Nossa rede

Tecnologia

Americanos não confiam em decisões das redes sociais, diz pesquisa

Publicado

dia

O debate sobre a moderação de conteúdo online foi intensificado com Twitter e Facebook divergindo sobre como lidam com publicações polêmicas de Trump

Redes sociais: empresas tem sido foco do debate sobre moderação de conteúdo (Getty Images/Getty Images)

A maioria dos norte-americanos não confia nas empresas de redes sociais para tomarem as decisões corretas sobre o que deve ser permitido em suas plataformas e confia ainda menos no governo sobre estas escolhas, de acordo com uma pesquisa divulgada nesta terça-feira pela Gallup e pela Knight Foundation.

O debate sobre a moderação de conteúdo online, já em destaque durante a pandemia de Covid-19 e antes das eleições presidenciais dos Estados Unidos, intensificou-se nas últimas semanas, com Twitter e Facebook divergindo sobre como lidam com publicações polêmicas do presidente norte-americano, Donald Trump.

A pesquisa constatou que quase dois terços dos norte-americanos são a favor de deixar as pessoas expressarem suas opiniões nas redes sociais, incluindo opiniões ofensivas.

No entanto, 85% dos entrevistados disseram que são a favor da remoção de informações de saúde intencionalmente falsas ou enganosas e 81% apoiam a retirada das plataformas de alegações intencionalmente mentirosas sobre eleições ou outros assuntos políticos.

Os pesquisados foram mais críticos em relação às empresas que fazem menos na moderação de conteúdo nocivo, com 71% dos democratas e 54% dos independentes afirmando que as empresas não são suficientemente duras, enquanto os republicanos se mostraram mais divididos.

Oito em cada 10 entrevistados disseram que não confiam nas gigantes de tecnologia para tomarem as decisões corretas sobre o conteúdo. Mas a maioria disse que prefere que as empresas estabeleçam estas regras e não o governo, embora uma pequena maioria dos democratas seja a favor do governo estabelecendo limites ou diretrizes de conteúdo.

Os entrevistados tenderam a preferir a ideia de ter conselhos independentes de supervisão de conteúdo para determinação das regras, com 81% dizendo que a criação destes conselhos são uma boa ideia. O Facebook está no processo de criação de um órgão semelhante que analisará casos de conteúdo nocivo publicado na plataforma e poderá fazer recomendações de políticas para a empresa.

 

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Tecnologia

Após falha, é preciso trocar a senha do Nubank?

Publicado

dia

Por

Embora as senhas não tenham sido incluídas no pacote de dados vazados, é melhor prevenir do que remediar

Nubank: fintech teve dados vazados na última terça (Rafael Henrique/SOPA Images/Getty Images)

Uma falha de segurança expôs os dados de muitos clientes da fintech brasileira Nubank na noite desta terça-feira (8). Informações como número da conta, nome completo e CPF eram possíveis de serem encontrados em pesquisas feitas nos buscadores Google, Bing, Yahoo, entre outros. A falha, reportada pelo pesquisador em segurança digital Heitor Gouvêa, foi corrigida pela fintech, mas pode ter causado grandes problemas.

Para se proteger de um ataque cibernético, embora as senhas não tenham sido incluídas no pacote de dados vazados, é melhor prevenir do que remediar.

Como alterar a senha do seu cartão Nubank:

  1. Senha de 8 dígitos, para entrar no app: ao acessar o aplicativo, acesse o menu “Perfil” e selecione a opção “Alterar senha de acesso”
  2. Senha de 4 dígitos, usada nas compras presenciais: siga os mesmos passos do primeiro item, mas, em vez de selecionar a opção da senha de acesso, selecione a “Senha de 4 dígitos”.

Uma camada extra de proteção

É possível também adicionar o que o Nubank chama de “uma camada a mais de proteção” no app, o que inclui o cadastro para biometria, disponível para Android e iPhones. Para ativar a opção, é só clicar em “Proteção do app” nas configurações do mesmo.

 

Ver mais

Tecnologia

Nem Jobs previu isso: veja como pode ser novo iPhone dobrável

Publicado

dia

Por

Em pleno 2020, uma nova patente publicada pela maçã pode indicar como uma versão ainda mais longe das previsões de Jobs para seu smartphone

Steve Jobs: ideia inicial do iPhone era de ser um celular de fácil uso com uma mão só (Apple/Divulgação)

Há 13 anos, quando Steve Jobs lançava o primeiro smartphone da Apple, ele não imaginava como o aparelho mudaria ao longo dos anos. O iPhone, que começou com o objetivo de ser um celular de fácil uso com apenas uma mão, ganhou contornos diferentes após a morte de seu fundador, em 2011. Desde então, ele já virou azul, roxo, amarelo, ganhou uma versão de plástico, de vidro, duas câmeras, quatro câmeras, e outras novas atualizações que alteraram sua interface inicial. Em pleno 2020, uma nova patente publicada pela maçã pode indicar como uma versão ainda mais longe das previsões de Jobs e indica um iPhone dobrável.

