Nossa rede

Espaço Mulher

Pílula anticoncepcional masculina significa liberdade para as mulheres?

Publicado

dia

A previsão de comercialização da pílula é para daqui dez anos, em 2029

As mulheres são as que mais sentem as consequências dos métodos contraceptivos. São elas que normalmente põem a própria saúde em risco ingerindo pílulas, levando injeções ou instalando chips anticoncepcionais no corpo. Essa realidade pode mudar em um futuro não tão distante.

No final do mês de março, a Sociedade de Endocrinologia dos Estados Unidos informou que uma nova pílula anticoncepcional passou por testes e obteve resultados positivos. Dessa vez, o público alvo não são as mulheres, mas os homens!

O novo medicamento oral, chamado 11-beta-MNTDC, foi divulgado durante reunião anual. A pílula é composta de testosterona modificada com uma combinação entre hormônio masculino, o andrógeno, e feminino, a progesterona.

Apesar de serem desenvolvidas para sistemas reprodutivos diferentes, a pílula masculina e a feminina funcionam de formas semelhantes. Priscila Lima, ginecologista da Clínica Vivitá, explicou à CLAUDIA que em ambos os medicamentos há o uso de hormônios que bloqueiam a hipófise, inibindo nas mulheres a ovulação e nos homens a espermatogênese.

As tentativas anteriores de desenvolver uma pílula para homens foram barradas por apresentarem efeitos colaterais graves. Então por que, afinal, a pílula feminina, que também pode acarretar problemas de saúde como a trombose, foi aprovada e ainda circula comercialmente?

Priscila conta que, durante a fase de testes da pílula feminina, 5 mil pessoas foram submetidas à experimentação e o risco de trombose não foi tão grande a ponto de barrar a liberação do anticoncepcional.

“Em pacientes saudáveis, há o risco de trombose, mas não é um risco tão alto a ponto de contra-indicar a pílula”, aponta a ginecologista. “Quando há a pressão alta, diabetes ou no caso de pacientes com mais de 40 anos, aumenta-se um pouco o risco de problemas cardiovasculares e trombose.”

O estudo

Christina Wang, principal pesquisadora e uma das diretoras do Centro de Ciência Clínica do Instituto de Pesquisa Biomédica de Los Angeles (LA BioMed), explica que a pílula é feita com o hormônio feminino para inibir a produção de espermatozoide. A combinação com o hormônio masculino serve para não diminuir a libido.

Nos testes, 40 homens tomaram o medicamento. Dez homens tomaram placebos (pílulas sem efeito); 14 tomaram pílulas com 200mg e 16 tomaram pílulas com 400mg da substância; todos fizeram uso de um comprimido ao dia, por 28 dias contínuos.

Ao final do estudo, os exames de sangue mostraram que o nível de testosterona de quem tomou o anticoncepcional diminuiu a níveis que não permitiam a produção de espermatozoide, mas sem causar insuficiência androgênica.

Entretanto, ainda são necessários pesquisas mais longas para confirmar a efetividade do medicamento. Provando-se eficaz, a droga é finalmente submetida a testes com casais sexualmente ativos. A previsão de comercialização da pílula é para daqui dez anos, em 2029.

 (Robert Kneschke / EyeEm/Getty Images)

Como funciona a pílula anticoncepcional masculina?

Flávio Trigo, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia, afirma que, toda vez que se toma essa combinação de hormônio masculino, existe uma inibição da produção do espermatozoide.

O médico explica que a hipófise, glândula localizada na base do cérebro que tem a função de regular o trabalho dos testículos, nos homens, libera o LH – hormônio relacionado à fertilidade – e estimula a produção da testosterona.

“Quando eu dou alguma substância que inibe a produção do LH, eu não consigo inibir só a sua produção, eu também diminuo a produção de SSH, responsável pelos espermatozoides”, detalha o urologista. “Então, eu mexo em um sistema em que a pessoa se torna temporariamente infértil”.

Tentativas anteriores: alto risco à saúde

Não é a primeira vez que se tenta desenvolver um medicamento contraceptivo para os homens. Nas tentativas anteriores, os estudos foram barrados por terem apresentado níveis colaterais graves.

Alex Meller, urologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), conta que, anteriormente, os contraceptivos eram criados à base de progesterona. “Por se tratar de um hormônio feminino, havia a perda de libido”, explica. “Ela inibe a produção de espermatozoide, atingindo o seu objetivo; mas, consequentemente, prejudica a libido e a virilidade em um todo. Então estes estudos foram abandonados.”

Como saída, a testosterona começou a ser combinada com o hormônio feminino para tentar diminuir os efeitos colaterais. Porém, os testes continuaram mostrando riscos à saúde. “Além das questões sexuais, apareceram sintomas como aumento de peso e aumento de colesterol”, explica o urologista. “Então, o problema de aprovação destes métodos para o uso comercial foram as altas taxas de efeitos colaterais.”

 (Paul Bradbury/Getty Images)

Nova tentativa, menos efeitos colaterais

Na nova pílula desenvolvida nos Estados Unidos, a combinação de testosterona modificada (a nandrolona) para ter efeitos de hormônio masculino e de progesterona foi a solução para atenuar as decorrências do uso dos anticoncepcionais masculinos. Com isso, é esperado que a droga, que combina duas ações hormonais em uma, diminua a produção de espermatozoides sem afetar a libido.

Durante o teste realizado no LA BioMed, alguns participantes perceberam efeitos colaterais leves, como acne e dor de cabeça. Já cinco tiveram uma tênue diminuição no desejo sexual e outros dois descreveram disfunção erétil leve, mas sem diminuir a atividade sexual.

Há o perigo de infertilidade irreversível?

 (Carol Yepes/Getty Images)

Para ambas as pílulas, a masculina e a feminina, Priscila Lima afirma que não há risco de infertilidade. “A vantagem da pílula é que ela é reversível”, argumenta. “Ela produz infertilidade no tempo de uso, ou seja, é temporário. Depois de parar de usar ainda demora alguns meses para o organismo voltar ao normal, mas volta”, garante.

“Neste último estudo eles viram que a produção de espermatozoides foi diminuída, mas seu uso é seguro e reversível, interfere na infertilidade do homem temporariamente”, completa a ginecologista.

E no futuro? Será que as mulheres vão poder parar de tomar o anticoncepcional e os homens é que vão adotar o método contraceptivo?

Segundo a ginecologista, em uma pesquisa feita com 9 mil homens, dos que mantinham uma relação estável, mais da metade concordou que adotaria métodos contraceptivos caso fosse desejo da parceira parar de tomar pílula. “Dessa forma, acredito que a pílula masculina vai ser um método utilizado, mas em maior quantidade entre homens em relacionamento estável”, opina.

Comentário

Espaço Mulher

5 cuidados que você precisa ter com suas extensões de cílios

Publicado

dia

A lash designer Juliana Prata, do estúdio Make It, dá dicas para o alongamento durar mais tempo

(Puhhha/ThinkStock)

Ter cílios longos, volumosos e curvados, como de bonecas, é um desejo praticamente universal. Por isso, a procura pela máscara que nos dê esse efeito é incansável. Foi nessa busca pelos cílios perfeitos que as extensões se tornaram tão populares, mas, para mantê-las bonitas por mais tempo, é necessário tomar alguns cuidados especiais.

A especialista e lash designer do estúdio Make It, Juliana Prata, deu cinco dicas para cuidar das extensões. “São dicas de ouro, que vão garantir cílios bem cuidados por até 30 dias. E claro, não se esqueça de fazer a manutenção com o profissional regularmente”, explica a profissional.

1- Diga adeus à máscara de cílios

Se você tem o alongamento, não é necessário usar rímel. O produto pode comprometer a durabilidade da extensão, porque deixa os cílios grudados uns nos outros. Além disso, na hora de remover a máscara, o atrito pode fazer com que os fios caiam.

2- Lave todos os dias

Apesar muita gente acreditar que molhar as extensões pode prejudicar a durabilidade delas, isso é um mito. Você deve lavar os cílios todos os dias para remover a oleosidade da região e evitar a proliferação de fungos e bactérias. Para fazer a higiene adequada, use shampoo neutro ou sabonete facial e não esfregue muito.

3- Seque bem

A umidade é inimiga dos cílios. Use a toalha com cuidado, pressionando levemente e evitando o atrito. Se for necessário, use um secador de cabelo com ar frio, segurando-o na altura do umbigo, deixando o vento bater na parte de baixo dos cílios.

4- Escove todos os dias

Use uma escovinha para escovar as suas extensões algumas vezes por dia. Além de deixar os fios alinhados e no lugar, a escovação ajuda a aumentar a durabilidade.

5- Nunca aplique óleo na região

Não use produtos a base de óleos na região dos olhos, como demaquilantes bifásicos. O óleo pode fazer com que o adesivo utilizado na fixação da extensão solte. Evite!

 

Ver mais

Espaço Mulher

Melasma não tem cura, mas tem tratamento

Publicado

dia

Especialista explica como lidar com o problema, que exige cuidados diários

Cuidado com a pele (Guido Mieth/Getty Images)

Quem sofre com melasma sabe que o problema não apresenta riscos para a saúde, mas pode ter um grande impacto na autoestima. Concentradas principalmente no rosto, as manchas hiperpigmentadas também aparecem em partes do corpo que sofrem constante exposição solar, como o colo e os antebraços.

Entre as causas do problema estão alterações hormonais da gestação, o uso de anticoncepcional, a exposição demorada ao sol sem o uso de proteção adequada, a constante realização de procedimentos estéticos agressivos e até mesmo o fator genético.

“Costumo dizer que o brasileiro tem uma pele muito miscigenada geneticamente e, por isso, não sabemos muito sobre a pele brasileira e, consequentemente, sobre o que causa o melasma. Mas o fato de morarmos num país tropical, onde a incidência solar é muito alta mesmo no inverno, tem grande impacto nisso”, conta a dermatologista Dra. Daniela Leal, da Clinica Leal, de Campinas.

Ela explica que o uso de protetor solar é fundamental tanto para prevenir quanto para controlar a hiperpigmentação. “Pela manhã, aplique o produto e seja generoso: uma quantidade que remeta a uma azeitona gorda é suficiente para proteger o rosto. Os filtros solares mais aderentes e com pigmento também têm função terapêutica, além da cosmética, e protegem das luzes que causam o melasma”, orienta a profissional.

E para quem já tem?

Se o melasma já se instalou, nada de se desesperar, pois há controle e tratamento! Segundo a dermatologista, existem peelings que ajudam consideravelmente no clareamento, mas é preciso atenção: “Tudo que agride muito a pele tende a responder piorando o melasma. Seja o peeling físico, que causa agressão, inchaço e vermelhidão, até os ácidos usados em casa. Se usar ácido e, por exemplo, entrar no carro num dia de sol e arder, converse com seu médico”, comenta a médica.

Há lasers e microagulhamentos que são coadjuvantes no tratamento e também podem ser usados por não induzirem à inflamação cutânea, sendo combinados a cosméticos de acordo com a estação do ano. “É importante ressaltar apenas que melasma não se cura. Se controla. O paciente deve se tratar e alinhar expectativas com o médico”, conclui a Dra. Daniela.

 

Ver mais

Espaço Mulher

Nail arts que prometem ser tendência em 2020

Publicado

dia

Confira cinco delas para você se inspirar

(Instagram/Reprodução)

As Semanas de Moda são responsáveis por lançar várias das tendências que amamos. Nas últimas temporadas, além do vestuário, os desfiles também foram fonte de inspiração para ousar nas maquiagens e nail arts. Essas últimas inclusive estão com desenhos cada vez mais diferentes.

Confira algumas das nail arts que despontaram nas passarelas e prometem ser um sucesso em 2020:

Francesinha

Prabal Gurung

Prabal Gurung (Miss Pop Nails/Reprodução)

Khaite (Essie/Reprodução)

Um clássico! A francesinha voltou a ser tendência e promete continuar assim no próximo ano. Com a faixinha mais fina ou mais grossa, a nail art é fácil de fazer, muito delicada e discreta. Ela foi a escolhida para os desfiles de Prabal Gurung e Khaite.

Francesinha colorida

 Oscar de la Renta

Oscar de la Renta (Miss Pop/Reprodução)

Rag & Bone (Peter Ung/Reprodução)

Para dar um toque mais moderno, alguns dos desfiles, como o de Oscar de la Renta e Rag & Bone, no NYFW, usaram outras cores para as francesinhas. Além da pontinha colorida ou preta, as marcas investiram em uma base nude no lugar do branco.

Metalizada

Pyer Moss (Dominik Bindl/Getty Images)

Kith (Essie/Reprodução)

O esmalte metalizado também vai ser tendência. Se não quiser investir na unha inteira, você pode se inspirar na nail art escolhida para o desfile da marca americana Kith, em que um esmalte transparente foi complementado com apenas uma faixa vertical de esmalte prateado. O resultado é discreto, mas com uma pegada moderna.

Glitter

Christian Siriano (Essie/Reprodução)

A cobertura transparente com glitter dá um toque especial em qualquer cor de esmalte. No desfile de Christian Siriano, as modelos variaram entre bases transparentes, francesinha e verde menta. O glitter é brilhante, mas não chama tanta atenção quanto o esmalte totalmente metalizado. O resultado é muito fofo.

Formas geométricas

Jeremy Scott (Miss Pop/Reprodução)

Jeremy Scott deixou de lado as nail arts mais discretas e investiu em um design completamente diferente e colorido para seu desfile no NYFW. A base preta ganhou um novo ar com desenhos de formas geométricas de várias cores.

Ver mais

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade