Nossa rede

Aconteceu

Incêndio de média proporção atinge área próxima ao Parque Nacional de Brasília

Publicado

dia

Fogo consumiu 32 hectares de vegetação no Setor Militar Urbano; chamas também chegaram perto de estação da CEB. Corpo de Bombeiros diz que mato seco facilitou propagação.

Incêndio de média proporção atinge área próxima ao Parque Nacional de Brasília

Incêndio de média proporção atinge área próxima ao Parque Nacional de Brasília

Um incêndio de média proporção atingiu a vegetação próxima ao Parque Nacional de Brasília nesta quinta-feira (5). A área é de preservação ambiental e abriga espécies ameaçadas de extinção. As chamas chegaram a 10 metros de altura e consumiram 32 hectares da região do Setor Militar Urbano (SMU), em frente ao quartel do Exército.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o fogo começou por volta das 15h e já foi contido. Não há vítimas. Cerca de 50 militares combateram as chamas durante três horas. O incêndio também consumiu a vegetação próxima à subestação da CEB, na mesma região, mas não chegou a atingir a rede de distribuição de energia.

Tempo seco?

Apesar das chuvas que caíram no DF nas últimas semanas, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) diz que a umidade deve baixar nos próximos quatro dias e alcançar a mínima de 25%. O meteorologista Luiz Cavalcante diz que o Distrito Federal vive uma fase de “má distribuição de chuvas” e, por isso, algumas áreas permanecem sujeitas a focos de incêndios.

“A chuva ainda não pegou firme. Só deve começar a cair de forma mais constante a partir da segunda quinzena de outubro.”

O primeiro sargento do Corpo de Bombeiros Joberth Medeiros conversou  sobre a influência do clima nas ocorrências de incêndio. O militar afirma que as chuvas espaçadas e de fraca intensidade não têm apresentado mudanças importantes. “Ainda não saímos da seca. A chuva vem, ameniza e vai embora”, diz.

“O Corpo de Bombeiros ainda está alerta e mantém suas operações para caso aconteçam eventos como o de hoje.”

Fogo consome vegetação em área próxima ao Parque Nacional de Brasília (Foto: CBMDF/Divulgação)

Fogo consome vegetação em área próxima ao Parque Nacional de Brasília (Foto: CBMDF/Divulgação)

Comentário

Aconteceu

‘Máfia dos concursos’: polícia prende servidor do DF suspeito de aliciar estudantes

Publicado

dia

Técnico administrativo da Secretaria de Saúde, suspeito já foi levado a depor na 1ª fase da operação Panoptes. Polícia diz ter visto ‘inconsistências’ no depoimento dele.

Policial civil em frente à Deco (Foto: Alexandre Bastos/G1)

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu nesta sexta-feira (8) o técnico Américo Gonçalves Pereira Júnior, suspeito de integrar a “máfia dos concursos”. Segundo as investigações, ele era responsável por aliciar estudantes para participar das fraudes.

Ele também é apontado como ex-porteiro do prédio de Bruno Ortiz, um dos chefes do esquema, tendo supostamente fraudado o concurso para a Secretaria de Saúde.

Atualmente, Pereira Júnior é técnico administrativo da secretaria, com renda mensal de R$ 2.145,50. Apesar de ter conseguido o cargo, a polícia diz que ele continuou atuando para cooptar mais participantes na máfia.

G1 aguarda retorno da secretaria para saber que providências pretende tomar.

Prisão preventiva

A prisão dele é preventiva – por tempo indeterminado. Ele foi detido no Hospital Regional de Santa Maria, quando chegava pra trabalhar.

Pereira Júnior foi alvo de condução coercitiva (quando o alvo é levado a depor) na primeira fase da operação Panoptes, em agosto deste ano.

Segundo a Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deco), houve “inconsistências” no depoimento dele, por ter dado informações falsas.

“Ele disse que conheceu Bruno Ortiz em 2015 e que não tinha contato com ele. Já a mulher dele disse que conheceu em 2012 e que eles eram amigos”, afirmou o delegado Adriano Valente.

Continue Vendo

Aconteceu

Homem morre após ser atropelado por trem do Metrô no DF, e serviço é interrompido por 40 min

Publicado

dia

Piloto parou trem e acionou a segurança após perceber impacto; acidente ocorreu entre estações Concessionárias e Praça do Relógio. Passageiros foram trocados de veículo.

Estação de metrô em Águas Claras, no Distrito Federal, paralisada após homem morrer atropelado (Foto: TV Globo/Reprodução)

Um homem morreu na manhã desta sexta-feira (8) após ser atropelado por um trem do Metrô do Distrito Federal entre as estações Concessionárias e Praça do Relógio. O incidente foi registrado às 6h10 – dez minutos depois de os veículos começarem a circular. Por causa disso, o serviço foi interrompido por 40 minutos. Depois, por mais meia-hora, funcionou de forma reduzida.

Os passageiros que estavam no trem, que havia saído de Ceilândia e seguia no sentido Rodoviária do Plano Piloto, foram deslocados até a estação Águas Claras, onde trocaram de veículo. O piloto, que foi quem acionou o corpo de segurança após perceber o impacto, ficou em estado de choque e precisou ser substituído.

Funcionários do Metrô retiraram o corpo da via e o levaram para a Estação Estrada-Parque – uma das prontas que não está em funcionamento. O Corpo de Bombeiros constatou que o homem, que não havia sido identificado até a última publicação desta reportagem, teve hemorragia e traumatismo craniano.

Por volta de 9h10, o Instituto Médico Legal esteve no local para buscar a vítima. Em nota, o Metrô disse lamentar o incidente e afirmou que o homem invadiu a via. O caso é investigado pela 21ª Delegacia de Polícia.

Intervenção

Por causa da greve dos metroviários, iniciada em 9 de novembro, apenas 18 trens rodavam no horário de pico nesta manhã. Para permitir a retomada do serviço, ainda que de forma reduzida, pouco antes das 7h, o Metrô fez uma via “singela” entre as estações Metropolitana e Arniqueiras: os trens passavam pelo sentido oposto, para depois seguirem viagem.

Com isso, a velocidade caiu de 80 km/h para 20 km/h. Também foi necessário que os trens precisassem parar para esperar a passagem de outros.

Continue Vendo

Aconteceu

Dois são presos no DF suspeitos de ‘sequestrar’ carreta com 1,2 mil caixas de uísque

Publicado

dia

Motorista foi liberado no trajeto entre Anápolis (GO) e Gama. À polícia, os homens disseram que cumpriam ordens de um presidiário.

Caixas de uísque que estavam em caminhão ‘sequestrado’ em Anápolis (GO) e levado ao DF (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Dois homens foram presos em flagrante em Brasília nesta segunda-feira (4) suspeitos de “sequestrar” uma carreta com 1,2 mil caixas de uísque, mantendo o motorista refém. A abordagem à vítima aconteceu em Anápolis (GO). A dupla foi localizada no Gama, região administrativa do Distrito Federal.

De acordo com a Polícia Militar, a empresa responsável pelo rastreamento do veículo apontou a localização da carga. Equipes patrulharam a região e encontraram a carreta e os dois suspeitos tentando fugir de carro. O motorista havia sido liberado no meio do trajeto.

Após a abordagem, os homens entregaram a chave do caminhão e mostraram o galpão em que ele estava escondido. As caixas de uísque estavam no chão do espaço. Lá, também havia madeira de procedência desconhecida, celulares e bloqueadores de sinal.

À PM, os homens disseram ter recebido ordem de um presidiário para cometer o crime. O motorista da carreta não foi localizado. Os produtos foram devolvidos ao dono, assim como o caminhão.

A Polícia Civil disse que os suspeitos têm 32 e 39 anos e foram autuados por roubo de carga com restrição à liberdade da vítima. O caso é investigado pela 20ª Delegacia de Polícia.

Continue Vendo

Aconteceu

Motorista se entrega à polícia após fugir de acidente no Park Way, no DF

Publicado

dia

Batida entre três carros foi na noite de sábado; uma mulher morreu e três ficaram feridos. Suspeito de envolvimento no racha estava foragido e vai responder por homicídio.

Carro atinge poste em acidente que envolveu três veículos no Park Way, no DF (Foto: Corpo de Bombeiros do DF/Divulgação)

O motorista suspeito de provocar o acidente entre três carros que matou uma mulher no Park Way, no Distrito Federal, se entregou à polícia na tarde desta segunda-feira (4). Três outras pessoas ficaram feridas na batida, na madrugada de sábado (2). A polícia suspeita de racha.

Ao comparecer à delegacia, o suspeito – que estava foragido – prestou depoimento à Polícia Civil, acompanhado da advogada. Nenhuma das partes quis falar com a imprensa. O motorista, de 35 anos, é morador do Guará e foi identificado pela placa do carro, que estava no nome da mulher.

Segundo o delegado da 21ª DP (Taguatinga Sul) Raimundo Vanderly, que investiga o caso, o suspeito vai responder por homicídio, mas ainda não se sabe se culposo ou doloso, que é quando há a intenção de matar. Ele fugiu do local sem prestar socorro e abandonou o veículo.

“Ela [a esposa] disse que ele esteve em casa após o acidente, contou pra ela o que tinha acontecido, pegou a moto e saiu de casa não dando notícia até o presente momento.”

O acidente matou Arlete Trindade, de 36 anos. A passageira estava com o marido em um dos carros, quando o veículo foi atingido. Em entrevista – por telefone , o marido da vítima negou que a mulher estivesse grávida. O corpo dela vai ser levado ainda nesta segunda (4) para o município de Ponte Nova (MG), onde a família dela mora.

Investigação

Uma das suspeitas da polícia é de que o motorista estaria disputando um racha com outro carro ainda não identificado, na pista que liga Águas Claras ao Núcleo Bandeirante. O resultado da perícia que pode comprovar a situação sai em 30 dias.

Segundo a investigação, o carro que teria causado o acidente, veio em alta velocidade do sentido Núcleo Bandeirante. Como o trecho é uma descida, o motorista suspeito teria invadido a pista contrária e, com isso, atingido outros dois veículos.

Um casal do terceiro carro ficou ferido. Depois do acidente, moradores da região disseram que os carros costumam “correr muito” nesse trecho, e que os pardais estariam desligados.

Continue Vendo

Aconteceu

Bombeiro furta caminhão e tenta invadir Esplanada dos Ministérios

Publicado

dia

Caso ocorreu na madrugada deste domingo, teve perseguição de cerca de trinta minutos e terminou sem feridos e com prisão de militar

Um bombeiro militar furtou do quartel um caminhão do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal e, no volante da viatura, tentou invadir a Esplanada dos Ministérios em Brasília, sendo parado pelas forças de segurança na altura do Ministério do Planejamento. A ação, da retirada do veículo até a sua apreensão, transcorreu entre 1h30 e 2h da manhã deste domingo e não resultou em feridos.

A intenção inicial da Polícia Militar, após a notificação do ocorrido, era perseguir o veículo até que a gasolina acabasse. No entanto, foi tomada a decisão de atirar nos pneus após o caminhão se aproximar da área da Esplanada. O carro desgovernou e parou na lateral da via, mas o condutor não se feriu.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Paz Social do DF, o bombeiro, cuja identidade não foi revelada, foi preso e responderá pelos crimes de furto qualificado, desobediência, danos ao material da administração militar e tentativa de dano, delitos previstos pelo Código Penal Militar.

Na investigação prévia do Corpo de Bombeiros, “não foram encontrados elementos que apontam para a caracterização de atentado terrorista”. A corporação acionou as suas diretorias de saúde e assistência para avaliar as condições psicológicas do militar, que passará ainda por uma audiência de custódia.

Continue Vendo

Aconteceu

Briga entre presos em unidade do DF termina com um morto e dois feridos

Publicado

dia

Interno de 36 anos morreu após golpes de faca nos braços, pernas e costas; outros dois feridos foram levados ao Hospital de Base de Brasília. Polícia Civil diz que vai apurar o caso.

Entrada do CPP em Brasília, no SIA (Foto: Google/Reprodução)

Um preso morreu e outros dois ficaram feridos após uma briga no Centro de Progressão Penitenciária (CPP) do Distrito Federal, na manhã desta quinta-feira (30). A unidade, localizada no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), abriga detentos que cumprem pena no regime semiaberto. Testemunhas disseram que os três foram feridos com golpes de facas artesanais.

O Samu foi chamado pela equipe de plantão do CPP e prestou os primeiros socorros, mas um dos internos, de 36 anos, morreu. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o preso chegou a ser socorrido e foi levado ao Hospital de Base de Brasília.

A Polícia Civil disse que a própria vítima teria se apresentado ao pavilhão central da unidade, com “lesões no braço esquerdo, perna e região das costas”. Os outros dois internos, de 25 e 35 anos, também foram levados para o Hospital de Base e estão internados sob escolta policial.

A ocorrência foi registrada na 1ª Delegacia de Polícia, na Asa Sul. Segundo informações da SSP, o local foi periciado e um inquérito será aberto na 8ª DP para apurar as causas da morte e a autoria do crime.

“Será aberto também um procedimento interno para verificar as circunstâncias do ocorrido.”

O CPP abriga 1.411 internos do regime semiaberto; a unidade tem capacidade para 1.067 detentos. As saídas temporárias são autorizados pela Vara de Execução Penal (VEP).

Continue Vendo
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade