Nossa rede

Cultura

Ainda dá tempo! Mais ingressos para exposição de Friends estarão à venda

Publicado

dia

Casa Warner organiza uma experiência imersiva no ambiente da série e você tem uma segunda chance de conseguir participar

Friends: série terá exposição em São Paulo (Foto/AFP)

São Paulo — Se você é fã de Friends e não conseguiu comprar ingresso para a exposição da série, que vai ocorrer em São Paulo, acaba de ganhar uma segunda chance para conhecer o apartamento de Mônica Geller e o famoso sofá do Central Perk café. A Casa Warner vai abrir um novo lote de ingressos, e as vendas começam nesta quinta-feira (12).

Mas é melhor correr para garantir sua participação na experiência, porque na primeira venda, em 21 de agosto, as entradas acabaram em menos de 12 horas. Os ingressos devem começar a ser vendidos por volta do meio-dia desta quinta no site oficial do evento.

O evento é uma exposição imersiva no universo da série. Em dois andares da Casa Warner, a mostra vai recriar os ambientes e objetos do programa que estreou na televisão americana há 25 anos. A exposição ainda contará com uma super maratona das dez temporadas da série americana.

O Casa Warner by Friends vai acontecer do dia 18 de setembro a 6 de outubro. Os ingressos serão vendidos como inteira (R$ 30) e meia entrada (R$ 15). E, além da visita aos ambientes, os fãs poderão comprar objetos que fazem referência à série na loja dentro do espaço.

A primeira edição do evento aconteceu em 2018 e todos os 3,2 mil ingressos também foram vendidos em menos de 12 horas. A Casa Warner é um espaço de exposições, em São Paulo, de programas do canal.

Serviço

Data: de 18 de setembro a 6 de outubro
Horário: das 10h às 22h
Local: Rua Pamplona, 145 – Bela Vista – São Paulo – SP
Venda de ingressos: a partir de 21 de agosto, de R$ 15 a R$ 30

Comentário

Cultura

Festival Universitário de Cinema de Brasília começa nesta quinta-feira

Publicado

dia

A mostra nutre o intuito de fomentar e apresentar obras produzidas por universitários de todo o país

O festival da Universidade de Brasília (UnB) abre espaço para debates acerca dos curtas exibidos
(foto: Acervo FestUni/Divulgação)

As produções audiovisuais são um dos fortes de Brasília, não é a toa que um dos principais eventos de cinema brasileiro é aqui da capital, que também atua como cenário em diversas produções cinematográficas brasileiras. É nesta onda audiovisual que tem início, nesta quinta-feira (10/10), a terceira edição do Festival Universitário de Cinema de Brasília (FestUni). A mostra nutre o intuito de fomentar e apresentar obras produzidas por universitários de todo o país.
O FestiUni nasceu em 2017, no mesmo ano do 50º aniversário da mais importante mostra de cinema da capital, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. As duas primeiras edições do Festival Universitário, inclusive, fizeram parte do grande evento audiovisual candango.
A professora da UnB Dácia Ibiapina destaca o conceito desse novo festival. “A ideia surgiu porque o Festival de Cinema de Brasília começou na UnB, por Paulo Emílio Sales Gomes, e se tornou esse grande e importante festival do país”. Em 2017, a coordenação da 50ª edição do Festival de Brasília convidou a UnB para participar das reuniões prévias e assim nasceu a ideia de criar este outro festival. “Esperamos que essa sementinha também germine ao longo de outros 50 anos”, almeja a professora.

Em meio a esta turbulência política, com cortes de verbas para as universidades públicas e sem o auxílio do Festival de Cinema de Brasília, que acontece na última semana de novembro, o FestUni foi buscar apoio dentro da própria UnB. “O contexto político é desfavorável para as universidades, para a cultura. É uma batalha que a gente resolveu travar para que o festival pudesse acontecer, então buscamos apoio da Faculdade de Comunicação da UnB, do Decanato de Extensão, da ADUnB, por exemplo”, relata Dácia Ibiapina.
Ao todo foram selecionados 21 curtas-metragens de todo o Brasil, que concorrem ao prêmio Jean-Claude Bernardet (ex-professor da UnB), homenageado que dá nome aos troféus de melhor filme, melhor direção e júri popular.
Além da mostra, oficinas também fazem parte do festival universitário e, um dos pontos-chave que a professora Dácia pontua, é a integração entre os estudantes de audiovisual e cinema dos diversos cantos do país. “Essa convivência é muito rica, o intercâmbio entre os alunos de diferentes universidades é muito importante. O festival é um espaço de formação, são muito diversificados. As aulas não são suficientes, a formação fica mais rica quando os alunos vão construindo filmes, ouvindo opiniões, conhecendo outros alunos e professores”.

3º FestUni

Auditório da ADUnB (Universidade de Brasília). De 10 a 13 de outubro. Confira a programação e mais informações no instagram @festuni. Entrada franca.
Ver mais

Cultura

Paulinho Pedra Azul faz show para celebrar os 30 anos do Feitiço Mineiro

Publicado

dia

Nas comemorações dos 30 anos do Feitiço Mineiro, estrela do Jequitinhonha se apresenta com um repertório recheado de sucessos

Paulinho Pedra Azul celebra 35 anos de carreira: “Eu me recordo da primeira vez em que cantei no Feitiço”
(foto: Ludmila Loureiro/Divulgação)

A trajetória artística de Paulinho Pedra Azul está intimamente ligada a Brasília. O cantor e compositor mineiro, originário do Vale do Jequitinhonha, tem se apresentado na cidade desde o começo da década de 1980, logo após lançar Jardim da fantasia, o disco de estreia. Aqui conquistou muitos fãs e fez incontáveis amigos.
O Feitiço Mineiro é o lugar onde ele mais tem se apresentado na cidade. “Eu me recordo da primeira vez em que cantei no Feitiço. Fiz um show na Sala Villa-Lobos e o Jorge Ferreira foi assistir. No encerramento, ele foi falar comigo no camarim e me levou para a casa que ele havia aberto há pouco tempo. Naquela mesma noite, fiz uma apresentação informal no Feitiço”, lembra.
Para se ter ideia, o artista participou das 10 últimas comemorações do aniversário do bar e restaurante da 306 Norte; e é sempre um momento muito aguardado pelos frequentadores do local. Como era de se esperar, ele está de volta, como uma das atrações da celebração dos 30 anos.
Ver mais

Cultura

Grupo Cutucart estreia espetáculo na cidade Estrutural, no DF

Publicado

dia

Peça ‘Quase Nada do Mar’ fica em cartaz nos dias 4, 5 e 6 de outubro. Depois, vai para Planaltina; entrada gratuita.

O grupo teatral Cutucart estreia um novo espetáculo em outubro, na cidade Estrutural. — Foto: Divulgação/Caio Couto

O Centro Cultural CREAS da Cidade Estrutural será palco da estreia do novo espetáculo do Grupo Cutucart, “Quase Nada do Mar”. A peça fica em cartaz na sexta (4), sábado(5) e domingo (6). Depois, segue para Planaltina, nos dias 18,19 e 20 de outubro.

Com entrada gratuita, a peça traz reflexões sobre as relações interpessoais. Os personagens estão envolvidos em várias inquietações.

“A ideia do espetáculo é colocar a plateia em confronto com suas vaidades que afastam as pessoas umas das outras”, diz o grupo.

Para Bia Oliveira, atriz e diretora, “Quase Nada do Mar” propõe um diálogo sobre as dificuldades das relações humanas, mostrando as barreiras que dividem as pessoas.

“Quando escrevemos o texto da peça decidimos construir um mergulho profundo, revelando as vulnerabilidades de uma sociedade que separa, que oprime”, aponta.

O grupo

Idealizado por artistas brasilienses, o grupo teatral Cutucart surgiu em 2006. — Foto: Divulgação/Thiago Sabino

Idealizado por artistas brasilienses, o grupo teatral Cutucart surgiu em 2006. — Foto: Divulgação/Thiago Sabino

O Cutucart surgiu em 2006, como um projeto cultural idealizado pelo ator, diretor e arte-educador Getúlio Cruz, com jovens atores, alunos de escolas públicas do DF. A partir do primeiro contato, o coletivo se firmou na cena teatra, trazendo à vida espetáculos de autores como Martins Pena, Arthur Azevedo e Alcione Araújo.

Com o passar dos anos, os integrantes graduaram-se em Artes Cênicas, com foco no estudo da interpretação teatral, da dança e o interesse pelo teatro gestual e a construção dramatúrgica corporal.

O grupo se consolidou com a pesquisa em dramaturgias totalmente autorais. Entre elas: Seca, Naquela Estação, Cor de Amor (a), Quase Nada do Mar e Vladmir.

Programe-se

“Quase Nada do Mar”, na Estrutural

  • Data: 4, 5 e 6 de outubro
  • Horário: 17h
  • Endereço: Centro Cultural CREAS – Área Especial n° 9, Praça Central
  • De graça
  • Classificação indicativa: 14 anos

“Quase Nada do Mar”, em Planaltina

  • Data: 18, 19 e 20 de outubro
  • Horário: 17h
  • Local: Praça do Museu – Centro Histórico de Planaltina
  • De graça
  • Classificação indicativa: 14 anos
Ver mais

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade