Nossa rede

Aconteceu

Feliciano vai insistir em impeachment de Mourão e diz que vice age como Temer foi com Dilma

Publicado

dia

Deputado, que apresentou um pedido de impeachment do vice-presidente, afirma que o plano do general é ‘roubar a cadeira’ de Bolsonaro

Em meio a conflitos quase diários entre as diversas correntes que compõem a gestão de Jair Bolsonaro —militares, olavistas, liberais, evangélicos, entre outros —,  o deputado Marco Feliciano (Pode-SP), vice-líder do governo no Congresso, apresentou formalmente um pedido de impeachment do vice-presidente Hamilton Mourão. Irritado com o que chama de “postura golpista” do vice, o parlamentar listou uma série de ocasiões em que Mourão se contrapôs a Bolsonaro, incluindo a ida a Washington para uma palestra— o convite do evento citava a “paralisia política” do governo e tratava o vice como a “voz da razão e da moderação” na administração. Em entrevista à ÉPOCA, por e-mail, o parlamentar subiu o tom e atacou Mourão , a quem chamou de “Judas”, “traidor” e “sem caráter”. Para Feliciano, o plano do vice é claro: “Roubar a cadeira do presidente”.

O que motivou o senhor a pedir formalmente o impeachment do vice-presidente Hamilton Mourão?

Eu pedi pelo bem do Brasil. Em favor da estabilidade das instituições e das reformas estruturais. Não é possível que o vice-presidente da República contradite diariamente o presidente em público. Não é possível que ele se coloque o tempo todo como alternativa de poder, em uma postura golpista à luz do dia. Isso gera instabilidade e mina a autoridade presidencial, mina a instituição Presidência da República, o que é ruim para o país e ruim para as reformas. Casa dividida não para em pé, e para aprovar a nova Previdência o governo tem que mostrar força e unidade. Mourão estava prejudicando muito isso.

No pedido, o senhor lista exemplos de vezes em que Mourão “contraditou” o presidente Jair Bolsonaro. O exercício do contraditório não é normal dentro de um governo? Ou o senhor avalia que o vice-presidente extrapolou?

A diversidade de opiniões é normal e saudável, mas o que é inaceitável é que sejam feitas quase que diariamente e em público, pois isso desgasta a imagem do governo e do presidente. Demonstrar publicamente desunião não é bom para nenhum time. Se o vice quer ajudar, porque não fala em privado com o presidente como todos os que o antecederam no cargo de vice-presidente? Além disso, o que causa estranheza é que muitas das contraditas do Mourão atacam promessas de campanha do presidente Bolsonaro. Promessas que Mourão defendeu também, o que o transforma em um estelionatário eleitoral. Quando ele desdiz o que o presidente sempre afirmou antes e por coerência mantém agora, isso o transforma em um traidor, um Judas.

Também no pedido, o senhor afirma que a atitude do vice-presidente é “claramente conspiratória”. O senhor acha que há uma intenção deliberada dele em contribuir para a queda do presidente?

Eu gostaria de saber qual dos dois é o Mourão verdadeiro? O brutamontes da campanha eleitoral, que pretendia acabar com o 13º salário e fazer uma nova Constituição sem o Congresso, ou esse moço bem-comportado que só fala o politicamente correto que o mais raso do senso comum quer ouvir? É uma mudança muito radical. Me parece evidente que ele está sendo instruído por um bom marqueteiro, justamente para antagonizar o presidente. Isso mostra não apenas que ele é um homem sem caráter, sem identidade, que fala o que as pessoas querem ouvir, como mostra que ele tem o plano de roubar a cadeira do presidente Bolsonaro. Mourão é apenas a ponta do iceberg, a parte visível de uma conspiração. Ele é o único que fala pois não pode ser demitido, mas a quadrilha é bem maior.

O senhor é vice-líder do governo no Congresso, uma função de confiança. Sendo assim, o senhor comunicou previamente o presidente Bolsonaro sobre a apresentação deste pedido de impeachment?

Mantenho contato em linha direta com o presidente, e sempre lhe informo sobre meus atos. Mas pedi o impeachment na condição de parlamentar, não enquanto vice-líder, apesar de essa função ser justamente a de defender o governo. E o governo estava sendo atacado todos os dias, por dentro. Pois no sistema presidencialista, quem encarna o governo é o próprio presidente, que depende de sua autoridade para cumprir seu papel. Vale lembrar que foi exatamente essa a tática de (Michel) Temer para desconstruir a autoridade de Dilma (Rousseff). Já vi esse filme e não vou deixar que façam isso com meu presidente, meu amigo pessoal há dez anos, com quem travo lutas contra a esquerda desde o dia em que pisei no Congresso. A ação deliberada de Mourão é no sentido de enfraquecer a autoridade presidencial. Ele está sendo bem instruído. Se fosse um fato isolado, tudo bem, mas a situação é diária, é só ler os jornais.

  O pedido cita o fato de o Mourão ter curtido, no Twitter, uma publicação em que uma jornalista tecia elogios a ele e criticava o Bolsonaro. Este foi o estopim para a decisão do senhor de apresentar a peça?

É o conjunto da obra, pois diariamente Mourão desdiz o presidente Bolsonaro, sendo de extrema deslealdade para com ele. Isso é indigno, é indecoroso, pois tem como finalidade usurpar a posição do presidente. É só verificar as notícias. Todo dia a mesma coisa. Mas, para mim, a gota d’água foi quando a imprensa apresentou prova documental do comportamento indigno e indecoroso do Mourão, que é crime de responsabilidade. Ele aceitou convite para palestrar em uma instituição estrangeira, na capital de outro país (Estados Unidos), e no convite para essa palestra Mourão era louvado como a “voz da razão e da moderação”, como o homem capaz de guiar o país tanto na agenda doméstica como na externa. No convite, o vice é descrito como o queridinho da imprensa e crítico frequente do próprio presidente. Com sua presença no evento, Mourão chancelou tudo o que ali se passava e dizia, inclusive o escrito no convite. A curtida no Twitter foi apenas mais um dos vários atos de deslealdade. Isso tudo é golpismo à luz do dia

O artigo da Lei do Impeachment citado para embasar a peça diz que é um crime de responsabilidade “proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo”. Não é um conceito muito amplo para propor uma medida grave como um impeachment?

Mas é justamente para ser amplo, é o que os juristas chamam de “cláusula aberta”, colocada na lei para facilitar o julgamento político. Segundo o saudoso ministro Paulo Brossard, o impeachment se presta para afastar o mau governante, e não para punir um criminoso. Se o exercício do cargo público por determinada autoridade está sendo ruim para o país, há a possibilidade de afastamento. Mas tem que convencer 2/3 da Câmara e do Senado.

O filósofo Olavo de Carvalho aconselhou ou mesmo incentivou o senhor a apresentar o pedido de impeachment?

O professor Olavo é um visionário. Ele enxerga longe. Como eu, ele também está preocupado com o movimento de setores que não aceitam o resultado das urnas, onde o povo elegeu um projeto conservador. Como perderam no voto agora se infiltram no governo e querem destruir a revolução conservadora por dentro. Não vamos permitir.

O senhor chegou a tratar diretamente do tema com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, depois de protocolar a peça? Qual foi a posição dele?

Apenas o comuniquei por telefone que estava protocolando. Ainda não falei com o Rodrigo pessoalmente. Vamos nos falar essa semana. Certamente ele tomará a melhor decisão para o Brasil, pois hoje ele é um dos fiadores da democracia em nosso país. Há muito tempo um presidente da Câmara não tem tanto prestígio entre os deputados.

Politicamente falando, é sabido que as condições para que este pedido prospere na Câmara são baixas. Por que protocolar o pedido mesmo assim?

A política é feita de símbolos. O tiro de alerta foi dado. Estamos de olho no vice e no seu entorno, e também em outros que o ajudam às escondidas. Não passarão.

Comentário

Aconteceu

Corpo de homem é encontrado esquartejado dentro de mala, no DF

Publicado

dia

Por

Cadáver estava enterrado na região do Itapoã, em estado de decomposição. Três suspeitos foram presos; Polícia Civil investiga homicídio.

Polícia Civil faz perícia em área de mata no Itapoã, onde foi enterrada uma mala com cadáver — Foto: TV Globo/Reprodução

O corpo de um homem foi encontrado, na madrugada desta terça-feira (2), esquartejado dentro de uma mala enterrada no Itapoã, no Distrito Federal. A Polícia Civil investiga o caso como homicídio. Três suspeitos foram presos.

Ainda na madrugada, a polícia acionou o Corpo de Bombeiros para auxiliar na escavação. A mala estava em um terreno próximo ao fórum da região, localizado em uma área de vegetação. Um vaso sanitário demarcava o local onde o corpo foi enterrado.

O cadáver estava em estado de decomposição. A perícia foi chamada para identificar a vítima e investigar quando houve o crime.

A apuração inicial indica que a vítima teria sido assassinada após um desentendimento motivado por ciúmes. Entre os suspeitos presos, um deles teria matado o homem, e os outros dois seriam os responsáveis por ocultar o corpo.

Corpo é encontrado esquartejado dentro de mala enterrada na região do Itapoã, no Distrito Federal  — Foto: PCDF/Divulgação

Corpo é encontrado esquartejado dentro de mala enterrada na região do Itapoã, no Distrito Federal — Foto: PCDF/Divulgação.

O trio foi localizado em uma casa onde o homem teria sido morto. No local, a Polícia Civil encontrou uma machadinha, uma enxada e uma pá.

A 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), responsável pela investigação do caso, analisa as apreensões e interroga os detidos nesta terça.

Ver mais

Aconteceu

Presídios do DF registram 998 infectados pelo coronavírus

Publicado

dia

Por

Segundo boletim, 764 presos e 234 policiais penais foram infectados; vírus chegou à penitenciária feminina. Um preso e um servidor morreram.

Conselho Nacional de Justiça em visita da comissão de direitos humanos do GDF na Papuda, em Brasília — Foto: Gláucio Dettmar/Agência CNJ

Os presídios do Distrito Federal registraram 36 novos casos de coronavírus entre a última sexta-feira (29) e esta segunda (1º). Assim, chega a 998 o número de infectados no sistema penitenciário da capital, entre detentos e servidores.

Os dados foram divulgados pelas secretarias de Saúde e de Segurança Pública. São:

  • 764 presos
  • 234 policiais penais

Até esta segunda-feira, um detento e um policial penal haviam morrido por conta da Covid-19. Na última semana, o DF registrou o primeiro caso de uma detenta infectada (veja perfil dos casos abaixo). Até então, todos os contaminados nos presídios eram homens.

Além dos casos nas unidades administrados pelo governo do DF, a Penitenciária Federal de Brasília também registrou um infectado.

Casos entre detentos

Presos do Presídio da Papuda em Brasília, em imagem de arquivo. — Foto: Gláucio Dettmar/CNJ

Presos do Presídio da Papuda em Brasília, em imagem de arquivo. — Foto: Gláucio Dettmar/CNJ

De acordo com a Secretaria de Saúde, entre os detentos com coronavírus, 763 estão recuperados. Outros 84 ainda têm infecções ativas, divididas entre:

  • Casos leves: 71
  • Casos moderados: 3
  • Casos graves: 1
  • Em análise: 12

Ainda segundo a pasta, a maioria dos contaminados tem entre 20 e 29 anos, mas 131 são idosos. O boletim aponta ainda que 41 pacientes têm comorbidades – doenças que podem agravar o quadro.

Casos entre servidores

Já quanto aos servidores infectados, a Secretaria de Segurança Pública afirma que 53 policiais são casos ativos e 181 estão recuperados.

Os servidores infectados trabalham nas seguintes unidades:

  • Centro de Detenção Provisória (CDP): 40 policiais penais
  • Centro de Internamento e Reeducação (CIR): 40 policiais penais
  • Penitenciária do Distrito Federal I (PDF I): 51 policiais penais
  • Penitenciária do Distrito Federal II (PDF-II): 52 policiais penais
  • Centro de Progressão Penitenciária (CPP): 24 policiais penais
  • Diretoria Penitenciária de Operações Especiais (DPOE): 21 policiais penais
  • Penitenciária Feminina do Distrito Federal (PFDF): 1 policial
  • Área administrativa da Sesipe: 5 servidores

Medidas de contenção

Agentes da Vigilância Ambiental fazem desinfecção do CDP, no Complexo Penitenciário da Papuda — Foto: Secretaria de Segurança Pública do DF

Agentes da Vigilância Ambiental fazem desinfecção do CDP, no Complexo Penitenciário da Papuda — Foto: Secretaria de Segurança Pública do DF

Segundo a Sesipe, uma série de medidas têm sido tomadas para evitar a proliferação do coronavírus nos presídios da capital. Entre elas estão:

  • GDF anunciou que vai abrir 360 vagas para policiais penais ficarem hospedados em hotéis. A medida tem o objetivo de diminuir o risco de que os servidores transmitam o vírus aos familiares, ao dividirem a mesma casa.
  • Suspensão das visitas aos detentos até o dia 5 de junho;
  • Policiais penais participaram de videoconferência com uma infectologista, sobre estratégias de prevenção, detecção e controle do coronavírus;
  • Detentas da Penitenciária Feminina produziram20 mil máscaras que serão divididas entre a Secretaria de Saúde e a Sesipe;
  • A Sesipe passou a fazer a limpeza de celas, viaturas e prédios da administração e da parte externa dos presídios; a mesma ação havia sido realizada com apoio do Exército Brasileiro e da Vigilância Ambiental;
  • Duzentas máscaras laváveis foram doadas e serão repassadas às unidades prisionais;
  • A Secretaria de Turismo (Setur) abriu processo para selecionar hotéis para policiais penais ficarem em isolamento;
  • Sistema de drive-thru, no Complexo da Papuda, para testagem rápida de servidores da SSP e da SES que atuam em unidades prisionais;
  • Dois novos blocos dos novos CDPs, com 200 vagas cada, estão sendo utilizados para tratamento e quarentena de presos durante a pandemia, 311 internos já ocupam os blocos.
Ver mais

Aconteceu

Jovem amarrada dentro de carro é resgatada no DF; ex-cunhado é suspeito de sequestro

Publicado

dia

Vítima pediu socorro durante abordagem da PRF, em Planaltina. Suspeito foi preso; caso é investigado pela Polícia Civil.

PRF resgata jovem amarrada dentro do carro do ex-cunhado no DF — Foto: PRF/Divulgação

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) resgatou, na madrugada deste domingo (31), uma jovem de 23 anos que estava amarrada dentro de um carro na BR-020, em Planaltina, no Distrito Federal. A Polícia Civil investiga o caso como sequestro e cárcere privado.

De acordo com as informações da PRF, o veículo – que pertenceria ao ex-cunhado da vítima – foi abordado na estrada, na altura do quilômetro 37, em uma fiscalização de rotina. Enquanto a polícia fazia perguntas ao condutor, a mulher, que estava no banco traseiro, pediu socorro.

A vítima informou à polícia que o homem estava armado. No veículo, os agentes encontraram um revólver da marca Taurus, calibre 38, com numeração raspada, além de seis munições. O suspeito foi preso e o veículo, apreendido.

PRF encontrou um revólver da marca Taurus, no calibre 38, com sequestrador — Foto: PRF/Divulgação

PRF encontrou um revólver da marca Taurus, no calibre 38, com sequestrador — Foto: PRF/Divulgação.

‘Garantia de fuga’

Segundo a PRF, a jovem contou que o ex-cunhado foi até a casa dela à procura da ex-mulher, mas que a irmã conseguiu fugir. Sendo assim, ele então resolveu levar a jovem “como garantia de fuga”, para Buritirama, na Bahia, sem detalhar os planos.

A vítima estava acompanhada do marido em casa quando foi abordada pelo suspeito. Segundo a PRF, o homem foi obrigado a amarrar a esposa e colocá-la dentro do carro. No caminho, vítima e suspeito trocaram de carro.

Ver mais

Aconteceu

Técnica de enfermagem é encontrada morta dentro de UPA no DF

Publicado

dia

Instituto que administra unidade de saúde confirma óbito. Causa não foi divulgada.

Vista geral da UPA do Núcleo Bandeirante — Foto: Roberto Barroso / Agência Brasília

Uma técnica de enfermagem foi encontrada morta, nesta sexta-feira (29), na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Núcleo Bandeirante, no Distrito Federal. A informação foi confirmada ao G1 pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF).

“A colaboradora faleceu nas dependências da UPA, na madrugada dessa sexta-feira (29)”, informou o Iges, por meio de nota.

A causa do óbito, no entanto, não foi divulgada. O Iges disse ainda que se solidariza com os familiares, amigos e colegas pela perda da profissional.

O Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (Sindate-DF) recebeu informações sobre o caso e disse à reportagem que vai pedir explicações ao instituto.

“Lamentamos o ocorrido e nos preocupamos com a situação dos profissionais de saúde em meio à pandemia do novo coronavírus”, disse Newton Batista, diretor da entidade. “Esperamos que seja esclarecido o que ocorreu dentro da UPA”.

Ver mais

Aconteceu

Operação prende suspeitos de roubar comerciantes chineses no DF e em três estados

Publicado

dia

Investigação aponta que grupo mirava casas de vendedores em Brasília, São Paulo, Ceará e Santa Catarina. Polícia Civil estima que 80 comerciantes foram vítimas.

Polícia Civil do DF apreende moeda chinesa na casa de suspeitos de roubar comerciantes — Foto: PCDF/Divulgação

 

A Polícia Civil deflagrou, nesta quinta-feira (28), uma operação para desarticular uma quadrilha especializada em roubar casas de comerciantes chineses no Distrito Federal e em três estados. Até a última atualização desta reportagem, oito pessoas haviam sido presas e uma estava foragida (veja abaixo).

Ao todo, foram expedidos nove mandados de prisão e oito de busca e apreensão. As ordens judiciais foram cumpridas em endereços de Brasília, na cidade de São Paulo, no município de Itapema, em Santa Catarina, e em Crateús, no Ceará. Veja:

  • São Paulo: 5 presos
  • Santa Catarina: 1 preso
  • Ceará: 2 presos e 1 foragido

De acordo com a investigação, os criminosos se passavam por familiares dos comerciantes chineses para conseguir acesso aos prédios onde as vítimas moravam. Ao centrar nas casas, os suspeitos furtavam mercadorias e, em outras ocasiões, rendiam os moradores para praticar os assaltos. Pelo menos 80 pessoas foram vítimas desde 2016.

Polícia Civil prende suspeito de integrar quadrilha especializada no roubo de comerciantes chineses — Foto: Arquivo pessoal

Polícia Civil prende suspeito de integrar quadrilha especializada no roubo de comerciantes chineses — Foto: Arquivo pessoal

Ainda segundo os investigadores, o grupo definiu chineses como alvo porque as vítimas costumavam manter grande quantia de dinheiro em casa, além de não registrar ocorrência em casos de roubo.

Investigação

A apuração começou há um ano, quando um apartamento no Guará, região do Distrito Federal, foi assaltado. A polícia descobriu que o carro usado no crime tinha placa de São Paulo e, então, chegou a suspeitos em outros estados.

A polícia acredita que a quadrilha já atua há quatro anos. O prejuízo estimado ainda não foi divulgado pela corporação.

A operação foi denominada de Chengdu e é realizada pela Coordenação de Repressão aos Crimes Organizados da Polícia Civil.

Ver mais

Aconteceu

Mulher infectada pelo novo coronavírus é presa no DF após cuspir em policiais

Publicado

dia

Antes, jovem de 20 anos havia sido detida por dano a carro da PM. Por risco de contaminação, agentes foram afastados do trabalho; caso ocorreu no Paranoá.

Fachada da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá) do Distrito Federal, onde foi registrada ocorrência de sequestro-relâmpago — Foto: TV Globo/Reprodução

Uma mulher de 20 anos foi presa, nesta segunda-feira (25), após cuspir em dois policiais civis quando saia de uma delegacia no Distrito Federal. A jovem está infectada pelo novo coronavírus e, segundo a Polícia Civil, estaria “transtornada”.

O caso ocorreu na 6ª Delegacia de Polícia, no Paranoá. A mulher foi detida ainda na porta da unidade, após pagar a fiança por outro crime. Agora, ela deve responder por negligência a cuidados sanitários e por perigo de contágio de doença grave, já que estava sem máscara. Nesses casos, a pena pode chegar a cinco anos de prisão.

A suspeita estava presa por dano a bem público e seria liberada. Segundo a delegada Jane Klébia, que investiga o caso, antes de deixar a delegacia, a suspeita tentou agredir os policiais.

“Ainda transtornada, ela passou a desacatar os policiais e chegou a cuspir mais de uma vez neles. Na carceragem, a mulher foi testada e deu positivo para a Covid-19.”

Após o ocorrido, a Polícia Civil informou que afastou os policiais e que toda a equipe da delegacia será testada para confirmar ou descartar a infecção pelo vírus.

Ver mais

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?