Nossa rede

É Destaque

Prêmios FAC: GDF divulga lista de 500 projetos culturais contemplados; benefício é de R$ 4 mil

Publicado

dia

Iniciativa pretende diminuir impacto econômico no setor durante pandemia. Investimento total é de R$ 2 milhões.

Agente da cultura fazem protesto no DF pela garantia e manutenção do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) — Foto: Luiza Garonce/G1

A Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec) divulgou, nesta segunda-feira (13), a lista dos 500 projetos culturais vencedores do edital “Prêmios FAC – Brasília 60”. O resultado foi publicado no Diário Oficial do DF.

A iniciativa contempla artistas e agentes culturais da capital. De acordo com o governo local, cada projeto contemplado vai receber cerca de R$ 4 mil. O investimento total é R$ 2 milhões, viabilizados pelo Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC). Confira os vencedores no link abaixo:

Os vencedores foram selecionados em diversas vertentes, desde música e literatura até design e moda. De acordo com o secretário de Cultura e Economia Criativa, Bartolomeu Rodrigues, o prêmio pretende “atenuar os danos ao setor, por causa da pandemia do novo coronavírus”.

“Essa iniciativa tem, antes de tudo, a marca da solidariedade. O setor cultural foi, na prática, a primeira vítima da Covid-19 e, por isso, outras ações desse tipo estão em curso, pois sabemos que será o último a se recuperar”, explica Rodrigues.

Prazo para recurso
Os inscritos que não foram selecionados no prêmio ainda podem apresentar recurso a partir desta segunda-feira. Ao todo, o prazo é de 10 dias.A Secretaria explica que as fichas com a avaliação das candidaturas, elaboradas pela comissão de seleção da iniciativa, poderão ser solicitadas pelo e-mail premiosfac@cultura.df.gov.br

 

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

É Destaque

Taxa de desemprego do DF fica acima da média nacional, aponta IBGE

Publicado

dia

Por

243 mil moradores do DF estavam desempregados no 3° trimestre de 2020, uma taxa de 15,6%, acima da média brasileira de 14,6%. Empregados, porém, tiveram o maior rendimento médio do país

(crédito: Ana Rayssa/CB/D.A Press)

O desemprego entre moradores do Distrito Federal segue sendo um desafio a se enfrentar no ano de 2020. A taxa de pessoas desocupadas no DF ficou acima da média nacional no terceiro trimestre do ano. Os números são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada nesta sexta-feira (27/11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ao todo, os resultados mostraram 243 mil moradores do DF desempregados entre agosto, setembro e outubro de 2020, uma taxa de 15,6%, acima da média brasileira (14,6%). A porcentagem se manteve estável em relação ao segundo trimestre do ano, que manteve o mesmo valor, enquanto outras dez unidades da Federação apresentaram aumento.

Houve ainda queda de 9,9% no número de empregados do setor privado com carteira assinada. Apesar de estar acima da média nacional, a taxa de desemprego fez o DF cair da 8ª posição para a 12ª entre a maiores do país, entre os dois últimos levantamentos trimestrais do IBGE. Entre os trabalhadores informais, o Distrito Federal foi a segunda região com as menores taxas.

Foi registrado um índice de informalidade de 28,6% no DF, maior somente do que o percentual de Santa Catarina, com 26,9%. O cálculo da capital leva em conta os 110 mil empregados no setor privado sem carteira de trabalho assinada, os 42 mil empregados domésticos sem carteira assinada, os 13 mil empregadores sem CNPJ, os 203 mil trabalhadores por conta própria sem CNPJ e os 7 mil trabalhadores familiares auxiliares.

 

 

Ver mais

É Destaque

Ambulatório do Hran volta a atender especialidades médicas

Publicado

dia

Por

Consultas estavam suspensas na unidade desde abril devido à pandemia do novo coronavírus. A UTI começa, gradativamente, a receber casos gerais

(crédito: Ed Alves/CB/D.A Press – 11/3/20)

O ambulatório do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) voltou a atender especialidades médicas. Devido à pandemia, as consultas com especialistas tinham sido direcionadas para unidades da Região Central, como a policlínica do Lago Sul, o Adolescentro e o Centro de Orientação Médico Psicopedagógica. A retomada dos serviços na unidade de saúde inclui, também, a oferta de exames.

Os consultórios de Geriatria e do Crisdown, no entanto, não voltarão à unidade de saúde neste primeiro momento.

A porta de entrada para ser atendido nos ambulatórios da rede pública é pelas unidades básicas de saúde que referenciam, quando necessário, os pacientes para serem atendidos na Atenção Secundária. De acordo com a direção do Hran, a internação de pacientes que não estão com a covid-19 e são tratados pelo ambulatório também já é possível.

Segundo a Secretaria de Saúde, nos últimos meses, 95% dos atendimentos do Hran foram concentrados no enfrentamento da covid-19. Foram mantidos apenas os ambulatórios de fisioterapia dos queimados e pneumologia, além do atendimento da emergência de queimados.

O Hran está se reestruturando e remodelando para voltar aos seus atendimentos clínicos, cirúrgicos e, também, no centro assistencial, por ser um formador de médicos residentes em mais de 12 especialidades.

A unidade voltará, em breve, a atender especialidades no pronto-socorro, como ginecologia e cirurgia. A exceção continua sendo a clínica médica, que permanecerá atendendo exclusivamente pacientes com suspeita, ou confirmados, com o novo coronavírus.

Vinte leitos de UTI do Hran, que eram leitos exclusivos para atender pacientes com covid-19, começaram a ser disponibilizados gradualmente para pacientes portadores de outras enfermidades. O sétimo andar da ala de internação do hospital será exclusivo para atender esses pacientes.

Com informações da Secretaria de Saúde

 

Ver mais

É Destaque

Por suspeita de ataque hacker, TRF-1 retira do ar portal da Justiça Federal do DF e de 13 estados

Publicado

dia

Por

Administração do tribunal informou que sistemas foram colocados em modo restrito ‘para adequada investigação’. Consultas a processos e emissão de certidões online estão indisponíveis.

Sede do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) — Foto: Saulo Cruz/Ascom TRF-1

A suspeita de um ataque hacker fez o Tribunal Regional Federal 1ª Região (TRF-1) retirar o portal do ar, na manhã desta sexta-feira (27). Em nota, a administração do tribunal afirmou que os sistemas foram colocados em modo restrito como medida preventiva.

Segundo o TRF-1, que tramita processos de 13 regiões e do Distrito Federal, uma publicação veiculada em redes sociais falava sobre uma invasão ao site do Judiciário.

“Assim todos os sistemas foram colocados em modo restrito para permitir adequada investigação, sendo que, até o momento, não se identificou nenhum ativo de TI comprometido”, diz trecho da nota.

Por conta da medida, consultas processuais e a emissão de certidões online estavam indisponíveis até a última atualização desta reportagem, às 13h. A Corte não deu detalhes se houve o vazamento de arquivos.

Nota do TRF-1 sobre indisponibilidade do sistema — Foto: TRF-1/Divulgação

Nota do TRF-1 sobre indisponibilidade do sistema — Foto: TRF-1/Divulgação

 

O TRF-1 reúne processos dos seguintes estados:

  • Acre
  • Amazonas
  • Roraima
  • Rondônia
  • Amapá
  • Pará
  • Mato Grosso
  • Tocantins
  • Maranhão
  • Piauí
  • Bahia
  • Minas Gerais
  • Goiás
  • Distrito Federal
Print de imagem divulgada por hackers que dizem ter invadido o sistema do TRF-1 — Foto: Divulgação

Print de imagem divulgada por hackers que dizem ter invadido o sistema do TRF-1 — Foto: Divulgação

O ataque foi comemorado nas redes sociais pelos invasores, que afirmam ter capturado os dados, mostrando a “vulnerabilidade” do sistema do TRF-1.

Sistemas invadidos por hackers

No dia 3 de novembro, o sistema de informática do Superior Tribunal de Justiça (STJ) foi alvo de um ataque cibernético. A corte acionou a Polícia Federal para investigar o caso.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, defendeu a necessidade de aprimoramentos nos sistemas digitais do Poder Judiciário.

De acordo com o ministro, os ajustes são necessários porque ainda está em andamento o projeto “Juízo 100% Digital”, que prevê a realização de todos os atos processuais exclusivamente por meio eletrônico e de maneira remota.

Na mesma semana, no dia 5 de novembro, a Secretaria e Economia do Distrito Federal identificou uma tentativa de ataque hacker aos sistemas do Governo do Distrito Federal, o GDFNet. O sistema de comunicação do Ministério da Saúde ficou fora do ar no mesmo dia, deixando o órgão sem internet, telefone fixo e emails corporativos.

Leia íntegra da nota do TRF1- sobre a suspeita de ataque hacker

“A administração do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), por meio da Secretaria de Tecnologia da Informação (Secin), informa que, em decorrência de publicação veiculada em redes sociais de que ocorrera uma invasão ao ambiente tecnológico do TRF-1, foram adotadas medidas preventivas para a preservação do ambienta.

Assim, todos os sistemas do Tribunal foram colocados em modo restrito para permitir adequada investigação, sendo que, até o momento, não se identificou nenhum ativo de TI comprometido.”

Ver mais

É Destaque

Cena Contemporânea chega à 21ª edição com atividades online e de graça

Publicado

dia

Por

Evento, pela web, vai de 1º até 11 de dezembro. Inscrições para oficinas devem ser feitas até esta quinta-feira (26); veja como participar.

Festival Cena Contemporânea, edição de 2018, em imagem de arquivo — Foto: Giovani Rufino/Divulgação

Se no ano passado o desafio do Festival Internacional de Teatro de Brasília era realizar um evento sem o patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), agora o obstáculo é levar a arte cênica para o público em meio a pandemia do novo coronavírus.

Para superar esta barreira, a 21ª edição do Cena Contemporânea, que é considerado um do mais importantes festivais de artes cênicas do Centro-Oeste, acontece em dois módulos: um online e outro presencial. A primeira parte começa na próxima terça-feira (1ª) e vai até 11 de dezembro, com atividades gratuitas, pela internet.

Mas as inscrições para as oficinas voltadas para os profissionais do teatro só podem ser realizadas até esta quinta-feira (26), às 18h (saiba mais abaixo).

A segunda etapa do festival está marcada para acontecer entre 25 de maio e 6 de junho de 2021. Segundo os organizadores, a expectativa é que esta versão do evento seja presencial, mesmo que para isso as encenações precisem ocorrer ao ar livre, ou com público reduzido nos teatros.

Novas linguagens

Peça "Black off" interpretada pela atriz sul-africana Ntando Cele durante a 18º edição do Cena Contemporânea, em imagem de arquivo — Foto: Luiza Garonce/G1

Peça “Black off” interpretada pela atriz sul-africana Ntando Cele durante a 18º edição do Cena Contemporânea, em imagem de arquivo — Foto: Luiza Garonce/G1

Carmem Moretzsohn, uma das curadoras do Cena Contemporânea, explica que o evento em 2020 vem com um tom de comemoração, o festival completa 25 anos. “A gente insistiu em fazer esta edição até porque percebemos que o teatro está se reinventando em meio a pandemia”, diz ela.

Para Carmem, a arte passou a dialogar também com as mídias digitais e as altas tecnologias. Para a curadora, o teatro está se apropriando destas linguagens.

“O que a gente vai conseguir, é mostrar para as pessoas a diversidade de olhares e de linguagens que o teatro está usando para continuar vivo”, diz Carmem Moretzsohn.

Para a etapa online, foram selecionados trabalhos produzidos no Brasil e no exterior. As apresentações podem ser assistidas até três dias depois da estreia, no canal do festival no Youtube.

Um dos espetáculos é o “Cage Shuffle: a digital duet”. A obra foi criada pelos norte-americanos Paul Lazar e Bebe Miller. A apresentação ocupa as redes sociais no dia 6 de dezembro, às 19h30.

“A dupla apresenta uma performance criada para a plataforma digital a partir de uma partitura de John Cage que propõe a encenação de pequenas histórias de um minuto cada”, explica a organização do evento.

Artista paranaense Maikon Kempinski encena a performance "DNA de Dan"; ele esteve no Cena Contemporânea 2017 — Foto: VictorTakayama/Divulgação

Artista paranaense Maikon Kempinski encena a performance “DNA de Dan”; ele esteve no Cena Contemporânea 2017 — Foto: VictorTakayama/Divulgação

A programação do Cena Contemporânea 2020 tem ainda encontros e oficinas que propõem um mergulho nas técnicas, informações e estéticas da arte cênica. Os encontros são abertos ao público, no entanto, para participar, é preciso fazer uma inscrição prévia.

Já as oficinas são voltadas para os profissionais do teatro e têm vagas limitadas. Uma delas, é a “Clínica de Obsessão”, ministrada pelo artista argentino Matías Umpierrez. Para participar, é preciso fazer as inscrições até esta quinta-feira (26), às 18h. As atividades acontecem nos dias 2, 4, 8 e 9 de dezembro, das 9h às 14h.

A outra oficina é “Uploading the Rhythm”, do moçambicano Idio Chichava. As inscrições também precisam ser feitas até esta quinta. A oficina está marcada para os dias 5, 6 e 7 de dezembro, das 9h às 12h.

Segundo os organizadores, as oficinas precisam de inscrição prévia porque os participantes vão passar por uma seleção.

Programe-se

21º Cena Contemporânea, Festival Internacional de Teatro De Brasília – versão online

  • Quando: de 1º a 11 de dezembro
  • Onde: pela internet
  • Valor: de graça
  • Encontros: aberto ao público, mas é preciso fazer as inscrições pelo link
  • Oficinas: voltadas para os profissionais do teatro
  • Inscrições até quinta-feira (26), às 18h
  • Clique no nome da oficina para acessar o formulário de inscrição
  • “Clínica de Obsessão”
  • “Uploading the Rhythm”

Ver mais

É Destaque

Saiba como calcular o valor do 13º salário

Publicado

dia

Por

O pagamento do benefício é pago em duas parcelas; entenda como calcular o valor e confira as datas de recebimento

13º salário: caso o trabalhador já tenha recebido uma parte do 13º salário adiantado durante as férias receberá só a segunda parcela (Marcello Casal Jr/Agência Brasil/Agência Brasil)

O pagamento do 13º salário está chegando. A primeira parcela será paga aos trabalhadores até a próxima segunda-feira, dia 30 de novembro. Já a segunda parcela deve ser paga até o dia 20 de dezembro.

Na primeira parcela, até 30 de novembro, o trabalhador recebe um valor equivalente à metade do salário atual, sem descontos de impostos e benefícios. O valor é equivalente à metade do último salário recebido, e não à média do salário no ano. Assim, se o salário aumentou durante o ano, o cálculo será feito com base no último salário, o mais alto.

Vale destacar que caso o trabalhador já tenha recebido uma parte do 13º salário adiantado durante as férias receberá só a segunda parcela.

Já na segunda parcela (até 20 de dezembro), o valor recebido é equivalente ao salário de novembro, descontando Imposto de Renda e INSS sobre esse salário inteiro, e também o valor da primeira parcela que você já recebeu. Ou seja, o valor da segunda parcela será menor que o da primeira. Os descontos de INSS e Imposto de Renda variam conforme o valor do salário. Confira:

INSS

Salário Desconto
Até R$ 1.045 7,5%
De  R$ 1.045,01 até R$ 2.089,60 9%
De R$ 2.089,61 até  R$ 3.134,40 12%
De R$ 3.134,41 até R$ 6.101,06 14%

Imposto de Renda

Salário Desconto Parcela a deduzir
Até R$ 1.903,98 0% R$ 0
De R$ 1.903,99 até R$ 2.826,65 7,5% R$ 142,8
De R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05 15% R$ 354,8
De R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68 22,5% R$ 636,13
Acima de R$ 4.664,68 27,5% R$ 869,36

Salário reduzido

Os trabalhadores que tiveram redução de salário devido a MP 936 receberão o 13º salário integral. A orientação foi dada pelo governo por meio de uma nota divulgada pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia.

O governo reforçou o entendimento de que o pagamento do 13º salário e das férias para os trabalhadores que fizeram acordos de redução de jornada e de salário deve ser integral. Já no caso de suspensão temporária do contrato de trabalho, os valores da gratificação natalina e das férias deverão ser calculados de forma proporcional ao tempo de serviço efetivo.  Ou seja, se o trabalhador teve suspensão de contrato por três meses, por exemplo, e voltou a trabalhar depois, esses três meses não entram no cálculo no 13º.

Horas extras, adicional noturno e comissões

Se o trabalhador recebeu horas extras, adicional noturno ou comissões ao longo do ano, o  13º salário terá um acréscimo proporcional, normalmente recebido na segunda parcela.

Para calcular horas extras ou adicional noturno, some todas as horas feitas, divida pelo número de meses trabalhados até novembro e multiplique esse valor pelo custo da hora extra ou do adicional noturno. O mês de novembro entra na conta, e as horas proporcionais às trabalhadas em dezembro devem ser pagas em janeiro.

Para calcular as comissões, some todas as recebidas ao longo de 2020, divida pelo número de meses trabalhados até novembro e adicione o valor ao décimo terceiro. O mês de novembro entra na conta, e as comissões de dezembro devem ser pagas em janeiro.

E quem não trabalhou o ano inteiro na empresa?

Se o trabalhador foi contratado no meio do ano, o 13º salário será menor, proporcional ao número de meses trabalhados.

Para calcular a primeira parcela, que deve ser recebida até 30 de novembro, divida o salário por 12 e multiplique o resultado pelo número de meses em que trabalhou, até novembro.

Se trabalhou menos do que 15 dias no mês que entrou na empresa, esse mês não entra na conta. A primeira parcela será equivalente à metade desse valor, sem descontos.

Para calcular a segunda parcela, que será paga até 20 de dezembro, basta dividir o valor do salário de novembro por 12 e multiplique o resultado pelos meses trabalhados até dezembro. Em seguida, desconte desse valor o INSS, o Imposto de Renda e a pensão alimentícia, se for o caso. Por último, subtraia o valor da primeira parcela já recebida.

Ver mais

É Destaque

Pazuello participará de audiência sobre testes parados na próxima quarta

Publicado

dia

Por

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, vai explicar a situação dos 6,86 milhões de testes parados do novo coronavírus

Ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, em Brasília. (Adriano Machado/Reuters)

A Comissão Mista da Covid-19 no Congresso Nacional confirmou para quarta-feira, 2, a audiência pública com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para explicar a situação dos testes parados do novo coronavírus.

Conforme o Estadão revelou, um total de 6,86 milhões de testes para o diagnóstico da doença comprados pelo Ministério da Saúde perde a validade entre dezembro deste ano e janeiro de 2021.

O Congresso cobra do ministro uma explicação sobre a situação. O convite foi aprovado em audiência da comissão, que reúne deputados e senadores, na quarta-feira, 24. De acordo com o colegiado, a videoconferência com o titular da pasta está confirmada para o próximo dia 2.Questionado sobre a situação, o presidente Jair Bolsonaro disse nesta semana que são governadores e prefeitos, e não o governo federal, que devem explicação. Como mostrou o reportagem, os testes não foram repassados à rede pública. Os dados sobre prazo de validade dos testes estão registrados em documentos internos do próprio ministério.

 

Ver mais

Hoje é

sábado, 28 de novembro de 2020

Publicidade

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?