saúde-DF

Para a chefe do Núcleo de Atendimento Pré-hospitalar Sudoeste 2, Flávia Granja da Silva, responsável pelas operações na nova base de Samambaia, esses pontos fazem com que os socorros sejam não só mais rápidos, mas também mais abrangentes.

“Samambaia é muito grande. Se todos os profissionais estiverem concentrados em um único ponto, no caso de um atendimento em outra extremidade da cidade e com trânsito, o socorro pode demorar a chegar. Por isso, o Samu é muito importante, já que trabalha com minutos preciosos para salvar uma vida”, conta.

A enfermeira Laryssa Lopes comemora a inauguração do local. Ela também trabalha no Núcleo Sudoeste 2, e conta que o espaço serve como um ponto de apoio para os servidores. “Quem cobre a rua, pode vir comer alguma coisa e beber uma água, tomar um banho, porque às vezes tá sujo de sangue de outra ocorrência. Isso aqui melhora a nossa qualidade de vida no ambiente de trabalho”, justifica.

O núcleo Sudoeste 2 tem cerca de 90 servidores, com 60 técnicos de enfermagem, 4 médicos, 10 enfermeiros e 20 condutores.

Três novas vão aproximara o Samu da população e contribuir com o socorro em instantes. Foto Tony Winston-Agência Saúde-DF 
Ver mais

Brasília

Parque da Cidade agora tem academia pública de graça

Publicado

dia

Por

Espaço ao ar livre conta com equipamentos modernos e estrutura adequada para musculação; uso será possível com agendamento por meio de aplicativo

Quem frequenta o Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek para se exercitar conta agora com uma estrutura de peso no reforço da musculação. Nesta sexta-feira (1°), o Governo do Distrito Federal (GDF), por meio de uma parceria da Secretaria de Esporte e Lazer com a empresa MUDE, inaugurou uma academia a céu aberto, pública e totalmente de graça. A abertura do espaço foi feita pelo governador Ibaneis Rocha.

“Uma estrutura de qualidade que chega para auxiliar no cuidado e no bem-estar dos frequentadores daqui, sem custo e com o suporte de profissionais, como em uma academia particular”Governador Ibaneis Rocha

A academia do parque fica atrás do prédio da administração, no Estacionamento 11. Conta com equipamentos variados, como banco e máquina para supino, aparelho conjugado com barra de alongamento e paralela, banco extensor, aparelho para agachamento; banco para remada, banco de panturrilha, banco declinado para abdominal, e barra móvel do tipo olímpica, além de halteres e anilhas de pesos variados.

“Uma estrutura de qualidade que chega para auxiliar no cuidado e no bem-estar dos frequentadores daqui, sem custo e com o suporte de profissionais, como em uma academia particular”, afirmou o governador Ibaneis Rocha.

Academia a céu aberto foi instalada graças a uma parceria da Secretaria de Esporte e Lazer com a empresa MUDE | Fotos: Geovana Albuquerque/ Agência Brasília

Inicialmente, o espaço vai funcionar às terças, quintas e sábados, das 8h às 11h. Os alunos serão acompanhados por dois profissionais de musculação e haverá aulas de ginástica funcional, yoga e calistenia. A estrutura do local é de aço inox com equipamentos para os principais grupos musculares. A previsão é de que os dias e horários de atendimento sejam ampliados.

“Nosso governo é amigo do esporte e, pela primeira vez, vamos entregar academias a céu aberto, 20 pistas de skate e academia completa no Parque da Cidade. Levaremos saúde para 21 cidades do DF, valorizando o esporte”, destaca a secretária de Esporte e Lazer, Giselle Ferreira.

Com equipamentos variados, a estrutura poderá ser utilizada sem custo por qualquer cidadão: basta baixar o aplicativo e se cadastrar nas modalidades disponíveis

De acordo com o administrador do Parque da Cidade, Carlos Alberto Bougleux, o usuário que quiser utilizar os equipamentos deverá baixar o aplicativo da MUDE e se cadastrar nas modalidades disponíveis. Serão 35 vagas para musculação e 35 para as aulas a cada 45 minutos. “Isso reforça a atenção que temos com o cuidado com a saúde e o bem-estar de quem já utiliza as nossas instalações”, diz ele.

O corretor de imóveis Denilson Jardim, 38 anos, mora em Planaltina e trabalha no Plano Piloto. Há alguns anos, deixou a academia de lado para se exercitar no Parque da Cidade. Da estação de musculação em que fazia barras, ele observou a nova academia e se disse empolgado com a possibilidade de malhar em uma estrutura ainda mais completa. “Eu gosto muito do Parque da Cidade e saber que haverá um profissional para orientar a execução dos aparelhos faz aqui ser ainda mais interessante. É uma ótima iniciativa”, afirma.

Ver mais

Brasília

DF Social paga mais de R$ 8,5 milhões para 56.609 famílias

Publicado

dia

Por

Para receber o benefício, pessoas inscritas precisam abrir uma conta social no BRB

Está liberado nesta sexta-feira (1º) o pagamento para 56.609 famílias da parcela de junho do programa DF Social. O benefício de R$ 150 é concedido mensalmente aos grupos familiares com renda per capita de até meio salário mínimo, inscritas no Cadastro Único.

De acordo com a gestora do programa, a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), o valor total da folha de pagamentos de junho do DF Social ficou em R$ 8.513.230. Devido a trâmites operacionais, o benefício pode demorar um pouco mais para ser creditado em algumas contas.

Benefício criado pelo GDF é destinado a pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade social | Foto: Renato Raphael/Sedes

“Reforço o pedido para que o cidadão faça a sua consulta no site GDF Social e veja se está entre os beneficiários. Se seu nome estiver lá, abra a sua conta no BRB Mobile para receber o DF Social já no próximo pagamento”Mayara Noronha Rocha, secretária de Desenvolvimento Social

A previsão orçamentária do DF Social atende cerca de 70 mil famílias. Porém, existem beneficiários que foram contemplados e não recebem porque não abriram a conta social no Banco de Brasília (BRB). Atualmente, há 13.391 pessoas nessa situação.

“Muitas pessoas têm direito ao benefício, atendem a todos os critérios, mas nem sabem que foram contempladas”, explica a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha. “Por isso, reforço aqui o pedido para que o cidadão faça a sua consulta no site GDF Social e veja se está entre os beneficiários. Se seu nome estiver lá, abra a sua conta no BRB Mobile para receber o DF Social já no próximo pagamento.”

Ao acessar o site do GDF Social, a pessoa deve entrar no link “Consulta DF Social”, informar CPF e data de nascimento. Após esse procedimento, aparece mensagem na tela informando se a pessoa está ou não na lista de contemplados. “Caso você atenda aos critérios de concessão do DF Social e esteja com o Cadastro Único atualizado, mas seu nome não estiver aparecendo no site, aguarde a liberação do benefício”, orienta a secretária.

A abertura da conta pode ser feita pelo aplicativo BRB Mobile. Basta seguir o passo a passo neste link.

O programa

O DF Social foi criado para manter o auxílio às famílias que vivem em situação de extrema vulnerabilidade social no Distrito Federal, após o fim, no ano passado, do DF Sem Miséria, benefício que era atrelado ao programa Bolsa Família, extinto pelo governo federal, para dar lugar ao Auxílio Brasil.

“Ressaltamos que, sempre que o benefício é liberado para novas famílias, é enviado aviso por meio de mensagem SMS aos telefones informados durante o atendimento”, lembra Mayara Rocha.

Para ser contemplado no DF Social, o cidadão precisa estar inscrito no Cadastro Único. Confira, abaixo, o perfil das famílias em situação de baixa renda priorizadas pelo programa.

→ Beneficiárias do DF Sem Miséria em outubro de 2021 e que não atingiram renda familiar per capita mensal de R$ 140, enquanto mantida esta condição;
→ Monoparentais chefiadas por mulheres;
→ Com crianças de até 6 anos;
→ Com pessoas com deficiência;
→ Com pessoas idosas;
→ Que estejam em situação de rua;
→ Beneficiárias do auxílio emergencial do governo federal e que não foram contempladas pelo Auxílio Brasil.

Para participar do programa, não é necessário solicitar a inclusão. Caso o cidadão preencha todos os pré-requisitos e esteja inscrito no Cadastro Único, estará apto a receber o benefício, conforme priorização das famílias e compatibilidade orçamentária.

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Social do DF

Ver mais

Brasília

Publicado edital de concurso para professor e orientador educaciona

Publicado

dia

Por

Haverá seleção também para gestor e cadastro de reserva, em um total de 4.254 vagas, com salários de até R$ 5 mil. As inscrições poderão ser feitas em agosto e as provas, em outubro

A Secretaria de Educação (SEE) publicou na edição do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta sexta-feira (1º) o Edital n.º 31 do concurso público para provimento de vagas de cargos da pasta. Serão 4.254 vagas, com salários de até R$ 5 mil. As inscrições serão realizadas no endereço eletrônico do Instituto Quadrix, banca escolhida para a aplicação das provas, das 10h de 2 de agosto até as 18h do dia 31 do mesmo mês. O valor da inscrição varia entre R$ 56 e R$ 83.

A realização das provas objetivas e discursivas para os cargos de pedagogo orientador educacional estão previstas para 9 de outubro; para gestor, em 16 de outubro

A secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, ressaltou a importância da realização de um novo concurso para a rede pública de ensino do DF: “Este é o resultado de um trabalho do Governo do Distrito Federal, que valoriza a educação, o servidor público e a recomposição dos cargos. Garantir a realização de um novo concurso significa assegurar a qualidade da educação dos nossos estudantes”.

Entre os cargos, estão 776 vagas imediatas para professor de educação básica e 3.104 para cadastro de reserva, 20 para pedagogo orientador educacional mais 80 reservas e 16 para gestor em políticas públicas e gestão educacional, com 258 para cadastro de reserva. O concurso terá o prazo de dois anos, podendo ser prorrogado.

A aplicação das provas objetivas e discursivas para os cargos de pedagogo orientador educacional está previstas para 9 de outubro; para gestor, em 16 de outubro. Os candidatos devem acompanhar no endereço eletrônico todos os atos, editais e comunicados referentes ao concurso público.

O concurso terá o prazo de dois anos, podendo ser prorrogado | Foto: Mary Leal/SEE

Para se candidatar a professor de educação básica, é preciso ter licenciatura em uma das áreas contempladas no edital. Já para o cargo de pedagogo orientador educacional, é necessário ter nível superior em pedagogia, com habilitação específica ou pós-graduação em orientação educacional. A carreira de analista exige curso superior em diversas áreas de conhecimento indicadas no edital.

Isenção de taxa

O pedido de isenção de taxa pode ser feito das 10h do dia 18 deste mês até as 18h do dia 22 por doadores de sangue, beneficiários de programa social de complementação ou suplementação de renda, eleitores convocados e nomeados para servirem à Justiça Eleitoral do DF, cadastrados no banco de dados como possível doador de medula óssea, comissário ou agente de Proteção da Infância e da Juventude e portadores de deficiência.

A divulgação do resultado preliminar da solicitação de isenção do valor de inscrição será divulgado no dia 27 deste mês, no site oficial da banca.

Para fazer o pedido, basta acessar o endereço eletrônico isencao.quadrix.org.br, optar por uma das possibilidades de isenção do valor de inscrição, de acordo com as instruções contidas no sistema, e preencher corretamente os campos solicitados. Em seguida, deve-se enviar, via upload, por meio de link específico, as imagens legíveis do documento de identidade oficial, da declaração constante do Anexo VI do edital e da documentação comprobatória, de acordo com subitem.

Etapas

De acordo com o edital, o concurso da Secretaria de Educação para efetivos será composto por três etapas:

• Prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório;
• Prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório;
• Prova de títulos, de caráter classificatório.

Na prova objetiva, os participantes deverão responder as 120 questões, das quais 40 são de conhecimentos básicos, 30 de conhecimentos complementares e 50 de conhecimentos específicos.

No exame objetivo será necessário julgar os itens como “certo” ou “errado”. A prova discursiva, por sua vez, será uma redação de texto dissertativo, de até 30 linhas, abordando tema dos conhecimentos básicos definidos no edital.

Já na prova de títulos, os candidatos receberão pontos por documentos que comprovem especialização acadêmica e experiência profissional.

Banco de reserva zerado

Em novembro de 2021, foi assinado o decreto de nomeação de 337 professores efetivos para a Secretaria de Educação e zerou o cadastro de reserva. Desde 2019, no total, já foram empossados 3.538 profissionais da educação.

*Com informações da Secretaria de Educação 

Ver mais

Brasília

Entregue mais um trecho duplicado da DF-140

Publicado

dia

Por

A rodovia tem 14,8 km e atende, diariamente, a mais de 15 mil pessoas da capital e do entorno que transitam pela região

Mais um trecho da duplicação da DF 140, que liga a Região Administrativa de São Sebastião ao Jardim ABC foi inaugurado nesta quinta-feira (30). A parte entregue tem 3,4 km e a extensão total da rodovia é de 14,8 km. De acordo com o presidente do Departamento de Estradas de Rodagem do DF, Fauzi Nacfur, mais de 15 mil pessoas serão beneficiadas com a duplicação. “A conclusão desses 3,4 km servirá para salvar vidas”, destacou o presidente do DER.

Com a entrega de mais um trecho da DF-140 duplicado, o governador Ibaneis Rocha assinou a ordem de serviço para o início das obras da construção da ponte sobre o Ribeirão Santana, que vai permitir a conclusão de outro trecho de 5 km | Foto: Renato Alves / Agência Brasília

“Com a conclusão desses 3,4 km e de 1 km que foi liberado anteriormente, temos quase cinco quilômetros da via duplicada. Isso significa a redução de mortes e conforto para os usuários”, explicou Fauzi Nacfur.

“Estamos liberando por trechos, à medida que ficam prontos, porque vai aliviando o trânsito na região, que é muito perigoso, principalmente no período noturno”Governador Ibaneis Rocha

Para dar prosseguimento à duplicação da DF 140, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, assinou a ordem de serviço para o início das obras da construção da ponte sobre o Ribeirão Santana. O governador destacou que os trechos estão sendo liberados à medida que as obras de duplicação terminam. Isto acontece devido à urgência de garantir segurança e qualidade de vida aos usuários.

“Estamos liberando por trechos, à medida que ficam prontos, porque vai aliviando o trânsito na região, que é muito perigoso, principalmente no período noturno”, explicou o governador. Ibaneis Rocha informou que a próxima etapa será a construção da ponte sobre o Ribeirão Santana, que possibilitará a entrega de mais cinco quilômetros.

O administrador de São Sebastião, Ataliba Rodrigues, lembrou que além da sua região e de municípios goianos do entorno, a RA do Jardim Botânico também será beneficiada com a duplicação da DF-140. “Essa é uma rodovia prioritária para São Sebastião, Jardim Botânico e cidades limítrofes”, previu Rodrigues.

O prefeito da Cidade Ocidental, Fábio Correia, disse que a duplicação muda tudo para as mais de 500 mil pessoas que moram no DF e no entorno e que usam a DF-140. “Se a palavra-chave é mobilidade, isso que está sendo feito é mobilidade. A duplicação faz com que as pessoas cheguem mais rápido aos seus destinos e cria um elo de desenvolvimento em uma região que é uma das mais prósperas do DF, destacou o prefeito.”

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?