Nossa rede

Aconteceu

Homem cai de parapente no Lago Paranoá durante curso de treinamento para emergências

Publicado

dia

Segundo testemunhas, vítima estava a cerca de 60 metros de altura do solo. Homem sofreu traumatismo craniano e foi internado em estado grave.

Corpo de Bombeiros resgata homem que caiu de parapente no Lago Paranoá — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Um homem caiu de um parapente, no Lago Paranoá, em Brasília, durante um curso para lidar com situações de emergência em voos com o equipamento. O acidente aconteceu na tarde deste domingo (26), próximo à Concha Acústica.

Segundo o Corpo de Bombeiros, Fábio Stallivieri, de 46 anos, sofreu traumatismo craniano e foi encaminhado ao Hospital de Base, em estado grave. Testemunhas disseram aos militares que a vítima caiu de uma altura de, aproximadamente, 60 metros após perder o controle do equipamento.

A namorada de Fábio disse aos bombeiros que ele tinha prática com parapente. Ela estava no local no momento do acidente.

Corpo de Bombeiros resgata homem que caiu de parapente no Lago Paranoá — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Corpo de Bombeiros resgata homem que caiu de parapente no Lago Paranoá — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação.

Ainda de acordo com a corporação, a vítima foi socorrida pelos próprios instrutores, em uma embarcação particular, e levada ao Grupamento de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros, que fica às margens do lago.

Devido ao impacto da queda, o homem precisou ser entubado e encaminhado para o hospital em um helicóptero.

Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Comentar

Aconteceu

DF vai vacinar grávidas e puérperas, diz governador

Publicado

dia

Por

Imunização tem início na quinta-feira (24)

Agência Brasil

Duas pessoas foram presas, entre elas, um policial militar apontado como líder de um grupo de milicianos que domina áreas da zona oeste do Rio de Janeiro. As prisões foram feitas por policiais civis da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO), que deflagraram, hoje (21), nos bairros da Taquara, Rocha Miranda, Praça Seca e Guaratiba, a Operação Barbárie, para cumprir dois mandados de prisão temporária e seis mandados de busca e apreensão contra membros da organização criminosa. De acordo com a Secretaria de Estado de Polícia Civil do Rio de Janeiro (Sepol), o policial militar é apontado como líder do grupo.

A operação, que ainda está em andamento, conta com o apoio de agentes da Corregedoria da Polícia Militar. O delegado William Pena Júnior informou que os dois investigados estão respondendo pelos crimes de extorsão, roubo, estupro e associação criminosa. “Sob falso pretexto de que as vítimas sejam marginais, eles extorquiam, batiam, espancavam para conseguir o dinheiro desses pobres trabalhadores. Eles estão prestando depoimento e já afirmam prática criminosa. Estamos investigando mais outros dois que seriam informantes dessa quadrilha para que a gente possa concluir este inquérito policial”, revelou.

Conforme a Sepol, a operação foi batizada de Barbárie, porque o grupo de milicianos age com extrema violência e humilhação para obtenção de lucro obtido com a prática de extorsão. “Além das sessões de espancamento que as vítimas sofreram, também foi praticada violência sexual contra uma delas”, completou a secretaria.

Polícia Militar
Segundo a Secretaria de Estado de Polícia Militar, a área Correcional da PM já foi informada sobre a prisão do policial. “O referido policial militar era lotado no 41º BPM (Irajá) e está preso, sendo ouvido pela Polícia Civil. O comando da unidade acompanha a acareação na delegacia e a área Correcional da Corporação já foi comunicada do fato”, informou. Agência Brasil

Ver mais

Aconteceu

Operação no Rio prende PM apontado como chefe de milícia na zona oeste

Publicado

dia

Por

Segundo a Sepol, o policial militar é apontado como líder do grupo

© Tomaz Silva/Agência Brasil

Duas pessoas foram presas, entre elas, um policial militar apontado como líder de um grupo de milicianos que domina áreas da zona oeste do Rio de Janeiro. As prisões foram feitas por policiais civis da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO), que deflagraram, hoje (21), nos bairros da Taquara, Rocha Miranda, Praça Seca e Guaratiba, a Operação Barbárie, para cumprir dois mandados de prisão temporária e seis mandados de busca e apreensão contra membros da organização criminosa. De acordo com a Secretaria de Estado de Polícia Civil do Rio de Janeiro (Sepol), o policial militar é apontado como líder do grupo.

A operação, que ainda está em andamento, conta com o apoio de agentes da Corregedoria da Polícia Militar. O delegado William Pena Júnior informou que os dois investigados estão respondendo pelos crimes de extorsão, roubo, estupro e associação criminosa. “Sob falso pretexto de que as vítimas sejam marginais, eles extorquiam, batiam, espancavam para conseguir o dinheiro desses pobres trabalhadores. Eles estão prestando depoimento e já afirmam prática criminosa. Estamos investigando mais outros dois que seriam informantes dessa quadrilha para que a gente possa concluir este inquérito policial”, revelou.

Conforme a Sepol, a operação foi batizada de Barbárie, porque o grupo de milicianos age com extrema violência e humilhação para obtenção de lucro obtido com a prática de extorsão. “Além das sessões de espancamento que as vítimas sofreram, também foi praticada violência sexual contra uma delas”, completou a secretaria.

Polícia Militar

Segundo a Secretaria de Estado de Polícia Militar, a área Correcional da PM já foi informada sobre a prisão do policial. “O referido policial militar era lotado no 41º BPM (Irajá) e está preso, sendo ouvido pela Polícia Civil. O comando da unidade acompanha a acareação na delegacia e a área Correcional da Corporação já foi comunicada do fato”, informou. Agência Brasil

Ver mais

Aconteceu

Polícia faz buscas em Planaltina por autor de feminicídio

Publicado

dia

Por

Um dos endereços visitados fica no Jardim Roriz, em Planaltina. Moradores afirmaram à reportagem que o homem estaria escondido em uma casa, onde ele morou na região

(crédito: Material cedido ao Correio)

A Polícia Militar realiza na madrugada desta segunda-feira (21) buscas para tentar localizar o autor de um feminicídio em Sobradinho, Osmar de Sousa Silva, 36 anos. Um dos endereços visitados fica no Jardim Roriz, em Planaltina.

De acordo com fontes ligadas à investigação, o homem morou em uma residência na região e a suspeita é de que ele estaria escondido na casa.

Moradores ouvidos pela reportagem, sob a condição de anonimato, afirmam que o acusado teria mudado da residência localizada na quadra 06 do bairro há alguns anos. Mas ele ainda teria parentes no setor, e as buscas devem ocorrer em outros endereços.

A PMDF informou que o homem está sendo procurado “em vários pontos do DF”, diz a corporação.

O caso

Uma mulher de 27 anos foi morta a tiros no início da noite deste domingo (20/6) às 18h35, na Quadra 14 de Sobradinho. O delegado-chefe da 13ª Delegacia de Polícia, da região, Hudson Maldonado, confirmou que o autor era ex-companheiro da vítima, Osmar de Sousa Silva, 36 anos.

Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), o suspeito fugiu com um Honda Civic branco, após os cinco disparos de uma pistola calibre 380 contra a vítima. A placa do veículo é placa PAP-2097.

O Corpo de Bombeiros (CBMDF) informou que quando chegou ao local para atender a ocorrência a vítima, Thais da Silva Campos, estava sem vida. A mulher estava separada de Osmar, com quem teve um filho de 2 anos, havia cerca de cinco meses.

Ver mais

Aconteceu

Começa julgamento de Marinésio pelo feminicídio de advogada

Publicado

dia

Por

Tribunal do Juri de Planaltina vai analisar o caso da morte de Letícia Curado. Réu, que confessou crime, vai responder por homicídio quintuplamente qualificado

(crédito: Polícia Civil)

O julgamento de Marinésio Olinto pelo feminicídio da advogada Letícia Curado começou às 9h manhã desta segunda-feira (21/6). A definição pela culpa ou absolvição do réu pelo homicídio quintuplamente qualificado será proferida pelo Tribunal do Juri de Planaltina.

Por se tratar de violência contra a mulher, o caso tramita em segredo de justiça e, por isso, a sessão de julgamento será restrita. A representante do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) será a promotora Nathália da Silva. A previsão é de que a sentença seja determinada no fim da tarde.

Relembre o caso

Em 23 de agosto de 2019, a advogada Letícia Curado esperava o ônibus em uma parada entre o Vale do Amanhecer e a DF-230, em Planaltina. Ela estava a caminho do trabalho, no Ministério da Educação (MEC), órgão no qual era servidora.

Contudo, ela não chegaria ao destino: Marinésio passou de carro pela parada e ofereceu uma carona à jovem. Dentro do veículo, ele tentou estuprá-la, mas Letícia reagiu. Diante da reação, o homem a estrangulou e ela morreu asfixiada. Letícia deixa o marido e um filho, hoje com cinco anos.

Em seguida, Marinésio escondeu o corpo da vítima dentro de uma manilha e roubou pertences como uma necessaire, um relógio e um pendrive. Os objetos foram encontrados dentro do automóvel quando ele foi preso em flagrante.

Por isso, além do homicídio, ele também responde pelos crimes de tentativa de estupro, furto e ocultação de cadáver. À polícia, ele confessou que já conhecia Letícia, pois pegou o mesmo ônibus que ela para o Plano Piloto em outra ocasião, e deu detalhes do assassinato.

Outras condenações

Esse não foi o único crime de Marinésio. Quando o caso do assassinato de Letícia Curado veio à tona, outra vítima reconheceu o homem e o denunciou por estupro. Segundo o relato da mulher, que, na época, abril de 2019, tinha 17 anos, ela foi violentada após ser coagida a entrar no carro de Marinésio, no Paranoá.

Por esse crime ele já foi condenado a 10 anos de prisão. Contra ele, ainda há a denúncia do homicídio de outra mulher, Genir Pereira de Sousa, em Planaltina, e pelo menos outros três estupros.

Ver mais

Aconteceu

PMDF prende, pela 18º vez, homem especialista em roubar caminhonetes

Publicado

dia

Por

Um homem foi preso na tarde de quinta-feira (17/6), após roubar um carro na cidade de Samambaia. Ele já havia sido preso 17 vezes

O homem foi abordado pela PMDF enquanto trafegava na EPIA sul – (crédito: Arquivo)

Um homem foi preso, no meio da tarde de quinta-feira (17/6), por policiais do Grupo Tático de Ações Motociclistas (GTAM) após roubar um carro em um lava-jato na região administrativa de Samambaia.

Os Policiais Militares do Distrito Federal (PMDF) receberam a informação do roubo de uma Ford Ranger, de cor prata, perto da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB). Os militares passaram a patrulhar a Estrada Parque Indústria e Abastecimento (EPIA) sentido Sul, atrás do homem. Logo avistaram o carro no sentido norte, em frente ao shopping Casa Park. Os PMs perceberam que o homem faria o retorno e decidiram aguardar.

Assim que retornou, a polícia realizou a abordagem. No interior do carro foi encontrado um bloqueador de sinal de celular. Quando era menor de idade, o homem teve 17 passagens pela polícia. Ele foi preso e autuado em flagrante por roubo.

*Com informações da PMDF

Ver mais

Aconteceu

Ocorrência de violência doméstica leva PMDF a apreensão de drogas

Publicado

dia

Por

Porções de maconha foram encontradas em uma residência, em Santa Maria, após a polícia ser chamada para resolver uma situação de violência doméstica

A PMDF foi chamada para resolver uma situação de violência doméstica e acabou por fazer apreensão de drogas – (crédito: PMDF/Divulgação)

Por volta das 21h30 desta quinta-feira (17/6), policiais militares do 26º Batalhão de Santa Maria apreenderam diversas porções de drogas. Informações do Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM)  levaram a equipe do Grupo Tático (GTOP46) a investigar a ocorrência de Maria da Penha na QR 518. No local, os policiais encontraram diversas porções de drogas.

Ao chegarem no local, o portão e a porta da residência estavam abertos e, na entrada, foi encontrada uma porção de maconha. Com a ajuda de sirenes, os policiais tentaram chamar os moradores, mas ninguém respondeu e eles entraram na casa. A equipe entrou em contato com a proprietária do imóvel e constatou que não havia situação violência doméstica.

Onze porções de maconha foram encontradas e o morador da casa assumiu ser o dono da droga. Ele foi conduzido à 20ª Delegacia para registro.

*Com informações da PMDF

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade
Publicidade

Viu isso?