Nossa rede

Brasília

DF tem ‘Grande encontro’, Bienal do Livro, Bruno e Marrone e Bell Marques

Publicado

dia

Fim de semana tem dança com ‘MID’, Pererê na Caixa e Rodin no TCU. Paulinho Serra, Tirulipa e ‘Síndrome de chimpanzé são atrações no teatro.

A Bienal Brasil do Livro e da Leitura começa nesta sexta-feira (21) e é um dos destaques da agenda cultural do Distrito Federal neste fim de semana. A programação tem também shows musicais de Bruno e Marrone, Bell Marques, “O grande encontro” – com Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo – e Ana Carolina.

No teatro, os destaques são o show de humor de Tirulipa, os espetáculos “Vida curta, dias longos”, de Daniel Duncan, “Síndrome de Chimpanzé”, na Caixa Cultural, e a mostra de peças “Vira-latas”. Há ainda os últimos dias de “Movimento Internacional de Dança” e a feira “Confraria das Margaridas”.

Bienal do Livro
Considerado o maior evento literário da região central do país, a Bienal Brasil do Livro e da Leitura começa nesta sexta (21) e vai até o dia 30 no Estádio Nacional Mané Garrincha. São mais de 200 escritores participando. A programação prevê seminários, debates, lançamentos, palestras e shows musicais.

A abertura tem homenagem à poetisa brasileira Adélia Prado, às 20h. A programação da noite de sexta continua com palestra sobre a autora, sarau e show o cantor Arnaldo Antunes. Na próxima quinta, a bienal presta mais uma homenagem, ao cientista social português Boaventura de Sousa Santos.

O artista multimídia Arnaldo Antunes, que se apresenta neste domingo (18) no estacionamento do Museu dos Correios de Brasília (Foto: Marcia Xavier/Divulgação)

O fim de semana tem exposições, contação de estórias, lançamentos de livros e teatro para crianças. O sábado tem quatro seminários, com o argentino Martín Caparrós, a capixaba Viviane Mosés e os paulistas Renato Janine Ribeiro e Leandro Karnal. A noite é encerrada pelo grupo Noite Brasília.

Cantor paraibano Chico César no carnaval do Recife (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

O cantor paraibano Chico César (Foto: Aldo Carneiro/Pernambuco Press)

No domingo, são mais sete seminários. Entre os participantes estão Leonardo Sakamoto, o boliviano Rodrigo Hasbún, Bernardo Kucinski, Raquel Rolnik, a mexicana Guadalupe Nettel e a portuguesa Raquel Varela. O cantor Chico César lança o livro “O agente laranja e a maçã do amor”, às 14h, e faz show às 22h.

Música
Um dos destaques da programação musical é o show “O grande encontro”, na sexta-feira. No palco do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo cantam sucessos 21 anos após a criação do grupo.

No repertório, músicas como “Anunciação”, “Banho de cheiro”, “dia branco”, “Tropicana”, “Moça bonita”, “Caravana”, “Belle de jour”, “Canção da despedida”, “Coração bobo”, “Táxi lunar”, “Ciranda da rosa vermelha” e “Bicho de sete cabeças”, entre outras. Elba e Alceu também cantam “Flor de Tangerina”, tema da novela “Velho Chico”.

Os cantores Alceu Valenca, Elba Ramalho e Geraldo Azevedo durante show da turnê que revive o disco ‘O Grande Encontro’, no Citibank Hall, na Zona Sul da cidade de São Paulo (Foto: Antônio Cícero/FramePhoto/Estadão Conteúdo)

A apresentação tem músicas inéditas também. Geraldo canta “Só depois de muito amor”, com letra do poeta Abel Silva, e Alceu traz “Ciranda da traição”. O show tem duas parcerias “vintage” de Alceu e Geraldo. “Papagaio do Futuro”, interpretada pelos dois em companhia de Jackson do Pandeiro no “Festival Internacional da Canção”, em 1972, e “Me dá um beijo”, parceria da dupla, recriada com a presença de Elba nos vocais.

O trio também canta músicas de Luiz Gonzaga. Elba e Alceu fazem “Xote das Meninas”, e os três entoam juntos “Sabiá”. “Chão de Giz” e “Frevo Mulher”, de Zé Ramalho, que fez parte do “grande encontro” em sua primeira versão, também são lembradas no espetáculo.

Dorgival Dantas foi a primeira atração da noite, no Festeja Manaus (Foto: Gabriel Machado/G1 AM)

O primeiro “grande encontro” aconteceu em 1995, quando Alceu, Geraldo, Zé Ramalho e Luiz Melodia fizeram um show beneficente no Teatro Guararapes, em Recife. A ideia de fazer um espetáculo juntos nasceu de Geraldo Azevedo, que fez a sugestão a Zé.

No Capella Lounge, a atração desta sexta é o cantor e compositor Dorgival Dantas. Conhecido como “o poeta” da música nordestina, o tecladista, cantor, sanfoneiro e compositor apresenta sucessos, como “Destá” e “Eu não vou mais chorar”, “Declaração”, “Coração teimoso” e “Acabou na Lama” a partir das 22h. A festa tem ainda a banda EncostaNeu, o cantor sertanejo brasiliense Wagner Simão e o DJ residente Will Bryan.

Dorgival Dantas canta também composições dele que viraram hits com outros artistas, como “Barriguinha” (Aviões do Forró), Você não vale nada (Calcinha Preta) e “Pode chorar” (Jorge e Mateus).

O cantor e compositor Rodrigo Bezerra lança DVD com show no Teatro Silvio Barbato, no Sesc Presidente Dutra, na sexta. “A música de Rodrigo Bezerra” chega ao mercado com a diração do cineasta Iberê Carvalho, responsável pelo premiado longa “O último cine drive-in”.

Dupla Pedro Paulo e Matheus se apresentam no Bamboa neste sábado (21) (Foto: Bamboa/Divulgação)Dupla Pedro Paulo e Matheus (Foto: Bamboa/Divulgação)

A apresentação acontece a partir das 20h e a entrada é franca. O DVD foi gravado em maio deste ano, sem plateia, no Sesc Garagem da 913 Sul. São 12 músicas autorais, sendo oito do disco “Tempo ilusão”, de 2013, e quatro do CD “Três”, lançado em 2015.

Na Bamboa, a sexta é marcada pelo “Woll music, com shows de Pedro Paulo & Matheus, Henrique & Ruan, Só Pra Xamegar e Raul Mendes, entre outros. A festa começa às 22h.

O mesmo lugar recebe no sábado show em comemoração aos 30 anos de carreira da dupla sertaneja Bruno e Marrone. Os músicos interpretam sucessos de diversos gêneros da música brasileira, com canções que fazem parte do mais recente DVD deles, hits como “Dormi na praça” e composições inéditas.

A dupla sertaneja Bruno e Marrone (Foto: Bruno & Marrrone/Divulgação)

Entre as músicas do repertório estão “Oceano”, de Djavan, “Garçom”, de Reginaldo Rossi, “Apenas mais uma de amor”, de Lulu Santos, “Quando a chuva passar”, de Ivete Sangalo, “Você me vira a cabeça”, de Alcione, “Não vou chorar”, do Chiclete com Banana, “Evidências”, de Chitãozinho e Xororó, e “Força estranha”, de Roberto Carlos.

A cantora e compositora Ana Carolina apresenta o show “Solo – voz e violão” neste sábado, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. O espetáculo tem músicas da carreira dela e homenagens a compositores que admira. O programa tem participação do DJ Mikael Mutti.

Ana Carolina faz show em Salçvador, cantando seus grandes sucessos (Foto: Leo Aversa/Divulgação)

O repertório traz músicas como “Garganta” e “Eu não sei quase nada do mar”, um medley com “Confesso”, “Trancado”, “Nua” e “Pra rua me levar”, “Essa pequena” e “Cecília”, de Chico Buarque, “Miragem de carnaval”, de Caetano Veloso, “Coração selvagem”, de Belchior, “Um amor puro”, de Djavan, “Pra São João decidir”, de Lupicínio Rodrigues, “Linha de passe”, de João Bosco e Aldir Blanc, “Nome de favela”, de Paulo Cesar Pinheiro, “Ela é amiga da minha mulher”, de Seu Jorge, “Canção e silêncio”, de Zé Manuel, e “Coluna social” e “Xeque mate”, duas canções inéditas de Edu Krieger, um dos parceiros mais constantes de Ana.

Bell Marques (Foto: Fábio Cunha/G1/Divulgação)

No estacionamento 4 do Parque da Cidade, a festa fica por conta de Bell Marques. O evento começa às 16h no Bosque dos Pinheiros. No show, o ex-vocalista do Chiclete com Banana canta composições como “Nicolau”, “Amor bacana”, “Louco amor” e “Vumbora vumbora” e sucessos da sua ex-banda, entre elas “Não vou chorar”, “Voa voa”, “Diga que valeu”, “100% você” e “Amor perfeito”.

O cantor francês Nicola Són é atração neste sábado no auditório da Aliança Francesa, na 708/908 Sul. O músico apresenta o disco “Sampathique”, às 20h. Apaixonado pelo Brasil, o artista mistura samba-rock, groove, MPB, eletro e afrobeat abrasileirado, com letras em francês e em português.

O nome do disco é uma contração de “Sampa” e “Sympathique”. O terceiro álbum de Són associa a canção francesa ao ambiente musical de São Paulo, cidade onde o artista vive desde 2013. O trabalho é produzido por Paulo Lepetit, tem 11 faixas e participações de Zeca Baleiro e Edgar Scandurra.

O humorista Paulinho Serra, atração no Teatro dos Bancários de Brasília nesta sexta (21) (Foto: Kakai Fotografias/Divulgação)

Teatro
“Paulinho Serra em pedaços” é o espetáculo em cartaz no Teatro dos Bancários nesta sexta-feira. Ator do seriado “Chapa quente”, da TV Globo, ele faz uma série de improvisos, conversa com o público, cria esquetes e apresenta personagens hilários.

“Há muito improviso com a plateia. Gosto de reservar os primeiros 10, 15 minutos da peça  para comentar o factual e ter essa interação com o público. Também deixo filmar, fotografar, levantar. No espetáculo pode tudo, desde que com respeito”, diz Paulinho.

Tirulipa caracterizado de Tantan Santana, imitação do cantor Luan Santana (Foto: Reprodução/Facebook)

O artista ficou conhecido depois de entrar para o grupo “Deznecessários”, , ao lado de nomes como Tatá Werneck e Rodrigo Capella. Ao longo da carreira ele se apresentou em diversos programas televisivos, no rádio e até no cinema.

O humorista Tirulipa faz seis apresentações em Brasília neste fim de semana. Público pode conferir o espetáculo “Enchendo seu saco de risadas” no Teatro dos Bancários no sábado, às 16h, 18 e 21h, e no domingo, às 15h, 17h e 20h.

O show tem também números de stand up comedy, piadas, paródias, causos do cearense e música. O artista imita celebridades como a cantora norte-americana Beyoncé e o MC Naldo. Um dos pontos altos é “Tantan Santana”, releitura do cantor Luan Santana.

Elenco da peça Síndrome de chimpanzé, em cartaz na Caixa Cultural, no DF (Foto: Roberto Setton/Divulgação)

O humorista faz paródia da musica ”Porque homem não chora”, do cantor Pablo, com participação de voluntários da plateia para dançar. Tem também sátira com o momento político e econômico do país e uma imitação do filme “Frozen” – destaque para a música “Se lascou”, paródia de “Let it go”, em que Tirulipa se veste como a personagem Elsa.

Com referências a filmes como “Solaris”, “A última esperança da Terra”, “Barbarella”, “2001, uma odisseia no espaço” e “Planeta dos macacos”, a peça “Síndrome de chimpanzé” é o espetáculo em cartaz na Caixa Cultural de sexta a domingo até 30 de outubro.

No palco, os atores Felipe Rocha, Renato Linhares e Stella Rabello formam a tripulação de astronautas russos que se vê isolada numa distante estação espacial quando uma catástrofe global extermina a humanidade.

A partir daí, eles têm de administrar os recursos do planeta, que se esgotam aos poucos, e tentam manter a lucidez em meio a um cotidiano cheio de delírios e acidentes – um computador neurastênico, algumas plantas, um peixe e um gato são tudo o que restou da Terra.

No anexo do Museu da República, a atração é o teatro para bebês. As sessões têm entrada franca, para pais e filhos, e acontecem no sábado e domingo, a partir das 11h.

O festival “Vira-latas” continua no Espaço Cena, na 205 Norte, com várias apresentações até domingo. A mostra é uma “ntologia de três espetáculos”. O público poderá conferir as obras “Virginia não mora aqui”, de 2016, “Admirável mundo cão”, de 2015, e “Os beatniks em ‘a gaivota'”, de 2013. A ideia de produzir um festival próprio nasceu da reflexão sobre os artistas não contemplados em editais públicos ou patrocínios de empresas privadas.

No sábado e domingo, o Teatro Brasília Shopping recebe a peça “Vida curta, dias longos”, segundo espetáculo solo do comediante Daniel Duncan. A comédia é apresentada pelo ator como uma “terapia pública”, que explora a vida turbulenta nos centros urbanos em paralelo com os questionamentos existenciais. A montagem pode ser vista no sábado, às 20h, e no domingo, às 19h.

O mesmo local recebe os últimos dias da temporada “Van Gogh – Arte, amor e loucura”. A peça em cartaz às 21h conta a história de um dos maiores gênios de todos os tempos da arte.

O espetáculo mostra o artista dividido entre a prodigiosa inspiração do seu gênio e a angustiante escuridão de uma mente atormentada. O espetáculo aborda o amor pela pintura, a dependência do irmão Theo, a ajuda do primo Mouve, o convívio desgastante com o amigo Gauguin, a loucura, o delírio, a fraqueza, tudo característica de um pintor fabuloso.

Imagem do filme ‘Curando o Alzheimer’, produção da BBC (Foto: VerCiência/Divulgação)

VerCiência
Um festival com filmes e programas de TV sobre ciência e alimentação anima Brasília até o próximo domingo. A 22ª edição da mostra audiovisual “VerCiência – Mostra Internacional de Ciência na TV” traz 51 produções de oito países da Américas do Sul, América do Norte e da Europa. As exibições ocorrem em sete locais do Plano Piloto, Planaltina e Gama.

São cinco sessões temáticas sobre “Ciência e Alimentação”, “Ciência Alimentando o Brasil”, “Sessão BBC”, “Forças da Natureza”, “Sessão Ciência, Corpo e Mente” e “Aventura da Ciência”.

O público pode assistir às produções no Planetário de Brasília, em escolas públicas do Gama, no prédio da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), na Água Mineral, no Instituto de Física da Universidade de Brasília, no Museu de Anatomia Humana da UnB e no campus UnB em Planaltina. A curadoria é de Sérgio Brandão e José Renato Monteiro.

Cena do filme Todos estão mortos, atração da Mostra de Cinema Atual Espanhol, em cartaz no Cine Brasília (Foto: Divulgação)

Outra atração da sétima arte é a “Mostra Cinema Atual Espanhol”, que acontece até domingo no Cine Brasília. São cinco longas premiados com exibições gratuitas. Os títulos representam a linguagem atual usada no cinema do país europeu com temas que tratam de diferente regiões, épocas e sociedade da Espanha.

O mostra é uma realização do Escritório Cultural da Embaixada da Espanha no Brasil em parceria com Instituto Cervantes de Brasília e Sociedade Cultural Brasil-Espanha. Na sexta é exibido “Flores”, que fala de uma mulher descontente com a vida e que começa a receber flores toda a semana de um remetente anônimo. O longa foi vencedor dos Prêmios Goya, de Melhor Filme e Melhor Música Original.

Cena do filme espanhol Linda juventude, em cartaz no Cine Brasília (Foto: Divulgação)

Outra atração do dia é “Linda Juventude”, de Jaime Rosales. A produção franco-espanhola conta a história de um casal de jovens em dificuldade que participa de um filme pornográfico e tem a vida transformada após o nascimento da primeira filha. O título recebeu Menção Honrosa no Festival de Cannes, em 2014.

O longa abre a programação do sábado, que tem também “Pecados antigos, longas sombras”, de Alberto Rodríguez,  suspense vencedor de 10 títulos do Prêmio Goya 2014, entre eles melhor filme e direção. À noite, a atração é “Ártico”, drama de dois trambiqueiros que se acham Robin Hood.

A mostra encerra no domingo com “Flores”. Antes, a atração é “Todos estão mortos”, de Beatriz Sanchís. O filme ganhou os prêmios de melhor filme, fotografia, música e Prêmio do Júri Jovem no “Festival Cinespagna Toulouse 2014”. A produção é um drama fantástico. Uma mãe participa de um ritual na noite de todos os mortos e ressuscita o filho que partiu há anos.

Dança
Brasília recebe até 25 de outubro o “MID – Movimento Internacional de Dança”, com espetáculos de companhias brasileiras e internacionais. São números de diversas modalidades, como dança contemporânea, dança de rua e hip hop. A programação tem batalha de break, espetáculo infantil, workshops, residência artística, palco aberto e ação de formação para alunos da rede pública de ensino.

Dançarinos fazem coreografia de Your Ghost isNotEnough, de Kubilai Khan Investigation, atração do Movimento Internacional de Dança, em Brasília (Foto: MID/Divulgação)

De sexta a domingo, o Sesc Taguatinga recebe o espetáculo “Similitudo”. As sessões acontecem às 20h, nos dois primeiros dias, e às 19h no dominfo. A entrada custa R$ 5. A coreografia do Projeto Pés de Tetro-Dança, do DF, aborda questões do convívio social no dia a dia e de como esse cotidiano poda e molda padrões de movimento, de relacionamento e até de sensibilidade.

A sexta tem “De carne e concreto”, no anexo do Museu da República. No mesmo dia, o Teatro 1 do CCBB recebe “O crivo”, selecionado após a convocatória nacional do evento. O espetáculo é atração também no sábado, mesmo dia em que o Teatro 2 do CCBB vira palco para “O corpo em obra”. No domingo, tem “Palco Aberto” do teatro 1, às 20h.

Exposições
“Mais brasileira das histórias em quadrinhos”, a Turma do Pererê é tema de exposição na Caixa Cultural de Brasília até 27 de novembro. Para o criador, Ziraldo, a obra é mais do que uma diversão para crianças. “A gente queria passar o recado, com um personagem nacionalista, com muita história, nossa resposta ao capitalista, contra o imperialismo”, diz o cartunista.

O cartunista Ziraldo desenha o Pererê, um de seus principais personagens, que é tema de exposição na Caixa Cultural de Brasília (Foto: Flavio Silva/Divulgação)

A mostra “Pererê do Brasil” pode ser vista gratuitamente de terça a domingo, das 9h às 21h. São 43 capas da revista Pererê, publicada em “O Cruzeiro”, entre 1960 e 1964, e as 10 capas da revista “A Turma do Pererê”, em circulação entre 1975 e1976.

Para Ziraldo, o Pererê foi um personagem que refletiu um pouco do espírito dos anos 1960, um período rico para a cultura no Brasil e no mundo. “Os anos 1960 foram fantásticos, foi o começo do meio do século”, declara.

A Turma do Pererê representa o folclore brasileiro com um saci (Foto: Divulgação)

Um dos destaques da exposição na Caixa é a capa da edição de maio de 1964, que seria lançada caso a publicação fosse adiante. “Nessa exposição tem a capa de maio pronta. Só não tem a história.

As capas eram feitas com mais antecedência. Eu me lembro disso como uma coisa muito boa. Era divertido, toda essa nossa utopia. Depois a gente foi preso, mas aí já era o Pasquim”, diz Ziraldo aos risos.

A Turma do Pererê surgiu na década de 1960 (Foto: Divulgação)

Todas as obras da mostra foram restauradas e ampliadas. O público também pode ver revistas originais em vitrines protegidas por vidros. Outras peças, como pranchas com desenhos, também originais, livros, cartilhas e outros produtos e mídias com a Turma do Pererê também estão no evento.

Em comemoração pelos 400 anos da morte do escritor Miguel de Cervantes, o instituto que leva o nome dele em Brasília promove diversas atividades culturais.

Um dos programas de destaque é a exposição “Quixote, a loucura de viver”, da artista plástica espanhola Ima Montoya. A mostra fica em cartaz até 31 de outubro e contém 15 óleos sobre tela retratando uma visão contemporânea do universo de Dom Quixote.

A exposição foi preparada especialmente para o Instituto Cervantes. A pintora traz uma abordagem diferente das imagens pré-estabelecidas das figuras criadas para a história de Dom Quixote de la Mancha – com um olhar da artista para um personagem imerso no século 21. “Quero que tirem Quixote da estante de leitura e o vejam em um pub, ferido, com os olhos brilhantes e cheio de paixão”, diz Ima.

Quadro Pelea Nocturna, de Ima Montoya, em exposição no Instituto Cervantes de Brasília (Foto: Instituto Cervantes/Divulgação)

Quadro Pelea Nocturna, de Ima Montoya, em exposição no Instituto Cervantes de Brasília (Foto: Instituto Cervantes/Divulgação)

Um dos maiores escultores de todos os tempos, o francês Auguste Rodin é tema de exposição na galeria Marcantonio Vilaça, no Tribunal de Contas da União (TCU). A programação pode ser vista até 5 de novembro, de terça a sábado, das 9h às 19h.

A mostra “O despertar modernista” é dividida em dois segmentos. No primeiro há 14 esculturas, sendo quatro originais do artista e dez cópias em resina, autorizadas pelo Museu Rodin, em Paris. A exposição tem também fotografias do artista.

Escultura As sereias, de Auguste Rodin; obra está em exposição no TCU, em Brasília (Foto: Daniel Pinho/Divulgação)

O segundo ambiente tem fotografias, com peças vindas do museu europeu e outras da Pinacoteca de São Paulo. São 36 peças selecionadas para informar o espectador sobre a vida e a obra do artista.

Vai ser possível conhecer mais de perto o cotidiano de Rodin em seu ateliê e seu método de trabalho – Rodin desenhava suas peças, esculpia em formato menor, fazia os moldes em gesso e depois seus assistentes se incumbiam de ampliá-las em outros materiais.

O Centro Cultural Banco do Brasil recebe até 24 de outubro a exposição “Horizontes da arte na América Latina e Caribe”, com 60 obras de 19 países. A mostra pode ser vista gratuitamente de quarta a segunda, das 9h às 21h.

Quadro Paisaje nocturno, do artista mexicano Diego Rivera; obra está em cartaz na mostra Horizontes da arte na América latina e Caribe, em cartaz no CCBB do DF (Foto: Colección Instituto de Bellas Artes do México)

O público pode ver trabalhos de nomes como os brasileiros Di Cavalcanti, Tomie Ohtake e Cícero Dias, os uruguaios M. de Vita, Vicente Martin, Costigliolo e Rafael Damiani, o cubano Alexandre Lobaina, o jamaicano Marvin Ferguson, o guatemalteca Elmar Rojas, os haitianos Frank Etienne e Bernard Sejourne, o salvadorenho Fernando Llort, a hondurenha Leticia Banegas e o muralista mexicano Diego Rivera.

Segundo os organizadores, o objetivo é “quebrar o paradigma do extremo desconhecimento mútuo”. A exposição foi concebida com o intuito de apresentar ao público brasileiro um recorte da poética dos países das regiões.

A exposição traz obras de acervos das representações diplomáticas que estão em Brasília e peças disponibilizadas pelos governos dos países.

São pinturas, gravuras e desenhos divididos em três eixos: “Das coisas”, com inventários do mundo; “Do horizonte”, com as paisagens; e “Dos retratos”, com rostos, corpos e suas marcas.

Quadro Las coles, de José Clemente Orozco, em exposição na mostra Horizontes da arte na América Latina e Caribe, no CCBB de Brasília (Foto: Museo Carrillo Gil/Instituto de Bellas Artes do México)

 
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Comentar

Brasília

Quer vender comida e bebida no Zoológico? Confira o edital

Publicado

dia

Por

Objetivo é oferecer aos visitantes maior variedade de produtos alimentícios. Contrato tem validade até março de 2022

A Fundação Jardim Zoológico de Brasília (FJZB) divulga novo edital de chamamento para uso de área pública. Desta vez, serão convocados até quatro ambulantes para a venda de comida e bebida não alcoólica durante o período de 27 de janeiro a 6 de março de 2022.

Contrato tem validade até março de 2022 e interessados poderão vender alimentos da culinária regional brasileira e internacional, além de sanduíches, pastéis, crepes, sorvetes, entre outros | Foto Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Contrato tem validade até março de 2022 e interessados poderão vender alimentos da culinária regional brasileira e internacional, além de sanduíches, pastéis, crepes, sorvetes, entre outros | Foto Paulo H. Carvalho/Agência Brasília
Segundo o documento, os interessados poderão servir até duas especialidades das listadas, como: culinária regional (acarajé, vatapá, tapioca, cuscuz, cocada); culinária internacional (comida italiana, chinesa, japonesa, árabe); sanduíches (hamburgueria); pastéis; creperia; alimentação vegana e produtos naturais; e sorvetes, picolés e açaí.

Os interessados devem entregar, presencialmente, as propostas e os documentos exigidos no edital até o dia 19 de janeiro, no Setor de Protocolo da FJZB, localizado na Avenida das Nações, Via L4 Sul, Brasília/DF.

Confira a íntegra do edital.

*Com informações do Jardim Zoológico de Brasília

Ver mais

Brasília

Parque Ecológico Águas Claras fechado nesta terça-feira (18)

Publicado

dia

Por

Atividades serão retomadas normalmente na quarta-feira (19)

O Instituto Brasília Ambiental informa que o Parque Ecológico Águas Claras permanecerá fechado, nesta terça-feira (18), para realização de serviços de poda e roçagem.

O fechamento, durante todo o dia, é necessário para evitar riscos de acidentes com os frequentadores. A unidade retoma suas atividades normalmente na quarta-feira (19), das 6h às 22h.

O Parque Ecológico Águas Claras fica na Avenida Castanheiras, atrás da Residência Oficial de Águas Claras, entre as quadras 301, 104, 105 e 106.

*Com informações do Brasília Ambiental

Ver mais

Brasília

Mais 23 pontos de testagem disponíveis para a população

Publicado

dia

Por

Farmacêuticos passam por treinamento para iniciar testagem nesta terça (18). Confira locais

A partir desta terça-feira (18), a população do Distrito Federal vai contar com mais 23 pontos para fazer o teste de covid-19, além das unidades básicas de saúde (UBSs) e locais de ampla testagem. Os testes disponibilizados pela Secretaria de Saúde poderão ser feitos gratuitamente em drogarias espalhadas pelo DF (veja os locais ao final do texto)

A partir desta terça-feira (18), a população do Distrito Federal vai contar com mais 23 pontos para fazer o teste de covid-19, além das unidades básicas de saúde (UBSs) e locais de ampla testagem. Os testes disponibilizados pela Secretaria de Saúde poderão ser feitos gratuitamente em drogarias espalhadas pelo DF (veja os locais ao final do texto).

Cada novo ponto de testagem receberá, inicialmente, 500 kits do teste rápido de antígeno (TR-Ag) e fará o controle do seu estoque. Quando for necessário, solicitará reabastecimento pela Secretaria de Saúde | Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

A ação é uma parceria da pasta com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do DF (Fecomércio-DF) que, junto ao Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos (Sincofarma), selecionou os estabelecimentos de testagem. Cada um deles receberá, inicialmente, 500 kits do teste rápido de antígeno (TR-Ag) e fará o controle do seu estoque. Quando for necessário, solicitará reabastecimento pela secretaria.

“A liberação de novo quantitativo de testes está condicionada à comprovação, pela farmácia, da notificação no sistema de todos os testes realizados, independentemente de o resultado ser positivo ou negativo”, explica Fabiano dos Anjos, diretor de Vigilância Epidemiológica.

Nesta segunda (17), foram treinados farmacêuticos que vão atuar nesta iniciativa inédita no Distrito Federal | Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

Nesta segunda-feira (17), profissionais da saúde treinaram os farmacêuticos que vão atuar nesta iniciativa inédita no DF. Durante o treinamento, foram orientados quanto à utilização do sistema e-SUS, no qual são registradas as informações do exame, como data de realização, resultado, lote e data de validade.

O uso da plataforma pelas drogarias parceiras atende à determinação do Ministério da Saúde (MS), que pede a notificação de todos os testes realizados, ressalta o diretor de Vigilância Epidemiológica. “A partir das informações coletadas e disponibilizadas no sistema, é possível avaliar de maneira mais sensível o comportamento epidemiológico da transmissão da covid-19 no DF”, afirma Fabiano.

De acordo com André Godoy, diretor da Vigilância Sanitária, nem todas as drogarias que se inscreveram para a testagem da secretaria atendiam aos requisitos sanitários e documentais para fazer os testes. “O estabelecimento precisa ter uma sala com circulação de ar e espaço para evitar filas e aglomerações”, explica o gestor.

As farmácias que participam da ação têm liberação para aplicar os testes de covid-19 por 60 dias, prazo que pode ser prorrogado, conforme o cenário epidemiológico. “Os pontos foram liberados de maneira emergencial e provisória. A Vigilância Sanitária vai fiscalizar os locais para mitigar os riscos de transmissão”, informa André.

Critérios e locais de testagem

As farmácias particulares que farão os testes disponibilizados pela Secretaria de Saúde seguem os mesmos critérios de público-alvo dos outros pontos de testagem do órgão: quem está sintomático ou teve contato com casos confirmados da doença. São sintomas, por exemplo, tosse, febre, dor de garganta, falta de ar e perda de olfato ou paladar.

Os testes serão realizados de segunda a sexta, das 10 às 19h. Conheça os pontos:

Farmácias Descontão
– Avenida das Castanheiras, Lotes 820 Lojas 6/7, Águas Claras
– QSC 19 Chácara 26 Conjunto H Lote 7A, Taguatinga
– QNN 17 Conjunto H Lojas 2/3/4, Ceilândia

Drogaria São Rafael
– Quadra 36 Lote 10, Gama

Drogaria Brasil
– CL 214 Lote B Loja 2, Santa Maria

Drogaria Colorado
– Rua da Praça, Lote 17 Loja A, Vila Planalto

Drogaria Drogacenter
– QNE 16, Lote 1 Loja 1, Taguatinga Norte
– Rua 4 A, Chácara 1 Lote 13 Loja 1, Vicente Pires
– Rua Copaíba, Lotes 10 a 12, Águas Claras
– QNM 18 conjunto G Lote 1, Ceilândia
– Rua 5, Chácara 102, Lote 32, Vicente Pires
– QNO 17, Conjunto I, Lote 3, Loja 6, Ceilândia Norte
– QD 203, Lotes 28/29, Recanto das Emas
– QS.412, Conjunto A, Lote 2, Samambaia Norte
– QC 8, Lote 4, Loja 1, Taguatinga Centro
– CLSW 104, Bloco A, Loja 58, Sudoeste
– ST SHD Bloco N, Lojas 9 a 12, Planaltina
– Avenida Central, Lote 470, Loja 1, Núcleo Bandeirante
– Quadra 12, Comércio Local 1A, Sobradinho
– QN 7, Conjunto 6, Lotes 20 e 22, Riacho Fundo
– Quadra 23, Conjunto 17, Lote 1, Paranoá
– SIA Trecho 10, S/N, Lote 10, Lojas 56, 58 e 60, Zona Industrial Guará
– QNO 6, Conjunto B, Lote 58, Loja 3, Ceilândia

*Com informações da Secretaria de Saúde

 

Ver mais

Brasília

Covid-19: População enfrenta problemas para realizar testes no DF

Publicado

dia

Por

Alguns pacientes não conseguiram realizar testes na rede privada, nesta sexta-feira (14/1) por conta da falta de insumos

(crédito: MARIO TAMA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP)

Na semana em que a Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) alertou sobre o risco de desabastecimento de insumos para testes de covid-19, a população do Distrito Federal começou a apresentar problemas para conseguir realizar a testagem. De acordo com informações , alguns pacientes precisaram remarcar os testes agendados para esta sexta-feira (14/1) e sábado (15/1) em laboratórios por conta da falta de insumos.

Na quarta-feira (12/1), a Abramed divulgou uma nota que alertava sobre a possível falta de insumos por conta do aumento de casos pela variante ômicron que tem demandado um aumento na produção global de testes, tanto de PCR, quanto de antígeno. De acordo com a associação, caso os estoques não sejam recompostos rapidamente, isso poderia acarretar na falta de oferta de exames.

A Abramed ainda recomenda que os laboratórios deem prioridade à testagem de pacientes graves, hospitalizados e cirúrgicos, pessoas no grupo de risco, gestantes, trabalhadores da saúde e outros profissionais essenciais.

Laboratórios do Distrito Federal precisaram reorganizar o estoque por conta da demanda e têm seguido as recomendações da Abramed. O Grupo Sabin informou em nota que, até o momento, tem mantido o atendimento aos clientes com uma gestão diária de insumos para evitar a descontinuidade da oferta de exames de covid-19 nas regiões em que atua, com priorização do atendimento aos casos graves e pacientes hospitalizados. O grupo espera o restabelecimento da cadeia de fornecimento nos próximos dias para manter atendimento.

O Laboratório Exame informou que, em decorrência do aumento no número de casos e na procura por testes RT-PCR, precisou reorganizar seu estoque frente à demanda global pelos insumos necessários ao processamento desses testes, para priorizar o atendimento dos pacientes internados e dos profissionais da área de saúde e de serviços essenciais.

Rede pública de saúde

Na rede pública, a grande demanda pelos testes traz transtornos a quem precisa enfrentar as longas filas nos locais de atendimento. A Secretaria de Saúde (SES-DF) informou que não há falta de testes na capital federal. De acordo com a pasta, a rede pública de saúde conta com 812.387 testes rápidos para detecção de covid-19.

Em nota, foi informado que a testagem acontece em todas as 176 Unidades Básicas de Saúde (UBS) do DF e em dois pontos estratégicos, no Aeroporto de Brasília e na Rodoviária do Plano Piloto. A testagem ampliada ocorre na UBS 1 da Asa Sul.

Ver mais

Brasília

Seis UBSs, cinco UPAs, 8 mil servidores e quase 50 mil cirurgias no ano

Publicado

dia

Por

Números grandiosos de 2021 mostram investimento em pessoal e infraestrutura para melhorar o atendimento

Novas unidades de saúde, cerca de 8 mil novas contratações e quase 50 mil cirurgias feitas. O ano de 2021, o segundo seguido impactado pela pandemia de coronavírus (covid-19), foi de muitas entregas na área da saúde. Prova disso são as cinco unidades de pronto atendimento (UPAs) construídas e já funcionando, as seis unidades básicas de saúde (UBSs) inauguradas e a ampliação de hospitais.

A começar pela atenção primária, que é a porta de entrada do atendimento à população, foram seis UBSs entregues apenas este ano. Juntas, essas unidades somam investimentos de R$ 22,5 milhões e impactam mais de 122 mil pessoas. Esse importante apoio no atendimento se espalhou por todo o DF nas seguintes localidades: UBS 01 Jardins Mangueiral; UBS 05 Riacho Fundo II; UBS 03 Paranoá Parque; UBS 07 Buritizinho (Sobradinho II); UBS 15 de Ceilândia e UBS 08 de Planaltina.

A começar pela atenção primária, que é a porta de entrada do atendimento à população, o GDF entregou seis UBSs em 2021| Foto: Divulgação / Novacap.

Em uma parceria com a parceria privada, o Governo do Distrito Federal ergueu um hospital modular acoplado ao Hospital Regional de Samambaia (HRSam). Inaugurado com 102 leitos, o espaço foi destinado, em um primeiro momento, ao tratamento de pacientes com covid-19 para, agora, ser incorporado no atendimento do HRSam. O investimento na unidade foi de R$ 14,4 milhões.

Durante a pandemia, o GDF construiu ainda três hospitais de campanha, com 100 leitos cada, para pacientes com covid-19. Com investimento de R$ 38,4 milhões, essas unidades foram essenciais em momentos mais graves da doença e começaram a ser desmontadas no fim do ano passado, com o arrefecimento do número de casos.

“Quanto mais você aproxima os equipamentos de saúde à população, mais você evita que as pessoas procurem hospitais de alta complexidade sem necessidade, e isso desafoga toda a rede. O balanço do ano são essas entregas, que havia muito tempo não eram feitas, e a contratação de recursos humanos, que foi uma fortaleza”, destaca o secretário de Saúde, Manoel Pafiadache.

“Desde o início do governo, temos nos dedicado a entregar essas obras, e entregar a nona UBS desde 2019 e a décima em dezembro, sendo que seis foram concluídas em 2021, é de grande satisfação para mostrar o esforço feito para além da pandemia”, acrescenta o secretário adjunto de Assistência à Saúde, Fernando Erick Damasceno.

UPAs

Considerado o meio do caminho entre as UBSs e os hospitais, as UPAs também movimentaram o ano. Foram cinco entregues: Ceilândia, Paranoá, Gama, Riacho Fundo II e Planaltina. Com investimento de R$ 36,2 milhões, essas unidades, juntas, vão atender 22,5 mil pessoas por mês pelas mãos dos mais de 700 profissionais contratados para essas unidades.

Contratações e compras

A Secretaria de Saúde e o Iges-DF nomearam e contrataram profissionais para todas as áreas; pela Saúde, 255 médicos, 211 enfermeiros, 279 especialistas e 45 técnicos | Foto: Paulo H Carvalho/Agência Brasília.

Para que essas novas unidades e as reformadas pudessem funcionar plenamente, a Secretaria de Saúde (SES) e o Instituto de Gestão Estratégica (Iges-DF) nomearam e contrataram profissionais para todas as áreas. Pela Saúde, foram nomeados 266 médicos, 594 enfermeiros, 325 especialistas em saúde e 46 técnicos em saúde. Somam-se a esses profissionais os mil novos servidores – 500 agentes comunitários e 500 agentes de vigilância ambiental – contratados de forma temporária.

Responsável pelas UPAs, Hospital de Base e Hospital de Santa Maria, o Iges-DF também reforçou o corpo de funcionários com 1.371 novos profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e outros.

“De 1º de janeiro até 12 de novembro, fizemos muitas contratações de profissionais para atuar no Hospital de Base, Hospital Regional de Santa Maria e nas UPAs. Em um ano de pandemia, essas contratações são de grande importância não só para garantir atendimento na área da saúde, mais também para reduzir o desemprego no DF”, garante o presidente do Iges-DF, Gislei Morais.

Além dos novos espaços e mais profissionais que chegaram à rede de saúde, as prateleiras de medicamentos foram abastecidas. Em uma das aquisições, foram destinados R$ 184,6 milhões para compra de medicamentos, materiais e insumos para laboratórios, cirurgias, reagentes, órtese e prótese.

Ainda sobre o ano, a Saúde executou 49.643 procedimentos cirúrgicos, entre cirurgias eletivas e de urgência. São ações trabalhadas e organizadas com o remanejamento dos leitos na rede pública, em outros tempos mais demandados para o tratamento de pacientes com covid-19 e ,agora, à disposição das cirurgias.

Mais equipamentos

Outra grande conquista para a área é o funcionamento do PET-CT, o supertomógrafo para o tratamento de câncer. Esse equipamento, que produz imagens digitalizadas em alta definição de todo organismo humano, estava parado há muitos anos, num caixote abandonado nos corredores do Hospital de Base. Com investimentos de R$ 5,6 milhões, entrou em funcionamento em 2021. O novo equipamento garante pelo menos 2,6 mil exames por ano.

“Inauguramos o Núcleo de Medicina Nuclear do Hospital de Base e, com isso, foi possível colocar o PET-CT em funcionamento, que estava há oito anos encaixotado no corredor do ambulatório do Hospital de Base. Esse é o primeiro PET-CT instalado na rede de saúde pública do DF”, explica o presidente do Iges-DF.

Além deste supertomógrafo, a rede ganhou um mamógrafo, instalado no Centro Especializado em Saúde da Mulher (Cesmu). O equipamento – o 11º desse tipo em toda a rede – tem capacidade para processar 120 exames por semana.

Ver mais

Brasília

Programa do GDF leva tenista para torneio internacional

Publicado

dia

Por

Beneficiado pelo programa Compete Brasília, adolescente de 15 anos viaja para Colômbia, Equador e Peru

Enzo Alcoforado: “Acredito que esse projeto muda a vida e coloca o esporte do DF um passo à frente no Brasil” | Foto: Divulgação/SEL

Mais um esportista da capital federal embarcou para um desafio profissional por meio do programa Compete Brasília. O tenista Enzo Alcoforado, de 13 anos, participa do circuito internacional da modalidade promovido pela Confederação Sul-Americana de Tênis (Cosat) em três países da América do Sul. Nesta semana, acompanhado pelos responsáveis, o esportista compareceu à Secretaria de Esporte e Lazer (SEL) para retirar as passagens aéreas.

A primeira parada será em Cali, na Colômbia, onde ele compete no período deste sábado (15) ao dia 22. Em seguida, o jovem segue para Guaiaquil, no Equador, para enfrentar novos embates até o dia 29. Por fim, conclui o roteiro esportivo em Chosica, província próxima a Lima (Peru) para participar das últimas partidas do circuito, que termina em 5 de fevereiro.

1.233
esportistas olímpicos e paralímpicos de alto rendimento foram beneficiados pelo programa Compete Brasília em 2021
Enzo, que treina no Clube Nipo, entra nas disputas individuais da categoria Sub-14. Entre participações, já marcou presença em etapas do Orange Bowl, um dos mais conceituados da modalidade.

“Sou eternamente grato ao Compete Brasília e tudo que tem feito por mim”, diz o adolescente. “Mudou a minha vida. Graças ao programa, eu consigo viajar para torneios fortes e de alto rendimento, dos quais não teria condições financeiras de participar. Com isso, tenho condições de jogar mais e mais torneios e automaticamente ganhando mais experiência, o que me torna um jogador melhor. Acredito que esse projeto muda a vida e coloca o esporte do DF um passo à frente no Brasil.”

Em 2021, o programa Compete Brasília concedeu passagens terrestres e aéreas a 1.233 esportistas olímpicos e paralímpicos de alto rendimento. “Esse é um dos nossos programas mais importantes, porque apoia diretamente os atletas em competições e torneios”, afirma a secretária de Esporte e Lazer, Giselle Ferreira. “Em 2022, vamos repetir e melhorar o sucesso do ano anterior, que ficou marcado pelo retorno das competições esportivas”.

*Com informações da Secretaria de Esporte e Lazer

 

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?