Nossa rede

É Destaque

Covid-19: primeira noite com toque de recolher em Brasília deixa ruas vazias; FOTOS

Publicado

dia

Decreto que começou a valer nesta segunda-feira (8) impede circulação de pessoas entre 22h e 5h. Esplanada dos Ministérios e Rodoviária do Plano Piloto ficaram desertas.

Rodoviária do Plano Piloto vazia após governo do DF implementar toque de recolher — Foto: TV Globo/Reprodução

As ruas de Brasília ficaram vazias na primeira noite de validade do decreto que implementou o toque de recolher entre 22h e 5h. A medida começou a valer nesta segunda-feira (8) e poucos veículos e pedestres puderam ser vistos durante o período de restrição (veja fotos).

O governador Ibaneis Rocha (MDB) determinou a medida na tentativa de frear a disseminação do novo coronavírus, que sobrecarrega o sistema de saúde da capital (veja mais abaixo). A multa para quem descumprir a medida é de R$ 2 mil.

Por conta da nova restrição, houve pouca circulação de pessoas após as 22h desta segunda-feira. Apesar dos ônibus não sofrerem redução da frota, a Rodoviária do Plano Piloto ficou praticamente deserta durante o período do toque de recolher.

Eixão Sul fica deserto após Executivo do DF decretar toque de recolher entre 22h e 5h — Foto: TV Globo/Reprodução

Eixão Sul fica deserto após Executivo do DF decretar toque de recolher entre 22h e 5h — Foto: TV Globo/Reprodução

Também havia poucos carros trafegando nas ruas da capital. Durante a noite, no Eixão Sul e na Esplanadas dos Ministérios, a reportagem não registrou a movimentação de veículos.

O toque de recolher não se aplica a profissionais de imprensa e a outras categorias como profissionais de saúde e das forças de segurança (veja lista no fim da reportagem).

Carros deixam de circular na Esplanada dos Ministérios, no DF, após governo determinar toque de recolher — Foto: TV Globo/Reprodução

 Carros deixam de circular na Esplanada dos Ministérios, no DF, após governo determinar toque de recolher — Foto: TV Globo/Reprodução.

Mas, quando amanheceu…

Entretanto, após o fim do toque de recolher, o cenário era outro na capital. Por volta das 6h desta terça-feira (9), dezenas de pessoas voltaram a circular na Rodoviária do Plano Piloto.

Além disso, havia presença de vendedores ambulantes no terminal, atividade que está proibida na capital (veja foto abaixo).

Dezenas de pessoas circulam na Rodoviária do Plano Piloto, no DF, nesta terça-feira (9) — Foto: TV Globo/Reprodução

Dezenas de pessoas circulam na Rodoviária do Plano Piloto, no DF, nesta terça-feira (9) — Foto: TV Globo/Reprodução

Flagrante

De acordo com a Polícia Militar, não houve ocorrências relacionadas ao descumprimento das medidas implementadas pelo Executivo. Entretanto, a reportagem flagrou uma lanchonete em Ceilândia funcionando após a meia-noite.

Lanchonete é fechada por policiais civis após descumprir toque de recolher, no DF — Foto: TV Globo/Reprodução

Lanchonete é fechada por policiais civis após descumprir toque de recolher, no DF — Foto: TV Globo/Reprodução

O estabelecimento foi fechado por agentes da Polícia Civil, que participaram de uma operação de fiscalização junto aos militares e em parceria com a Secretaria de Estado de Proteção da Ordem Urbanística (DF Legal).

Policiais civis foram para as tuas fiscalização primeira noite com toque de recolher no DF — Foto: PCDF/Divulgação

Policiais civis foram para as tuas fiscalização primeira noite com toque de recolher no DF — Foto: PCDF/Divulgação

Restrições insuficientes

A infectologista do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) Ana Helena Germoglio explica que o toque de recolher implementado na capital não é suficiente. “É como se a gente estivesse chovendo no molhado”, comentou.

