Nossa rede

Aconteceu

Mesmo com fiscalização, comércio abre as portas em Ceilândia e na Estrutural, no DF

Publicado

dia

Decreto do GDF determina suspensão de atividades por três dias. Polícia Civil e DF Legal estiveram nas ruas para acompanhar primeiro dia de validade da regra.

Agentes da PCDF fiscalizam comércio em Ceilândia — Foto: Carolina Cruz/G1

Equipes da Polícia Civil do Distrito Federal, do DF Legal e do Corpo de Bombeiros percorreram as ruas de Ceilândia, do Sol Nascente e da Estrutural, na manhã desta segunda-feira (8), para fiscalizar o primeiro dia de validade do decreto que determinou o fechamento de parques, igrejas e comércio dessa regiões por 72 horas.

Mesmo com a suspensão das atividades, por volta das 10h, os agentes de fiscalização  encontraram estabelecimentos com as portas abertas. Entre elas, lojas de roupas e cosméticos ao longo da avenida Hélio Prates.

Nas ruas, havia movimentação, e as paradas de ônibus estavam cheias. A maioria das pessoas usava máscaras de proteção. Entre os comércios que estão proibidos de funcionar estão shoppings, salões de beleza e academias.

Na QNM 10 de Ceilândia Norte, uma academia comunitária era utilizada por moradores. Os equipamentos de uso comum estão proibidos em todo o DF.

Academia comunitária na Ceilândia é usada por moradores durante medidas de isolamento que proíbem frequentar o local  — Foto: Carolina Cruz/G1

Academia comunitária na Ceilândia é usada por moradores durante medidas de isolamento que proíbem frequentar o local — Foto: Carolina Cruz/G1.

Durante uma hora que a reportagem percorreu as ruas da regiões, não foi possível notar se todos estabelecimentos que funcionavam de forma irregular foram notificados.

Já, entre os estabelecimentos que têm autorização para funcionar, donos de comércios relatam a queda nas vendas desta segunda (8).

A gerente de uma ótica no centro de Ceilândia Mônica Alves, conta que a diminuição no fluxo de clientes durante a pandemia, até mesmo a estrutura do local mudou. “A loja era maior, e nós estamos diminuindo para reduzir os custos”, disse.

Gerente de ótica na Ceilândia, Mônica Alves trabalha usando máscara durante pandemia — Foto: Carolina Cruz/G1

Gerente de ótica na Ceilândia, Mônica Alves trabalha usando máscara durante pandemia — Foto: Carolina Cruz/G1

Segundo a gerente, o estabelecimento toma cuidados para manter as portas abertas. “Não entra cliente sem máscara, passamos álcool em gel nas mãos e dos óculos sempre que é preciso pegar ou guardar”, afirma.

A ótica onde Mônica trabalha fica localizada em uma das quadras mais movimentadas da Ceilândia, na região do centro, ao lado do Restaurante Comunitário e agências bancárias.

Pessoas movimentam o centro da Ceilândia em dia de medidas de restrição no comércio para o isolamento social — Foto: Carolina Cruz/G1

Pessoas movimentam o centro da Ceilândia em dia de medidas de restrição no comércio para o isolamento social — Foto: Carolina Cruz/G1

Estrutural

Equipes do DF Legal estiveram em comércios da Estrutural para fechar lojas que funcionavam irregularmente. Entre os estabelecimentos obrigados a baixarem as grades estava uma papelaria da região.

Papelaria na Estrutural é obrigada a fechar devido à decreto de isolamento social na região — Foto: TV Globo/ Reprodução

Papelaria na Estrutural é obrigada a fechar devido à decreto de isolamento social na região — Foto: TV Globo/ Reprodução

Lotéricas da Estrutural tinham filas para atendimento. As pessoas se aglomeravam sem atenção às regras de distanciamento.

Nas ruas, crianças e idosos nas ruas caminhavam nas vias de comércio. Algumas pessoas estavam sem máscaras.

Fila em lotérica na Estrutural, no Distrito Federal — Foto: TV Globo/Reprodução

Fila em lotérica na Estrutural, no Distrito Federal — Foto: TV Globo/Reprodução

Novo decreto

O decreto que determinou o fechamento de parques, comércios e igrejas de Ceilândia, do Sol Nascente/Pôr do Sol e da Estrutural foi publicado na noite de sábado (após a alta de casos do novo coronavírus nessas regiões. A restrição das atividades será a partir desta segunda-feira (8).

A medida foi publicada em edição extra do Diário Oficial e valerá por três dias. Com isso, ficam suspensos eventos coletivos, pelo menos, até a madrugada de quinta (11). A determinação não vale para as demais regiões do DF.

Segundo o decreto, segue suspenso o funcionamento de salões de beleza, boates e academias. Nos shoppings, a autorização é apenas para laboratórios, clínicas e farmácias. Bares e restaurantes só podem atender serviços de entrega em domicílio (veja abaixo).

Já, padarias, postos de combustíveis, lotéricas, óticas, petshops e oficinas mecânicas permanecem com o funcionamento autorizado nos próximos dias, mesmo com o decreto.

As restrições se aplicam às seguintes atividades:

  • Eventos, de qualquer natureza, que exijam licença do Poder Público;
  • Atividades coletivas de cinema e teatro;
  • Academias de esporte de todas as modalidades;
  • Museus;
  • Parques ecológicos, recreativos, urbanos, vivenciais e afins;
  • Boates e casas noturnas;
  • Atendimento ao público em shoppings centers, feiras populares e clubes recreativos. Nos shoppings centers fica autorizado apenas o funcionamento de laboratórios, clínicas de saúde, farmácias e delivery.
  • Cultos e missas de qualquer credo ou religião;
  • Estabelecimentos comerciais, de qualquer natureza, inclusive bares, restaurantes, lojas de conveniências e afins:
  • Salões de beleza e centros estéticos.
  • Decreto do GDF determina restrições em regiões do DF — Foto: DODF/Reprodução
  • Decreto do GDF determina restrições em regiões do DF — Foto: DODF/Reprodução

Veja o que pode funcionar

No entanto, ficam excluídas da restrição as seguintes atividades comerciais:

  • Clínicas e consultórios médicos e odontológicos, laboratórios e farmácias;
  • Clínicas veterinárias, somente para atendimento de urgências;
  • Supermercados, hortifrutigranjeiros, minimercados, mercearias, açougues, peixarias, comércio estabelecido de produtos naturais, bem como de suplementos e fórmulas alimentares, sendo vedado, em todos os casos, a venda de refeições e de produtos para consumo no local;
  • Padarias e lojas de panificados, apenas para a venda de produtos, sendo vedado o fornecimento de refeições de qualquer tipo para consumo no local;
  • Lojas de materiais de construção e produtos para casa, incluídos os home centers;
  • Postos de combustíveis;
  • Lojas de conveniência e minimercados em postos de combustíveis, sendo vedados o consumo de produtos no local e a disponibilização de mesas e cadeiras;
  • Petshops e lojas de medicamentos veterinários ou produtos saneantes domissanitários;
  • Toda a cadeia do segmento de veículos automotores;
  • Empresas que firmarem instrumentos de cooperação com o Distrito Federal no enfrentamento da emergência de saúde pública relativas ao coronavírus ou à dengue nas áreas de
  • Atendimento à saúde básica, atendimento odontológico, assistência social, e nutrição, tanto para o fornecimento de alimentação preparada com embalagem para retirada individual, quanto
  • Recolhimento e distribuição de alimentos em programas para garantir a segurança alimentar;
  • Funerárias e serviços relacionados;
  • Lotéricas e correspondentes bancários;
  • Lavanderias, exclusivamente no sistema de entrega em domicílio;
  • Floriculturas, exclusivamente no sistema de entrega em domicílio;
  • Empresas do segmento de controle de vetores e pragas urbanas;
  • Atendimento ao público em todas as agências bancárias e cooperativas de crédito no Distrito Federal, públicas e privadas;
  • Sistema S
  • Óticas.

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Aconteceu

Homicídios no DF aumentam 36% em junho na comparação com maio de 2020

Publicado

dia

Por

Roubos em comércios, tentativas de latrocínio, furtos a pedestre e latrocínio também tiveram crescimento. Dados são da Secretaria de Segurança Pública.

Local onde idoso foi amarrado, assassinado e corpo foi deixado em porta-malas de carro no DF — Foto: TV Globo/Reprodução

O Distrito Federal registrou aumento de 36% no número de homicídios no mês de junho, em comparação com o mês de maio deste ano. De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública, foram 25 ocorrências em maio e 34 em junho.

O balanço, divulgado na última semana, aponta que roubos em comércios, tentativas de latrocínio, furtos a pedestre e latrocínio também tiveram crescimento no mês passado. Em junho foram 50 ocorrências de roubos a comércios, 11 tentativas de latrocínio, 107 furtos a pedestre e 2 latrocínios (veja tabela abaixo).

Ao G1, a Secretaria de Segurança Pública afirmou que cinco dos seis Crimes Contra o Patrimônio (CCP) monitorados pela pasta tiveram queda de 24,5% em 2020, na comparação com os números de 2019. A SSP diz que “o único tipo de crime que não apresentou redução, o roubo em residência, contabilizou número igual ao do mesmo período do ano passado, com 225 ocorrências” (leia íntegra da nota abaixo).

Crimes registrados em 2020

Crime Maio de 2020 Junho de 2020
Homicídio 25 34
Latrocínio 0 2
Lesão corporal seguida de morte 1 –
Roubo a pedestre 1.471 1.391
Roubo a veículo 155 140
Roubo a transporte coletivo 100 77
Roubo em comércio 41 50
Roubo em residência 26 17
Furto em veículos 472 375
Tentativa de homicídio 51 51
Tentativa de latrocínio 4 11
Estupro 45 32
Furto a pedestre 90 107
Total 2.481 2.287
Fonte: Secretaria de Segurança Pública

O que diz a Secretaria de Segurança

“A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF) informa que cinco dos seis Crimes Contra o Patrimônio (CCP) monitorados de forma prioritária pela pasta marcaram queda de 24,5%, no comparativo do primeiro semestre de 2020 e de 2019. Único tipo de crime que não apresentou redução, o roubo em residência, contabilizou número igual ao do mesmo período do ano passado, de 225 ocorrências cada.

Destaque para redução nos registros de roubo a transeunte, de 26,6%. Nos roubos de veículo e em comércio, por exemplo, a redução foi de 25,7% e 21,2%, respectivamente. O roubo a transporte coletivo obteve queda de 25,4%. Furto em veículo também, com 19% de crimes a menos registrados.

Houve redução de 11,2% nos registros de furtos em comércio em todo o DF. Sendo 1.777 ocorrências de janeiro a junho deste ano. Em igual intervalo do ano passado, 1.797 crimes da mesma natureza. Cabe destacar que esse cenário não representa somente casos de arrombamento, mas também de pequenos furtos.

As vítimas de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), no comparativo do primeiro semestre, que agrupam o homicídio, o latrocínio e a lesão corporal seguida de morte, também marcaram queda de 6,5%. Homicídios caíram em 6,9%. As tentativas reduziram em 11%.

Feminicídios contabilizaram 15 casos, no primeiro semestre de 2019. Em igual intervalo de 2020, oito vítimas (sete vidas preservadas). O DF não registrou nenhum feminicídio nos meses de fevereiro e de maio deste ano.

Latrocínio foi a única natureza criminal, do hall de crimes analisados mensalmente pela SSP/DF, que apresentou aumento. Sendo de 12 ocorrências, de janeiro a junho de 2019, frente a 20 registros em 2020. Em contrapartida, tentativas de latrocínio caíram em 30,3%.

Cabe destacar que, para se ter um panorama mais preciso sobre a incidência criminal no DF, é importante que os dados estatísticos elaborados pela SSP/DF sejam comparados com o mesmo período dos anos anteriores.

É preciso levar em conta diversos fatores sazonais ao comparar meses diferentes, pois determinados crimes tendem a aumentar ou a diminuir em determinados períodos.

Com objetivo de reduzir índices de criminalidade, a SSP/DF coordenou mais uma fase da Operação Vita Salutem (Proteção de Vidas), no último fim de semana. Instituições, agências e órgãos nos eixos da segurança, mobilidade, fiscalização e prestação de serviços públicos participaram da ação. A operação ocorreu em Planaltina, Gama, Recanto das Emas e Santa Maria.”

Ver mais

Aconteceu

Estudante de veterinária é picado por cobra Naja e internado em estado grave no DF

Publicado

dia

Por

Suspeita é de que homem criava animal em casa; espécie é uma das mais venenosas do mundo. Soro para tratamento precisou ser encomendado de São Paulo.

Cobra da espécie Naja, em imagem de arquivo — Foto: Wikimedia Commons

 

Um estudante de medicina veterinária, morador do Distrito Federal, foi picado por uma cobra da espécie Naja, considerada uma das mais venenosas do mundo. O caso ocorreu nesta terça-feira (7) e o rapaz foi internado em estado grave em um hospital particular no Gama.

A suspeita é de que ele criava o animal em casa. A reportagem questionou o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) se o estudante tinha autorização para criar o animal, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

A espécie Naja não existe na fauna brasileira, é natural da África e Ásia. Por conta disso, o hospital precisou encomendar o soro para tratamento da ferida do estudante. O pedido foi feito ao Instituto Butantan, em São Paulo.

O medicamento foi enviado da capital paulista para Brasília na noite de terça-feira (7) e já está sendo administrado à vítima.

Riscos

A infectologista Joana D’arc Gonçalves explica que a Naja “é um gênero que pode produzir acidentes graves”.

“[A espécie libera] uma neurotoxina que vai atuar no sistema nervoso central, que pode levar à paralisia respiratória”, disse.

Ainda de acordo com a especialista, o fato da espécie não ser brasileira faz com que seja “muito complexo fazer o diagnóstico e o tratamento adequado”.

Ver mais

Aconteceu

Motorista morre em acidente entre carro e caminhão na DF-150

Publicado

dia

Corpo de Bombeiros constatou óbito no local. Batida aconteceu na manhã desta terça-feira (7), na DF-150, próximo a Sobradinho.

Acidente na DF-150, próximo a Sobradinho — Foto: CBMDF/Divulgação

Um homem morreu após o carro que dirigia bater de frente contra um caminhão na DF-150, próximo a Sobradinho, no Distrito Federal. O acidente aconteceu por volta das 11h.

Segundo o Corpo de Bombeiros, que atendeu a ocorrência, o motorista do carro de passeio morreu no local. Após a batida, outro veículo também foi atingido.

Até a publicação desta reportagem, os militares não haviam informado o estado de saúde dos demais envolvidos e nem a identidade da vítima.

Por causa do acidente, uma mancha de óleo escorreu pela pista e, por isso, a rodovia foi interditada, no sentido Fercal. Por volta das 12h, o local ainda permanecia bloqueado. A perícia foi acionada para investigar as circunstâncias do acidente.

Esta reportagem está em atualização.

Ver mais

Aconteceu

Carro de subsecretário do GDF suspeito de participar de racha tem 5 multas por excesso de velocidade

Publicado

dia

Nomeação de Wesley Wenisgton Vieira dos Santos na pasta de Esportes foi tornada sem efeito nesta segunda (6). Motorista do outro carro permanece internado em estado grave.

Carro dirigido pelo subsecretário Wesley Wenisgton Vieira dos Santos — Foto: TV Globo/Reprodução

O carro em que estava o subsecretário de Convênios e Parcerias da Secretaria de Esportes do Distrito Federal, Wesley Wenisgton Vieira dos Santos, durante um acidente na noite de domingo (5), tem cinco multas por excesso de velocidade e outras três por avanço de sinal. A informação consta no sistema do Departamento de Trânsito (Detran).

A suspeita da Polícia Civil é de que Santos participava de um racha. O motorista do segundo veículo envolvido, identificado como Pedro Luca Lima Gabriel, está internado no Hospital de Base do DF, em estado grave.

Santos, de 27 anos, foi nomeado na sexta-feira (3) para a pasta de Esportes. Nesta segunda-feira (6), a nomeação foi tornada sem efeito por meio de uma edição extra do Diário Oficial do DF.

O então subsecretário foi preso em flagrante, no domingo. Até a noite desta segunda, ele permanecia na carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE).

O outro motorista também está detido, sob escolta, no hospital.

De acordo com o delegado João Guilherme Medeiros de Carvalho, da 2ª DP, “os dois vão responder por disputa automobilística”.

“Na linguagem comum, é ‘racha’ e traz uma situação de risco.”

As multas

Wesley Wenisgton Vieira dos Santos, de 27 anos é subsecretário de Convênios e Parcerias da Secretaria de Esportes do DF.  — Foto: TV Globo/Reprodução

Wesley Wenisgton Vieira dos Santos, de 27 anos é subsecretário de Convênios e Parcerias da Secretaria de Esportes do DF. — Foto: TV Globo/Reprodução

Conforme o sistema de trânsito, as multas do carro dirigido por Wesley Wenisgton Vieira dos Santos foram aplicadas pelo Detran, pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e pelo Departamento Estradas de Rodagem (DER). O veículo tem a documentação em dia, mas não está o nome dele.

O delegado João Guilherme Medeiros de Carvalho afirma que o agora ex-subsecretário se recusou a fazer teste do bafômetro e o exame de sangue, após se envolver no acidente. “

Carros em alta velocidade

 Os veículos envolvidos no acidente – um Audi modelo A4 e uma Mercedes C-200 – trafegando em alta velocidade na via W9, por volta das 22h de domingo

O subsecretário dirigia a Mercedes. Segundo a Polícia Militar, após o acidente, o veículo foi parar em um monte de terra. Já o Audi, conduzido por Pedro Luca Lima Gabriel, capotou diversas vezes. Ao ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros, o motorista tinha suspeita de hemorragia interna e fraturas.

Ver mais

Aconteceu

Polícia Civil do DF faz leilão de veículos

Publicado

dia

Bens pertencem ao Fundo Nacional Antidrogas. Venda será online e inclui celulares, joias e amplificadores; confira datas.

Carros que serão leiloados pela Polícia Civil do DF, no dia 15 de julho — Foto: PCDF/ Divulgação

A Polícia Civil do Distrito Federal vai leiloar, no próximo dia 15 de julho, 51 veículos, além de celulares, amplificadores, joias e sucatas que pertencem ao Fundo Nacional Antidrogas (Funad). O leilão será online, mas os interessados poderão ver os bens a partir de sexta-feira (10).

Veja aqui o edital do leilão
Ao todo, são 85 lotes de mercadorias. Para a aquisição de sucata de veículos, é preciso que o comprador comprove que trabalha com o comércio de peças usadas.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, a visitação vai ocorrer de forma escalonada:

Veículos

Dias 10, 13 e 14 de julho
Local: QS 09, rua 100, lotes 15/17 – Taguatinga
Outros bens

Visualização online
Informações: Comissão Permanente de Alienação da PCDF / (61) 3207-4940

Ver mais

Aconteceu

Entregadores de aplicativo protestam em Brasília por melhoria nas condições de trabalho

Publicado

dia

Categoria quer assegurar repasse maior pelos serviços prestados; ato ocorreu em outras cidades do país. De moto, grupo percorreu Eixo Monumental.

Entregadores de aplicativo protestam em Brasília, nesta quarta-feira (1º), por melhorias na condição de trabalho — Foto: PMDF/Divulgação

Motoboys e entregadores de aplicativo fizeram um protesto, nesta quarta-feira (1º), em Brasília, por melhorias nas condições de trabalho. Por volta das 11h30, o grupo se concentrou na Alameda das Bandeiras, em frente ao Congresso Nacional.

O ato faz parte de uma mobilização nacional da categoria. O objetivo é assegurar um repasse maior pelos serviços prestados, levando em consideração o quilômetro percorrido e o aumento proporcional dos ganhos, a partir da produtividade.

Os entregadores também pedem o reajuste da taxa anual cobrada pelos aplicativos e o “fim dos bloqueios sem justificativa por parte das empresas”. A Polícia Militar acompanhou o protesto e, até a última atualização dessa reportagem, não registrava incidentes relacionados à manifestação.

Em nota, a Associação Brasileira de Mobilidade e Tecnologia (Amobitec) – que representa empresas que atuam no setor de delivery – afirma que os comércios implementaram, desde o início da pandemia, “diversas ações de apoio aos entregadores parceiros”.

No comunicado, a entidade afirma ainda que os trabalhadores cadastrados nas plataformas “estão cobertos por seguro contra acidentes pessoais durante as entregas” e que as empresas estão “atentas às reivindicações dos entregadores parceiros”.

“É importante esclarecer que as empresas associadas à Amobitec não trabalham com esquema de pontuação para a distribuição de pedidos e deixam claro que a participação em atos como a manifestação desta quarta-feira (1/7) não acarretará em punições ou bloqueios de qualquer natureza.”

Ver mais

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?