Nossa rede

Espaço Mulher

Você faz a higiene íntima direitinho? Veja 10 erros que agridem sua vagina

Publicado

dia

Nada de lavar demais, esfregar, querer mudar o cheiro da região vaginal!

(bymuratdeniz/Getty Images)

Vamos começar esse papo com a real: vagina tem odor próprio, secreções, pelos… Não tenha vergonha disso! Muitas mulheres acham que a higiene correta é aquela que garante uma área seca e sem cheiro e acabam fazendo tudo errado.

Lavar e esfregar a área íntima muitas vezes não afasta o perigo, muito pelo contrário! Naquela região há muitas bactérias que nos protegem e o excesso de limpeza pode causar um desajuste do pH. “A natureza faz um trabalho impecável de modo que temos um equilíbrio na área genital”, diz a dra. Flávia Fairbanks, ginecologista da Clínica FemCare.

Ah, e é bom deixar claro que a limpeza deve ser feita na parte de fora, na vulva, e não na vagina, que é a parte interna. “Faça um pouco de espuma nas mãos e lave delicadamente a vulva, principalmente entre os lábios, evitando assim que resíduos de secreção se acumulem e se tornem um meio de cultura para bactérias. Enxágue com água corrente”, ensina a dra. Patrícia Gonçalves, médica obstetra e ginecologista da Clínica Pró Saúde RGPG.

Listamos os erros mais frequentes quando o tema é higiene íntima. Quantos deles você comete?

1. Passar papel higiênico de trás pra frente

Esse é o erro mais comum: muitas mulheres usam o papel no sentido do ânus para a vagina. “O ideal é fazer o movimento contrário, porque as bactérias da vagina são muito menos perigosas do que as da região perianal, que vêm da flora intestinal”, explica a dra. Flávia Fairbanks.

2. Lavar com água e sabão toda vez que vai ao banheiro

Nada de sabão o dia todo! “O excesso de produtos desequilibra a flora vaginal, favorecendo o surgimento de infecções”, aponta a dra Flávia Tarabini, ginecologista da clínica Dr. André Braz, no Rio de Janeiro.

“O ideal mesmo é lavar a região com água e sabão no banho, uma vez ao dia, e após as evacuações. Se você for somente urinar, não é preciso lavar, apenas seque com papel higiênico tocando suavemente a região”, ensina a médica da FemCare. Não esfregue para evitar que sobrem fiapos do papel.

“Durante o período menstrual, você pode enxaguar mais vezes, para remover os resíduos e melhorar a ventilação, diminuindo a umidade prolongada criada pelo fluxo e pelo abafamento do absorvente”, justifica a dra. Patrícia. E lembre-se de secar bem a região, em qualquer situação, sem esfregar!

3. Usar a duchinha para limpar a vagina

Ducha íntima? “Jamais faça isso! Não há a mínima necessidade de limpeza da parte interna da vagina. Existe um mecanismo de autolimpeza feito pela própria secreção vaginal. Então, nesse ambiente não se mexe. Só se limpa a parte externa da vulva”, frisa a dra. Flávia Fairbanks.

4. Usar sabonete comum e compartilhá-lo

Escolha um sabonete glicerinado e de pH neutro ou próximo ao pH vaginal, que é ajustado exatamente para essa região. “Eles limpam sem retirar a proteção natural da pele e da mucosa”, diz a dra. Flávia Tarabini.

Outro problema é dividir o sabonete em barra com outros moradores da casa – isso faz com que os micro-organismos também sejam compartilhados. Sendo assim, as versões líquidas são excelentes aliadas.

esponja banheiro registro

 (marcelo_minka/Getty Images)

5. Esfregar a esponja na vulva

Nada de esfrega-esfrega! A esponja pode machucar a mucosa e irritar. Além disso, esponjas que ficam no banheiro são ambientes incríveis para proliferação de fungos e bactérias.

“A limpeza diária deve ser feita com toque suave, água e sabão”, diz a dra. Flávia Fairbanks. 

6. Abusar do lencinho umedecido

É claro que em situações de emergência eles são ótimos – numa troca de absorvente ou evacuação onde não haja uma duchinha. Mas não faça disso um hábito. Eles contêm aditivos químicos e fragrâncias que podem irritar e causar alergias na região.

Além disso, eles deixam a região molhada, então é preciso esperar secar bem antes de vestir a calcinha, porque a umidade facilita o surgimento de fungos.

7. Fazer uma depilação completa

“Não existe uma contraindicação absoluta da depilação da área. Porém, a gente tem que lembrar que a natureza é muito perfeita. Aqueles pelos não foram colocados ali a troco de nada. A rede de pelos é uma proteção, que funciona como um filtro para entrada de microrganismos na vagina”, afirma a dra. Flávia Fairbanks.

Tirar tudo não é a melhor opção, mas também não deixe de cortar os pelos de vez em quando. “Pelos longos podem facilitar a contaminação da região íntima e também alterações no pH vaginal. O recomendado é apará-los“, orienta a dra. Patrícia.

8. Usar apenas papel para se limpar depois da relação sexual

O ideal é lavar a vulva com água e sabão. “É indicado também urinar após a relação, especialmente quem costuma ter infecções urinárias”, afirma a dra. Flávia Tarabini. Isso porque, algumas bactérias podem subir pela uretra durante o ato e causar infecção, e o xixi ajuda a limpar o canal.

9. Colocar protetor de calcinha todo dia

“Apesar de passar a sensação de que a região íntima está sequinha, o uso desse tipo de absorvente acaba produzindo o efeito contrário, tornando a região mais quente, abafada e, consequentemente, úmida.  E isso pode favorecer a proliferação de fungos e bactérias oportunistas”, aponta a dra. Patrícia.

Isso sem contar que você corre o risco de matar as bactérias boas que moram ali. “Elas são aeróbias, precisam de oxigênio”, justifica a ginecologista da FemCare. A dica é deixar a vagina respirar!

calcinhas

 (Carol Yepes/Getty Images)

10. Usar calcinhas de tecido sintético

As de tecidos naturais, como o algodão, são as melhores opções! “Elas permitem melhor ventilação, diminuem a umidade e evitam proliferação fúngica. Para pacientes que sofrem com infecções vaginais é bom que ao menos o fundo da calcinha seja de materiais desse tipo“, recomenda Flávia Tarabini.

E lembre-se: você pode lavar as calcinhas no banho, mas nunca deixe que fiquem no boxe para secar. Estenda em área ventilada e deixe que sequem muito bem!

Comentário

Espaço Mulher

Maquiagem neon: ideias e tutoriais para apostar nessa tendência

Publicado

dia

ТАMARA TERENTIĆ

Impossível falar de tendência sem citar o destaque da maquiagem neon. Das gringas para o nosso Brasil, o estilo chegou com tudo para arrasar na estação. É possível criar makes maravilhosas e realçar o olhar de um jeito muito poderoso. As cores vibrantes invadiram o mundo da beleza, trazendo mais alegria para o nosso dia a dia.

25 fotos de maquiagem neon para apostar nessa tendência

As produções ganharam ainda mais notoriedade com esse up da maquiagem neon. Dá para se jogar nas cores, realçar o olhar ou apostar na dupla sombra e batom. Confira essa lista com inspirações maravilhosas para você entrar na vibe neon:

