Nossa rede

É Destaque

Michelle Bolsonaro afirma ter testado negativo para covid-19

Publicado

dia

Minhas filhas e eu testamos negativo para a covid-19. Agradeço as orações”, escreveu a primeira dama em publicação nas redes sociais

Michelle e Jair Bolsonaro durante cerimônia no Planalto em 17 de junho de 2020. (Andressa Anholete/Getty Images)

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, afirmou na manhã deste sábado, 11, que o resultado de seu exame e o de suas filhas para o novo coronavírus foi negativo. Em suas redes sociais, Michelle publicou seu teste com o resultado “não detectado” para o vírus.

“Minhas filhas e eu testamos negativo para a covid-19. Agradeço as orações”, escreveu na publicação. Michelle é mãe de Laura, 9 anos, sua filha com o presidente Jair Bolsonaro, e Letícia Firmo 17 anos, fruto de outro relacionamento da primeira-dama. As duas residem no Palácio da Alvorada, residência oficial da presidência.

Bolsonaro anunciou ter testado positivo para a covid-19 na última terça-feira, 7, e desde então segue isolado no Alvorada, despachando remotamente. Membros do governo que tiveram contato com o presidente passaram por testes ao longo desta semana.

Ao menos 13 ministros realizaram exames e testaram negativo. O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, também fez o teste e informou que o resultado deu negativo.

Os ministros que despacham no Planalto continuaram cumprindo agenda presencial no local, enquanto Bolsonaro cumpre agendas por videoconferência. Em nota, o Planalto informou ainda que 108 dos 3.400 servidores testaram positivo para covid-19 até 3 de julho.

Agenda

Neste sábado, ainda em isolamento, o presidente recebeu a visita do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, que já teve o novo coronavírus. O filho do presidente senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) também foi recebido no Alvorada.

Na agenda oficial do presidente não constam compromissos previstos para o final de semana.

 

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

É Destaque

Avança cronograma de construção do Túnel de Taguatinga

Publicado

dia

Paredes da estrutura que beneficiará 135 mil motoristas por dia começaram a ser construídas; quase 1,7 mil empregos diretos e indiretos serão gerados

Obra tem mais de mil metros de extensão | Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

Em mais um passo do cronograma de obras, a construção das paredes do Túnel de Taguatinga começou nesta semana. Operários estão preparando as muretas-guia – que, como o próprio nome indica, têm como principal objetivo nortear a máquina durante o processo de execução da estrutura. Serão quatro paredes com 1,20 metro de largura e 1,40 metro de profundidade, com 70 metros de escavação cada.

“Toda obra é assim. No começo é difícil, mas, depois que é entregue, é muito bom”Fabiana Novais, comerciante

A previsão é de que sejam usados 90 mil metros cúbicos de concreto nessas estruturas (veja mais no vídeo ao final desta reportagem).

Além de desafogar o trânsito para os mais de 135 mil veículos que circulam pela região todos os dias, a obra também contribui para a geração de emprego e renda da capital. Segundo a Secretaria de Obras, são 480 pessoas trabalhando diretamente na construção da estrutura, que terá 1.010 metros de extensão, além de 1,2 mil empregadas indiretamente em razão do empreendimento.

Quase 1,7 milempregos diretos e indiretos durante a obra

O secretário de Obras e Infraestrutura, Luciano Carvalho, também destaca a importância da aprovação da primeira etapa do projeto. “É fundamental para dar sequência à obra”, ressalta. “Após a construção das paredes será a vez da laje”, informa.

Próximos passos

As primeiras etapas para a construção do Túnel de Taguatinga foram os desvios de trânsito, a interdição da Avenida Central e a montagem do canteiro de obras. Também foi instalada a proteção de veículos ao longo dos tapumes e executados os remanejamentos dos postes de rede e a retirada dos postes de iluminação. A demolição da pavimentação vai ser feita de acordo com o andamento dos trabalhos.

Segundo o administrador da cidade Geraldo César de Araújo os impactos da obra são grandes para a população. “Uma pista importante para a região foi interditada, porém é preciso conviver com esse momento para que melhorias sejam realizadas”, reforça. “A estrutura é de grande importância para Taguatinga, pois vai amenizar o fluxo de carros na parte superior da estrutura”, explica.

135 mil veículoscirculam pelo centro de Taguatinga diariamente

Fabiana Novais, 33 anos, trabalha em um quiosque de ervas da região. Ela lembra que tanto moradores quanto comerciantes aguardavam há muito tempo o túnel virar realidade. “O trânsito aqui é muito complicado e, com a obra, é natural ficar mais lento. Mas toda obra é assim. No começo é difícil, mas, depois que é entregue, é muito bom”, observa a comerciante.

A previsão é de que também seja construída uma área arborizada com foco em pedestres, ciclistas e comerciantes. Ciclovia, quiosques e corredor do BRT devem fazer parte do boulevard, que modernizará o centro de Taguatinga.

Túnel é reclamação antiga de moradores e frequentadores da região | Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

Adeus à retenção de veículos

Com previsão de entrega para fevereiro de 2022, o Túnel de Taguatinga fará uma ligação subterrânea para quem segue para Ceilândia, via Elmo Serejo, além de oferecer alternativa pela superfície para o centro da cidade. Isso evitará a retenção de veículos nos semáforos, reclamação antiga de moradores e frequentadores da região.

Com a conclusão da obra, os carros que estiverem na Avenida Elmo Serejo, sentido Plano Piloto, vão mergulhar pelo túnel e sair na Estrada Parque Taguatinga (EPTG). Do outro lado, aqueles que chegarem a Taguatinga pela EPTG também passarão por ele até o início da Via Estádio, saindo logo após o viaduto da Avenida Samdu. Vias marginais darão acesso às avenidas Comerciais e Samdu Sul e Norte.

Assista ao vídeo:

Ver mais

É Destaque

Previna-se contra a rubéola com a vacina tríplice viral

Publicado

dia

Doença acomete principalmente crianças. Em gestantes, pode até causar abortos

Muitas doenças comuns no Brasil e no mundo deixaram de ser um problema de saúde pública por causa da cobertura vacinal adequada da população. A rubéola é um exemplo disso.
Desconhecida das novas gerações, ela é uma infecção viral aguda altamente contagiosa, que causa erupções vermelhas na pele. Também chamada de sarampo alemão, acomete principalmente crianças. Mas quando infecta as gestantes, pode levar a abortos e malformações congênitas no feto, como cardiopatias, glaucoma, catarata e surdez.
Assim como outras doenças do passado, a rubéola pode voltar à tona e contaminar a população, caso as coberturas vacinais continuem abaixo da meta preconizada. Felizmente, a vacina está disponível na rotina de todas as unidades básicas de saúde (UBS) do Distrito Federal. Chamada de tríplice viral, ela protege contra a rubéola, caxumba e sarampo, sendo aplicada a partir de 12 meses de idade.
“A prevenção é essencial. Apesar de a rubéola estar eliminada, não quer dizer que ela esteja erradicada. Por isso, não podemos deixar de buscar as vacinas disponíveis nas salas de vacinação das UBSs. Especialmente as crianças”, alerta a médica e responsável pela área técnica das Doenças Exantemáticas da Secretaria de Saúde, Marília Higino.

No Distrito Federal e no Brasil, o último caso confirmado da doença foi em 2009. Apesar dos indícios apontarem que ela não está em circulação, é realizado uma vigilância sentinela constante, feito por órgãos de saúde estaduais e federais, em busca de sinais da doença.

“Fazemos a chamada busca negativa de casos. Por exemplo, como a rubéola causa malformação em crianças, as que têm essas características entram em um diagnóstico diferencial. Também fazemos sorologia em pacientes para comprovar que a doença não está em circulação. Inclusive, todos os casos suspeitos são investigados”, explica a especialista.

Altas coberturas vacinais em todas as regiões de saúde e a realização imediata do bloqueio vacinal no momento da notificação e investigação são práticas que devem ser realizadas em todos os casos suspeitos, com objetivo de manter o controle e eliminação do vírus.