Segundo o documento, que está no ar desde 7 de julho, o dispositivo seria “dobrável com uma parte de display exposta” mesmo quando o celular está dobrado. “Quando desdobrado, a tela do dispositivo fica plana, mas, quando fechado, uma parte fica proeminente para continuar a ser vista pelo usuário. Essa parte vai mostrar notificações e outros conteúdos mesmo com o celular fechado”, diz a publicação. Entre as opções de display estão as mensagens de texto, e-mail, calendário, alarmes, status da bateria e força do sinal de WiFi.

O movimento pode indicar a entrada da Apple em um mercado que ainda não domina, o de smartphones flexíveis, atualmente dominado pela Huawei, Motorola e Samsung, que já lançaram a versão ousada de seus smartphones.

O da empresa fundada por Jobs, no entanto, se diferencia exatamente na forma como é fechado. Seus concorrentes, como o Galaxy Fold, da Samsung, se fecham como “livros” e cobrem totalmente a tela enquanto fechados. O Galaxy, por exemplo, se fecha ao meio, enquanto o Mate X, da Huawei, tem a lateral dobrável. Outra diferença é que a Apple, segundo m dos desenhos no documento, vai apostar em uma ferramenta lateral para que os usuários usem a câmera mesmo sem abrir o celular.

As empresas de tecnologia sempre compram patentes para evitar processos judiciais e nem todas se tornam realmente produtos no fim das contas. Ainda assim, essa é uma tendência importante para o mercado de smartphones e não seria uma surpresa a Apple apostar nesse setor.

 (US/Reprodução)

Ver mais

Tecnologia

Aplicativo Tinder prepara chamadas de vídeo para encontros virtuais

Publicado

dia

Por

Mas calma, para que isso aconteça, os dois usuários precisam aceitar a opção; nudez, conteúdos sexual e ilegal são proibidos pelos termos do app

Tinder: usuários precisarão concordar para entrar em chamada de vídeo (Mike Blake/Reuters)

A cantada estratégica “me chama no WhatsApp, aqui é ruim de conversar”, que virou meme na internet, pode estar com os dias contados. Isso porque o Tinder, aplicativo de relacionamentos, vai começar a testar uma opção que permite a chamada de vídeo direto em sua plataforma. Mas calma, para que isso aconteça, os dois usuários precisam aceitar a opção — não tem como, por exemplo, forçar uma conversa sem que a outra pessoa também tope.

Mas como isso vai acontecer? É simples: depois do match (como é chamada a combinação de dois indíviduos que se “curtem” no app), os dois precisam dar O.K. para receber chamadas de vídeo um do outro. E aí a mágica (ou não) acontece — a tela durante a conversa será separada em duas, para que você consiga se ver o tempo todo durante a ligação. Os usuários também vão precisar concordar com uma série de termos que proíbem conteúdos sexuais, nudez, discursos de ódio e atividades ilegais.

Ver mais

Tecnologia

IBM compra empresa brasileira de inteligência artificial

Publicado

dia

Por

A empresa americana apostou na WDG Soluções para levar mais eficiência a processos de diversas áreas

IBM: empresa amplia capacidade de inteligência artificial com aquisição de brasileira WDG Soluções (Joern Pollex/Getty Images)

A americana IBM anunciou planos de adquirir a empresa brasileira de robótica WDG Soluções, baseada em São José do Rio Preto, por um valor não revelado.

A compra leva à IBM expertise em infusão de inteligência artificial a processos de negócios e operações de tecnologia.

A tecnologia da WDG Soluções ajudará a americana a eliminar processos desnecessários ou duplicados, desse modo, aumentando a eficiência de empresas. Os novos recursos poderão levar melhor performance a áreas como TI, atendimento ao cliente, finanças, cadeia de suprimentos e RH.

“Com o anúncio de hoje, a IBM está dando um passo adiante e ajudando os clientes a acelerar a automação em mais partes da organização, não apenas na rotina, mas em tarefas mais complexas para que os funcionários possam se concentrar em trabalhos de maior valor”, disse, em nota, Denis Kennelly, gerente geral de Cloud Integration, IBM Cloud and Cognitive Software. A empresa de São José do Rio Preto dá à IBM mais de 600 soluções de automação robótica processual.A aquisição da IBM está em linha com uma forte tendência do mercado de tecnologia. A consultoria americana IDC estima que até 2025, as empresas baseadas em inteligência artificial terão um aumento de 100% na produtividade e no conhecimento dos trabalhadores. Com isso, essas companhias terão tempos de reação mais curtos, maior sucesso na inovação de produtos e satisfação do cliente.

Ver mais

Tecnologia

Instagram ganha novo recurso para fixar seus comentários preferidos

Publicado

dia

Por

Funcionalidade permite destacar qualquer comentário recebido nas postagens feitas na rede social

Instagram: rede social adicionou um novo recurso ao aplicativo (NurPhoto/Getty Images)

O Instagram anunciou um novo recurso nesta terça-feira (7). Uma atualização do aplicativo agora permite que os usuários possam destacar mais facilmente os comentários das fotos e vídeos publicados na rede social. A funcionalidade permite fixar os comentários no topo das publicações, o que facilita a visualização.

A novidade estava em fase de testes há três meses e foi anunciada ontem na conta da empresa no Twitter. Vale lembrar que é preciso realizar a atualização do aplicativo do Instagram para liberar a função. Para fazer isso basta buscar pelo programa nas lojas Play Store, para Android, e App Store, para iOS.

Segundo o Instagram, o novo recurso é uma forma de permitir que os usuários possam gerenciar melhor suas contas, destacando os comentários positivos recebidos em suas postagens. É possível fixar até três comentários diferentes no topo das fotos e vídeos. Quem realizou o comentário receberá uma notificação sobre a ação.

 

Como fixar comentários no Instagram

Utilizar a nova função do Instagram é bem simples. Basta pressionar o dedo por cerca de dois segundos no comentário que deseja fixar e selecionar o ícone de fixar, que fica no topo superior direito do aplicativo, ao lado dos botões de opções e de apagar o comentário. Os autores dos comentários serão notificados.

Para realizar o processo é inverso e desafixar os comentários, basta realizar o mesmo procedimento. Ao contrário da ação anterior, porém, os comentários desafixados não vão gerar notificações para os usuários que os realizaram.

 

Ver mais

Tecnologia

Novo modelo de trem-bala no Japão funciona até durante terremoto

Publicado

dia

O trem-bala é o primeiro modelo a ser adicionado à linha Tokaido Shinkansen em 13 anos; companhia já planeja um ainda mais rápido

Trem-bala: nova versão é capaz de se adaptar a emergências (Kyodo News/Getty Images)

No começo deste mês, o Japão anunciou a implementação de um novo modelo de trem-bala capaz de funcionar até mesmo durante um terremoto. O N700S, como é chamada a nova versão, pode atingir uma velocidade de até 360 quilômetros por hora, mas trabalhará somente a 285 km/h diariamente — o que o torna um dos trens mais rápidos do mundo, podendo até ultrapassar o Transrapid de Xangai, na China, capaz de atingir 279 quilômetros.

O “S” no nome do novo veículo é um acrônimo para “supremo”. Apenas para comparar, um trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) tem uma velocidade média de 60 quilômetros por hora, sendo que a sua máxima é 90 km.

O trem-bala é o primeiro modelo a ser adicionado à linha Tokaido Shinkansen em 13 anos pela companhia Central Japan Railway. O lançamento fazia parte de uma das obras para os Jogos Olímpicos de 2020, que, por conta do novo coronavírus, foram adiados para o ano que vem. Em 1964, era inaugurado o primeiro trem-bala, com uma velocidade de 210 quilômetros por hora. À época, o país também sediava uma Olimpíada — a primeira a ser realizada na Ásia.

O novo modelo é equipado com um sistema de autopropulsão de bateria de íons de lítio que o faz funcionar apesar de uma emergência. É exatamente por isso que ele é seguro mesmo durante um terremoto. De acordo com a CNN, ele também tem um sistema atualizado de controle automático e freagem, ou seja, é capaz de reduzir a sua velocidade rápida sem maiores problemas. A companhia de trens japonesa afirma que a ideia da novidade é que ela seja ainda mais “suave” para os passageiros do que outras versões do trem-bala.

Antes disso, os trens icônicos japoneses ganharam as notícias ao redor do mundo por serem a opção de fuga do ex-presidente da Nissan, Carlos Ghosn, acusado de receber bônus secretos da companhia que comandava, do país.

Mas a Central Japan Railway não quer parar por aí e, no ano passado, divulgou o desenvolvimento de um novo trem-bala capaz de atingir a marca de 400 quilômetros por hora. Chamado de Alfa-X, ele deve ficar pronto em 2030.

 

Ver mais

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?