Nossa rede

Brasília

Ministério da Saúde começa a receber mais vacinas nesta terça

Publicado

dia

Ministério terá à disposição 4,7 milhões de doses previstas para o cronograma de fevereiro do Programa de Imunização. Butantan calcula repassar 2,7 milhões até o fim do mês. Outros 2 milhões, mas com o selo da Oxford/AstraZeneca, chegam prontas da Índia

(crédito: Claudio Cruz/AFP)

A partir de hoje, o Ministério da Saúde começa a receber as 4,7 milhões de doses de vacinas previstas para dar continuidade ao Programa Nacional de Imunização (PNI), conforme o cronograma estabelecido para fevereiro. O Instituto Butantan planeja entregar, por dia, uma média de 426 mil doses, totalizando 2,7 milhões de unidades da CoronaVac até o final do mês. Outras 2 milhões de doses do imunizante Oxford/AstraZeneca chegam prontas da Índia, ainda hoje, mas precisam passar por checagem e rotulagem pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) antes de serem despachados para as unidades da Federação.

Com isso, a estimativa é de que as primeiras remessas cheguem aos estados e ao Distrito Federal a partir de amanhã. Assim como já ocorria no caso da Oxford, a orientação do Ministério da Saúde, a partir desta nova distribuição, é de que os gestores locais passem a não fazer mais estoques da CoronaVac para assegurar a segunda dose, que ocorre no intervalo de quatro semanas. Isso porque, conforme o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, garantiu na semana passada, a chegada do ingrediente farmacêutico ativo (IFA) assegura o fluxo de produção, não sendo mais necessária estocar por segurança.

Mas, para cumprir com a determinação, os prefeitos aguardam a oficialização da mudança, anunciada na última reunião de Pazuello com a Frente Nacional dos Prefeitos (FNP).

Antes do fim de fevereiro, a Fiocruz espera a chegada de mais dois lotes de IFA para produção de cerca de 12 milhões de doses da vacina de Oxford. Em relação aos fármacos prontos, o Brasil deve receber um total de 10 milhões de doses, além dos dois milhões entregues ao PNI em 24 de janeiro. “O restante de oito milhões de doses será importado ao longo dos próximos dois meses, em cronograma ainda a confirmar”, informou a Fiocruz.

Já no caso das vacinas da Pfizer e da Janssen, o ministério está com negociações emperradas sob a alegação de “falta de flexibilidade” dos laboratórios. A pasta aguarda esta semana uma orientação do Palácio do Planalto para prosseguir com as tratativas, pois, segundo o secretário-executivo da pasta, Elcio Franco, “as duas empresas fazem exigências que prejudicam os interesses do Brasil”.

O impasse é relativo a garantias de pagamento e da isenção das empresas da responsabilidade por eventuais efeitos graves que as vacinas possam causar. A Pfizer ressaltou necessidade de alterações legislativas para haver consenso com o governo e, por isso, representantes da farmacêutica se reuniram ontem com parlamentares, entre eles, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para tratar do assunto.

Nova investigação

A Procuradoria da República no Distrito Federal (PRDF) instaurou, ontem, um inquérito civil para investigar supostos atos de improbidade administrativa de Pazuello –– que é alvo de uma investigação, autorizada pelo Supremo Tribunal Federal, que apura a atuação dele e da pasta na crise de oxigênio, no começo de janeiro, em Manaus. Há, também, a possibilidade de o Congresso criar uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar a condução que o general faz do ministério.

A PRDF vai apurar se houve utilização de recursos públicos para comprar e recomendar medicamentos sem eficácia comprovada contra a covid-19, inclusive por meio da plataforma TrateCov. Também levantará se houve omissão na aquisição de vacinas, além de buscar detalhes sobre a baixa execução orçamentária em ações de ajuda a estados e municípios contra a crise sanitária. (*Estagiários sob a supervisão de Fabio Grecchi)

Chanceler critica fechamento na ONU

Durante a participação no 46º encontro anual do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, criticou as medidas de lockdown adotadas durante a pandemia do novo coronavírus. A ministra da Família, da Mulher e dos Direitos Humanos, Damares Alves, também representou o país no encontro e ressaltou as ações do governo federal no enfrentamento da covid-19. As falas dos dois ministros causaram polêmica, sobretudo a do chanceler que disse que “sociedades inteiras estão se habituando à ideia de que é preciso sacrificar a liberdade em nome da saúde” e que “não se pode aceitar um lockdown no espírito humano”. A medida foi adotada em diversos países como contenção da covid-19.

Cidades voltam a recorrer ao lockdown
A crescente pressão da covid-19 sobre os leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) levou gestores a retornarem com medidas rígidas de controle, como lockdown em Araraquara (SP). Ontem, o estado de São Paulo registrou o maior número de pessoas internadas em UTIs direcionadas ao atendimento de covid-19, desde o início da pandemia. Estavam ocupados 6.410 leitos, superando o recorde de 6.257 vagas preenchidas, em julho de 2020.

Esse aumento, segundo o secretário de Saúde do estado, Jean Gorinchteyn, reforça a alta circulação do vírus na região, “impactando no número de pessoas doentes e, consequentemente, doentes graves que merecem acolhimento na UTI”. O fechamento da semana epidemiológica 8 também demonstrou um incremento de 5,6% no número de internações, no comparativo entre as semanas anteriores.

O coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, João Gabbardo, destacou que a característica dos aumentos nas ocupações atuais podem ser explicadas pela maior gravidade da doença nos assistidos. No estado, foi identificada a circulação de 25 cepas do novo coronavírus, nove delas variantes da linhagem P.1, detectada, inicialmente, em Manaus.

Toque de recolher
Em Salvador, o prefeito Bruno Reis anunciou medidas complementares ao novo toque de recolher determinado pelo governador Rui Costa, ontem. Pelos próximos sete dias, contados a partir de hoje, todos os campos e quadras da cidade serão fechados e a iluminação desses locais será retirada para que não possam ser utilizados e ferir a determinação da prefeitura. Já praias e clubes sociais voltarão a ser fechados, mas a partir de amanhã e também por sete dias.

Segundo Bruno Reis, a cidade sofre com a elevação no número de casos e internações –– resultado, sobretudo, das festas e aglomerações clandestinas durante o carnaval. Na última sexta-feira (19), 10 leitos de UTI foram abertos na tenda de apoio à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro de Valéria, e estão todos ocupados.

Outra cidade a adotar a medidas restritivas é Uberlândia, no Triângulo Mineiro, que terá toque de recolher e lei seca a partir de hoje. As medidas foram anunciadas, ontem, pelo prefeito Odelmo Leão (PP), e serão publicadas no Diário Oficial do Município.

Conforme anunciou, Uberlândia será fechada das 20h às 5h e só estará permitido o funcionamento de hospitais e farmácias durante o período. Nem o transporte público funcionará nesse horário e, por causa disso, o comércio fechará mais cedo para que os trabalhadores do setor possam ir para casa. Odelmo anunciou, ainda, a abertura de um hospital de campanha, com 108 leitos dentro do hospital municipal. (BL com colaboração de Fabio Grecchi)

 

Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Comentar

Brasília

Fim do trânsito parado para mais de 70 mil motoristas de Sobradinho

Publicado

dia

Por

Com investimento superior a R$ 33 milhões, obra gera 100 empregos e visa acabar com congestionamentos para quem circula diariamente na região

A construção do viaduto de Sobradinho segue em ritmo acelerado para realizar o sonho de mais de 70 mil motoristas que circulam diariamente pela região. Moradores de localidades mais ao norte da região administrativa que acessam a cidade e o Plano Piloto pela BR-020 – como os de alguns condomínios, Planaltina, Arapoanga e até da cidade goiana de Formosa – contam os dias para ver o trânsito fluir melhor.

Obra do viaduto de Sobradinho tem investimento superior a R$ 33 milhões para desafogar o trânsito na região | Fotos: Renato Araújo/Agência Brasília

A obra teve início em fevereiro, com investimento de mais de R$ 33 milhões, e está com 5% de execução. Atualmente, a iniciativa gera 100 empregos diretos e indiretos. De acordo com a Administração Regional de Sobradinho, desde o início da gestão do governador Ibaneis Rocha, já foram investidos R$ 40 milhões na cidade.

O diretor do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Fauzi Nacfur Júnior, afirmou que o grande benefício dessa obra será o fim do estrangulamento do trânsito na região. “Quem vem da parte norte terá um grande ganho de tempo de deslocamento. Hoje algumas dessas chegam a ficar 40 minutos em engarrafamentos”, destacou. Segundo o gestor, entre 70 mil e 80 mil veículos trafegam diariamente pelo local.

“Antes era ruim mais em cima, mas o complexo viário acabou com o engarrafamento. Hoje o engarrafamento acontece próximo à entrada de Sobradinho”, diz a estudante Maria Eugênia, que espera um impacto positivo com o viaduto

“Essa obra beneficiará muito os moradores de Planaltina que precisam se deslocar diariamente para o Plano Piloto para trabalho ou estudo. Com a construção do viaduto, aumentará a segurança nas vias e a fluidez do trânsito. É um pedido antigo e muito esperado por toda a população de Sobradinho e Planaltina”, disse o administrador de Planaltina, Célio Rodrigues.

Moradora do Jardim, Roriz Cleide Lima, 56 anos, reforçou a dificuldade de quem transita pela região. “Essa demora para se deslocar e chegar ao trabalho e a outros compromissos acaba gerando ansiedade nas pessoas, e a ansiedade é um grande problema do mundo atual”, disse.

A estudante de serviço social da Universidade de Brasília (UnB) Maria Eugênia Ferreira, 22, que vive em um condomínio próximo a Sobradinho, também tem boas expectativas quanto à conclusão da obra. “Antes era ruim mais em cima, mas o complexo viário acabou com o engarrafamento. Hoje o engarrafamento acontece próximo à entrada de Sobradinho. Espero que o viaduto melhore isso”, diz a estudante.

Ver mais

Brasília

Últimos dias para se inscrever em concurso da Secretaria de Saúde

Publicado

dia

Por

Certame vai selecionar 381 profissionais, entre médicos, enfermeiros e dentistas; inscrições podem ser feitas até segunda-feira (23)

Atenção, médicos, enfermeiros e cirurgiões-dentistas! O prazo de inscrição para o concurso da Secretaria de Saúde, que vai selecionar profissionais dessas categorias, está chegando ao fim. Os interessados têm até a segunda-feira (23) para participarem.

A prova objetiva está marcada para 26 de junho. O resultado final será divulgado em 1º de setembro

As inscrições podem ser feitas no site do Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), banca responsável pelo certame. São 381 vagas, sendo 230 para médicos, 101 para enfermeiros e 50 para cirurgiões-dentistas. Haverá também formação de cadastro reserva.

A remuneração inicial da carreira médica é de R$ 12.654 para médico da família e comunidade, com carga horária de 40 horas por semana. No caso das demais especialidades, são 20 horas semanais e salário de R$ 6.327. Cirurgiões-dentistas e enfermeiros terão carga horária de 20 horas por semana e salário de R$ 4.250 e R$ 3.055, respectivamente.

A prova objetiva está marcada para 26 de junho. Serão 100 questões, sendo 15 de língua portuguesa, 15 de legislação específica, 10 de legislação geral, 10 sobre o plano distrital de política para mulheres, 10 de conhecimentos sobre o Distrito Federal, e 40 de conhecimentos específicos. O resultado final será divulgado em 1º de setembro.

O subsecretário de Gestão de Pessoas da Secretaria de Saúde, Evillásio Ramos, destaca que esse concurso “representa a valorização dos serviços públicos e o fortalecimento das equipes que atuam na linha de frente”.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Ver mais

Brasília

Mutirão leva energia a 420 famílias da comunidade de Água Quente

Publicado

dia

Por

Primeira ação na localidade, no Recanto das Emas, vai oferecer serviços técnicos e comerciais, iniciando a regularização do fornecimento em mais de 1,9 mil moradias

O Energia Cidadã da Neoenergia Brasília visa estimular o desenvolvimento econômico, social e ambiental da população, culminando, das 9h às 13h, com amplo mutirão realizado neste sábado na região (21)| Fotos: Paulo H Carvalho / Agência Brasília

É batata. Choveu e os moradores do Setor Habitacional Água Quente, no Recanto das Emas, ficam sem luz. E, ultimamente, nem anda precisando da atuação de São Pedro para a rede, então improvisada, cair na região. O que dizer desse benefício básico em tempo de inverno brasiliense? Pois bem, agora essa rotina de desconforto e incertezas vai acabar com a regularização, neste primeiro mutirão, do fornecimento de energia para 420 famílias locais. No total, com a realização de mais três mutirões como o deste sábado, mais de 1,9 mil moradias terão o fornecimento regularizado na região.

“Ninguém merece ficar sem água quente neste período de frio lascado, né?”, pondera a moradora da Quadra 13, Catilene Aquino dos Santos, 39. “Com a legalização da energia, vamos ter que pagar, claro, mas vai ficar bom para todo mundo. Não é só pelo conforto, mas pela segurança também”, comenta a dona de casa, Ranilde Assunção, 48.

“Essa parceria com a Neoenergia, junto com as administrações regionais e a Segov, é de inclusão social, é a cidadania chegando na porta do cidadão que vai poder ter a conta de luz no nome dele, energia de qualidade, sem precisar usar as alternativas não consideradas legais”José Humberto, secretário de Governo

Aliado ao Programa Energia Legal do GDF, o Energia Cidadã da Neoenergia Brasília visa estimular o desenvolvimento econômico, social e ambiental da população, culminando, das 9h às 13h, com amplo mutirão realizado neste sábado na região (21). Na ocasião, vários benefícios técnicos e comerciais serão ofertados aos moradores do local. Entre eles estão a regularização de clientes, troca de lâmpadas convencionais por modelos LED, parcelamento de débitos, cadastro na Tarifa Social de Energia Elétrica. A criançada vai aproveitar o encontro, já que a concessionária montará uma área com cama elástica, algodão-doce e pipoca.

Uma tenda montada no local irá orientar a população sobre como utilizar racionalmente os equipamentos elétricos e, assim, economizar energia. O trabalho em Água Quente começou na última segunda-feira (16) e, ao longo de toda a semana, a concessionária realizou as primeiras ligações regulares de energia elétrica para as famílias do local. Uma das moradias beneficiadas nesta primeira etapa da ação foi a da jovem dona-de-casa, Daiane Aparecida Rodrigues, 25 anos, mãe de duas crianças pequenas.

“A gente que tem filho pequeno não pode ficar sem energia em casa e aqui, como era improvisada, caia bastante, era muito ruim”, conta ela. “Com energia garantida vamos ficar mais tranquilo agora”, torce.

Para o secretário de Governo, José Humberto, essa parceria do GDF com a Neoenergia para fornecer energia regular de qualidade e com confiabilidade para a população do Distrito Federal é essencial. “Essa parceria com a Neoenergia, junto com as administrações regionais e a Segov, é de inclusão social, é a cidadania chegando na porta do cidadão que vai poder ter a conta de luz no nome dele, energia de qualidade, sem precisar usar as alternativas não consideradas legais”, destaca o gestor. “A distribuidora regularizou a energia para mais de 28 mil famílias no último ano, levando desenvolvimento econômico, social e dignidade para essa parcela da população”, explica o diretor-presidente da Neoenergia Brasília, Frederico Candian.

Ver mais

Brasília

Escola de Sobradinho terá vacinação contra a covid neste sábado (21)

Publicado

dia

Por

A ação acontecerá das 9h às 17h, na EC 01. O público-alvo são as crianças de 5 a 11 anos. Desde o início da iniciativa, em março, cerca de 170 mil foram vacinadas

Neste sábado (21), a vacinação itinerante contra a covid-19 nas unidades escolares da rede pública do Distrito Federal ocorrerá na Escola Classe 01 de Sobradinho, das 9h às 17h. O público-alvo são as crianças de 5 a 11 anos de idade, mas a imunização da primeira, segunda ou terceira dose será aberta a todos os demais estudantes da rede pública e à comunidade em geral.

A região administrativa de Sobradinho possui, aproximadamente, 25 mil estudantes matriculados na rede pública. O objetivo da ação no ambiente escolar é ampliar o número de crianças vacinadas na faixa etária de 5 a 11 anos. Desde o início da iniciativa, em 19 de março, foram imunizadas cerca de 170 mil crianças. A previsão é que a vacinação nas escolas seja realizada até junho.

Desde o início da ação, em março, foram vacinadas cerca de 170 mil crianças | Foto: Álvaro Henrique/SEEDF

Ainda que a campanha de vacinação contra a covid-19 continue nos postos de saúde do Distrito Federal, a secretária de Educação do DF, Hélvia Paranaguá, indica que a parceria com a Secretaria de Saúde traz mais uma opção de local para os pais imunizarem os filhos. “Essa é mais uma opção que o governo abre na campanha de vacinação contra a covid-19. É um incentivo para que aqueles pais que trabalham a semana inteira possam levar aos sábados os filhos para serem vacinados”, destaca.

Segundo a Secretaria de Saúde, 136.183 crianças residentes no DF ainda não receberam a primeira dose contra a covid-19.

O secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, ressalta que a vacinação dentro das escolas é mais uma oportunidade de aumentar o número de vacinados. “É um esforço que estamos fazendo e acredito que nossos objetivos serão alcançados em parceria com a Secretaria de Educação”, afirma.

No último fim de semana, a vacinação aconteceu na Escola Classe 38, no P Norte, em Ceilândia, e no Centro de Ensino Médio Urso Branco, no Núcleo Bandeirante. Na ocasião foram aplicadas 624 doses. A unidade de Ceilândia ofereceu vacinas contra a covid-19 e a influenza; no colégio do Bandeirante havia imunização contra o novo coronavírus.

*Com informações da Secretaria de Educação

Ver mais

Brasília

Campanha arrecada cobertores e agasalhos para população carente

Publicado

dia

Por

Doações podem ser feitas em todos os batalhões da Polícia Militar e unidades administrativas da corporação espalhadas pelo Distrito Federal

Diante de um inverno que promete ser rigoroso – com temperaturas abaixo dos 5°C no Distrito Federal -, a Polícia Militar (PMDF) está aberta para receber doações e aquecer quem mais precisa. A corporação iniciou, no último dia 19, a Campanha do Agasalho, com o objetivo de arrecadar cobertores e roupas de frio, como casacos, calças e luvas. As doações podem ser feitas em todos os batalhões e unidades administrativas da polícia espalhadas pela capital.

“Algumas unidades já recebiam isoladamente, faziam as entregas. Mas, a partir do ano em que se iniciou a pandemia, resolvemos unificar a campanha, disponibilizar todos os batalhões da PM e estabelecer uma data”Wellington Oliveira, subtenente da Polícia Militar

O montante arrecadado pela PM é entregue para instituições sociais selecionadas pelo comando dos batalhões e, em algumas regiões, também para pessoas em situação de rua. “Acreditamos que os policiais que trabalham nas cidades ou nos bairros conhecem as entidades que estão mais próximas da população carente e os líderes comunitários”, explica o subtenente Wellington Oliveira, um dos coordenadores da campanha. Segundo ele, aproximadamente 3 mil pessoas são beneficiadas todo ano com as doações.

Instituição de caridade situada no Sol Nascente/Pôr do Sol, a ONG Vida é uma das que receberá os donativos pela terceira vez. A associação atende cerca de 500 famílias locais e de cidades como Ceilândia e Águas Lindas (GO). Para a presidente da ONG, Celma Pedro, a ação dos policiais faz “toda a diferença” em tempos difíceis. “Aqui no Sol Nascente, moramos próximo aos córregos, perto da nascente do rio. E, no inverno, o frio vem dobrado”, comenta. “Precisamos cuidar dos mais necessitados”, diz.

Segundo a PMDF, cerca de 3 mil pessoas são beneficiadas anualmente com as doações | Foto: Divulgação/PMDF

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em localidades como a Rodoviária do Plano Piloto, por exemplo, pessoas desabrigadas recebem diretamente o agasalho ou cobertor. A iniciativa já acontece há mais de 20 anos, mas agora a corporação decidiu unificar a ação solidária. “Algumas unidades já recebiam isoladamente, faziam as entregas. Mas, a partir do ano em que se iniciou a pandemia, resolvemos unificar a campanha, disponibilizar todos os batalhões da PM e estabelecer uma data”, explica o subtenente.

As doações podem ser feitas até o dia 17 de junho. Conforme a arrecadação, os policiais já deslocam uma equipe para fazer a entrega às casas de caridade. Segundo o subtenente Wellington, a iniciativa é importante também para a corporação. “Esse contato próximo com a sociedade é essencial. E para que percebam que, por trás da farda de polícia, tem um ser humano que pensa no próximo”, pontua.

Mais órgãos envolvidos na ação solidária

Além da PM, todos os 12 Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) e os dois Centros Pop, na Asa Sul e em Taguatinga, já estão arrecadando itens de proteção contra o frio. A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros vão receber doações a partir de segunda-feira (23), quando se inicia a campanha Agasalho Solidário 2022.

Ver mais

Brasília

Ibaneis é o governador mais econômico do Brasil

Publicado

dia

Governador não faz uso de carro oficial, de residência oficial e abre mão de salário

No ano de 2018, ainda em campanha, Ibaneis Rocha (MDB) disse que se eleito fosse, abriria mão de salário de governador, da residência oficial e de carros oficiais. “Eu fui presidente da Ordem e acabei com todos os carros de representação e também sem receber nada, então vou mostrar que é possível fazer política com honestidade”, pontuou.

Desse modo, Ibaneis honrou com sua palavra e agora como governador, abre, verdadeiramente, mão dos benefícios. O emedebista faz uso de seu carro, , mora em sua casa no Lago Sul e o seu salário é destinado para entidades filantrópicas.

Eliane Silva é moradora do DF e se surpreende com a iniciativa do governador, por nunca ter visto algo semelhante antes. “A atitude é inovadora, porque eu nunca vi alguém fazer algo desse modo em 31 anos de vida que tenho. É um gesto realmente lindo”, diz.

Nesse sentido, se torna claro que a missão do chefe do executivo local é apenas transformar a vida daqueles que moram no DF, por meio de quase 2.000 obras que impactam positivamente dia após dia na vida da população, em todos os setores, além dos programas sociais, como Cartão Prato Cheio, Cartão Material Escolar e Cartão Gás, que já beneficiaram mais de 700 mil famílias, ao invés de ostentar por meio da sociedade pagando. Com isso, há uma economia muito grande nos cofres públicos.

 

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?