1. A maquiagem neon é mesmo sensacional

LOTTE BILL ANDERSEN

2. Virou uma febre no mundo da beleza

KARINA MIRANDA

3. São várias maneiras de fazer

TANJA GRAVINA

4. Que tal brincar com o arco-íris?

RAFA FERNANDES

5. Dar aquele charme no canto interno do olho

ALANA PAULA MAKEUP

6. Ou só um destaque na parte inferior

SUELLEN RODIGUEIRO – MAKEUP

7. Aposte em uma combinação de cores

JULIANA VIEIRA

8. Ou escolha seus tons preferidos

PALLOMA

9. Realce sua make com muito brilho

GRAZI MAKEUP

10. E arrase com a tendência fluorescente

KAY ALVAREZ

11. Aposte no poder do delineado

HANNA FERNANDES

12. Os traços mais simples dão um charme especial

MILENE MOREIRA | MAQUIADORA

13. Mas sinta-se livre para delinear o quanto quiser

VANESSA TELES

14. Faça um contorno para uma make mais básica

BEL MAKEUP

15. Ou use e abuse do efeito na luz negra

CAMILA LOPES MAKEUP

16. Não existem regras na maquiagem neon

LARKIN PERDUE

17. Dê a ela sua personalidade

𝐊 𝐀 𝐘 𝐋 𝐀

18. Deixe sua make delicada e feminina

THANIA LOPEZ

19. Aproveite e se destaque com o neon monocromático

VITTORIA MAKEUP

20. Divirta-se intercalando algumas cores

ITGIRLMUE

21. Realce suas próprias características

MAHA

22. E faça traços incríveis com os pincéis

𝑀𝒶𝓇𝓁𝑒𝓍 𝒵𝒶𝒸𝑜𝓃𝑒𝓉𝓉𝒶

23. A maquiagem neon verde chegou com tudo

STUDIO BECAH MAKEUP

24. E promete ser uma forte tendência na estação

IZZY

25. O neon também pode estar no batom

CAMILA FIGUEIREDO

Ver mais

É Destaque

Seguro-desemprego é negado a trabalhador que tem MEI ou CNPJ ativo

Publicado

dia

Receita Federal entende que demitido tem outra fonte de renda, e sistema trava concessão de benefício

Dinheiro: em 2019, 5.363 solicitações de seguro-desemprego foram negadas porque o solicitante tinha um CNPJ ativo (DircinhaSW/Getty Images)

Rio de Janeiro — O seguro-desemprego não tem sido concedido a pessoas que têm algum tipo de CNPJ ativo, seja registro como Microempreendedor Individual (MEI), sócio minoritário de empresa ou qualquer outro.

Como o benefício é destinado a trabalhadores com carteira assinada demitidos sem justa causa que não tenham outra fonte de renda, formal ou informal, o sistema entende que o registro na Receita Federal é sinônimo de faturamento.

A partir disso, o pedido é indeferido. Somente em 2019, segundo o Ministério da Economia, 5.363 solicitações de seguro-desemprego foram negadas porque o solicitante tinha um CNPJ ativo. Em 2018, o número foi ainda maior: 6.676 recursos negados.

No caso do MEI, o Portal do Empreendedor informa que o microempreendedor tem direito ao seguro-desemprego “desde que não tenha renda mensal igual ou superior a um salário mínimo (R$ 1.039, em janeiro de 2020, e R$ 1.045, a partir de fevereiro) no período de pagamento do benefício”. Mas, na prática, não é o que acontece. Segundo advogados, o sistema nega o benefício, independentemente da renda.

O advogado Daniel Alves explica que é possível reverter o cenário, comprovando que a empresa associada ao nome do desempregado não proporciona rendimentos suficientes.

O primeiro caminho é tentar resolver de forma administrativa, emitindo junto à Receita Federal um documento que mostre o faturamento nulo ou irrisório da empresa no ano anterior.

Se o pedido for negado, o trabalhador precisará entrar com um mandado judicial, a ser distribuído na Justiça Federal, com base em provas como histórico de faturamento e contrato social:

“Recentemente, consegui que o seguro-desemprego fosse autorizado a uma trabalhadora que detinha 1% de uma empresa, provando que ela havia recebido apenas mil reais de lucro em um ano.”

