Nossa rede

Aconteceu

Quase 50 municípios de Goiás enfrentam risco de desabastecimento de água

Publicado

dia

Entre eles, há oito vizinhos do DF e três que são destinos muito procurados por turistas brasilienses

Gado magro em pasto seco e queimado, durante período de estiagem em Alto Paraíso: município da Chapada dos Veadeiros é um dos que correm risco de ficar sem água este ano (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)

 

Um ano após o fim da maior crise hídrica da história do Distrito Federal, municípios do Entorno enfrentam risco de desabastecimento de água. O alerta foi emitido pela Companhia Saneamento de Goiás (Saneago). O órgão elaborou uma lista das 46 cidades ameaçadas e apresentou ações para manter a regularidade do serviço. Entre elas, oito são vizinhas de Brasília e três, destinos muito procurados por turistas brasilienses em feriados e fins de semana.
O risco de desabastecimento tem relação com a redução do nível de capacidade dos mananciais e do período da estiagem. Para evitar impacto, o Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente e Urbanismo (CAO) do Ministério Público de Goiás (MPGO) enviou um ofício aos promotores das cidades pedindo que eles acompanhem e investiguem o caso.
Coordenador do CAO, o promotor Delson Leone Júnior cobra medidas de segurança, de emergência e de contingência por parte dos municípios, inclusive quanto a eventual racionamento. “O escopo da nossa ação foi levantar essas informações junto à Saneago e alertar os promotores para um cenário de desabastecimento. Sugerimos algumas providências, além de contar com a consciência da população para buscar alternativas”, contou Delson Júnior, em entrevista ao Correio.
O promotor aponta três medidas como urgentes: conscientizar a população para o uso racional da água, fiscalizar os mananciais para combater os usos irregulares e começar um processo de recuperação das bacias. “Temos recursos hídricos bastante degradados e isso impacta na qualidade e na quantidade de água. Fizemos sugestões para minimizar os impactos, e a expectativa é para que isso aconteça”, destacou Delson Júnior.
O promotor também alertou que o crescimento desordenado do Entorno aumenta a demanda por água e ultrapassa a disponibilidade. “Não se fala ainda em crise hídrica, mas de uma melhor gestão do recurso, em especial nesses municípios, cujos mananciais estão com redução da vazão. Existem medidas sendo adotadas, inclusive com apoio do Ministério Público, e verificaremos se elas serão suficientes ou não com o passar dos dias.”

Histórico de redução

Para elaborar a lista das cidades com risco de desabastecimento, a Saneago considerou o histórico do baixo nível dos mananciais. Mas só há monitoramento digital disponível para ser acessado pela população do manancial da Região Metropolitana de Goiânia. As outras bacias, principalmente as do Entorno, não têm dados on-line.
Diretor de Produção da Saneago, Wanir José de Medeiros Júnior garantiu providenciar a disponibilidade dos dados. “Desde 2015 os mananciais apresentam redução da vazão e temos feito ações para minimizar a escassez hídrica”, confirmou. O governo estadual tem investido em campanhas educativas e começou a fazer perfurações e interligação de poços artesianos, além de abastecer asilos, unidades de saúde e escolas com caminhão pipa e investir em melhorias nas estações de tratamento, segundo a Saneago.
“Assim como no Distrito Federal, em 2017 tivemos uma crise difícil com redução das vazões dos mananciais. Em 2018, essa situação foi minimizada e não houve problema de desabastecimento, mas, desta vez, o relatório demonstra risco com relação ao recurso hídrico”, reforçou Wanir Júnior.
Segundo o diretor de Produção da Saneago, servidores atuam para não haver racionamento nem rodízio de água. “Essa possibilidade sempre existe, mas, pela nossa expectativa, não deve acontecer. A probabilidade seria fazer uma manobra no sistema para reduzir a pressão (da água), o que não deve ocorrer por causa do histórico de 2018 e pelo índice pluviométrico”, explicou.
Entre as cidades do Entorno, o Novo Gama conta com apoio de abastecimento da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb). “Quando necessário, importamos água da adutora da Caesb que fica na região, mas revertemos a perda de água e reduzimos o volume importado. Com essa diminuição no prejuízo, praticamente não estamos mais contando com o recurso do Distrito Federal”, disse Wanir.
“Não se fala ainda em crise hídrica, mas de uma melhor gestão do recurso, em especial nesses municípios, cujos mananciais estão com redução da vazão. Existem medidas sendo adotadas, inclusive com apoio do Ministério Público, e verificaremos se elas serão suficientes ou não com o passar dos dias”, Delson Leone Júnior, promotor de Justiça.

Comentário

Aconteceu

Fogo em vegetação: incêndios simultâneos atingem áreas diferentes do DF

Publicado

dia

Corpo de Bombeiros combate chamas no Paranoá, em Samambaia e no Taquari, na subida do Colorado, no dia em que o DF entrou em estado de alerta para baixa umidade

Incêndio na subida do Colorado, antes do Taquari, sentido Sobradinho
(foto: Divulgação/DER)

Três ocorrências de incêndios florestais ocorrem de forma simultânea na tarde desta segunda-feira (15/7). O Corpo de Bombeiros foi acionado para apagar as chamas no Paranoá, em Samambaia e no Taquari, na subida do Grande Colorado, próximo a Sobradinho. Equipes de diferentes regiões trabalham nos casos. Nas duas primeiras cidades, os militares precisaram pedir reforço após identificar chamas de média proporção.
No caso de Samambaia, os bombeiros identificaram a fumaça enquanto trabalhavam em outro chamado, em Ceilândia. Há uma coluna de fumaça grande na região da DF-180, no fim da cidade. Somente no Taquari há uma preocupação menor, porque, segundo os bombeiros, trata-se de um combate corriqueiro.
As ocorrências acontecem no dia em que o Distrito Federal entra em estado de alerta devido à baixa umidade da capital. O aviso, publicado pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), prevê que a umidade possa ficar abaixo dos 20%. A tendência é de que o tempo seco esteja apenas começando e dure até o fim de agosto.
Segundo levantamento dos bombeiros, até a primeira semana de julho, a corporação atendeu a 1.599 ocorrências de fogo em áreas verdes. A região queimada chega a 1.090,84 hectares — mais de mil campos de futebol. Para evitar devastação, especialistas têm adotado ações de prevenção, como a utilização da técnica do aceiro, que está sendo realizada hoje em Áreas de Proteção Ambiental.
Ver mais

Aconteceu

Acidente entre dois carros na Epig causa engarrafamento e complica trânsito

Publicado

dia

Dois veículos bateram e uma mulher foi atendida pelo Corpo de Bombeiros sentindo dores no tórax

Engarrafamento provocou lentidão de cerca de 30 minutos
(foto: Vicente Nunes/CB/D.A Press)

Um acidente na Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig) no início da tarde desta segunda-feira (15/7) deixou o trânsito impactado na via. Dois carros bateram por volta das 14h20 e o Corpo de Bombeiros foi acionado para atendimento dos envolvidos. Houve perícia no local, o que prolongou o engarrafamento.
A colisão ocorreu na altura do complexo da Polícia Civil. Uma mulher que estava em um dos carros foi atendida por sentir dores no tórax, mas não houve necessidade de transporte de nenhuma das vítimas ao hospital.
Ainda não há informações sobre quantos quilômetros de engarrafamento se formaram na via, mas motoristas relatam até 30 minutos de lentidão em frente ao Departamento de Polícia Especializada (DPE). Apenas uma pista ficou liberada para os carros.
Ver mais

Aconteceu

Polícia prende acusado de arrombar cofre de loja e levar quase R$ 150 mil

Publicado

dia

Segundo investigação, ele é acusado de integrar uma quadrilha responsável por roubar uma distribuidora de bebidas. Ao cometer o crime, grupo se passou por agentes da Polícia Civil

Um homem acusado de integrar uma quadrilha responsável por roubar uma distribuidora de bebidas acabou preso. O crime ocorreu em outubro de 2018, mas policiais civis chegaram ao suspeito na sexta-feira (12/7). À época, os criminosos agiram vestidos de policiais civis, enganando o vigilante da loja, que foi rendido. O caso ocorreu na madrugada do dia 15 de outubro do ano passado, em um estabelecimento no Setor de Armazenagem e Abastecimento Norte (Saan).

Conforme noticiado à época, um grupo de cinco homens chegou na porta da distribuidora e, disfarçados de policiais, levou um dos comparsas que se passava por um preso. O farsante estava alegemado. Os colegas, então, disseram ao vigilante que precisavam procurar uma arma que havia sido jogada na distribuidora pelo falso preso.
O vigilante abriu o portão para os bandidos e, neste momento, acabou rendido. Ele também teve a arma tomada pelos criminosos. Na ação, o grupo se direcionou ao interior da empresa. O suspeito detido pelos policiais, identificado como T.B.M., arrombou um cofre que tinha R$ 149,8 mil. O acusado utilizou uma mola de caminhão para a ação.
Além do dinheiro, os bandidos levaram um colete a prova de balas, um revólver calibre .38, e a arma do vigilante. Eles fugiram de carro do local. Agentes da Divisão de Repressão a Roubos e Furtos da Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (DRF-Corpatri) identificaram T.B.M e realizaram a prisão dele.
Policiais também chegaram até outros dois integrantes do grupo: um morreu ainda no dia do crime, em Taguatinga; e W.C.T. que é considerado foragido. A investigação do caso continua, uma vez que dois dos bandidos ainda não foram identificados.
Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade