Nossa rede

É Destaque

Ibaneis decreta fechamento da Esplanada por risco de ‘agravos à saúde pública’ em manifestações neste domingo

Publicado

dia

Texto prevê que protestos poderão ser realizados, desde que comunicados com antecedência e autorizados. Medida restringe acesso de veículos e pedestres no local apenas a autoridades e servidores identificados.

Esplanada dos Ministérios, em Brasília — Foto: TV Globo/Reprodução

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) decretou o fechamento da Esplanada dos Ministérios da meia-noite até as 23h59 de domingo (14). No texto, o chefe do Executivo local cita “ameaças declaradas por alguns manifestantes” e a “demanda urgente” de “contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública”.

A norma foi publicada em edição extra do Diário Oficial do DF na noite deste sábado (13), no mesmo dia em que a Secretaria de Segurança Pública (SSP) e o DF Legal, órgão de fiscalização na capital, realizaram desmobilização do acampamento de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na Esplanada (saiba mais abaixo).

O texto prevê que manifestações poderão ser realizadas, “desde que comunicadas com antecedência e devidamente autorizadas pelo Secretário de Segurança do Distrito Federal”.

O decreto restringe o acesso de veículos e pedestres na Esplanada apenas a autoridades e servidores identificados “e que estejam em serviço”. A medida estabelece que o Departamento de Trânsito (Detran-DF) e o Departamento de Estradas e Rodagem (DER) fiquem responsáveis pela organização e fiscalização do trânsito.

Desmobilização

Acampamento de apoiadores de Jair Bolsonaro em Brasília — Foto: Afonso Ferreira/G1

Acampamento de apoiadores de Jair Bolsonaro em Brasília — Foto: Afonso Ferreira/G1

Grupos acampados na Esplanada dos Ministérios deste 1º de maio foram retirados do local entre esta sexta (12) e sábado em operação da SSP e DF Legal, com apoio da Polícia Militar.

Em nota conjunta, as pastas informaram que os acampamentos foram desmobilizados após “diversas tentativas de negociação para a desocupação da área”. As pastas afirmam que “os manifestantes ocupavam área pública, o que não é permitido” além de descumprir decreto que impede aglomerações.

Ainda neste sábado, integrantes do acampamento denominado ‘300 do Brasil’, tentaram invadir o Congresso Nacional, em reação à operação que determinou a saída dos militantes do espaço público. Nas redes sociais, integrantes anunciavam resistência contra a medida do GDF.

O decreto publicado neste sábado faz menção a “aglomerações verificadas nos últimos dias na Esplanada dos Ministérios, que contrariam as medidas sanitárias de combate ao novo coronavírus”. A área, que concentra os prédios públicos dos Três Poderes, recebeu, nas últimas semanas, manifestações favoráveis e contrárias ao governo de Bolsonaro.

Decreto proíbe aglomeração

Desde 19 de março está em vigor no Distrito Federal norma que proíbe eventos abertos sem a autorização do Executivo. Naqueles permitidos, recomenda-se a distância mínima de um metro entre as pessoas.

Outra medida sanitária decretada na capital é o uso obrigatório de máscara de proteção facial em espaços públicos. A multa prevista para descumprimento é de R$ 2 mil ao cidadão. Além disso, a pessoa que desobedece a norma também pode responder pelo crime de infração de medida sanitária.

Há duas semanas, no dia 31 de maio, um protesto em defesa de medidas inconstitucionais e antidemocráticas, como o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF), além de uma intervenção militar, aglomerou manifestantes na Esplanada. O presidente Jair Bolsonaro participou do ato, sem usar máscara.

O GDF questionado sobre as medidas tomadas pelo cumprimento dos decretos em vigor,  a SSP informou que “monitora atos públicos de toda e qualquer natureza, respeitados os limites constitucionais” e que “realizar manifestação é um direito fundamental expresso no inciso XVI, do Artº 5, da Constituição Federal”.

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

É Destaque

GDF Presente repara estacionamento comercial em Sobradinho II

Publicado

dia

Trabalhos antecedem retorno de atividades de salões de beleza e academias

 

Onde estacionar era a pergunta mais frequente de comerciantes e frequentadores do comércio da DF 420, em Sobradinho II, na altura do condomínio Serra Azul. Eles reclamavam do estado de conservação dos bolsões de estacionamentos da rua, que passa no meio da cidade, tem inúmeras lojas e é uma região comercial muito frequentada pelos moradores.

Nesta segunda-feira (6), porém, as equipes do Polo Norte realizaram reparos nos três bolsões de estacionamento da área comercial que são pavimentados com asfalto de má qualidade e estavam cheio de buracos.

Dono de uma barbearia na região, Josenilton Cunha, 35 anos, contou que os clientes reclamavam que não conseguiam encontrar uma vaga no comércio, o que influenciava no movimento da loja. “Até fiquei surpreso quando vi o pessoal trabalhando. A melhoria vem em boa hora, estamos nos preparando para retomar as atividades”, disse Josenilton.

Os trabalhos do polo em Sobradinho II serão finalizados nesta terça-feira (7), quando as equipes seguem para a Fercal.

Mobilidade aos moradores rurais

Nesta semana, o Polo Oeste inicia os trabalhos em Brazlândia levando uma série de benfeitorias para a cidade. Além de limpeza das ruas, recolhimento de galhos e inservíveis, a agenda de ações inclui a recuperação de estradas rurais da região. As máquinas patrolaram as vias de terra do Núcleo Rural Radiobrás, do Rodeador e da DF-435 que estavam em péssimas condições. As últimas chuvas, que foram abundantes, causaram várias erosões que dificultavam a passagem de veículos. Segundo a Administração de Brazlândia, a manutenção foi feita em uma extensão de cinco quilômetros.

Vias esburacadas

Os moradores da área urbana também são beneficiados pelo GDF Presente. As operações de tapa buracos continuam sendo feitas por todo o Distrito Federal. No Setor de Oficinas Norte foi preciso oito toneladas de massa asfáltica para deixar as vias sem buracos. Já no Gama, as equipes trabalharam nas quadras 10 do Setor Sul e 10 do Setor Oeste com dois caminhões, atendendo a uma reivindicação dos moradores. Um total de 17,5 toneladas de massa asfáltica foi usada só nas ações desta segunda-feira (6). “Enquanto o GDF Presente está na cidade estamos fazendo tapa-buracos todo dia”, ressalta a administradora, Joseane Monteiro.

Nesta terça-feira (7), os funcionários da administração, em parceria com a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), vão começar a revitalização do Parque Vivencial do Gama. A pista que passa dentro do parque receberá tapa-buracos, as árvores serão podadas, a grama roçada, a pista de cooper e o campo de futebol serão iluminadas e os meios-fios pintados. Os trabalhos devem demorar 20 dias para serem concluídos.

Limpeza na Feira dos Importados

O GDF Presente fez uma grande operação de limpeza e manutenção na Feira dos Importados, no Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA) nesta segunda-feira (6). Ao todo, duas caçambas de caminhão ficaram cheias de entulho, retirado dos arredores da feira. Além disso, a equipe do programa, em conjunto com a administração regional, lavou o sistema de águas pluviais do local para evitar alagamentos.

A administradora do SIA, Luana Machado, afirmou que o reforço do GDF Presente é muito importante nas ações. “A nossa equipe faz um mapeamento das localidades que apresentam mais problemas”, disse. “As obras ajudam a causar menos transtornos para a população, principalmente em épocas de chuva”.

Presidente da Feira dos Importados, Damião Leite Soares, elogia o trabalho. “Quanto a limpeza não tenho do que reclamar. Toda segunda-feira limpam os arredores da feira”, diz. Para ele, o local limpo melhora a aparência da feira, aumenta o fluxo de clientes e melhora o dia-a-dia dos feirantes.

O Polo Central Adjacente I continua o trabalho de limpeza dos arredores da Unidade Básica de Saúde (UBS) da Vila Planalto. Dois caminhões de pneus-velhos e quatro de lixo e entulho foram retirados do local. A área de atendimento da tenda que dá apoio à UBS e atende casos suspeitos de Covid-19 foi varrida e lavada, assim como o estacionamento da UBS.

Ver mais

É Destaque

Saúde recebe 30 respiradores do governo federal

Publicado

dia

Os aparelhos serão distribuídos para cinco hospitais da rede pública

 

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal ganhou mais 30 respiradores (ventiladores pulmonares) para reforçar a estrutura dos hospitais públicos do Distrito Federal e ampliar a capacidade de atendimento da rede. O repasse foi feito nesta segunda-feira (6) pelo Ministério da Saúde e beneficiará cinco unidades hospitalares.

Os aparelhos são essenciais para o tratamento de pacientes com a Covid-19, uma vez que realizam a função que deveria ser feita pelos pulmões.

Em junho, a Secretaria de Saúde recebeu 200 respiradores do Ministério da Saúde só para atender aos casos graves de Covid-19. Os equipamentos foram distribuídos em 13 hospitais públicos e já estão ajudando pacientes acometidos pela doença.

“Novamente, o governo federal e o ministro Eduardo Pazuello reforçam a saúde pública do Distrito Federal com mais essa entrega. Essa aquisição será de extrema importância para enfrentar o pico da pandemia e garantir um atendimento de qualidade à população”, afirmou o secretário de Saúde, Francisco Araújo.

Os equipamentos entregues pelo Ministério da Saúde costumam ser divididos entre os modelos mecânico ou de transporte e emergência. Desta vez, todos os 30 ofertados são mecânicos.

A distribuição

Hospital de Base (HB) – 10

Hospital Regional de Samambaia (HRSam) – 7

Hospital Regional de Taguatinga (HRT) – 6

Hospital Regional da Asa Norte (Hran) – 6

Hospital Regional do Guará (HRGu) – 1

Ver mais

É Destaque

Bolsonaro sonda Major Vitor Hugo para Ministério da Educação

Publicado

dia

Apesar de criticado pelos parlamentares, Vitor Hugo se mostra na Câmara um homem de confiança do governo e cumpridor de tarefas

Major Vitor Hugo: deputado é o líder do governo na Câmara (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O líder do governo na Câmara, deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO) entrou na lista de cotados para assumir o Ministério da Educação (MEC). O parlamentar recebeu no domingo ligação do presidente Jair Bolsonaro para sondar a possibilidade. Na segunda-feira, 6, os dois tiveram um almoço, fora da agenda, no Palácio do Planalto, em que discutiram a educação do País.

Entre os assuntos, falaram sobre educação básica e profissionalizante, temas que Bolsonaro quer atenção especial. O presidente não quer abrir mão das pautas ideológicas para o País mas tem ressaltado que essa bandeira não precisa ser algo beligerante, como era tratado pelo ex-ministro Abraham Weintraub.

Apesar de criticado pelos parlamentares, Vitor Hugo se mostra na Câmara um homem de confiança do governo e cumpridor de tarefas. Além disso, o deputado informa ter mestrado e é sempre elogiado por Bolsonaro, por ter sido o 1º colocado em sua turma na formação militar.

Major do Exército, Vitor Hugo é mestre em operações militares pela Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais e é formado em Ciências Militares pela Academia Militar das Agulhas Negras e em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade Nacional de Direito, da Universidade Federal do Rio, entre outros títulos. Bolsonaro disse a interlocutores que vai sentir a receptividade do nome de Vitor Hugo para o MEC entre os apoiadores.

Até agora, a resistência tem partido de dentro do governo. O fato de o deputado não ser general, a patente mais alta, tem gerado resistência da ala militar, que queria alguém mais velho. Vitor Hugo tem 43 anos.

O MEC está sem titular desde a saída de Weintraub, no último dia 18, após o governo ser pressionado a fazer um gesto de trégua ao Supremo Tribunal Federal (STF). O ex-ministro chamou integrantes da Corte de “vagabundos” em reunião ministerial. Bolsonaro chegou a escolher o professor Carlos Alberto Decotelli para a pasta. O governo, porém, pediu que ele deixasse o cargo após questionamentos a seu currículo.

No domingo, o secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, avisou que não vai ser ministro após convite de Bolsonaro. Conforme o jornal O Estado de S. Paulo revelou, o presidente foi pressionado pela ala ideológica do governo e por militares para não colocar Feder no comando do MEC.

Encontro

Antes do almoço com Vitor Hugo, Bolsonaro recebeu pela manhã Aristides Cimadon, reitor da Universidade do Oeste de Santa Catarina. O encontro não foi registrado na agenda oficial, mas confirmado por fontes do Planalto e pessoas ligadas ao reitor.

Cimadon também entrou na lista de cotados no último final de semana, com apoio do senador Jorginho Mello (PL-SC), mas saiu do gabinete presidencial sem garantia de que será o escolhido. Outros candidatos que já haviam sido sondados antes da nomeação de Decotelli, voltaram a ser considerados.

Entre eles, Marcus Vinícius Rodrigues, que presidiu o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep/MEC) , e do reitor do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Anderson Correia. Ele chefiou a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Os dois são próximos a militares e atuaram na gestão do ex-ministro Ricardo Vélez. Também seguem cotados Sérgio Sant’Ana ex-assessor de Weintraub, e Ilona Becskeházy, secretária de Educação Básica do MEC. Ela, porém, perdeu força na ala ideológica do governo, por ter atuado na campanha presidencial de Ciro Gomes (PDT).

Há ainda o evangélico Benedito Guimarães Aguiar Neto, que foi reitor da Universidade Mackenzie e hoje é presidente da Capes.

 

Ver mais

É Destaque

Caixa deposita saque emergencial do FGTS para nascidos em fevereiro

Publicado

dia

Valor será creditado nesta segunda-feira pelo banco

 

Brasília, DF, Brasil: Caixa Econômica Federal. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A Caixa inicia, nesta segunda-feira (6), o pagamento do saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), para trabalhadores nascidos em fevereiro. O novo saque tem como objetivo enfrentar o estado de calamidade pública em razão da pandemia da covid-19. No total, serão liberados, de acordo com todo o calendário, mais de R$ 37,8 bilhões, para aproximadamente 60 milhões de trabalhadores.

O pagamento do saque emergencial será realizado por meio de crédito na Conta Poupança Social Digital, aberta automaticamente pela Caixa em nome dos trabalhadores. O valor do saque emergencial é de até R$ 1.045, considerando a soma dos saldos de todas as contas ativas ou inativas com saldo no FGTS.

O pagamento será realizado conforme calendário a seguir:

Mês de nascimento Dia do crédito na conta poupança social digital data para saque em espécie
fevereiro 06 de julho 08 de agosto
março 13 de julho 22 de agosto
abril 20 de julho 05 de setembro
maio 27 de julho 19 de setembro
junho 03 de agosto 03 de outubro
julho 10 de agosto 17 de outubro
agosto 24 de agosto 17 de outubro
setembro 31 de agosto 31 de outubro
outubro 08 de setembro 31 de outubro
novembro 14 de setembro 14 de novembro
dezembro 21 de setembro 14 de novembro

O calendário foi estabelecido com base no mês de nascimento do trabalhador e contém dados que correspondem a valores de crédito na conta de armazenamento digital social, quando os recursos podem ser usados ​​em estatísticas eletrônicas, além de dados a partir de quando os recursos disponíveis estão disponíveis para saque em espécie ou transferência para outras contas.

Caso não haja movimentação na conta de economia social digital até 30 de novembro deste ano, o valor será devolvido à conta do FGTS com devida remuneração do período, sem prejuízo para o trabalhador. Se após esse prazo, o trabalhador decidir fazer a emergência, poderá solicitar pelo Aplicativo FGTS até 31 de dezembro de 2020.

A Caixa disponibiliza os seguintes canais de atendimento para informações sobre o saque emergencial do FGTS: site fgts.caixa.gov.br, Telefone 111 – opção 2, Internet Banking Caixa e APP FGTS.

Mais informações na Radioagência Nacional:

Agência Brasil

Ver mais

É Destaque

Avião dos Emirados Árabes pousa em Brasília com 10 toneladas de materiais doados para combate ao coronavírus

Publicado

dia

Ação faz parte da Operação Covid-19, coordenada pelo Ministério da Defesa. Distribuição aos estados será realizada pelo Ministério da Saúde.

Boeing 787 Dreamliner da empresa Etihad Airways pousa em Brasília com 10 toneladas de materiais de saúde doados pelos Emirados Árabes — Foto: TV Globo/Reprodução

Uma carga de 10 toneladas de materiais de saúde doados ao governo brasileiro pelos Emirados Árabes Unidos chegou em Brasília na manhã desta segunda-feira (6). Entre os insumos estão máscaras, testes rápidos para detecção da Covid-19, luvas e roupas médicas para uso no combate ao novo coronavírus.

O avião com as doações partiu de Abu Dhabi, capital do país, e pousou às 5h30 na Base Aérea de Brasília, no setor militar do Aeroporto Juscelino Kubitschek. Equipes do Ministério da Defesa ficaram responsáveis pela logística.

A ação faz parte da Operação Covid-19, do governo federal, que auxilia no transporte de insumos de saúde para todo o país. A distribuição é coordenada pelo Ministério da Saúde (saiba mais abaixo). O G1 questionou a pasta sobre o destino dos materiais, mas não obteve retorno até publicação desta reportagem.

Carga de 10 toneladas de materiais de saúde doados pelos Emirados Árabes chega em Brasília — Foto: TV Globo/Reprodução

Carga de 10 toneladas de materiais de saúde doados pelos Emirados Árabes chega em Brasília — Foto: TV Globo/Reprodução

Pandemia

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgados neste domingo (6), os Emirados Árabes registravam 50.857 casos de coronavírus e 321 mortes. O número da doença no país está crescendo. Há um mês, no dia 6 de junho, eram 37.642 infectados e 274 óbitos.

Já no Brasil, de acordo com dados levantados pelo consórcio de veículos da imprensa, o país registrava 1.604.585 casos confirmados da Covid-19 e 64.900 mortes até a noite deste domingo (6).

Operação Covid-19

De acordo com o Ministério da Defesa, em três meses de operação, a Força Aérea Brasileira (FAB), transportou 350 toneladas de materiais de saúde. Ao todo, foram 1.038 horas de voo, o suficiente para dar mais de 11 voltas ao planeta.

O Ministério da Defesa atua ainda em descontaminações de espaços públicos, sendo 2,6 mil ações desse tipo dese o início da pandemia. Além disso, a pasta afirma que entregou 570 mil kits de alimentação.

Ver mais

É Destaque

DF ultrapassa 700 mortes por Covid-19, e casos chegam a 59,8 mil; veja registros por região

Publicado

dia

Boletim desta segunda-feira (6) traz mais 16 óbitos e 2.003 novas infecções em relação à noite de domingo (5). Ocupação de UTIs da rede privada chega a 92,8%; índice em hospitais públicos é de 65,7%.

Coronavírus Sars-Cov-2 em imagem de microscópio eletrônico — Foto: NIAID-RML/Handout via Reuters

 

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal confirmou, no início da tarde desta segunda (6), mais 16 mortes pelo novo coronavírus na capital. Com isso, o número de óbitos chega a 715. Segundo a pasta, 63 vítimas moravam em outros estados, mas buscaram atendimento no DF.

O número de contaminados também aumentou e chegou a 59.857. São 2.003 a mais que o total contabilizado até a noite de domingo (5). Ceilândia é a região com a maioria dos casos, são 7.835 registros.

Conforme o painel da secretaria, às 9h35, 92,86% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) reservados para pacientes com Covid-19, em hospitais particulares do DF, estavam ocupados. Na rede pública o índice pela manhã era de 65,7% (veja detalhes abaixo).

Entre as mortes registradas no fim de semana, uma vítima estava internada no hospital de campanha instalado no Estádio Mané Garrincha. Este é o primeiro óbito no local desde a inauguração. A unidade foi criada para receber casos considerados leves.

O G1 questionou a Secretaria de Saúde sobre perfil e histórico do paciente, mas não obteve respostas até a última atualização desta reportagem.

Perfil dos infectados
Ainda segundo o painel do GDF, a maioria dos pacientes é mulher (52,3%) e tem entre 30 e 39 anos.

Casos por faixa etária:

Menor de 19 anos: 4,1 mil
20 a 29 anos: 11,8 mil
30 a 39 anos: 16,2 mil
40 a 49 anos: 13,4 mil
50 a 59 anos: 8,1 mil
Mais de 60 anos: 6,3 mil
Já conforme o boletim divulgado no domingo (5), que detalha o local de residência dos infectados, a maior parte dos casos está em Ceilândia, seguida pelo Plano Piloto e Samambaia. Veja abaixo:

Ceilândia: 7.835
Plano Piloto: 4.095
Samambaia: 4.013
Taguatinga: 3.957
Gama: 2.734
Paranoá: 2.175
Águas Claras* (Inclui Arniqueiras) 2.137
Guará: 2.119
Sobradinho I: 2.106
São Sebastião:1.899
Santa Maria: 1.868
Planaltina: 1.794
Recanto Das Emas: 1.671
Riacho Fundo I: 1.098
Itapoã: 994
Brazlândia: 782
Riacho Fundo II: 748
Sudoeste/Octogonal: 746
Vicente Pires: 741
Jardim Botânico: 730
Lago Sul: 719
Scia (Estrutural): 648
Núcleo Bandeirante: 477
Lago Norte: 464
Cruzeiro: 448
Sobradinho II: 426
Candangolândia: 398
Parkway: 326
Varjão Do Torto: 81
SIA: 60
Fercal: 34
Ocupação das UTIs no DF
Leitos de UTI no Hospital Regional de Santa Maria, no DF — Foto: Iges-DF/Divulgação
Leitos de UTI no Hospital Regional de Santa Maria, no DF — Foto: Iges-DF/Divulgação

Conforme a Sala de Situação do governo do Distrito Federal, que monitora a ocupação dos hospitais durante a pandemia, na manhã desta segunda-feira (6), 92,86% dos leitos de UTI para Covid-19, nos hospitais particulares estavam ocupados. Na rede pública, a taxa de ocupação era de 65,7% – incluindo os leitos comprados em hospitais particulares.

Na semana passada, uma decisão da Justiça do Distrito Federal determinou que o GDF divulgue os dados da Central de Regulação de leitos. A medida também impede que o governo local considere os leitos bloqueados para calcular a taxa de ocupação.

Números de leitos de UTI

  • Hospitais Privados: 229 vagas/ 208 ocupadas
  • Hospitais públicos: 580 vagas / 381 ocupadas
Ver mais

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?