De acordo com ela, atividades como bares e restaurantes já estão suspensas. Por isso, o toque de recolher funcionaria muito apenas para esses segmentos, mas tem pouco impacto nas outras atividades abertas.

“A gente precisa de medidas rígidas 24 horas por dia. Não adianta implementar apenas em um horário e nos restante ser muito flexível”, alertou.

Segundo a infectologista, o DF passa por um momento que exige atitudes drásticas, como o fechamento total das atividades.

‘Única forma de combater o avanço da doença’

Ibaneis Rocha fala em rede social sobre novo decreto para conter pandemia no DF — Foto: TV Globo/Reprodução

Ibaneis Rocha fala em rede social sobre novo decreto para conter pandemia no DF — Foto: TV Globo/Reprodução

O novo decreto vale até 22 de março. Apenas quem tiver alguma emergência médica ou precise ir à farmácias pode circular entre 22h e 5h. Além do toque de recolher, outra medida que suspende atividades não essenciais já estava em vigor na capital desde 28 de fevereiro. Ela terminaria em 15 de março, mas foi estendida para igual período da nova regra.

As medidas restritivas impostas tentam conter o avanço da pandemia no DF. Apenas nesta segunda, a capital registrou 2,2 mil casos do novo coronavírus, maior quantidade em um dia em 2021, e 17 mortes provocadas pela doença. Além disso, a taxa de ocupação de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) na rede pública chegou a 100%.

Em uma rede social, o governador disse que “não deveríamos chegar a este ponto, mas é a única forma de combater o avanço da doença e evitar aglomerações”.

Decreto determina toque de recolher no DF — Foto: TV Globo/Reprodução

Decreto determina toque de recolher no DF — Foto: TV Globo/Reprodução

O decreto afirma ainda que será permitido “o deslocamento individual realizado após às 22h, desde que configurada a intenção de retorno à residência e seja realizado logo após o término de jornada de trabalho regular”.

Todos os estabelecimentos que estão autorizados a funcionar devem fechar as portas às 22h, com exceção de:

  • Hospitais;
  • Clínicas médicas e veterinárias;
  • Farmácias;
  • Postos de gasolina;
  • Funerárias.

 

Ainda de acordo com o decreto, entregas de serviços de delivery podem ser feitas até as 23h, desde que o pedido tenha sido realizado até as 22h, “ficando o estabelecimento autorizado a funcionar exclusivamente para finalizar as referidas entregas”.

Quanto ao transporte público, o texto indica que não haverá mudança no horário de funcionamento, “a fim de atender às emergências e à necessidade de deslocamentos inadiáveis que possam vir a ocorrer durante o período”.

O toque de recolher não se aplica às seguintes categorias:

  • Profissionais de imprensa;
  • Servidores públicos, civis ou militares;
  • Agentes de segurança privada;
  • Profissionais de saúde, que estiverem em serviço;
  • Membros do Poder Judiciário, do Ministério Público, das Polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros;
  • Advogados em diligência de cumprimento de alvarás de soltura;
  • Representantes eleitos dos Poderes Legislativo e do Executivo, no âmbito federal ou distrital, desde que devidamente identificados.
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Comentar

É Destaque

A próxima pandemia vai ser mais mortal do que covid’, diz Bill Gates

Publicado

dia

Por

Gates pediu aos principais países que contribuam com bilhões de dólares para se preparar para a próxima epidemia global

Gates teria declarado que as prioridades do mundo são “estranhas” e que cabe a filantropos e governos ricos combater a desigualdade de vacinas (NICHOLAS KAMM/AFP/Getty Images)

Para Bill Gates a próxima pandemia poderá ser muito pior que a do coronavírus (covid-19).

Gates não é estranho a esses alertas. Já no passado ele havia falado sobre riscos de pandemia, e muitos consideram uma previsão do que ocorreu com a covid-19.

O fundador da Microsoft disse que, embora as variantes Ômicron e Delta do coronavírus sejam alguns dos vírus mais transmissivos já vistos, o mundo pode enfrentar um patógeno igualmente contagioso, mas com uma taxa de mortalidade muito maior.

Por isso, um dos homens mais ricos do mundo salientou como é necessário que os governos adotem medidas para prevenir os riscos potencialmente muito mais destrutivos de uma próxima pandemia com índice de letalidade mais agressivo que o da covid.

Gates pediu aos principais países que contribuam com bilhões de dólares para se preparar para a próxima epidemia global.

Segundo o Financial Times, Gates teria declarado que as prioridades do mundo são “estranhas” e que cabe a filantropos e governos ricos combater a desigualdade de vacinas.

“Quando se trata de gastar bilhões para salvar trilhões em danos econômicos e dezenas de milhões de vidas, eu diria que é uma apólice de seguro muito boa”, disse Gates, observando como esforços aparentemente enormes, mesmo em termos econômicos, evitariam danos muito piores.

Ele acrescentou que grande parte da inovação para se preparar para uma futura pandemia também pode ser útil para lidar com outros problemas existentes de saúde globais.

Por exemplo, criando uma vacina para o HIV e melhores vacinas para tuberculose e malária.

A Fundação Bill & Melinda Gates e o Wellcome Trust do Reino Unido estão doando US$ 300 milhões para a Coalition for Epidemic Preparedness Innovations (Cepi), que ajudou a formar o programa Covax para fornecer vacinas a países de baixa e média renda.

A organização busca arrecadar US$ 3,5 bilhões com o objetivo de reduzir o tempo necessário para desenvolver uma nova vacina para apenas 100 dias.

O objetivo é que, se não prevenir novas e devastadoras pandemias, limitar seus efeitos sobre a população e a economia por meio de novas vacinas.

“Foi o dinheiro em risco que fez com que os testes ocorressem. Portanto, houve um enorme benefício global. Estamos todos muito mais inteligentes agora. E precisamos de mais capacidade para a próxima vez”, disse Gates.

Ver mais

É Destaque

Podemos abre conversas com Cidadania em busca de aliança para Moro

Publicado

dia

Por

Caso confirmada, a união garantiria a primeira legenda na coligação de Moro, ampliando recursos e tempo de TV

Sergio Moro. (Evaristo Sa/AFP/Getty Images)

Em busca de alianças políticas que possam turbinar a campanha do ex-ministro Sérgio Moro (Podemos), a presidente do partido, deputada Renata Abreu (SP), se reuniu no fim de semana com o Cidadania para discutir a formação de uma federação partidária, uma das novidades desta eleição. Caso confirmada, a união garantiria a primeira legenda na coligação de Moro, ampliando recursos e tempo de TV. O Podemos é considerada uma sigla pequena, com apenas a 12ª maior fatia do fundo eleitoral neste ano, de R$ 229 milhões.

O movimento do Podemos acontece depois de o Cidadania também abrir conversa para formar federação com o PSDB, que tem o governador de São Paulo, João Doria, como pré-candidato a presidente. Diferentemente das coligações – proibidas nas eleições proporcionais já em 2020 -, as federações vão muito além da disputa eleitoral: criam uma “fusão” temporária entre as siglas envolvidas, que precisam permanecer unidas por pelo menos quatro anos. Os partidos têm até 2 de abril para registrar as alianças.

O presidente do Cidadania, Roberto Freire, afirmou que no encontro com Renata Abreu, no último sábado, 15, os dois ficaram de discutir a ideia de uma união internamente nas legendas. De acordo com o dirigente do Cidadania, se a aliança for confirmada a sigla retiraria a pré-candidatura do senador Alessandro Vieira ao Palácio do Planalto. “Na possibilidade de uma federação com um partido que tem candidato a presidente, você está assumindo que aquela será a candidatura sua também se você aprovar”, afirmou.

Tanto o Cidadania, com sete deputados, e o Podemos, com 11, estão ameaçados de ficarem sem o fundo partidário e o tempo de propaganda de rádio e televisão. A cláusula de desempenho determina que os partidos precisarão eleger pelo menos 11 deputados federais em 2022 para ter acesso aos recursos.

Segundo o dirigente partidário do Cidadania, a sigla precisa decidir se vai formar federação com o PSDB, com o Podemos ou se não vai formar com nenhum partido. Nas últimas semanas, Freire também tem conversado com o presidente do PSDB, Bruno Araújo.

Alessandro Vieira evitou se posicionar e disse que vai aguardar o assunto ser debatido pela Executiva Nacional do Cidadania. De acordo com ele, uma reunião está prevista para esta quarta-feira 19. “É preciso definir as condições, em especial nos palanques regionais”, declarou.

No Distrito Federal, os senadores Reguffe (Podemos) e Leila Barros (Cidadania) são pré-candidatos ao governo. Já em relação à união com os tucanos, na Paraíba o PSDB faz oposição ao governador João Azevedo (Cidadania).

Para ser chancelada, a federação precisa ser aprovada pelas executivas e diretórios nacionais das legendas envolvidas. O processo também envolve a elaboração de um programa partidário comum. O novo instrumento foi aprovado pelo Congresso no ano passado e virou uma alternativa às coligações, que deixaram de existir.

A modalidade é mais rigorosa que a regra anterior porque exige que a união permaneça por no mínimo quatro anos e seja reproduzida também nos Estados. Nas coligações, as alianças poderiam ser desfeitas a qualquer momento e não havia exigência de unidade em todos os Estados.

Além do Cidadania, outro partido que Doria e Moro disputam é o União Brasil, que é a fusão do DEM com o PSL. Em entrevista a uma rádio da Bahia nesta segunda-feira, 17, Moro confirmou que busca alianças com Cidadania, Novo, União Brasil e PSDB, mas deixou claro que ainda não há definições. “Não existe governo de um partido só. A gente quer fazer uma grande aliança nacional entre partidos, mas também com a sociedade civil, em cima de um projeto que faça sentido”, afirmou.

Ver mais

É Destaque

Começa a testagem gratuita de covid-19 nas farmácias do DF

Publicado

dia

Por

Estabelecimentos contam com 48 mil testes para detectar a doença; confira os locais

Testagem é gratuita, e algumas farmácias iniciaram o procedimento nesta terça (18) | Foto: Érika Bragança/Agência Saúde

Responsáveis por 22 farmácias já retiraram, na Secretaria de Saúde, os kits para fazer testes

Começou a testagem de covid-19 em farmácias privadas no Distrito Federal. Os profissionais de saúde foram treinados, e cada estabelecimento participante define o atendimento por agendamento ou demanda. Assim, a testagem gratuita é feita conforme a logística de cada local. O teste é indicado para quem apresenta sintomas ou teve contato com pessoas infectadas. Cada farmácia receberia 500 kits de testagem, mas, como há disponibilidade de testes, essa quantidade foi ampliada para 3 mil.

Há cinco dias com sintomas, o analista de sistemas Roger Viana, 18 anos, fez seu teste nesta terça (18) na Drogaria Brasil, em Santa Maria. Com a confirmação de que está com covid-19, ele vai reforçar os cuidados para evitar a contaminação de mais pessoas. “Eu vou continuar em casa, mantendo a quarentena”, garantiu.

Desde sexta-feira (14), a Secretaria de Saúde (SES) disponibiliza testes para as empresas fazerem a retirada no almoxarifado central da pasta. Até o fim da manhã desta terça-feira, os responsáveis por 22 estabelecimentos haviam retirado os kits.  A princípio seriam 23 farmácias, mas uma decidiu não fazer o atendimento.

Na Drogaria São Rafael, no Gama, a testagem gratuita foi iniciada segunda-feira (17). “Quando a Secretaria de Saúde nos solicitou, a gente atendeu a demanda”, contou a farmacêutica Rafaela Antunes. Alguns estabelecimentos anunciaram o início das atividades a partir das 12h desta terça.

Notificação

A ação é uma parceria da SES com a Fecomércio que, junto ao Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos (Sincofarma), selecionou os estabelecimentos de testagem. Cada farmácia será responsável por notificar a SES sobre os casos positivos e negativos. Servidores da secretaria fizeram o treinamento dos funcionários da empresa sobre o uso do sistema E-SUS, onde são registradas as informações do exame, como data de realização, resultado, lote e data de validade.

O uso da plataforma pelas drogarias parceiras atende a determinação do Ministério da Saúde, que pede a notificação de todos os testes realizados. “A partir das informações coletadas e disponibilizadas no sistema, é possível avaliar de maneira mais sensível o comportamento epidemiológico da transmissão da covid-19 no Distrito Federal”, explica o diretor de Vigilância Epidemiológica da SES, Fabiano dos Anjos.

Aeroporto

Com a testagem ofertada nas unidades básicas de saúde e nas farmácias, poderá ser descontinuada a testagem no ponto criado no Aeroporto Internacional de Brasília. Isso porque o maior objetivo era monitorar a chegada da variante Ômicron ao DF, e o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde já confirmou a transmissão comunitária. “Agora, a meta é monitorar a evolução do número de casos”, afirma o secretário adjunto de Assistência à Saúde, Fernando Erick Damasceno.

Parceria

De acordo com o diretor de Vigilância Sanitária, André Godoy, nem todas as drogarias que se inscreveram para a testagem da secretaria cumpriam os requisitos sanitários e documentais para fazer os testes. “O estabelecimento precisa ter uma sala com circulação de ar e espaço para evitar filas e aglomerações”, explica o gestor.

As farmácias que participam da ação têm liberação para aplicar os testes de covid-19 por 60 dias, prazo que pode ser prorrogado, conforme o cenário epidemiológico. “Os pontos foram liberados de maneira emergencial e provisória. A Vigilância Sanitária vai fiscalizar os locais para mitigar os riscos de transmissão”, informa André Godoy.

Critérios e locais de testagem

As farmácias particulares que aplicarão os testes disponibilizados pela SES seguem os mesmos critérios de público-alvo dos outros pontos de testagem do órgão: atendem quem está sintomático – com tosse, febre, dor de garganta, falta de ar e perda de olfato ou paladar – ou teve contato com casos confirmados da doença.

Conheça, abaixo, os 22 pontos de testagem
– Farmácias Descontão
Avenida das Castanheiras, lote 820, loja 06/07, Águas Claras
QSC 19 Chácara 26, conjunto H, Lote 07A, Taguatinga
QNN 17, conjunto H, lojas 02/03/04, Ceilândia

– Drogaria São Rafael
Quadra 36, Lote 10, Gama

– Drogaria Brasil
CL 214, Lote B, Loja 02, Santa Maria

– Drogaria Drogacenter
QNE 16, Lote 01, Loja 01, Taguatinga Norte
Rua 4 A, Chácara 01, Lote 13, Loja 01, Vicente Pires
Rua Copaíba, lotes 10 a 12, Águas Claras
QNM 18, Conjunto G, Lote 01, Ceilândia
Rua 5, Chácara 102, Lote 32, Vicente Pires
QNO 17, Conjunto I, Lote 03, Loja 06, Ceilândia Norte
QD 203, Lote 28/29, Recanto das Emas
QS 412, Conjunto A, Lote 02, Samambaia Norte
QC 08, Lote 04, Loja 01, Taguatinga Centro
CLSW 104, Bloco A, Loja 58, Sudoeste
ST SHD Bloco N, lojas 09 a 12, Planaltina
Avenida Central, Lote 470, Loja 01, Núcleo Bandeirante
Quadra 12, Comércio Local 1A, Sobradinho
QN 07, Conjunto 06, lotes 20 e 22, Riacho Fundo
Quadra 23, Conjunto 17, Lote 01, Paranoá
SIA Trecho 10, s/nº, Lote 10, lojas 56, 58 e 60, Zona Industrial Guará
QNO 06, Conjunto B, Lote 58, Loja 03, Ceilândia

*Com informações da Secretaria de Saúde

Ver mais

É Destaque

DF inicia vacinação itinerante de crianças contra covid-19

Publicado

dia

Por

Prioridade é para as que estão de cama ou com dificuldade de locomoção

© José Cruz/Agência Brasil

O governo do Distrito Federal (DF) iniciou nesta segunda-feira (17) a vacinação itinerante de crianças contra a covid-19. A iniciativa é voltada para crianças de 5 a 11 anos que estejam de cama ou tenham dificuldade de locomoção.

Para receber a imunização, a família da criança deve entrar em contato com a unidade básica de saúde (UBS) mais próxima de sua casa e solicitar que uma equipe vá fazer a aplicação.

A campanha de vacinação infantil na capital do país começou neste domingo (16), com 11 postos abertos das 9h às 17h.

Nesta etapa, têm prioridade crianças com comorbidades ou com deficiência permanente e sob tutela do Estado. Também estão incluídas crianças sem comorbidades, mas com pelo menos 11 anos completos.

Entre as comorbidades, estão diabetes, pneumopatias graves, hipertensão arterial resistente, insuficiência cardíaca, síndromes coronarianas, miocardiopatias, doenças de aorta e grandes vasos, cardiopatias congênitas, doenças neurológicas e renais crônicas, obesidade mórbida, síndrome de down e cirrose hepática.

Em cada posto de vacinação há três aplicadores, que se dividirão entre crianças com comorbidades, com deficiência permanente e sem comorbidades com idade até 11 anos.

Os locais de vacinação estão listados no site da Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

Foram enviadas ao DF 16,3 mil doses. Estima-se que a capital federal tenha 268 mil crianças na faixa de 5 a 11 anos. Aquelas que tenham tomado outras vacinas devem esperar pelo menos 15 dias antes de buscar a imunização contra covid-19.

Brasil

O único imunizante autorizado para aplicação em crianças é o da Pfizer, e são necessárias duas doses, com intervalo de oito semanas. A dosagem é diferente da aplicada em adultos.

Para receber a vacina, a criança precisa estar acompanhada dos pais ou responsáveis ou apresentar autorização destes por escrito.

As primeiras doses do imunizante para crianças chegaram quinta-feira (13) ao Brasil. O primeiro lote, com 1,2 milhão de doses, foi enviado por avião e distribuído a estados e municípios. Nova remessa com mais 1,2 milhão de doses chegou neste domingo.

Por Agência Brasil

Ver mais

É Destaque

Covid: 4ª dose de vacina não impede infecção por Ômicron, indica estudo

Publicado

dia

Por

Estudo foi realizado em um dos principais hospitais de Israel, o Sheba Medical Center

Profissional de saúde prepara uma dose da vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19 (AFP/AFP)

Uma quarta dose da vacina contra a Covid-19 aumenta os anticorpos para níveis ainda mais altos do que a terceira dose, mas provavelmente não é suficiente para prevenir infecções pela variante Ômicron do coronavírus, de acordo com um estudo preliminar realizado em Israel.

O Centro Médico Sheba em Israel administrou uma segunda dose de reforço em um estudo com sua equipe e está estudando os efeitos da dose da vacina da Pfizer em 154 pessoas após duas semanas, e do reforço com o imunizante da Moderna em 120 pessoas após uma semana, afirmou Gil Regev-Yochai, diretor da Unidade de Doenças Infecciosas.

Esse grupo estão sendo comparados com um grupo de controle que não recebeu a quarta dose. Os voluntários no grupo da Moderna haviam recebido três doses da vacina da Pfizer, afirmou o hospital.

A dose adicional levou a um aumento no número de anticorpos “até mesmo um pouco maior do que o que tínhamos após a terceira dose”, disse Regev-Yochay.

“Ainda assim, isso provavelmente não é o suficiente para a Ômicron”, disse ela a jornalistas. “Sabemos até agora que o nível de anticorpos necessários para proteger e não se infectar com a Ômicron é provavelmente alto demais para a vacina, mesmo se for uma boa vacina.”

As descobertas, que segundo o hospital são as primeiras do tipo no mundo, são preliminares e ainda não foram publicadas.

Israel foi o país que avançou mais rápido em sua vacinação inicial contra a Covid-19 há um ano, e começou no mês passado a aplicar uma quarta dose, ou segundo reforço, para os grupos mais vulneráveis e de alto risco.

Ver mais

É Destaque

Bolsonaro confirma que Tarcísio de Freitas disputará governo de São Paulo

Publicado

dia

Por

Na primeira participação de Tarcísio nas transmissões ao vivo de Bolsonaro no ano eleitoral, o presidente aproveitou para fazer campanha para o ministro

(crédito: Valter Campanato/ Agência Brasil )

O presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou nesta quinta-feira, 13, que o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, vai disputar o governo de São Paulo neste ano. Durante transmissão ao vivo nas redes sociais, o chefe do Executivo disse que, se o ministro for eleito, fará um trabalho “semelhante” ao seu.

“Eu vou responder essa aí porque o Tarcísio não pode responder, não. Eu conversei com o Tarcísio e ele topou ser pré-candidato ao governo do Estado de São Paulo”, disse Bolsonaro, em resposta a uma pergunta feita ao ministro durante a “live”.

Na primeira participação de Tarcísio nas transmissões ao vivo de Bolsonaro no ano eleitoral, o presidente aproveitou para fazer campanha para o ministro. “No nosso governo, ele tem feito um trabalho que é reconhecido por todos. É um tocador de obras, é um empreendedor e sabe realmente dos problemas do Brasil todo”, afirmou o chefe do Executivo.

Bolsonaro frisou que Tarcísio se formou, como ele, na Academia Militar das Agulhas Negras e trabalhou na Comissão de Transportes da Câmara, quando foi deputado. “Logicamente, ele não vai saber com profundidade, com particularidade, certos problemas do Estado de São Paulo, assim como eu não sei do Brasil. Agora, o Tarcísio pode, sim, ser uma esperança para São Paulo”, afirmou.

Pressão política

Ao dizer que sofreu pressões políticas no começo de seu governo para preencher a Esplanada dos Ministérios, Bolsonaro sugeriu que Tarcísio seguisse seu exemplo. Segundo o presidente, apesar da entrega da Casa Civil ao senador Ciro Nogueira (PP-PI) e da Secretaria de Governo à deputada Flávia Arruda (PL-DF), ambos do Centrão, ele não cedeu às pressões políticas.

A ministra Flávia Arruda pediu licença do cargo a partir desta quinta-feira e ficará afastada da pasta até o dia 21 de janeiro para tratar de “assuntos particulares”. A licença da titular consta em publicação do Diário Oficial da União desta sexta-feira, 14.

“Pode ter certeza, ele ganhando as eleições, porventura, vai fazer um trabalho semelhante ao meu, a começar pela escolha do seu secretariado, que tem que ser tecnicamente escolhido”, acrescentou Bolsonaro.

Durante a “live”, ao falar de eleições, o chefe do Executivo também disse que quando ele sair do governo, vai entrar outro presidente com o mesmo perfil. “Pretendo não ficar a minha vida toda por aqui, não”, declarou Bolsonaro.

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?