Nossa rede

Brasília

Painel interativo permitirá acompanhar registro de feminicídios

Publicado

dia

Informações poderão ser acessadas de qualquer lugar e reunirão panorama completo dos casos ocorridos desde 2015

Painel interativo permitirá o acompanhamento de análises e estudos da Câmara Técnica de Monitoramento de Homicídios e Feminicídios | Foto: Divulgação/SSP

“Muito dificilmente um feminicídio é a primeira violência sofrida. Comprovamos isso por meio dos estudos”Milton Neves, subsecretário executivo de Segurança Pública

Para mais transparência e aumento da interação com os diversos segmentos da sociedade e do governo no enfrentamento à violência contra a mulher, a Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP) lança, nesta segunda-feira (21), o Painel Interativo de Feminicídios. O material será disponibilizado por meio de tecnologia de Business Intelligence (BI), semelhante ao Painel Covid, utilizado pelo Governo do Distrito Federal para divulgação dos dados referentes à pandemia no DF. O lançamento ocorrerá no Palácio do Buriti, com transmissão ao vivo pelo Instagram da SSP, às 14h30.

O painel trará, de forma dinâmica e interativa, as análises e estudos da Câmara Técnica de Monitoramento de Homicídios e Feminicídios (CTMHF), da SSP. Haverá informações detalhadas de todos os feminicídios ocorridos no Distrito Federal desde a publicação da Lei nº 13.104, em março de 2015. O material subsidiará os gestores públicos, o sistema de justiça, acadêmicos, imprensa e população. Os dados serão atualizados sistematicamente e poderão ser acessados por meio do site da SSP, inclusive pelo celular.

“Nosso principal objetivo é envolver cada vez mais todos os segmentos da sociedade no enfrentamento a toda e qualquer violência contra mulher”, explica o secretário de Segurança Pública, delegado Júlio Danilo. “Essa é uma prioridade da gestão do governador Ibaneis Rocha e da Secretaria de Segurança Pública. O painel interativo é, sem dúvida, um avanço essencial para continuidade de implementação de políticas cada vez mais assertivas e direcionadas. Utilizar a BI é inovador, e o acesso a informações qualificadas é essencial para a elaboração de políticas públicas e para o suporte à tomada de decisão e ao monitoramento de resultados.”

“O estudo mostra que existem muitos casos de mulheres que permanecem no ciclo de violência por conta da dependência financeira de seus parceiros, e o programa busca a autonomia financeira das mulheres”Ericka Filippelli, secretária da Mulher

A iniciativa integra o programa Mulher Mais Segura, lançado em março deste ano pela SSP para coordenar iniciativas de proteção e prevenção a crimes dessa natureza. É mais uma entrega que materializa o comprometimento do governo como um todo com essa causa”, resume o titular da SSP. “São inúmeras parcerias para que vítimas de violência tenham, cada vez mais, acesso às políticas de proteção, aos mecanismos de denúncia e aos órgãos de proteção e repressão deste crime.  O painel será essencial para transparência e gestão técnica das políticas públicas”.

O secretário executivo de Segurança Pública, Milton Neves, faz um alerta: “Muito dificilmente um feminicídio é a primeira violência sofrida. Comprovamos isso por meio dos estudos que estarão disponíveis no painel e que apontam que, em cerca de 80% dos crimes ocorridos no DF desde 2015, as mulheres nem sequer tinham registrado um boletim de ocorrência contra o autor. O que impressiona é que, no decorrer da investigação, familiares, amigos e vizinhos relatam nos processos que já tinham visto ou escutado que aquela mulher tinha sido vítima de violência”.

A secretária da Mulher, Ericka Filippelli, elogia a iniciativa: “A transparência da informação, de um estudo tão aprofundado e completo como o realizado pela Secretaria de Segurança Pública, é estratégica para direcionamento de ações e mostra a preocupação do governo com a prevenção desse crime. Na Secretaria da Mulher, utilizamos o estudo como base para nossas ações, como ocorreu com a elaboração do programa Empreender Mulher, por exemplo. O estudo mostra que existem muitos casos de mulheres que permanecem no ciclo de violência por conta da dependência financeira de seus parceiros, e o programa busca a autonomia financeira das mulheres”.

