Nossa rede

Aconteceu

Grã-Bretanha testa vacina contra câncer no cérebro

Publicado

dia

Começaram os testes de uma vacina que se propõe a tratar uma forma agressiva do câncer de cérebro.

O primeiro paciente europeu recebeu o tratamento no hospital King’s College, em Londres. Robert Demeger, 62, foi diagnosticado da doença neste ano.

A vacina é personalizada e foi desenvolvida para ensinar o sistema imunológico a lutar contra as células de um tumor.

O King’s College faz parte de um grupo de mais de 50 hospitais – os outros estão nos Estados Unidos – que estão testando o tratamento.

Demeger, um ator de televisão e teatro, teve que desistir de seu papel de Otelo, no aclamado Teatro Nacional, depois que começou a ter convulções.

Ele disse que chegou a ter um susbstituto, para o caso de se sentir mal no palco, mas não precisou usar esse recurso.

‘Eu fui diagnosticado com um tumor no cérebro e marcaram uma cirurgia em uma questão de dias’.

Porém, antes de sua operação ele foi convidado para ser o primeiro paciente na Europa a participar do experimento internacional.

Cirurgiões removeram o máximo possível de seu tumor – que foi depois levado a um laboratório onde foi incumbado com células dendríticas (células imunológicas tiradas de seu sangue).

O objetivo foi ensinar as células a reconhecer o tumor. A vacina personalizada que resultou do processo foi injetada no braço dele, com a esperança de que aquelas células treinariam o sistema imonológico dele sobre como localizar e destruir o câncer.

Ele receberá dez doses da vacina nos próximos dois anos.

Keyoumars Ashkan, um neorocirurgião do King’s College, está liderando a parte britância da pesquisa. Ele diz que há uma grande necessidade de novos tratamentos para o câncer de cérebro.

‘Mesmo que um tumor pareça igual em dois pacientes, na realidade ele varia muito’.

‘Por isso, a terapia padrão provavelmente não é a melhor. Há uma necessidade de fornecer tratamento individualizado baseado no tipo de câncer de cada paciente’.

O tratamento envolve pacientes com glioblastoma, a forma mais agressiva de um tumor primário de cérebro, que afeta cerca de 1.500 pessoas por ano na Grã-Bretanha.

A média de sobrevivência desses pacientes é de 12 a 18 meses. Dois estudos anteriores menores da terapia DCVax, nos Estados Unidos, descobriram que o tratamento aumentava essa sobrevida para três anos, sem efeitos colaterais. Vinte pacientes participaram dos testes e dois deles estão vivos há mais de dez anos.

Ashkan ressaltou que a atual pesquisa, que envolverá 300 pacientes, é necessária para mostrar se o tratamento é realmente eficiente. Metade deles receberá a vacina real e os demais tomarão placebos.

‘Até obtermos os ressultados desta pesquisa não saberemos se a terapia deve ser oferecida a todos os pacientes’, ele disse.

Demeger afirma que está encantado em fazer parte dessa pesquisa. ‘Qualquer coisa que me dê uma chance melhor, mas também por outros fatores, vale a pena participar disso’.

A cirurgia para remover o câncer afetou sua fala, porque o tumor estava localizado próximo da parte do cérebro que lida com a linguagem.

Assim Demeger, que tinha a voz como seu meio de vida, teve que reaprender a se comunicar.

‘Eu adoraria voltar a atuar. Esse é o meu trabalho’.

‘Tenho trabalhado com um terapeuta da fala e com o chefe das vozes no National (Theatre)’.

‘Não sei se poderei voltar aos palcos em semanas ou meses, mas estou esperançoso’.

Aconteceu

Polícia conclui que morte de ex-integrante de facção criminosa que fez delação foi cometida por grupo do RS

Publicado

dia

Por

Douglas Gonçalves Romano dos Santos foi morto em Santa Catarina em fevereiro. Suspeitos do assassinato seriam de Porto Alegre e teriam ido ao estado vizinho para cometer o crime.

Jovem foi morto em Balneário Camboriú em fevereiro — Foto: Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina finalizaram o inquérito que investiga a morte de um ex-integrante de uma facção criminosa do RS. Douglas Gonçalves Romano dos Santos, de 23 anos, foi assassinado em fevereiro, em Balneário Camboriú, no estado vizinho. De acordo com a delegada Vanessa Pitrez de Aguiar Correa, os suspeitos do crime seriam de Porto Alegre.

Cinco mandados de prisão preventiva foram emitidos. Até o momento, três suspeitos de envolvimento no crime foram presos e dois seguem foragidos.

“A força tarefa ficou em constante troca de informações e realização de todas as diligências produzidas no Rio Grande do Sul, durante o período das investigações. Uma equipe daqui deslocou para Santa Catarina, fez diligências preliminares lá e averiguou-se a grande possibilidade, a qual veio a se confirmar, de que os executores seriam do Rio Grande do Sul, especificamente de Porto Alegre, e teriam ido a Santa Catarina para matar o Douglas”, explica a delegada.

Douglas realizou uma colaboração premiada no estado do Rio Grande do Sul em 2017. Em razão dessa delação, várias pessoas foram presas, drogas apreendidas e homicídios solucionados.

O jovem passou, então, a integrar o programa de proteção a testemunhas. No entanto, segundo a polícia, ele abandonou o programa no início de 2020, mudando-se para a região de Balneário Camboriú, onde foi executado.

Quando a polícia do Rio Grande do Sul soube do crime, os agentes entraram em contato com as autoridades catarinenses, e as duas instituições passaram a trabalhar em conjunto nas investigações.

Além dos cinco representados, outras três pessoas, entre elas uma menor de idade, também tiveram participação no crime. Contudo, conforme a polícia, em relação a eles não foi necessária a decretação de medidas cautelares.

Ver mais

Aconteceu

Dois homens são denunciados pelo CRM-AC após tentarem tirar registro com diplomas falsos

Publicado

dia

Por

Ver mais

Aconteceu

Polícia desarticula grupo que aplicou golpe de R$ 2 milhões em servidores do GDF

Publicado

dia

Por

Esquema usava documentos falsos para contratar empréstimos em nome de funcionários públicos. Investigação apontou 31 vítimas.

Documentos falsos apreendidos durante operação Trickery, da PCDF — Foto: PCDF/Divulgação

A Polícia Civil deflagrou, na manhã desta terça-feira (27), uma operação para desarticular um grupo criminoso que usava documentos falsos para pegar empréstimos em nome de servidores do governo do Distrito Federal. O prejuízo estimado é de R$ 2 milhões.

Segundo a investigação, os suspeitos conseguiam dados de funcionários públicos por meio de pesquisas na internet, fabricavam os documentos e abriam contas bancárias em nome das vítimas.

Com as informações e um número de telefone celular cadastrado na agências, os criminosos contratavam empréstimos, financiavam veículos e transferiam valores para contas de terceiros. A polícia identificou que o dinheiro furtado era dividido entre os integrantes do grupo.

“Eles adoravam enaltecer os maços de dinheiro obtidos de forma ilícita”, disse a Polícia Civil.

Até esta terça-feira, 31 vítimas do golpe registraram ocorrências na delegacia. Os crimes ocorreram no ano passado e, segundo a apuração, os principais alvos eram servidores das secretarias de Saúde e de Educação e funcionários da Procuradoria Geral do Distrito Federal.

Crimes financiados

De acordo com a polícia, parte do dinheiro obtido por meio de fraudes era reinvestido em atividades ilegais, como na compra e venda de armas de fogo.

A investigação apontou ainda que os alvos da operação, batizada de Trickery (trapaça) têm vínculos com uma facção criminosa.

Ver mais

Aconteceu

Identificado motorista suspeito de atropelar e matar ciclista na Asa Norte, em Brasília

Publicado

dia

Por

Marcelo Damasceno Barroso fugiu sem prestar socorro e se apresentou na delegacia 11 dias depois; G1 tenta contato com defesa. Vítima morreu no local.

Bombeiros atendem ocorrência, na Asa Norte, onde dois ciclistas foram atropelados; um deles morreu — Foto: Corpo de Bombeiros do DF/ Divulgação

Foi identificado o motorista suspeito de atropelar e matar o ciclista Ricardo Aragão, de 58 anos, na noite do dia 10 de outubro. Marcelo Damasceno Barroso dirigia o carro envolvido no acidente, na quadra 704 Norte. Ele fugiu do local sem prestar socorro e se entregou à polícia na terça-feira (20).

A informação foi publicada pelo portal Metrópoles e confirmada pela Globo. Até esta segunda-feira (26), a Polícia Civil não havia divulgado a identidade dele devido à lei de abuso de autoridade.

Acompanhado de três advogados, Marcelo Damasceno Barroso se apresentou na 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte), depois que os policiais fizeram buscas na casa onde mora.

Pedaço do para-choque do carro do suspeito de matar ciclista — Foto: PCDF/Divulgação

Pedaço do para-choque do carro do suspeito de matar ciclista — Foto: PCDF/Divulgação

De acordo com a investigação, Marcelo permaneceu em silêncio e não ficou preso por não haver flagrante. No entanto, o delegado João Guilherme Medeiros, responsável pelo caso, disse que ele já foi indiciado pelos crimes de homicídio, lesão corporal, omissão de socorro e evasão do local do acidente.

O carro supostamente envolvido no acidente foi apreendido e vai passar por perícia. Os policiais compararam um pedaço do para-choque encontrado no local da morte com o do veículo – que estava quebrado – e a peça encaixou, segundo os investigadores.

Ciclista atropelado

O acidente aconteceu na quadra 704, perto do Colégio Militar de Brasília, por volta das 22h do dia 10 de outubro. O Corpo de Bombeiros tentou reanimar o ciclista, por cerca de 40 minutos, no entanto, ele não resistiu aos ferimentos provocados pelo impacto da batida.

Ver mais

Aconteceu

Ex-mister é preso por atirar na namorada e em PM em estacionamento de boate em Cuiabá, diz polícia

Publicado

dia

Por

Disparos foram feitos depois que o suspeito tomou a arma do policial, segundo o boletim de ocorrência. Namorada foi baleada no braço e PM na mão.

O empresário e ex-mister Cuiabá, Michael Bruno Silva Batista, de 29 anos, foi preso na madrugada desta segunda-feira (26) em Cuiabá — Foto: Instagram/Reprodução

O empresário e ex-mister Cuiabá, Michael Bruno Silva Batista, de 29 anos, foi preso na madrugada desta segunda-feira (26) suspeito de atirar contra a namorada e um policial militar durante uma briga no estacionamento de uma boate, no Centro de Cuiabá.

De acordo com a Polícia Militar e a Polícia Civil, Michael foi preso por ameaça e tentativa de homicídio. O G1 não localizou o advogado dele.

Segundo o boletim de ocorrência da PM, o ex-mister foi detido por um bombeiro que testemunhou a briga. Ele afirmou aos policiais que viu Michael agredindo e tomando a arma do policial militar, de 29 anos.

O empresário e ex-mister Cuiabá, Michael Bruno Silva Batista, de 29 anos, foi preso na madrugada desta segunda-feira (26) em Cuiabá — Foto: Facebook

O empresário e ex-mister Cuiabá, Michael Bruno Silva Batista, de 29 anos, foi preso na madrugada desta segunda-feira (26) em Cuiabá — Foto: Facebook

Disparos foram feitos e atingiram tanto o PM quando a namorada de Michael, de 27 anos.

Michael também tentou agredir o bombeiro e levou um soco no rosto. O policial foi atingido na mão e a namorada do suspeito foi baleada no braço. O primeiro foi socorrido até um hospital particular. Já a namorada foi levada ao Hospital Municipal de Cuiabá (HMC).

Depoimento à Polícia Civil

Na Central de Flagrantes de Cuiabá, Michael afirmou que estava indo embora com a namorada e aguardava a entrega do carro dele, uma BMW, pelo manobrista da boate. Quando o funcionário chegou com o veículo, um homem, que seria o policial, disse que o carro era dele.

Michael afirma que o policial sacou a arma e eles começaram a brigar. Ele também contou que não sabe quem fez os disparos.

Testemunhas afirmaram que a briga, de fato, começou com a BMW já que os dois teriam o mesmo tipo de carro.

O delegado de plantão, Marcelo Fernandes Jardim, enviou um ofício ao Poder Judiciário e ao Ministério Público sobre a prisão em flagrante de Michael por desacato e tentativa de homicídio. O ex-mister será encaminhado para audiência de custódia em Cuiabá.

Ver mais

Aconteceu

Bombeiros resgatam porca e filhotes de dentro de cisterna em Patos de Minas

Publicado

dia

Por

Fato ocorreu na comunidade rural chamada Baixadinha.

Porca sendo resgatada de cisterna em Patos de Minas — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Uma porca e quatro filhotes foram resgatados com vida de dentro de uma cisterna pelo Corpo de Bombeiros na comunidade rural Baixadinha em Patos de Minas, na última sexta-feira (23).

Segundo os bombeiros, devido ao peso dos animais e à profundidade de 5 metros do fosso, foi necessário o uso de um sistema de multiplicação de força montado em um tripé.

Cisterna onde animais caíram em Patos de Minas tinha 5 metros de profundidade — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Cisterna onde animais caíram em Patos de Minas tinha 5 metros de profundidade — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

 

Ver mais

Hoje é

terça-feira, 27 de outubro de 2020

Publicidade

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?