Nossa rede

É Destaque

Cada vida importa, diz Moro ao defender elucidação da morte de Marielle

Publicado

dia

Em fala no Brazil Summit, evento realizado pela The Economist em São Paulo, o ministro disse que não se pode entrar em teorias da conspiração

Sergio Moro: ministro da Justiça diz que respeita decisão da Justiça, apesar de lamentar (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

São Paulo — O ministro da Justiça, Sergio Moro, defendeu nesta quinta-feira (24) a elucidação sobre o mandante do assassinato da vereadora Marielle Franco, morta a tiros em março do ano passado, no Rio de Janeiro.

“Acompanhamos esse caso com atenção e o governo federal tem máximo dever de que ele seja elucidado. Acho que cada vida importa. Temos toda intenção de contribuir, mas agora não está na esfera de competência dos órgãos federais”, disse após pergunta de uma mulher da plateia no Brazil Summit, evento da revista britânica The Economist em São Paulo.

Moro, no entanto, afirmou que não se pode entrar em teorias da conspiração. “Dizem que o ministro deve ir lá e resolver o caso sozinho. Não! O ministro não é detetive”, disse.

A outra pergunta da plateia, feita por uma mulher da organização de direitos humanos Conectas, foi sobre como a política de liberação de armas do governo Bolsonaro mina o Estatuto do Desarmamento e com isso o combate à violência.

Moro disse que as causas da violência são complexas e destacou a queda de homicídios verificada no começo de 2019. Há amplas evidências, tanto na literatura nacional quanto na internacional, de que a menor circulação de armas está relacionada à queda de homicídios.

Letalidade policial

Questionado pela entrevistadora Sarah Maslin sobre o aumento da letalidade policial no país, Moro destacou que esse enfrentamento não é comum nas forças federais, sob sua responsabilidade, e que as mortes são concentradas em alguns estados.

Ele destacou que o ministério da Justiça e Segurança Pública “sempre deixou claro que não tem como estratégia de combate ao crime o confronto, e que o confronto tem que ser evitado”.

O ministro também falou sobre a tentativa, antes presente no seu pacote anticrime e retirada pelo grupo de trabalho, de ampliar o excludente de licitude, ampliando as possibilidades na lei para que mortes enquadradas como legítima defesa tivessem punição reduzida ou anulada.

O ministro disse que houve “um pouco de preconceito” sobre o tema porque o item repete redação já encontrada no código penal de países como Portugal e Alemanha. Ambos tem níveis irrisórios de brutalidade policial.

Condenação em segunda instância

O ministro falava enquanto se dava o voto da ministra Rosa Weber no caso da execução da pena após condenação em, segunda instância. Moro destacou seu respeito pelo STF e disse que qualquer decisão tem que ser respeitada, mas reafirmou sua posição contrária:

“Quando você condiciona a execução da pena ao final do processo, embora não pareça problemático é, no Brasil, porque o processo judicial é lento”, destacou.

The Intercept

O ministro foi questionado sobre o vazamento de mensagens privadas no âmbito da Operação Lava Jato mostrando coordenação entre procuradores e juízes, sugestões sobre ordem de operações e manipulação de operações considerando impacto político e midiático, entre outras irregularidades.

Ele falou que a “divulgação por alguns veículos de comunicação sensacionalistas” foi para “gerar falsos escândalos”, mas que não viu erros e abusos e sim discussões sobre “picuinhas”.

Política

Sarah lembrou que, no mesmo evento da Economist em 2015, Moro havia negado qualquer possibilidade de participar da política, mas que acabou aceitando o cargo de ministro.

Ele disse que seu papel é técnico, se reafirmou “um peixe fora d’água na politica” e voltou a negar voos futuros: “Se eu morrer vou botar no túmulo: não foi candidato”. O ministro deixou o evento sem falar com a imprensa.

 

Comentário

É Destaque

Presídios do DF chegam a 901 infectados pelo coronavírus; 675 são detentos

Publicado

dia

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, 226 policiais penais também foram infectados. Um preso e um servidor morreram.

Presos do Presídio da Papuda em Brasília, em imagem de arquivo. — Foto: Gláucio Dettmar/Agência CNJ

Os presídios do Distrito Federal registraram oito novos casos de coronavírus nas últimas 24 horas. Assim, chega a 901 o número de infectados no sistema penitenciário da capital, entre detentos e servidores. Os dados foram divulgados pelas secretarias de Saúde e de Segurança Pública nesta terça-feira (26).

De acordo com as pastas, os contaminados são:

  • 226 policiais penais
  • 675 presos

Até esta terça, um detento e um policial penal haviam morrido por conta da Covid-19 na capital. Além dos casos nos presídios administrados pelo governo do DF, a Penitenciária Federal de Brasília também registrou um infectado na unidade.

Casos entre detentos

De acordo com a Secretaria de Saúde, entre os detentos com coronavírus, 578 estão recuperados. Outros 95 ainda são casos ativos, divididos entre:

  • Casos leves: 88
  • Casos moderados: 3
  • Casos graves: 1
  • Em análise: 3

Ainda segundo a pasta, todos os infectados são homens. A maioria tem entre 20 e 29 anos, mas 121 são idosos. O boletim aponta ainda que 37 pacientes têm comorbidades – doenças que podem agravar o quadro.

Casos entre servidores

Já quanto aos servidores infectados, a Secretaria de Segurança Pública afirma que 82 policiais ainda são casos ativos e 144 estão recuperados. Até a última segunda-feira (25), quatro estava internados: um no Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e três em unidades de saúde privadas.

Os servidores infectados trabalham nas seguintes unidades:

  • Centro de Detenção Provisória (CDP): 36 policiais penais
  • Centro de Internamento e Reeducação (CIR): 39 policiais penais
  • Penitenciária do Distrito Federal I (PDF I): 49 policiais penais
  • Penitenciária do Distrito Federal II (PDF-II): 52 policiais penais
  • Centro de Progressão Penitenciária (CPP): 23 policiais penais
  • Diretoria Penitenciária de Operações Especiais (DPOE): 21 policiais penais
  • Penitenciária Feminina do Distrito Federal (PFDF): 1 policial
  • Área administrativa da Sesipe: 5 servidores

Medidas de contenção

Militares da Marinha e Exército fazem limpeza do Centro Penitenciário da Papuda — Foto: Comando Conjunto do Planalto

Militares da Marinha e Exército fazem limpeza do Centro Penitenciário da Papuda — Foto: Comando Conjunto do Planalto.

Segundo a Sesipe, uma série de medidas têm sido tomadas para evitar a proliferação do coronavírus nos presídios da capital. Entre elas estão:

  • Suspensão das visitas aos detentos até o dia 29 de maio;
  • Policiais penais participaram de videoconferência com uma infectologista, sobre estratégias de prevenção, detecção e controle do coronavírus;
  • Detentas da Penitenciária Feminina produziram 20 mil máscaras que serão divididas entre a Secretaria de Saúde e a Sesipe;
  • A Sesipe passou a fazer a limpeza de celas, viaturas e prédios da administração e da parte externa dos presídios; a mesma ação havia sido realizada com apoio do Exército Brasileiro e da Vigilância Ambiental;
  • Duzentas máscaras laváveis foram doadas e serão repassadas às unidades prisionais;
  • A Secretaria de Turismo (Setur) abriu processo para selecionar hotéis para policiais penais ficarem em isolamento;
  • Sistema de drive-thru, no Complexo da Papuda, para testagem rápida de servidores da SSP e da SES que atuam em unidades prisionais;
  • Dois novos blocos dos novos CDPs, com 200 vagas cada, estão sendo utilizados para tratamento e quarentena de presos durante a pandemia, 311 internos já ocupam os blocos.

Ver mais

É Destaque

Shoppings do DF reabrem nesta quarta-feira com novas medidas contra Covid-19; veja detalhes

Publicado

dia

Decreto do GDF autorizou retomada dos centro comerciais. Estabelecimentos vão funcionar em horário reduzido e com parte das atividades suspensas; Pier 21 não vai reabrir.

Câmera termográfica sendo testada em shopping do DF — Foto: Celso Junior/Setec

Os shoppings do Distrito Federal vão reabrir as portas a partir desta quarta-feira (27). A retomada das atividades foi permitida por um decreto publicado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), na última sexta (22).

No entanto, para funcionar em meio à pandemia do novo coronavírus, os estabelecimentos terão que adotar medidas de segurança, como a testagem dos funcionários e o uso obrigatório de máscaras (veja detalhes abaixo). Além disso, só poderão receber clientes durante meio período, das 13h às 21h.

Quem descumprir as determinações poderá responder pelo crime de infração de medida sanitária preventiva. Já as empresas estão sujeitas a multa e até à suspensão de alvará de funcionamento. Para garantir o funcionamento em meio a essa nova realidade, os shoppings estão tomando medidas para se adequar às regras. Veja abaixo alguns exemplos:

Entrada controlada

Segundo o decreto, todos os estabelecimentos terão que ter um controle de entrada dos clientes, colaboradores e fornecedores. A entrada só será permitida por quem estiver usando máscaras e não apresentar temperatura acima de 37,7ºC. Além disso, o fluxo de pessoas terá que ser reduzido em 50%, inclusive nos estacionamentos.

“O uso da máscara deverá ser constante, durante todo o período em que [os clientes] estiverem nas dependências do shopping”, afirma o ParkShopping, em nota. No local, também serão instalados tapetes sanitizantes para a higienização dos sapatos.

Sem consumo no local

O consumo nas praças de alimentação também seguirá suspenso. No Brasília Shopping, por exemplo, os clientes apenas poderão comprar nos restaurantes e levar para viagem. “Porém sem possibilidade de consumir no shopping”, afirma o estabelecimento, em nota.

No Iguatemi Shopping, que fica na região do Lago Norte, o consumo também funcionará apenas em esquema de delivery e take away.

Shopping do DF só com farmácia aberta — Foto: Larissa Passos

Shopping do DF só com farmácia aberta — Foto: Larissa Passos

Compras em drive-thru

Antes do decreto ser publicado, alguns shopping já haviam começado um serviço de compras em esquema de drive-thru, onde o cliente escolhe e paga o produto pela internet e, sem seguida, seleciona a forma de entrega: por meio de agendamento ou por delivery.

No dia das mães, nove shoppings da capital adotaram o esquema. Mesmo com a reabertura, alguns estabelecimentos optaram por continuar com o sistema de compra online e retirada no local, como o Shopping Conjunto Nacional.

O Brasília Shopping e o ParkShopping também vão manter a modalidade. “O drive-thru continuará em operação para os clientes que preferirem esse tipo de plataforma para aquisição dos produtos”.

Higiene reforçada

De acordo com o decreto, toda a higienização deverá ser reforçada e também precisará seguir uma rotina de desinfecção nas áreas de circulação, banheiros, portas e corrimãos. A maioria dos estabelecimentos contratou serviços especializados de desinfecção para a adoção das medidas exigidas.

“Equipamentos e produtos de higiene regularizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) serão utilizados a cada três horas em todo o empreendimento”, destaca o Shopping Conjunto Nacional.

Em outros estabelecimentos, o número de pessoas trabalhando no serviço de higienização e desinfecção foi ampliado nas áreas comuns de circulação.

Serviços suspensos

Mesmo com a reabertura dos shoppings, alguns serviços que funcionam dentro desses locais permanecerão suspensos, como:

  • Cinemas
  • Academias
  • Teatros
  • Brinquedotecas
  • Brinquedos eletrônicos

Além desses serviços, não será permitido o uso dos provadores das lojas. No ParkShopping, todas as lojas que tiverem esse serviço deverão isolá-lo, não permitindo o uso por parte dos clientes.

Píer 21 não vai funcionar

Mesmo com a possibilidade de retomar as atividades, nem todos os shoppings vão reabrir. É o caso do Píer 21. Segundo a empresa, “por ter características diferentes dos demais empreendimentos, atuando no segmento gastronômico, entretenimento e lazer, optamos neste momento em não abrir, permanecendo assim com os serviços de drive-thru e delivery”.

Ver mais

É Destaque

Bolsonaro assina MP que concede reajuste a policiais e bombeiros do DF

Publicado

dia

Proposta foi aprovada pelo Congresso Nacional em 13 de maio. Texto prevê reajuste de 8% para policiais civis e de 25% em gratificação de PMs.

Policiais Militares do Distrito Federal — Foto: PMDF/ Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) editou, nesta terça-feira (26), medida provisória que permite a concessão de reajuste à Polícia Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros do Distrito Federal.

O texto foi assinado em cerimônia no Palácio do Planalto, com a presença do secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Torres. Até a última atualização desta reportagem, a medida ainda não havia sido publicada no Diário Oficial da União (DOU).

A proposta foi aprovada pelo Congresso Nacional no dia 13 de maio e prevê reajuste de 8% para policiais civis e de 25% no valor da Vantagem Pecuniária Especial (VPE), paga a todos os postos e graduações de policiais militares e bombeiros (veja detalhes abaixo).

Os salários são pagos por meio do Fundo Constitucional do DF, repasse feito pela União para gastos com segurança, educação e saúde. Por isso, o reajuste precisou do aval do Congresso e do presidente Bolsonaro. Ao todo, o impacto nos cofres públicos será de R$ 505 milhões.

Novos salários

A partir da validação da norma, os vencimentos da Polícia Civil passam a ser os seguintes:

  • Agentes: antes do reajuste, variava entre R$ 8.698,78 e R$ 13.751,51. Passa a variar entre R$ 9.394,68 e R$ 14.851,63;
  • Delegados: antes do reajuste, variava de R$ 16.830,85 a R$ 22.805,00. Passa a variar entre R$ 18.177,32 e R$ 24.629,40;

Já o salário dos militares é calculado de forma diferente, com um valor base que é somado a gratificações. O projeto aprovado pelo Congresso prevê um aumento na Vantagem Pecuniária Especial, que teve incremento de 25%. O impacto nos salários é de:

  • Para soldados de 2ª classe (cargo mais baixo): passa de R$ 4.069,06 para R$ 4.443,11;
  • Para coronéis (cargo mais alto): passa de R$ 17.271,13 para R$ 19.090,92.

Cinco meses depois

Presidente Jair Bolsonaro recebe o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, no Palácio da Alvorada. — Foto: Twitter/Reprodução

Presidente Jair Bolsonaro recebe o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, no Palácio da Alvorada. — Foto: Twitter/Reprodução

A proposta altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e permite que o pagamento do reajuste seja retroativo a janeiro deste ano. Segundo a União, o reajuste não cria novas despesas ao governo federal, já que os valores do Fundo Constitucional do DF são pré-determinados por lei.

A concessão do reajuste estava no centro de um imbróglio desde o fim do ano passado. Em 24 de dezembro, o presidente Jair Bolsonaro e o governador Ibaneis Rocha (MDB), anunciaram aumento imediato de 8% nos salários dos servidores. O reajuste seria concedido por meio de medida provisória.

Três dias depois, no entanto, o presidente afirmou que a medida teria que ser adiada. Segundo Bolsonaro, a concessão imediata poderia causar problemas com a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Por isso, disse que enviaria projeto de lei ao Congresso para tratar do aumento.

“Olha só, eu pretendia fazer por MP, mas eu estaria podendo ser responsabilizado pela LRF. Teria que dar 1,5% agora, mas se eu der 1,5% para eles, vão falar que é um acinte. Mas ajudaria a gente a destravar para o ano que vem”, declarou Bolsonaro à ocasião.

Uma semana depois, o projeto de lei foi assinado pelo presidente e enviado ao Congresso.

Ver mais

É Destaque

Dois meses após primeiro óbito, DF ultrapassa 100 mortes por coronavírus; veja perfil dos casos

Publicado

dia

Segundo boletim da Secretaria de Saúde, até noite de segunda (25), 106 moradores da capital foram vítimas da doença. Paciente mais jovem tinha 22 anos.

Estrutura do coronavírus tem formato de coroa — Foto: Radoslav Zilinsky/Getty Images/Arquivo.

O Distrito Federal ultrapassou, nesta segunda-feira (25), a triste marca de 100 mortos pelo novo coronavírus. A Secretaria de Saúde do Distrito Federal confirmou 106 óbitos de moradores da capital. Outras oito pessoas que viviam no Entorno também morreram em unidades de saúde do DF.

Nos últimos dois meses, familiares de vítimas da Covid-19 relataram à reportagem a angústia de enterrar os entes queridos. As recomendações de saúde proíbem a aproximação do caixão e a troca de abraços durante a despedida.

O G1 fez um levantamento sobre os principais dados relativos às mortes por coronavírus na capital, desde os primeiros casos até os mais recentes. Veja abaixo:

Primeiros casos

No dia 23 de março, a Covid-19 fez a primeira vítima no DF: uma enfermeira de 61 anos, que atuava como assessora técnica do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), ela tinha obesidade e hipertensão.

A morte ocorreu pouco mais de duas semanas após o DF registrar o primeiro caso de coronavírus, no dia 7 de março. A paciente zero é uma mulher de 52 anos que apresentou os sintomas depois de voltar de uma viagem à Europa. Ela está curada da doença, recebeu alta da UTI na semana passada, mas segue internada.

À época, o DF tinha 138 infectados. Até as 18h desta segunda (25), já eram 6.930 contaminados. Aos poucos, a doença atingiu diferentes faixas etárias e perfis. Entre os mortos, 12% não possuíam nenhuma comorbidade – outra doença que poderia agravar o caso.

Casos por mês

No mês de março, as mortes atingiram apenas idosos. Foram três casos: duas mulheres, de 61 e 73 anos; e um homem, de 77 anos. Nos meses seguintes, os óbitos pela doença alcançaram pessoas de outras faixas etárias.

Em abril foram registradas mais 27 mortes. A vítima mais jovem da Covid-19 até então tinha 37 anos. O homem tinha obesidade, o que agravou o caso, segundo a Secretaria de Saúde.

Foi também em abril que a secretaria registrou a vítima mais velha: um homem, de 101 anos, morador do Riacho Fundo I. O idoso tinha problemas nos rins. Antes de falecer, o paciente ficou internado no Hospital Regional da Asa Norte (Hran) por quatro dias. Ele deixou seis filhos.

“Não pudemos sequer chegar perto do caixão. É uma coisa desumana, que não existe”, disse um dos filhos do idoso.

Carro funerário com corpo de idoso de 101 anos, vítima da Covid-19, no DF — Foto: Afonso Ferreira/ G1

Carro funerário com corpo de idoso de 101 anos, vítima da Covid-19, no DF — Foto: Afonso Ferreira/ G1

Desde 1º de maio foram registradas mais 76 mortes. Uma jovem de 22 anos se tornou a vítima mais nova. Moradora de Samambaia, a paciente tinha microcefalia e paralisia cerebral.

Veja casos por mês:

  • Março: 3 mortes

Pessoas de 61 a 77 anos

  • Abril: 27 mortes

Pessoas de 37 a 101 anos

  • Maio: 76 mortes

Pessoas de 22 a 92 anos

Faixa etária das vítimas por Covid-19

Idades Casos
20 a 29 2
30 a 39 5
40 a 49 7
50 a 59 10
60 a 69 23
70 a 79 20
80 ou mais 31

Doenças

Entre os óbitos por Covid-19, 88% das vítimas tinham alguma comorbidade. Cardiopatias são as doenças mais frequentes. Veja abaixo:

  • Cardiopatias: 64 mortes (61%)
  • Distúrbios metabólicos: 36 mortes (34%)
  • Pneumopatias: 16 mortes (15%)
  • Obesidade: 15 mortes (14%)
  • Imunossupressão: 8 (7%)
  • Nefropatias: 6 mortes (5%)
  • Outros: 23 mortes

Sem comorbidades

No mês de maio, houve a primeira morte entre infectados no Complexo Penitenciário da Papuda. A primeira vítima foi um policial penal. Francisco Pires de Souza, de 45 anos, morreu no dia 17. Ele não tinha outras doenças, segundo a Secretaria de Saúde.

“Um profissional exemplar, amigo e companheiro”, lembrou emocionado um dos colegas de Francisco, o policial penal Neto Freitas.

À época, amigos e familiares se despediram de Francisco com carreata, salva de tiros e palmas.

Regiões Administrativas

A maior parte das mortes em decorrência do novo coronavírus ocorreu nas regiões de média-baixa renda do Distrito Federal. Ceilândia concentra a maioria dos casos, com 23 mortes.

O número é maior do que em toda a região central de Brasília, que até este domingo (24), registrava 18 óbitos, somando os casos de Plano Piloto, Sudoeste/Octogonal e Lago Sul.

Veja abaixo:

  • Ceilândia (inclui Sol Nascente) 23
  • Samambaia: 11
  • Guará: 9
  • Águas Claras (inclui Arniqueiras): 8
  • Planaltina: 6
  • Santa Maria: 6
  • Plano Piloto: 5
  • Riacho Fundo I: 4
  • Gama: 4
  • Recanto das Emas: 3
  • Taguatinga: 3
  • Scia (Estrutural): 2
  • Sobradinho I: 2
  • São Sebastião: 2
  • Jardim Botânico: 2
  • Sudoeste/Octogonal: 1
  • Lago Sul: 1
  • Candangolândia: 1
  • Núcleo Bandeirante: 1
  • Riacho Fundo II: 1
  • Brazlândia: 1
  • Itapoã: 1
Ver mais

É Destaque

Sobe para 6.724 número de infectados pelo coronavírus no DF

Publicado

dia

São 86 infecções a mais que total contabilizado no último domingo (24). Até início da tarde desta segunda (25), número de mortes entre moradores da capital permanecia em 98.

Coleta de sangue para testes rápidos para a detecção do novo coronavírus no Distrito Federal — Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

Subiu para 6.724 o número de casos do novo coronavírus no Distrito Federal. A informação foi divulgada pela Secretaria de Saúde (SES-DF), no início da tarde desta segunda-feira (25). São 86 infecções a mais que o total contabilizado até o último domingo (24).

Segundo o boletim, o número de mortes de moradores da capital pela Covid-19 permanece em 98, mesmo total desde a atualização de domingo. Ceilândia é a região administrativa com maior registro de óbitos no DF, com 22 registros.

Ao todo, 104 pessoas morreram por conta da Covid-19 na capital. No entanto, seis são moradoras do Entorno e, segundo a SES-DF, devem ser contabilizadas nas estatísticas de Goiás. (veja lista ao fim da reportagem).

Perfil de infectados

Segundo boletim do governo do DF, a maioria dos pacientes é homem (54%) e tem entre 30 e 39 anos. Veja abaixo os casos por faixa etária:

  • Menor de 19 anos: 332
  • De 20 a 29 anos: 1,12 mil
  • De 30 a 39 anos: 1,92 mil
  • De 40 a 49 anos: 1,56 mil
  • De 50 a 59 anos: 909
  • Mais de 60 anos: 885

Por região

O Plano Piloto tem o maior número de casos da capital, ultrapassando o sistema penitenciário com 681 pessoas infectadas. Em seguida, vem o sistema penitenciário, depois vem Ceilândia. Veja abaixo:

  • Plano Piloto: 681
  • Sistema penitenciário: 667
  • Ceilândia: 552
  • Taguatinga: 402
  • Samambaia: 394
  • Águas Claras: 354

Mortes por Covid-19 no DF

  1. 23 de março: mulher de 61 anos
  2. 29 de março: homem de 77 anos
  3. 31 de março: homem de 73 anos
  4. 1º de abril: homem de 82 anos
  5. 2 de abril: homem de 50 anos
  6. 2 de abril: mulher de 77 anos
  7. 3 de abril: mulher de 61 anos
  8. 3 de abril: homem de 67 anos
  9. 3 de abril: mulher de 61 anos
  10. 4 de abril: homem de 84 anos
  11. 5 de abril: homem de 37 anos
  12. 5 de abril: homem de 49 anos
  13. 8 de abril: mulher de 81 anos
  14. 9 de abril: mulher de 76 anos
  15. 12 de abril: homem de 78 anos
  16. 12 de abril: homem de 94 anos
  17. 13 de abril: homem de 54 anos
  18. 14 de abril: mulher de 73 anos
  19. 14 de abril: mulher de 79 anos
  20. 15 de abril: homem de 69 anos
  21. 15 de abril: homem de 87 anos
  22. 15 de abril: mulher de 57 anos
  23. 16 de abril: mulher de 84 anos
  24. 17 de abril: mulher de 60 anos
  25. 18 de abril: mulher de 89 anos
  26. 22 de abril: homem de 101 anos
  27. 22 de abril: homem de 85 anos
  28. 25 de abril: mulher de 63 anos
  29. 26 de abril: mulher de 67 anos
  30. 29 de abril: homem de 63 anos
  31. 30 de abril: mulher 85 anos
  32. 1º de maio: jovem de 22 anos
  33. 2 de maio: homem de 67 anos
  34. 4 de maio: homem de 53 anos
  35. 6 de maio: homem de 68 anos
  36. 8 de maio: mulher de 73 anos
  37. 9 de maio: homem de 75 anos
  38. 9 de maio: homem de 34 anos
  39. 10 de maio: mulher de 67 anos
  40. 10 de maio: mulher de 71 anos
  41. 10 de maio: mulher de 90 anos
  42. 9 de maio: mulher de 92 anos
  43. 10 de maio: homem de 72 anos
  44. 10 de maio: mulher de 89 anos
  45. 11 de maio: homem de 72 anos
  46. 12 de maio: mulher de 80 anos
  47. 12 de maio: homem de 52 anos
  48. 13 de maio: mulher de 92 anos
  49. 13 de maio: homem de 38 anos
  50. 13 de maio: homem de 45 anos
  51. 14 de maio: homem de 84 anos
  52. 14 de maio: mulher de 63 anos
  53. 14 de maio: homem de 70 anos
  54. 14 de maio: homem de 84 anos
  55. 16 de maio: mulher de 84 anos
  56. 16 de maio: mulher de 73 anos
  57. 16 de maio: homem de 82 anos
  58. 17 de maio: homem de 45 anos
  59. 17 de maio: mulher de 85 anos
  60. 17 de maio: mulher de 87 anos
  61. 17 de maio: mulher de 56 anos
  62. 17 de maio: homem de 71 anos
  63. 18 de maio: homem de 58 anos
  64. 18 de maio: mulher de 46 anos
  65. 19 de maio: homem de 76 anos
  66. 19 de maio: homem de 32 anos
  67. 19 de maio: mulher de 86 anos
  68. 19 de maio: homem de 89 anos
  69. 19 de maio: homem de 66 anos
  70. 19 de maio: homem de 77 anos
  71. 19 de maio: mulher de 90 anos
  72. 19 de maio: mulher de 87 anos
  73. 19 de maio: homem de 57 anos
  74. 20 de maio: homem de 55 anos
  75. 20 de maio: homem de 55 anos
  76. 20 de maio: mulher de 56 anos
  77. 20 de maio: homem de 78 anos
  78. 21 de maio: homem de 90 anos
  79. 21 de maio: homem de 25 anos
  80. 21 de maio: homem de 91 anos
  81. 21 de maio: mulher de 69 anos
  82. 21 de maio: homem de 91 anos
  83. 21 de maio: mulher de 69 anos
  84. 21 de maio: homem de 69 anos
  85. 22 de maio: homem de 41 anos
  86. 22 de maio: homem de 65 anos
  87. 22 de maio: homem de 67 anos
  88. 22 de maio: mulher de 35 anos
  89. 22 de maio: mulher de 67 anos
  90. 23 de maio: mulher de 90 anos
  91. 23 de maio: homem de 80 anos
  92. 23 de maio: homem de 82 anos
  93. 23 de maio: homem de 67 anos
  94. 23 de maio: homem de 45 anos
  95. 24 de maio: mulher de 45 anos
  96. 24 de maio: homem de 70 anos
  97. 24 de maio: mulher de 74 anos
  98. 24 de maio: homem de 66 anos

Ver mais

É Destaque

Com mais 9 mortes, DF chega a 98 óbitos por Covid-19; infectados são 6.638

Publicado

dia

Ao todo, 104 pessoas morreram na capital, seis são moradoras do Entorno. São 390 novos contaminados em relação à noite de sábado (23).

Testagem rápida de coronavírus no DF — Foto: Renato Alves/Agência Brasília

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) confirmou mais nove mortes de moradores da capital pelo novo coronavírus neste domingo (24). Com os casos, o total de óbitos chega a 98 (veja lista no final da reportagem).

Ao todo, 104 pessoas morreram por conta da Covid-19 na capital. No entanto, seis são moradoras do Entorno e, segundo a SES-DF, devem ser contabilizadas nas estatísticas de Goiás.

O número de infectados pela doença também subiu e chegou a 6.638 neste domingo. São 390 a mais que o total contabilizado até a noite de sexta-feira (22).

As nove vítimas confirmadas neste domingo são:

  1. Homem, de 67 anos, morador de Sobradinho. Deu entrada no Hospital Regional da Asa Norte (Hran) em 13 de maio e faleceu na última sexta-feira (22). Segundo a SES-DF, tinha diabetes, pneumopatia e hipertensão arterial sistêmica.
  2. Homem, de 67 anos, morador de Ceilândia. Deu entrada em um hospital particular em 13 de maio e faleceu neste sábado (23). Segundo a SES-DF, tinha diabetes e hipertensão arterial sistêmica.
  3. Homem, de 45 anos, morador de Samambaia. Deu entrada no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) em 6 de maio e faleceu neste sábado (23). Segundo a SES-DF, tinha diabetes.
  4. Mulher, de 35 anos, moradora de Ceilândia. Deu entrada no Hospital Regional de Taguatinga (HRT) em na sexta-feira (22) e faleceu no mesmo dia. Segundo a SES-DF, tinha câncer.
  5. Mulher, de 45 anos, moradora do Guará. Deu entrada em um hospital particular em 15 de maio e faleceu neste domingo (24). Segundo a SES-DF, tinha pneumopatia, cardiovascular, diabetes, imunossupressão.
  6. Mulher, de 67 anos, moradora do Plano Piloto. Deu entrada em um hospital particular em 13 de maio e faleceu na última sexta-feira (22). Segundo a SES-DF, a paciente não tinha comorbidades.
  7. Homem, de 70 anos, morador de Ceilândia. Deu entrada no Hospital Regional de Ceilândia (HRC) e depois transferido em 17 de maio para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e faleceu em 24/05. Segundo a SES-DF, tinha hipertensão arterial sistêmica.
  8. Mulher, de 74 anos, morador no Guará. Deu entrada no Hran em 19 de maio e faleceu neste domingo (24). Segundo a SES-DF, tinha mal de parkinson.
  9. Homem, de 66 anos, morador de Samambaia. Deu entrada no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) em 4 de maio e faleceu neste domingo (24). Segundo a SES-DF, tinha diabetes, hipertensão arterial sistêmica, obesidade.

Já entre os seis moradores do Entorno que morreram na capital, estão: dois do Novo Gama, dois de Águas Lindas, um de Valparaíso e um da Cidade Ocidental.

Perfil de infectados

Segundo boletim do governo do DF, dos 6.248 casos, 6.638 estão recuperados. A maioria dos pacientes é homem (54,2%) e tem entre 30 e 39 anos. Veja abaixo os casos por faixa etária:

  • Menor de 19 anos: 326
  • De 20 a 29 anos: 1,1 mil
  • De 30 a 39 anos: 1,9 mil
  • De 40 a 49 anos: 1,53 mil
  • De 50 a 59 anos: 894
  • Mais de 60 anos: 879

A região com o maior número de infectados é o Plano Piloto, seguido do sistema penitenciário, na sequência vem Ceilândia. Veja abaixo:

Por região

  • Plano Piloto: 673
  • Sistema penitenciário: 667
  • Ceilândia: 575
  • Samambaia: 390
  • Taguatinga: 388
  • Águas Claras: 370

Mortes por Covid-19 no DF

  1. 23 de março: mulher de 61 anos
  2. 29 de março: homem de 77 anos
  3. 31 de março: homem de 73 anos
  4. 1º de abril: homem de 82 anos
  5. 2 de abril: homem de 50 anos
  6. 2 de abril: mulher de 77 anos
  7. 3 de abril: mulher de 61 anos
  8. 3 de abril: homem de 67 anos
  9. 3 de abril: mulher de 61 anos
  10. 4 de abril: homem de 84 anos
  11. 5 de abril: homem de 37 anos
  12. 5 de abril: homem de 49 anos
  13. 8 de abril: mulher de 81 anos
  14. 9 de abril: mulher de 76 anos
  15. 12 de abril: homem de 78 anos
  16. 12 de abril: homem de 94 anos
  17. 13 de abril: homem de 54 anos
  18. 14 de abril: mulher de 73 anos
  19. 14 de abril: mulher de 79 anos
  20. 15 de abril: homem de 69 anos
  21. 15 de abril: homem de 87 anos
  22. 15 de abril: mulher de 57 anos
  23. 16 de abril: mulher de 84 anos
  24. 17 de abril: mulher de 60 anos
  25. 18 de abril: mulher de 89 anos
  26. 22 de abril: homem de 101 anos
  27. 22 de abril: homem de 85 anos
  28. 25 de abril: mulher de 63 anos
  29. 26 de abril: mulher de 67 anos
  30. 29 de abril: homem de 63 anos
  31. 30 de abril: mulher 85 anos
  32. 1º de maio: jovem de 22 anos
  33. 2 de maio: homem de 67 anos
  34. 4 de maio: homem de 53 anos
  35. 6 de maio: homem de 68 anos
  36. 8 de maio: mulher de 73 anos
  37. 9 de maio: homem de 75 anos
  38. 9 de maio: homem de 34 anos
  39. 10 de maio: mulher de 67 anos
  40. 10 de maio: mulher de 71 anos
  41. 10 de maio: mulher de 90 anos
  42. 9 de maio: mulher de 92 anos
  43. 10 de maio: homem de 72 anos
  44. 10 de maio: mulher de 89 anos
  45. 11 de maio: homem de 72 anos
  46. 12 de maio: mulher de 80 anos
  47. 12 de maio: homem de 52 anos
  48. 13 de maio: mulher de 92 anos
  49. 13 de maio: homem de 38 anos
  50. 13 de maio: homem de 45 anos
  51. 14 de maio: homem de 84 anos
  52. 14 de maio: mulher de 63 anos
  53. 14 de maio: homem de 70 anos
  54. 14 de maio: homem de 84 anos
  55. 16 de maio: mulher de 84 anos
  56. 16 de maio: mulher de 73 anos
  57. 16 de maio: homem de 82 anos
  58. 17 de maio: homem de 45 anos
  59. 17 de maio: mulher de 85 anos
  60. 17 de maio: mulher de 87 anos
  61. 17 de maio: mulher de 56 anos
  62. 17 de maio: homem de 71 anos
  63. 18 de maio: homem de 58 anos
  64. 18 de maio: mulher de 46 anos
  65. 19 de maio: homem de 76 anos
  66. 19 de maio: homem de 32 anos
  67. 19 de maio: mulher de 86 anos
  68. 19 de maio: homem de 89 anos
  69. 19 de maio: homem de 66 anos
  70. 19 de maio: homem de 77 anos
  71. 19 de maio: mulher de 90 anos
  72. 19 de maio: mulher de 87 anos
  73. 19 de maio: homem de 57 anos
  74. 20 de maio: homem de 55 anos
  75. 20 de maio: homem de 55 anos
  76. 20 de maio: mulher de 56 anos
  77. 20 de maio: homem de 78 anos
  78. 21 de maio: homem de 90 anos
  79. 21 de maio: homem de 25 anos
  80. 21 de maio: homem de 91 anos
  81. 21 de maio: mulher de 69 anos
  82. 21 de maio: homem de 91 anos
  83. 21 de maio: mulher de 69 anos
  84. 21 de maio: homem de 69 anos
  85. 22 de maio: homem de 41 anos
  86. 22 de maio: homem de 65 anos
  87. 22 de maio: homem de 67 anos
  88. 22 de maio: mulher de 35 anos
  89. 22 de maio: mulher de 67 anos
  90. 23 de maio: mulher de 90 anos
  91. 23 de maio: homem de 80 anos
  92. 23 de maio: homem de 82 anos
  93. 23 de maio: homem de 67 anos
  94. 23 de maio: homem de 45 anos
  95. 24 de maio: mulher de 45 anos
  96. 24 de maio: homem de 70 anos
  97. 24 de maio: mulher de 74 anos
  98. 24 de maio: homem de 66 anos
Ver mais

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?