O coordenador da CTMHF, Marcelo Zago, avalia: “A possibilidade de manusear e realizar pesquisas, inclusive dos locais de maior incidência do crime, com buscas por idade ou regiões administrativas em que essas vítimas viviam, torna mais fácil o entendimento da dinâmica do crime e deixará em evidência a importância da denúncia ou registro de ocorrência, mesmo que de forma anônima, para que o Estado possa agir antes da morte dessa mulher”.

Transparência

“A divulgação dos fatores de risco presentes nos feminicídios é de extrema relevância para determinação de políticas públicas centradas na prevenção e proteção das mulheres em situação de violência doméstica e familiar”Luciana Lopes Rocha, coordenadora do Núcleo Judiciário da Mulher do TJDFT

Desde março deste ano, como parte das ações do programa Mulher Mais Segura, os dados da CTMHF passaram a ser disponibilizados no site da SSP. “A diferença é que, a partir de agora, os dados serão desmobilizados de forma interativa ao usuário e não somente publicados de forma estática”, explica Zago. A pesquisa de informações por meio da plataforma de BI possibilitará a busca segmentada de informações, argumenta. “Será possível, por exemplo, realizar a pesquisa dos feminicídios ocorridos em uma região administrativa específica ou ainda a motivação para os crimes num determinado ano”, detalha o gestor.

Para a coordenadora do Núcleo Judiciário da Mulher e titular do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), Luciana Lopes Rocha, a transparência de dados por meio da CTMHF tem sido fundamental para a prevenção ao feminicídio. “A divulgação dos fatores de risco presentes nos feminicídios, sejam eles tentados ou consumados, é de extrema relevância para determinação de políticas públicas centradas na prevenção e proteção das mulheres em situação de violência doméstica e familiar”, afirma.

A magistrada explica ainda que os estudos sobre fatores de risco que levam ao feminicídio são temáticas centrais das políticas públicas de vários países. “Trata-se de uma estratégia de atuação como perspectiva de gênero”, complementa.

Para a titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher II (Deam II), delegada Adriana Romana, a transparência dos dados será essencial para divulgar, também, o alto índice de elucidação dos feminicídios no DF. “A divulgação da quantidade de investigações que levaram à prisão dos autores é importante para que a população saiba que esta é uma temática prioritária em nossas investigações”.

A segmentação dos dados poderá contribuir com o direcionamento e organização das visitas feitas pelo Programa de Prevenção Orientada à Violência Doméstica (Provid), da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF). “Somente em 2021, entre janeiro e abril, o Provid realizou 6,2 mil visitas solidárias, monitorando 1,2 vítimas de violência doméstica e familiar”, informa a coordenadora do Provid, Adriana Vilela. “Desse total, mil eram mulheres. Os dados disponibilizados no novo painel vão contribuir muito com nosso trabalho”.

Proteção da mulher

“O Mulher Mais Segura nos proporcionou a possibilidade de implementar novas estratégias de ação e o fortalecimento daquelas já empregadas”Delegado Júlio Danilo, secretário de Segurança Pública

O programa Mulher Mais Segura reúne medidas, iniciativas e ações de enfrentamento aos crimes de gênero e fortalecimento de mecanismos de proteção a esse público. O lançamento ocorreu em março deste ano, como parte das ações pelo mês da mulher.

Entre as medidas, destaca-se o Dispositivo Móvel de Proteção à Pessoa (DMPP), que atualmente monitora cinco casos de Medida Protetiva de Urgência (MPU) encaminhados pelo Judiciário local. É um mecanismo inédito que permite acompanhar vítima e agressor de forma dinâmica, impedindo que se encontrem e informando ambos, em tempo real, caso haja invasão do perímetro de segurança estabelecido pela medida protetiva.

Mulher Mais Segura coordena ainda iniciativas já implementadas pela SSP, como Viva Flor, Aliança Distrital – Instituições Religiosas no enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar, reformulação da estratégia de divulgação dos vídeos de combate à violência de gênero da Turma da Mônica, Maria da Penha On-Line, Provid e delegacias especiais de atendimento à mulher (Deams). “O Mulher Mais Segura nos proporcionou a possibilidade de implementar novas estratégias de ação e o fortalecimento daquelas já empregadas”, resume o secretário de Segurança Pública. “Desta forma, garantimos mais sincronia entre as medidas e, consequentemente, mais eficiência do que já foi implementado, com ações sistemáticas e o comprometimento da segurança pública e do governo local.”

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública

Brasília

Mutirão em Ceilândia oferece serviços gratuitos de assistência social, saúde e beleza neste sábado

Publicado

dia

Por

Atividades, na Praça da Bíblia vão das 9h às 16h. Veja como participar.

Imagem aérea do Centro de Ceilândia, no DF, em período de isolamento social durante a pandemia de Covid-19 — Foto: TV Globo/Reprodução

A Praça da Bíblia, em Ceilândia, no Distrito Federal, recebe neste sábado (16) uma série de serviços gratuitos para a população. Das 9h às 16h, será possível ter orientações na área da assistência social, orientação nutricional, serviços odontológicos, oficinas de gastronomia, de moda, beleza e saúde.

O mutirão é promovido pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal. Conforme a Fecomércio, “cada serviço terá um número de atendimento estabelecido, dependendo da área”.

“A carreta da mulher, por exemplo, fará cerca de 20 atendimentos. Mas, no evento, poderá ter 2,5 mil pessoas ao mesmo tempo. Alguns atendimentos terão senhas, para evitar aglomeração”, diz a Fecomércio.

“Estaremos com a carreta da mulher para a realização de exames preventivos de mamografia e papanicolau. Neste mês, vamos reforçar a campanha Outubro Rosa, de combate ao câncer de mama. A unidade móvel de odontologia também estará presente para atendimentos e uma psicóloga abordará sobre saúde mental”, diz o diretor regional da instituição, Valcides de Araújo Silva.

Alunos e instrutores do Senac vão atender a população nos espaços de massoterapia, aferição de pressão, medição de glicemia, corte de cabelo e oficinas de biscoitos, entre outros. Já o Sesc-DF vai mostrar alguns dos seus programas, nas áreas de saúde, assistência social, recreação, relacionamento com o cliente, educação e cultura.

“O Sesc, o Senac, o Instituto Fecomércio e a Federação oferecem diversos serviços sociais, de qualificação profissional, de educação e lazer. Estaremos lá de portas abertas para que a população de Ceilândia também possa conhecer oportunidades de cursos ofertados pelo Senac”, explica a diretora regional do Senac-DF, Karine Câmara.

Na área de educação, o planetário móvel vai ensinar sobre astronomia. A carreta do projeto BiblioSesc também estará na Praça da Bíblia com música, pedal kart para as crianças e distribuição de picolé e pipoca.

Segundo a Fecomércio, o evento vai seguir todos os protocolos para evitar a proliferação do coronavírus. O uso de máscara será obrigatório, assim como o distanciamento, e os organizadores vão disponibilizar álcool em gel para quem for ao local.

Serviço

Sistema Fecomércio Perto de Você

  • ​Data: sábado (16)
  • Horário: das 9h às 16h
  • Local: Praça da Bíblia, Ceilândia
  • De graça

 

Ver mais

Brasília

Egov ganha sala de inovação e estúdio de gravação

Publicado

dia

Por

Novo espaço ficará à disposição de todos os órgãos do GDF para projetos com foco em estratégias inovadoras e na melhoria do serviço público

A Secretaria de Economia (Seec) inaugurou, nessa quinta-feira (14), a primeira sala de inovação, localizada na Escola de Governo do Distrito Federal (Egov), órgão que pertence à Secretaria Executiva de Qualidade de Vida e Valorização do Servidor (Sequali) da pasta.

A sala de inovação pode receber palestras, cursos, dinâmicas em grupo, apresentações e workshops | Fotos: Divulgação/Seec

A sala de inovação é o que há de mais moderno nas grandes empresas, instituições e governos. Com a metodologia baseada no conceito de learning by doing –  aprender fazendo -, a Egov adapta-se ao futuro da educação. Além de inovar, também impulsiona uma nova cultura, em que a construção criativa e o domínio da tecnologia contribuem para o processo de capacitação dos servidores e dos empregados públicos do GDF.

Participaram da cerimônia de descerramento da placa e entrega das instalações oo secretário de Economia, André Clemente; da secretária executiva Adriana Faria; a diretora executiva da Egov, Juliana Tolentino; a secretária executiva do Conselho Permanente de Políticas Públicas e Gestão Governamental, Rose Rainha; o secretário executivo da Secretaria de Projetos Especiais, Roberto Vanderlei de Andrade, e a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá.

Evento de inauguração da sala de inovação na Escola de Governo

“Estamos colocando a Escola de Governo em um elevado patamar com esta entrega. O que estamos fazendo desde o início deste governo é inovação. Todos os dias pensamos em uma forma diferente de fazer as coisas. Essa entrega só é possível porque o governador Ibaneis Rocha confia em nós e nas nossas ideias”, celebrou o secretário de Economia.

A sala de inovação ficará à disposição de todos os órgãos do GDF para reuniões, grupos de trabalho, cursos e outros projetos voltados à inovação e melhoria do serviço público. O espaço pode receber palestras, cursos, dinâmicas em grupo, apresentações e workshops.

“A Egov está ainda mais conectada com a inovação – tema de destaque no ambiente corporativo dos setores públicos e também do ambiente educacional – e mostra-se preparada para enfrentar os novos tempos, com o compromisso de capacitar os servidores do GDF”, afirmou a secretária-executiva da Sequali. “Acreditamos nas inovadoras práticas de ensino e de aprendizagem que estimulam a aquisição de conhecimento independente.”

O evento também contou com palestra do coordenador de Projetos Estratégicos da Defensoria Pública do DF, Rogério Leitão, que falou sobre inovação no setor público. “As transformações tecnológicas, econômicas e sociais contemporâneas têm exigido dos governos respostas a novos desafios e às demandas diversificadas da sociedade civil e do setor produtivo. O Estado deve servir à população de forma mais eficiente e efetiva”, disse o gestor.

“As metodologias de inovação chegaram para ficar. Elas melhoram todo o desempenho de projetos e a realização dos trabalhos, além de proporcionarem uma melhor entrega utilizando a implementação das políticas públicas. O uso dinâmico da sala estimula a gestão participativa, a criatividade e o engajamento das equipes”, comemorou a diretora da Egov.

Estúdio

Estúdio de gravação

O estúdio de gravação foi inaugurado para melhor atender ao novo formato de cursos e palestras por meio de videoconferências ou remotos realizados pela Egov.

Juliana Tolentino ressaltou a procura por atividades de aprendizagem remota: “Apenas este ano, quase 4 mil servidores se inscreveram nas atividades remotas oferecidas pela Egov, tanto nos cursos autoinstrucionais quanto nas aulas ministradas por meio de plataformas virtuais. Estamos investindo nos cursos a distância, e o estúdio de gravação de aulas proporcionará produção de conteúdo mais dinâmica e ajudará a ampliarmos a nossa meta, que é oferecer a cada dia mais opções para os nossos servidores”.

*Com informações da Secretaria de Economia

Ver mais

Brasília

Zoo de Brasília inaugura brete de treinamento para elefante

Publicado

dia

Por

Equipamento ajudará nos cuidados veterinários sem a intervenção anestésica

Com o objetivo de promover o bem-estar e a saúde dos animais sob seus cuidados, a Fundação Jardim Zoológico de Brasília (FJZB) agora conta com um brete de treinamento exclusivo para elefantes. Por meio do novo equipamento, construído sob as medidas dos elefantes da FJZB, é possível realizar procedimentos veterinários e análises clínicas sem a intervenção anestésica.

Os treinamentos são realizados pelo Núcleo de Bem-Estar Animal, em conjunto com os cuidadores do setor, e ocorrem duas vezes por semana, com duração de aproximadamente 45 minutos | Fotos: Divulgação/Zoo Brasília

Para isso, são realizados treinamentos duas vezes por semana por uma equipe híbrida, composta por biólogos, médicos veterinários e cuidadores de animais. Para que os animais atinjam o comportamento esperado pelo Núcleo de Bem-Estar Animal (NBEA), a técnica adotada é a condicionamento operante com reforço positivo.

“Além de tornar o treinamento mais seguro, tanto para nós quanto para os animais, o brete nos dá muitas possibilidades de desenvolver inúmeras tarefas com os elefantes”Marisa Carvalho, bióloga e chefe do Núcleo de Bem-Estar Animal

Toda vez que o animal realiza o movimento solicitado, como dar a pata para os cuidados de suas unhas ou a orelha para facilitar a colheita de sangue, uma recompensa alimentar é fornecida. Caso o animal não o execute, não ocorre nenhuma punição. A bióloga e chefe do NBEA, Marisa Carvalho, explica a importância do brete e dos treinamentos na garantia da qualidade de vida do animal.

“Além de tornar o treinamento mais seguro, tanto para nós quanto para os animais, o brete nos dá muitas possibilidades de desenvolver inúmeras tarefas com os elefantes. O mais importante para nós é ter acesso às patas para fazermos todos os cuidados necessários. Aos poucos, estamos conseguindo ganhar a confiança dela”, explica, em relação à elefante Bela.

Além disso, o equipamento facilitará procedimentos veterinários, como colheita de sangue e exames preventivos. Por meio dos treinamentos, tais práticas ocorrerão de forma com que o próprio animal, de maneira cooperativa, permita que a equipe técnica se aproxime para a execução dos procedimentos.

Toda vez que o animal realiza o movimento solicitado uma recompensa alimentar é fornecida 

“O nosso objetivo inicial é que o animal permita ficar perto da equipe de forma segura, sem medo. Depois, começamos o processo de dessensibilização, ou seja, de tirar o incômodo do animal, por meio da escovação e do toque. A orelha, por exemplo, é muito importante porque é onde se faz a colheita de sangue em elefantes”, detalha a bióloga.

Os treinamentos são realizados pelo NBEA, em conjunto com os cuidadores do setor, e ocorrem duas vezes por semana, com duração de aproximadamente 45 minutos. Por enquanto, somente a elefante Bela passa pelos treinamentos, mas a expectativa é que em breve o elefante Chocolate também comece com as atividades de condicionamento.

*Com informações do Zoo Brasília

Ver mais

Brasília

Documentação Urbanística amplia acesso ao público

Publicado

dia

Por

Site possui acervo de 20 mil documentos urbanísticos abertos à população 

“Essa democratização do acesso à informação beneficia profissionais da área, órgãos públicos em geral, pesquisadores, estudantes e toda a população”Mateus Oliveira, secretário de Desenvolvimento Social e Habitação

O Sistema de Documentação Urbanística e Cartográfica do Distrito Federal (Sisduc) foi oficializado nesta semana, com a publicação do decreto n° 42.599 no Diário Oficial do Distrito Federal, assinado pelo governador Ibaneis Rocha. “O decreto veio para ser um instrumento legal que oficialize o sistema, que guarda todos os projetos urbanísticos desde o início de Brasília”, resume a coordenadora do Sistema de Informação Territorial e Urbano da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), Litz Bainy.

Gerido pela Seduh, o sistema possui um acervo de 20 mil documentos urbanísticos abertos à consulta da população. Há plantas gerais, projetos de urbanismo, memoriais descritivos, normas de gabarito, tabelas de classificação de usos e atividades, planos diretores e parâmetros de urbanismo.

Sistema oferece diversas informações aos usuários | Foto: Divulgação/Seduh

“Essa é mais uma ação de transparência ativa e desburocratização, que constituem pilares importantes da nossa gestão”, afirma o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Oliveira. “Essa democratização do acesso à informação beneficia profissionais da área, órgãos públicos em geral, pesquisadores, estudantes e toda a população.”

Tudo que o cidadão precisa saber sobre as normas e os parâmetros urbanísticos para a edificação de um lote, por exemplo, pode ser encontrado de forma on-line no sistema. Todo o acervo foi digitalizado, em um processo que começou em 2006, quando os documentos originais começaram a ser escaneados.

Os documentos originais foram fotocopiados e digitalizados para facilitar a organização e a busca de quem acessa o Sisduc. “Antes, havia filas de pessoas para ter uma cópia desses documentos, e ainda tinham que pagar por eles”, comenta Litz Bainy. “Atualmente, o sistema é totalmente transparente, gratuito, e a pessoa pode ter acesso da própria casa.”

O Sisduc está disponível neste site.

Portal da Regularização

Outra ferramenta da Seduh que garante mais transparência à população é o Portal da Regularização, que mostra processos referentes a novos parcelamentos no Distrito Federal.

Por meio do portal, qualquer pessoa pode consultar informações em um mapa sobre a região em que tenha interesse e consultar o processo de regularização daquela área. Confira aqui o portal.

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação

Ver mais

Brasília

Reinauguração: Na Hora da Rodoviária volta a funcionar nesta quinta (14/10))

Publicado

dia

Por

A unidade de atendimento permaneceu fechada por 90 dias para reforma. O governador Ibaneis Rocha participou da entrega

 

Na Hora da Rodoviária do Plano Piloto voltará a atender a população a partir desta quinta-feira (14/10), após ficar fechada por 90 dias para a primeira reforma em quase 20 anos de funcionamento. O governador Ibaneis Rocha (MDB) esteve presente na reinauguração para prestigiar a nova estrutura. O chefe do executivo local andou pela unidade, conheceu as salas e puxou uma multidão consigo.

“A Sejus está de parabéns. Vamos levar esse atendimento para todas as cidades do Distrito Federal, nós queremos exatamente um Na Hora prestando serviços à comunidade. Essa é a prova de que é possível melhorar o atendimento e a vida das pessoas”, ressaltou Ibaneis.

A secretária de justiça Marcela Passamani e o vice-governador Paco Britto também compareceram na unidade. A reforma e modernização da unidade na rodoviária foi uma parceria com o Banco de Brasília (BRB).

Reforma

Nos últimos três meses, a unidade passou por uma ampla reforma, que incluiu a troca de piso, banheiros, copa e substituição do sistema elétrico e do parque tecnológico. Agora, o espaço também disponibilizará atendimento por linguagem de sinais e bilíngue.

Para os servidores foi inaugurada a Sala de Descompressão, bem como redefinição do layout, mobiliários e divisórias, que vão possibilitar a ampliação de serviços públicos pelos órgãos parceiros e uma melhor experiência por parte do usuário.

Além do posto na Rodoviária do Plano Piloto, o Na Hora tem outras unidades no Riacho Fundo, Taguatinga, Ceilândia, Gama, Brazlândia e Sobradinho.

Atendimentos

O Na Hora reúne 14 serviços públicos:

  • Caesb
  • Codhab
  • Detran
  • Defensoria Pública da União
  • Instituto de Identificação da Polícia Civil do DF
  • Neoenergia
  • Ouvidoria do Corpo de Bombeiros Militar do DF
  • Polícia Rodoviária Federal
  • Procon
  • Secretaria de Economia
  • Secretaria de Desenvolvimento Social
  • Tribunal Regional Eleitoral
  • Secretaria de Administração Penitenciária
  • Banco de Brasília (BRB)
Ver mais

Brasília

Caesb lança programa para renegociar dívidas de empresas, com descontos de até 99% nos juros

Publicado

dia

Por

Medida teve início nesta quarta-feira (13), para companhias que quiserem pagar débitos à vista, com desconto máximo. A partir de 1º de novembro, também será possível parcelar dívida.

Registro de consumo de água da Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) — Foto: TV Globo/ Reprodução

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) lançou um programa para renegociação de dívidas de empresas junto à estatal. A iniciativa começou nesta quarta-feira (13) e vai até 29 de novembro, para companhias que quiserem pagar o débito à vista, com desconto de 99% sobre os juros de mora.

Já para aquelas que quiserem parcelar a dívida, o prazo de adesão é entre 1º e 30 de novembro. Neste caso, o desconto sobre os juros é gradativo, e varia entre 60% e 90% (veja mais abaixo). No entanto, há cobrança de juros de 0,52% ao mês em cima do parcelamento.

De acordo com a Caesb, podem participar empresas de qualquer categoria, menos as públicas. A iniciativa permite a inclusão de faturas vencidas até 31 de agosto.

Pagamento à vista

A estatal afirma que as empresas elegíveis vão receber um comunicado sobre o programa, junto com um código de barras para pagamento do débito, à vista, em até 15 dias.

Porém, o aviso não será enviado para os usuários que tiverem entrado na Justiça contra a Caesb, questionando o faturamento das contas d’água, assim como os que estão sendo cobrados pela companhia em ações judiciais.

 

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade
Publicidade

Viu isso?