Marília Higino ressalta que o conhecimento e atualização dos profissionais de saúde quanto à identificação e notificação imediata de um caso suspeito de rubéola, tanto na rede pública como privada, é essencial para manter a eliminação da doença no país. “As medidas de prevenção da doença são fundamentais”, destaca.

No DF, várias vacinas estão com baixa cobertura de imunização em 2020. A Secretaria de Saúde alerta para a necessidade em manter o cartão de vacina em dia.
Transmissão

Ocorre por meio de contato com secreções de pessoas doentes ao tossir, falar ou espirrar. A transmissão indireta, pouco frequente, pode acontecer no contato com objetos contaminados com secreção nasofaringe, além de sangue e urina.A transmissão acontece entre cinco a sete dias antes das manchas vermelhas aparecem no corpo e até sete dias após o surgimento delas. O período de incubação varia de 14 a 21 dias.A suscetibilidade é geral e a imunidade ativa é adquirida por meio da infecção natural ou da vacinação.SintomasO quadro clínico é caracterizado por erupções vermelhas na pele, com início na face, couro cabeludo e pescoço, espalhando-se para tronco e membros. Também vem acompanhada de febre baixa. Formas inaparentes são frequentes, principalmente em crianças.

Já em adolescentes e adultos, podem apresentar sintomas que antecedem a manifestação ou o aparecimento de uma doença, como febre baixa, cefaleia, dores generalizadas (artralgia e mialgia), conjuntivite, tosse e coriza.

Não há tratamento específico para rubéola. Apenas os sinais e sintomas são tratados.

Histórico

A rubéola e a Síndrome da Rubéola Congênita (SRC) passaram a ser doenças de notificação compulsória em 1996. A partir de 1999, constituiu junto com o sarampo a vigilância das doenças exantemáticas febris. Em 2000, a SRC passou a ter um formulário de investigação de casos registrados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan).

No ano de 2008 foi realizada uma grande campanha nacional de vacinação de homens e mulheres adultos com até 39 anos de idade, contra a rubéola, com cobertura de 94% da meta populacional. Foram utilizadas as vacinas dupla e tríplice viral.

*Com informações da Secretaria de Saúde
Ver mais

É Destaque

Iges-DF inaugura central de comando para hospitais e UPAs

Publicado

dia

Estrutura de informática que monitora dados em tempo real recebeu investimento de quase de R$ 3 milhões

Inovação permitirá monitorar, por meio de painéis, mais de 200 indicadores sobre serviços de saúde | Foto: Iges-DF

Foi inaugurada nesta quarta-feira (12) a Central de Comando do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF), estrutura de tecnologia avançada que vai permitir o monitoramento, em tempo real, das unidades administradas pelo instituto – Hospital de Base (HB), Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e as seis unidades de pronto atendimento (UPAs). A infraestrutura tecnológica teve um investimento de R$ 2.984 milhões e é composta por telão, duas telas menores e seis computadores.

A inovação permitirá monitorar mais de 200 indicadores em painéis. Por exemplo, a taxa de ocupação de leitos de UTI e de enfermaria, a produtividade dos profissionais, a quantidade de internados, o fluxo de serviços ambulatoriais e dados sobre atendimentos (consultas, exames, transferências etc).

É possível, por exemplo, alertar gestores a respeito de pacientes com permanência acima do previsto, pacientes sem prescrição e até pacientes com riscos assistenciais. Para facilitar o entendimento diante da infinidade de indicadores, o gestor em questão também terá alertas sobre faturamento, ciclo financeiro, suprimentos e outros que promovam mais segurança e qualidade em saúde.

“Essa é uma solução tecnológica que vai permitir ao instituto fazer o acompanhamento sistemático, monitoramento e um conjunto de ações que serão executadas pelas unidades. Neste sentido, são indicadores técnicos, táticos e operacionais, usados para avaliar como estão as ações e indicando quando é necessário intervir, adotando medidas rápidas e necessárias para elevar a qualidade do atendimento”, ressaltou o diretor-presidente do Iges-DF, Sergio Costa.

Durante a pandemia, Sergio Costa ressaltou ainda que a iniciativa contribuirá para fortalecer o monitoramento das ações voltadas ao atendimento de pacientes com a Covid-19 – altas, ocupação de leitos e recuperação de pacientes, mortalidade e tempo de internação, por exemplo, em análises feitas por um conjunto de especialistas.

O secretário de Saúde do DF, Francisco Araújo, ressaltou que o instituto e a secretaria estão constantemente em busca de soluções tecnológicas para melhorar o serviço prestado à população. “Precisamos fazer a comunicação com a população, informatizar e expandir o modelo de gestão. Então, isso faz parte do processo de expansão que tem avançado em várias áreas. E, com a pandemia, precisamos dar respostas mais rápidas”, concluiu.

Estrutura

A solução tecnológica conta com um videowall com seis telas, seis profissionais capacitados do Iges-DF, seis computadores e duas telas para estudo de casos.

O videowall é uma tecnologia que consiste em uma rede de telas digitais gerenciadas de forma centralizada, integradamente, e programáveis para exibir informações por meio de painéis de gestão – janelas digitais que alcançam todas as unidades administradas pelo Iges-DF.

Capacitação de colaboradores começou nesta quarta-feira | Foto: Iges-DF

Treinamento

No total, até 50 colaboradores serão treinados para monitorar eventos e indicadores de gestão, além de operar equipamentos, em que que seis colaboradores integrarão a Gerência de Resultados e serão treinados durante uma semana, por 20 horas. Os outros 44 receberão duas horas de capacitação, que começou nesta quarta-feira (12).

Funcionamento

A estrutura faz parte do mais inovador suporte de gestão em Saúde. Com o uso de tecnologia baseada em algoritmos e inteligência robotizada que se comunica com sistemas de gestão (Enterprise Resource Planning – ERP), uma equipe de médicos, enfermeiros, farmacêuticos, bioquímicos e especialistas em TI, faturamento, finanças e contabilidade estará à frente de uma grande central de informações.

A partir do monitoramento em tempo real das rotinas operacionais, a central de comando identifica os desvios dos padrões previamente estabelecidos e realiza a comunicação imediata da ocorrência, para que as correções necessárias sejam efetuadas. O acompanhamento dos processos se dá dentro da produtividade, do volume, do investimento e da qualidade.

* Com informações do Iges-DF

Ver mais

É Destaque

Obesidade se torna fator de risco para pessoas jovens com covid-19

Publicado

dia

Por

Além de aumentar o risco de mortes e de intubação, a obesidade pode atrapalhar a ação de uma vacina contra o novo coronavírus

Obesidade: condição se torna um fator anda mais preocupante para pessoas com covid-19 (Boris SV/Getty Images)

Em maio deste ano, um estudo realizado pela Universidade Johns Hopkins apontava que a obesidade poderia facilitar que pessoas jovens pudessem contrair o novo coronavírus. Agora, um número cada vez maior de médicos especialistas e pesquisadores reforça a possibilidade de que o peso excessivo pode ser uma condição perigosa em tempos de pandemia.

Publicada na revista médica The Lancet, a pesquisa conduzida em Nova York foi realizada com dados de 265 pacientes internados em seis hospitais universitários americanos. Os resultados apontavam que entre os infectados, a maior parte eram de pessoas jovens e com Índice de Massa Corporal (IMC), medida internacional utilizada para calcular se a pessoa está no peso ideal, em níveis de obesidade.

A obesidade é descrita como um acúmulo excessivo de gordura corporal e que é medido a partir de índices acima de 30 do IMC, que utiliza um cálculo que relaciona peso, idade e altura do indivíduo.

Os autores do estudo, David A. Kass, Priya Duggal e Oscar Cingolani explicam que a obesidade pode restringir a ventilação ao impedir a excursão do diafragma. Isso, por sua vez, prejudica o sistema imunológico na luta contra o vírus. “Concluímos que em populações com alta prevalência de obesidade, a covid-19 afetará ainda mais as populações mais jovens”, relatam os pesquisadores.

O Brasil é 81º colocado no ranking global de países com o maior percentual de sua população obesa, com 22,1% dos habitantes nesta condição. Os líderes do ranking são países pequenos e, por vezes, insulares, como Nauru, Ilhas Cook, Palau, Ilhas Mashall e Tuvalu, todos com índices acima de 50%. Chama a atenção a 12ª posição dos Estados Unidos, que já tem 36,2% de sua população adulta obesa.

Este universo de mais de 107 milhões de americanos com índices de obesidade preocupa até mesmo os cientistas que estão tentando desenvolver uma vacina contra o coronavírus, já que a vacina pode ser menos efetiva em pessoas que apresentam esta condição. Até esta terça-feira (11), os Estados Unidos contabilizam quase 5,2 milhões de infectados, além de 165 mil mortes.

A situação preocupa outros países também. Em abril, autoridades da Suécia colocaram a obesidade entre os fatores de risco de covid-19.  No mês passado no Reino Unido, o primeiro-ministro Boris Johnson, por um porta-voz do governo, informou que “a covid-19 nos lembrou dos riscos imediatos e de longo prazo do excesso de peso”.

Para a CNN, Raz Shaikh, professor associado de nutrição da Universidade da Carolina do Norte-Chapel Hill afirmou que dificilmente existirá uma vacina sob medida para a população obesa já no próximo ano. Pior, o especialista ainda diz que as vacinas que estão sendo desenvolvidas dificilmente serão efetivas em pessoas obesas.

Segundo um estudo recente do Centro Nacional de Informações sobre Biotecnologia do Estados Unidos, a obesidade pode afetar a produção de células imunes que atuam no combate ao vírus. Isso porque a vacina atua como uma forma de “professora” do sistema imunológico para que este possa derrotar novas infecções semelhantes. Se não houver defesas para serem “ensinadas”, o resultado não será dos melhores.

Outro estudo, este da Universidade de Columbia, aponta que pessoas com obesidade mórbida que contraíram o novo coronavírus têm chances 60% maiores de morrerem ou de precisarem serem intubadas em relação a pessoas com índices de massa corporal normais. “O aumento da obesidade foi associado a um risco aumentado de insuficiência pulmonar ou morte de covid-19”, afirma a pesquisadora Michaela Anderson.

Segundo Licio Augusto Velloso, da Universidade de Campinas (Unicamp) e do Centro de Pesquisa em Obesidade e Comorbidades, em entrevista para a BBC, o alto número de casos nos Estados Unidos pode estar relacionado com as taxas elevadas de obesidade e diabetes de sua população. É algo diferente do que acontece na Itália, por exemplo, onde o crescimento do número de infectados se deu mais por conta da faixa etária.

Para o médico, o problema da obesidade que afetou tanto os Estado Unidos em relação ao coronavírus também pode ser fatal para os brasileiros mais jovens. De acordo com dados do Ministério da Saúde, um percentual próximo de 14% dos infectados e hospitalizados por covid-19 no país está na faixa etária dos 20 aos 39 anos.

Ver mais

É Destaque

Governo ainda não definiu forma para tributar dividendos, diz secretária

Publicado

dia

Por

Cobrança terá como contrapartida a redução do Imposto de Renda sobre Pessoas Jurídicas

Ver mais

É Destaque

GDF estimula pequenas empresas para gerar emprego e renda

Publicado

dia

Por

Mais 75 cartas de crédito foram entregues hoje (11). Recursos do programa Prospera superam R$ 1,5 milhão e beneficiam empreendedores urbanos e rurais

Auditório da Secretaria de Trabalho recebeu empreendedores com respeito às regras de segurança contra o coronavírus | Foto: Paulo H. Carvalho

O governo tem investido cada vez mais em pequenos e microempresários do Distrito Federal com o objetivo de multiplicar empregos e renda. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), eles são responsáveis por quase 20% da geração oportunidades do DF. Nesta terça-feira (11), um total de R$ 1,2 milhão em cartas de crédito foi liberado para donos de negócios diversos. Os recursos são provenientes do Prospera, programa que concede empréstimos para geração de oportunidades e fomenta o empreendedorismo no DF.

“Se eu não tivesse conseguido esses créditos teria que vender o almoço para comprar o jantar”Antônio da Silva, comerciante

Os 75 beneficiados – 51 de áreas urbanas e 24 de rurais – receberam as cartas de crédito no auditório da Secretaria de Trabalho, seguindo todo o protocolo de segurança contra o novo coronavírus. Antônio da Silva, 51 anos, foi um dos contemplados. Ele participou do programa há 10 anos, para adquirir equipamentos para sua lanchonete.

Devido à crise provocada pela pandemia de Covid-19, que impacta economias em todo o mundo, o comerciante decidiu solicitar os créditos novamente. “Achei o atendimento mais rápido do que a primeira vez”, lembra Antônio. “Esse empréstimo será muito importante para mim, pois fiquei meses sem poder trabalhar. Se eu não tivesse conseguido esses créditos, teria que vender o almoço para comprar o jantar”, acrescenta.

“Esse crédito muda a vida, não só das pessoas que recebem o valor, mas também de toda sua família”Alex Barreto, subsecretário de Microcrédito e Empreendedorismo da Secretaria de Trabalho

Dona de um quiosque de cosméticos, Ivonete Martins, 47 anos, também já sabe como vai investir o benefício. “Vou comprar mais mercadorias para girar o capital”, diz. Ela trabalha desde os 15 anos no ramo, mas só neste ano terá a oportunidade de expandir o negócio. “Já tinha ouvido falar do Prospera, mas nunca fui atrás efetivamente. Acredito que as vendas melhorarão muito se eu tiver mais produtos para oferecer às clientes”, ressalta.

Programa

Ivonete Martins: “Vou comprar mais mercadorias para girar o capital” | Foto: Paulo H. Carvalho / Agência Brasília

O Prospera tem o objetivo de incentivar o crescimento e atender às necessidades financeiras de micro e pequenos empreendedores do DF, de áreas urbanas e rurais. Com a crise econômica causada pelo coronavírus, o programa passa por reformulações temporárias. O governo local suspendeu todos os pagamentos das parcelas de empréstimos durante a vigência do decreto de enfrentamento à Covid-19, e por mais dois meses depois da norma.

O GDF também decidiu diminuir os juros em 50% – que já eram os menores do mercado –, de 0,7% para 0,3%. Não há cobrança de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) ou de qualquer outra taxa.

O subsecretário de Microcrédito e Empreendedorismo da Secretaria de Trabalho, Alex Barreto, destaca que o Prospera é um dos principais esforços do Poder Executivo local para gerar emprego na capital.

R$ 5 milhõesinvestidos em micro e pequenos empresários em 2020

“Esse crédito muda a vida não só das pessoas que recebem o valor, mas também de toda a sua família. É um salto na qualidade da empresa em um momento difícil que todos estão vivendo”, destaca.

Antônio Silva: “Esse empréstimo será muito importante para mim, pois fiquei meses sem poder trabalhar” | Foto: Paulo H. Carvalho / Agência Brasília

Ainda segundo o subsecretário, em 2020 já foram entregues cerca de 600 cartas de crédito. Em valores, isso significa que o governo investiu quase R$ 5 milhões em donos de negócios no DF. Atualmente, 1,8 mil pessoas recebem o empréstimo do Banco de Brasília (BRB), agente financeiro do programa.

“Também fazemos a intermediação entre a secretaria e os micro e pequenos empreendedores. O foco é o fortalecimento dessas atividades produtivas”, salienta o diretor de Serviços e Produtos do BRB, Dario Garcia.

A secretária de Empreendedorismo do DF, Fabiana Di Lúcia, lembra que os micro e pequenos empresários são os que mais geram emprego e renda na cidade. “São cerca de 350 mil empresas na capital e a maioria delas é formada por donos de pequenos negócios. Por isso é essencial que eles tenham todo esse apoio”, defende a gestora.

Como participar

Os pedidos de crédito devem ser feitos nas agências do trabalhador de Taguatinga e do Plano Piloto, com os documentos necessários. Nos casos de solicitação de crédito para áreas urbanas o horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

No caso das áreas rurais os interessados devem procurar um dos postos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do DF (Emater-DF), nos mesmos dias e horário. Os endereços e números de telefones podem ser conferidos no site da Secretaria de Trabalho.

Ver mais

Hoje é

quinta-feira, 13 de agosto de 2020

Publicidade

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?