O advogado Carlos Ely Eluf diz que o governo começou a barrar a concessão do seguro-desemprego baseado em registros de pessoas jurídicas quando foi preciso apertar as contas. Mas ele avalia que a interpretação é genérica e, muitas vezes, fere o direito do trabalhador:

“Por conta da crise, muita gente começou a trabalhar por conta própria, entregando lanches de bicicleta, sendo motorista de aplicativo, vendendo coisas nas ruas. Muitos abriram CNPJs, mas isso não quer dizer que são empreendedores. É questão de sobrevivência, e o governo não pode privar essas pessoas do seguro-desemprego.”

Dados da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, com base em empresas optantes pelo Simples Nacional (regime de tributação unificado), mostram que o total de MEIs subiu de 5.680.614 para 9.430.438, de 2015 para 2019 — um aumento de 66%

Apesar de existir, desde 2015, um projeto de lei que tenta inverter a lógica do governo — de que qualquer CNPJ é comprovação de renda —, isso não significa nada na prática.

O sistema continua indeferindo o seguro-desemprego, independentemente do tipo de empresa à qual a pessoa esteja vinculada, segundo a advogada Camila Rosadas.

“Há como reverter isso de forma administrativa e, em alguns casos, judicial. No entanto, nem todo mundo corre atrás de seus direitos. Vemos, com o fenômeno chamado ‘pejotização”, mais e mais pessoas abrindo CNPJs para trabalhar como empregados. Isso tem sido uma boa forma de redução dos gastos públicos, às custas da dignidade do trabalhador, no momento que ele mais precisa do Estado.

Veja as regras do seguro-desemprego

Assistência

É um benefício integrante da Seguridade Social que tem por objetivo, além de prover a assistência financeira temporária ao trabalhador desligado sem justa causa, auxiliá-lo na manutenção e na busca por um emprego.

Não é permitido

No período que estiver com seguro-desemprego, o trabalhador não pode ter outra remuneração oriunda de vínculo empregatício formal ou informal.

Para requerer

O trabalhador dispensado sem justa causa recebe do empregador o Requerimento do Seguro-Desemprego devidamente preenchido. Duas vias desse formulário devem ser levadas a um posto de atendimento, junto com outros documentos, como a carteira de trabalho e os três últimos contracheques. É possível requerer o benefício pelo portal Emprega Brasil ou agendar o atendimento pelo Sistema de Atendimento Agendado.

Número de parcelas

Varia conforme o tempo trabalhado com vínculo formal e segundo o número de vezes em que a solicitação já foi feita.

Primeira solicitação

Se a pessoa tinha de 12 a 23 meses comprovados de vínculo empregatício no período de referência, ela receberá quatro parcelas. Se o trabalhador comprovar 24 meses ou mais, receberá cinco prestações.

Segunda solicitação

Se o empregado tinha entre nove e 11 meses de vínculo formal no período de referência, terá direito a três parcelas. Se comprovar de 12 a 23 meses de contrato, ganhará quatro prestações. Caso tenha somado 24 meses ou mais de emprego, fará jus a cinco parcelas.

Terceira solicitação

Três parcelas serão devidas ao trabalhador que teve de seis a 11 meses de vínculo empregatício no período de referência. No caso de 12 a 23 meses comprovados de registro formal, o pagamento será de quatro prestações. Cinco parcelas serão pagas a quem tiver a partir de 24 meses.

Ver mais

Espaço Mulher

Suco seca barriga: conheça 13 sucos saudáveis e diga xô para as gordurinhas

Publicado

dia

ISTOCK

Aprenda como fazer o seu suco seca barriga de forma saudável e natural! Esses líquidos atuam com nutrientes, ácidos, fibras e minerais que desintoxicam o corpo, aceleram o metabolismo, facilitam a digestão, diminuem o apetite e estimulam a queima de gordura corporal. Surpreenda-se com 13 receitas saborosas e multifuncionais que, aliados a hábitos saudáveis, vão secar a sua barriga.

Confira essa receita saudável de suco seca barriga capaz de lhe fazer perder até 4 quilos. No preparo, você vai precisar de folhas de couve sem o talo, maçã, suco de limão e água. A folha da couve é riquíssima em cálcio, mineral que obstrui as enzimas de gordura.

2. Suco com maçã e alface

Esse suco seca barriga com maçã e alface é excelente para desinchar o corpo e eliminar toxinas, por isso é perfeito para ser ingerido após o jejum e como a primeira alimentação do dia, para já limpar o organismo.

3. Suco com maçã e chá verde

Perca a barriga com saúde com essa receita de suco seca barriga com maçã e chá verde. O resultado é um suco que acelera o metabolismo e queima a gordura abdominal e corporal. Prove agora mesmo, é uma delícia!

4. Suco com pepino e couve

Além de desinflamar o corpo, o suco seca barriga com pepino, couve e maçã apresenta nutrientes especializados em queimar gorduras. Após exageros de comilanças, a ingestão do suco irá desintoxicar e diminuir as medidas do seu abdômen.

5. Suco com salsinha e couve

Conheça essa receita de suco seca barriga que é possível ver os efeitos em uma semana! Com limão, couve, salsinha, gengibre, suco de laranja e água, é possível saborear um suco saudável, nutritivo, termogênico e rico em vitamina C.

6. Suco com abacaxi e couve

Cada ingrediente desse suco seca barriga será capaz de proporcionar muita sabor, nutrição e diminuir o inchaço da barriga. O abacaxi apresenta enzimas que desinflamam o seu organismo, já a couve é rica em fibras e irá auxiliar no regulamento do seu intestino. Experimente!

7. Suco com abacaxi e pepino

Saiba sobre o suco seca barriga com abacaxi e pepino. O pepino é diurético e excelente para os rins, o que faz eliminar as toxinas do organismo. E o abacaxi é riquíssimo em vitaminas e um facilitador da digestão. Não se engane, o sabor é magnífico!

8. Suco com abacaxi e cenoura

Essa receita rápida e superfácil de suco seca barriga com abacaxi e cenoura é um ótimo antioxidante, por conter betacaroteno, além de ser abundante em fibras e vitaminas que auxiliam no bom funcionamento do organismo.

9. Suco com morango e beterraba

Com iogurte natural, laranja, morango e beterraba você provará um sublime suco seca barriga e com benefícios capazes de desinchar e queimar gorduras na região abdominal. É funcional, saboroso e muito nutritivo.

10. Suco com limão e cenoura

Confere só essa receitinha de suco com limão e cenoura que irá desinchar o seu corpo, regular o ph e inibir o apetite, o que faz com que, também, auxilie no emagrecimento. Ele pode ser ingerido no café da manhã ou antes das refeições para controlar o apetite e não extrapolar.

11. Suco com limão e berinjela

Veja só essa receita de suco com limão e berinjela que irá promover grandes benefícios ao seu organismo, como desinflamação e diminuição da retenção de líquidos. Junte os ingredientes em uma jarra com água e deixe curtindo de um dia para o outro. Terminado, tome em jejum.

12. Suco com limão e glutamina

Domine esse suco seca barriga com com limão e glutamina. Ele será capaz de diminuir o inchaço do abdômen ou o famoso estômago alto. A glutamina será responsável por auxiliar no bom funcionamento intestinal e na construção muscular. Aproveite!

13. Suco com limão e melancia

Aprenda a fazer esse suco com limão e melancia que irá regular seu intestino e diminuir o inchaço abdominal. O suco ainda leva gengibre e juntos os ingredientes, além de auxiliarem a perda de peso, controlam a pressão sanguínea e reduzem os níveis de colesterol.

Além da facilidade, por serem produzidos no conforto de casa, os sucos seca barriga são diuréticos e auxiliam no bom funcionamento do intestino. Confira também tudo sobre a inserção de alimentos termogênicos na sua alimentação, os quais estimulam a queima de gordura e favorecem a perda de peso.

Ver mais

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade