Nossa rede

Brasil

Dez distritos concentram 31% das mortes cometidas por policiais em SP

Publicado

dia

Segundo estudo da ONG Sou da Paz, Itaim Paulista, é o recordista. Bairros como Aclimação e Consolação não registraram mortes.

50º Distrito Policial (DP), Itaim Paulista, Zona Leste de São Paulo (Foto: Reprodução / Google Maps)

 

Apenas dez dos 93 distritos policiais da capital paulista reúnem 31% das mortes decorrentes de intervenção praticadas por policiais fora ou em serviço nos primeiros semestres de 2015 e 2016, segundo estudo da ONG Sou da Paz.  No total, 211 pessoas foram mortas por policiais militares e civis no 1º semestre de 2016 na cidade de São Paulo.

Em agosto, no primeiro semestre de 2016, policiais de folga mataram o maior número de pessoas dos últimos 11 anos no estado de São Paulo se comparado com os primeiros seis meses dos anos anteriores.

De acordo com o estudo, o 50º Distrito, no Itaim Paulista, no extremo da Zona Leste, registrou nove mortes causadas por policiais nos primeiros seis meses desse ano, número 28,6% maior do que no primeiro semestre de 2015, quando registrou sete mortes e também liderou o ranking.

O 73º DP do Jaçanã, e o 74º no Jaraguá, ambos na Zona Norte, e o 37º DP, Campo Limpo, na Zona Sul ocupam o segundo lugar com sete mortes causadas por policiais cada um. Completam a lista o 47º DP do Capão Redondo, o 49º DP de São Mateus, o 75º DP Jardim Arpoador, o 92º DP Parque Santo Antônio, o 34º DP na Vila Sônia e o 63º DP na Vila Jacuí.

Desses dez distritos, seis também integram o ranking dos dez com o maior número de homicídios dolosos na capital.

Para Stephanie Morin, coordenadora da área de Gestão do Conhecimento do Instituto Sou da Paz, moradores desses distritos estão mais vulneráveis aos homicídios. “Um tiroteio interminável”, diz.

“Precisamos entender essa concentração [de mortes]. É preciso de ainda mais transparência para saber mais sobre essas mortes. Inclusive essa distribuição geográfica”, disse.

Bairros como Aclimação e Consolação, na região central da cidade, não registraram nenhuma morte por intervenção policial nos primeiros semestres de 2015 e 2016.

O estudo revela ainda que se comparados os resultados dos primeiros semestres de
2015 e 2016, em 38 distritos policiais houve aumento do número de mortes decorrentes de intervenção policial no primeiro semestre de 2016, e redução em 31 distritos.

A Secretaria da Segurança Pública afirmou, por meio de nota, que todos os “casos de Mortes Decorrentes de Oposição à Intervenção Policial (MDIP) são investigados por meio de inquérito para apurar se a atuação do policial foi realmente legítima”.

“A atuação da polícia de São Paulo se dá estritamente dentro dos limites da lei. As exceções são apuradas com rigor e terminam com a punição dos policiais acusados de crimes”, diz a nota.

“Uma das ações implementada por São Paulo foi a Resolução SSP 40/15, que resultou na queda de 11,4% da letalidade policial Civil e Militar, seja em folga ou em serviço, no primeiros sete meses de 2016 comparado com o mesmo período de 2015. A medida garante maior eficácia nas investigações de mortes, pois determina o inédito comparecimento das Corregedorias e dos Comandantes da região, além de equipe específica do IML e IC, para melhor preservação do local dos fatos e eficiência inicial das investigações”, diz o texto.

A Secretaria não respondeu por que os distritos mencionados concentram mais mortes.

Folga
No primeiro semestre de 2016, policiais de folga mataram o maior número de pessoas dos últimos 11 anos no estado de São Paulo se comparado com os primeiros seis meses dos anos anteriores.

Dados oficiais da Secretaria da Segurança Pública (SSP) compilados e por Samira Bueno, diretora executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, mostram que policiais militares e civis mataram 115 pessoas nos primeiros seis meses desse ano, 2,5 vezes mais do que no mesmo período em 2006, quando 47 foram mortos e quando ocorreram os crimes de maio após os ataques da facção que age dentro e fora dos presídios.

Para Stephanie, o policial de sente mais vulnerável. “Ele sente que pode ser executado, tem mais medo, ou está treinadao para ter um certo tipo de atuação”, disse.

Essas mortes são consideradas como reações ou oposições à intervenção policial e não entram na estatística de homicídio. O recorte foi feito a partir de 2006 porque é quando a categoria “reações” foi criada.

Segundo a Secretaria, “as mortes decorrentes de intervenção policial em folga ocorrem, em sua maioria, a partir da ação de PMs para impedir roubos, seja ele mesmo a vítima ou um terceiro. Em 2015, 60,2% das ocorrências de morte decorrente de oposição à intervenção policial tiveram como origem o crime de roubo, fato que se repete em 2016, com 54,4%”, diz nota.

O levantamento foi feito a partir de metodologia usada pela própria secretaria. Até março de 2015, o número era divulgado somente no Diário Oficial como “homicídio doloso fora de serviço reações”. Desde abril do ano passado, no entanto, passou a aparecer nas estatísticas trimestrais publicadas no site da SSP como “pessoas mortas por policiais militares de folga”.

Após o  publicação em abril que “Uma em cada 4 pessoas assassinadas em SP foi morta pela PM” , a pasta reconheceu que é correta a comparação entre os dados de “homicídio doloso – fora de serviço (reações)” e “morte decorrente de intervenção policial em folga”.

No mesmo período, em 2006, 61 policiais de folga foram mortos nos primeiros seis meses. Em 2016, foram 37 agentes mortos, 32% do total de pessoas mortas por policiais.

Para a diretora executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Samira Bueno, as estatísticas já fazem um “julgamento moral” porque desde o início não consideram que houve um homicídio, mas uma intervenção por legítima defesa. “Antes do inquérito ser concluído, já se assume que o policial é inocente. E o pior, a maioria dos inquéritos é arquivado e os casos dificilmente serão investigados. A série mostra que os policiais se sentem mais impunes, têm carta branca”, disse.

Feridos
O levantamento também mostra aumento no número de pessoas feridas por policiais militares e civis durante o trabalho e nas folgas.

Se levar em conta os dados de feridos por integrantes das duas polícias durante suas folgas, esse número mais do que dobra, indo de 60 no ano passado para 143 em 2016. O número de feridos em confrontos com agentes da PM e da Polícia Civil durante o serviço saltou de 234 no primeiro semestre de 2015 para 259 no mesmo período deste ano.

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Brasil

Bolsonaro no Maranhão: “Vamos mandar embora o comunismo do Brasil”

Publicado

dia

Por

Em clima de comício, o mandatário disse que a bandeira do governo “jamais será turvada de vermelho”

(crédito: Alan Santos/PR)

O presidente Jair Bolsonaro visitou o Maranhão nesta quinta-feira (29/10). Em Imperatriz, o chefe do Executivo participou da solenidade de entrega de obras. Durante discurso, Bolsonaro indiretamente teceu críticas ao governador do estado, Flavio Dino (PCdoB), um de seus rivais políticos e afirmou que o governo vai “mandar embora o comunismo do Brasil”.

Em clima de comício, o mandatário se disse feliz por estar no local, rodeado pelo povo. “Amigos do Maranhão, meus irmãos de Imperatriz, não tem preço estar no meio de vocês, vocês povo esse que devemos a mais absoluta lealdade. Podem ter certeza eu vim também, obviamente pela graça de Deus e pelas mãos de muitos de vocês e nós vamos, num curto espaço de tempo, mandar embora o comunismo do Brasil. Nós não aceitamos esse regime ditatorial, onde o povo não tem vez. Nós somos a liberdade. Nós somos aqueles que não tem medo da verdade. Junto com vocês, nós construímos um novo Brasil”, disse Bolsonaro, sob aplausos de apoiadores.

O presidente ressaltou que foi bem recebido pelas cidades por onde passou mais cedo. “Não tem preço ser recebido dessa forma carinhosa e calorosa desde que cheguei no aeroporto e tenho certeza que o mesmo acontecerá até a hora de ir embora”.

O presidente completou que possui um plano para o estado nordestino, a começar pelas obras. Afirmou ainda que a bandeira do governo “jamais será turvada de vermelho”.

“Pode acreditar, nós temos um plano, nós temos a continuidade daquilo que estamos fazendo e não é apenas obra não. Temos uma preocupação enorme contra aqueles que querem roubar mais que o nosso dinheiro, querem roubar a nossa liberdade. Essa nossa bandeira sagrada jamais será turvada de vermelho. Esse estado rico, promissor e com povo maravilhoso ocupará seu lugar de destaque no Brasil. Acredito no povo do Maranhão, acredito no potencial da sua gente e na riqueza do seu solo. Juntos nós transformaremos esse país”, exaltou.

Bolsonaro comentou também que, mesmo com orçamento menor em 2020, conseguiu iniciar e concluir várias obras, mesmo as começadas em outros mandatos. Ele apontou que isso significa respeito ao dinheiro público.

“Temos um dos menores orçamentos da história da República, mas nunca tivemos tantas obras começadas ou concluídas. Nós não nos preocupamos de quem é a obra iniciada há 10, 20, 30 ou 40 anos e não concluída. Nós estamos concluindo obras que demonstram o carinho e respeito que temos com o dinheiro de vocês e queremos através dessas trazer o progresso e o desenvolvimento”, destacou.

O presidente ainda elogiou os ministros Rogério Marinho e Tarcísio Freitas. “Nós temos os melhores ministros da história do Brasil. Ninguém nunca viu alguém com o nome melhor do que Tarcísio nos últimos 30 anos. Ninguém viu um ministro do Desenvolvimento Regional, melhor do que Rogério Marinho. Um homem que vive pelo Brasil todo, mais especial no Nordeste. Onde mais necessita de obras ele está presente. A Rogério Marinho, a minha solidariedade, o meu muito obrigada pela confiança”, relatou.

O secretário do governo, general Eduardo Ramos, foi outro nome lembrado ao qual Bolsonaro caracterizou com um homem de confiança. “Ramos que é meu amigo de 40, 50 anos. Grande amigo da coordenação política que nos ajuda e muito. Um dos aspectos mais importantes da política é a confiança e tenho confiança nesses homens, assim como tenho um profundo respeito pelo nosso senador Roberto Rocha, um homem que sempre esteve comigo, falando dos problemas não apenas do Maranhão, mas do Nordeste como um todo”.

Por fim, Bolsonaro disse que retornará ao Maranhão. “Podem ter certeza outras vezes viremos aqui e se Deus quiser, brevemente estaremos para comemorar a erradicação do comunismo em nosso Brasil”, bradou.

Horas antes, o presidente fez uma parada não prevista em Macabeira, onde parou para tomar um refrigerante. Foi então que o mandatário disparou uma piada homofóbica por conta da cor rosa da bebida. “Agora eu virei boiola. Igual maranhense, é isso?”, disse, rindo, após dar um gole no Guaraná Jesus. “Guaraná cor-de-rosa do Maranhão aí, quem toma esse guaraná aqui vira maranhense”, completou.

Em São Luís, o chefe do Executivo falou com apoiadores. Sem máscara e em meio à aglomeração de bolsonaristas, muitos também sem o item, o presidente abraçou, pegou na mão de eleitores e tirou selfies. O mandatário, que já contraiu covid-19, desrespeitou lei estadual que determina a obrigatoriedade do item de higiene. Além do problema de contágio, não há consenso sobre o tempo de imunidade de um indivíduo em relação ao vírus.

Ver mais

Brasil

Coronavírus infecta 254.552 pessoas e provoca 5.690 mortes em Goiás, diz governo

Publicado

dia

Por

Nas últimas 24 horas, mais 1.925 pessoas submetidas a testes tiveram resultado positivo e 36 novas mortes foram registradas no estado.

Teste coronavírus Covid-19 Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

As infecções e mortes provocadas pelo coronavírus continuam se alastrando em Goiás e chegam a 254.552 casos confirmados e 5.690 óbitos. Os dados são do boletim da Secretaria Estadual de Saúde divulgado nesta segunda-feira (26).

Nas últimas 24 horas, mais 1.925 pessoas submetidas a testes tiveram resultado positivo e 36 novas mortes foram registradas no estado.

De acordo com o boletim, 244.053 pessoas se recuperaram da Covid-19. Há também 242.112 casos suspeitos de coronavírus que estão em investigação.

Ocupação dos leitos de UTI

A rede pública estadual de saúde tem 294 leitos de UTI exclusivos para Covid-19. Neste quinta-feira, a taxa de ocupação está em 63,6%. Na enfermaria, o número está em 22,4%.

Já na rede municipal de Goiânia, dos 197 leitos de UTI destinados a pacientes com coronavírus, 44,5% estão ocupados. Na enfermaria, o índice é de 37,2%.

Evolução dos casos

Casos confirmados:

  • O governo estadual registrou os três primeiros casos de Covid-19 em 12 de março;
  • Em 6 de maio, Goiás ultrapassou 1 mil casos confirmados e atingiu 45 mortes;
  • Em 15 de junho, o estado contabilizou 10 mil casos de coronavírus e 226 mortes;
  • Em 19 de julho, devido a uma instabilidade no sistema de notificação, houve redução de 17 casos nos números de infectados;
  • Em 23 de julho, Goiás atingiu os 50 mil casos;
  • Em 14 de agosto, o estado ultrapassou 100 mil casos confirmados da doença;
  • No dia 18 de agosto, o estado registrou o recorde de casos, com 4.128 novas confirmações e 128 mortes por Covid-19 em um dia;
  • Goiás ultrapassa 150 mil casos em 9 de setembro;
  • Em 27 de outubro, o estado passou de 250 mil casos confirmados.

Mortes confirmadas:

  • A primeira morte por coronavírus registrada em Goiás foi em 26 de março;
  • A marca de 1 mil mortes foi registrada em 16 de julho, dois meses após o início da pandemia em Goiás;
  • Em 8 de agosto, o estado ultrapassou a marca de 2 mil mortos, cinco meses após o registro dos primeiros casos;
  • No dia 18 de agosto, o estado registrou o recorde de mortes, com 128 novas confirmações em um dia;
  • A marca de 3 mil mortos foi atingida em 28 de agosto;
  • Em 18 de setembro, o estado ultrapassa 4 mil mortos confirmados;
  • Goiás chegou a 5 mil mortes em 7 de outubro.

Ver mais

Brasil

Campanha de vacinação contra a poliomielite e sarampo é prorrogada até o dia 13 de novembro

Publicado

dia

Por

Sergipe ainda não atingiu a meta da cobertura vacinal de 95%.

Vacinação — Foto: Ikamahã/PCR/Divulgação/Arquivo

A Campanha nacional de vacinação contra a poliomielite e sarampo, que iria encerrar nesta sexta-feira (29), foi prorrogada até o dia 13 de novembro. A informação é da Secretaria de Estado da Saúde (SES), que explica que o estado não atingiu a meta da cobertura vacinal de 95%.

A campanha contra a poliomielite (paralisia infantil) tem como público-alvo crianças de um a menores de cinco anos. Já a do sarampo é direcionada às pessoas com idades entre 20 a 49 anos. No caso da multivacinação, o objetivo é estimular a atualização da caderneta de vacinação de crianças e adolescentes a menores de 15 anos. Serão ofertadas todas as vacinas de rotina do calendário básico de vacinação da criança e do adolescente.

Até o momento, 50 mil crianças foram vacinadas contra a poliomielite e para a vacina do sarampo 123 mil adultos foram imunizados. A campanha de multivacinação para crianças e adolescentes, os dados só serão divulgados no fim do mês.

De acordo com a Secretaria de estado da Saúde, os municípios que ainda não conseguiram atingir essa meta devem continuar realizando a busca ativa de quem ainda não procurou as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e os pais ou responsáveis precisam levar as crianças munidos da carteira de vacinação para que um profissional avalie quais doses precisam ser aplicadas.

Para se imunizar as pessoas deverão apresentar a carteira de vacinação e documento de identificação nas unidades, das 7h30 às 16h30.

Ver mais

Brasil

Produção global de milho será menor na safra 2020/21

Publicado

dia

Por

Conselho Internacional de Grãos estima 4 milhões de toneladas a menos no período, refletindo quedas nas perspectivas para as safras dos Estados Unidos, Ucrânia e União Europeia.

Produção de milho em MT — Foto: José Medeiros/Gcom-MT

O Conselho Internacional de Grãos (IGC, na sigla em inglês) reduziu nesta quinta-feira (29) sua estimativa para a produção global de milho 2020/21 em 4 milhões de toneladas, para 1,156 bilhão, refletindo quedas nas perspectivas para as safras dos Estados Unidos, Ucrânia e União Europeia.

Em sua atualização mensal, o IGC cortou a projeção para a safra da Ucrânia para 33 milhões de toneladas, uma mínima de três anos, ante 35 milhões de toneladas vistas anteriormente.

A produção de milho dos EUA foi estimada em 373,9 milhões de toneladas, em linha com a estimativa do Departamento de Agricultura norte-americano (USDA, na sigla em inglês), mas abaixo da projeção anterior do IGC, de 376,5 milhões de toneladas.

Já a safra de milho da UE deverá atingir 62,6 milhões de toneladas, versus previsão de 67,4 milhões de toneladas publicada anteriormente.

O IGC elevou marginalmente sua estimativa para a safra global de trigo 2020/21, em 1 milhão de toneladas, e passou a projetá-la em 764 milhões de toneladas.

A produção global de soja em 2020/21, enquanto isso, foi estimada em 370 milhões de toneladas, uma queda frente à previsão anterior de 373 milhões de toneladas, diante de reduções vistas nas safras dos EUA, Argentina, Índia e Ucrânia.

Ver mais

Brasil

Ribeirão Preto, SP, registra 93 novos casos de Covid-19 e dois óbitos, diz Prefeitura

Publicado

dia

Por

Pelo terceiro dia consecutivo, UTIs têm 47,51% de ocupação, com 86 internados em 181 vagas disponíveis. Nesta quarta-feira (28), total de infectados é de 30.831 e o de mortes é de 845.

Epidemias de Sars e Mers já ‘anteciparam’ algo em relação à Covid-19, diz especialista — Foto: Getty Images via BBC

O boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (28) pela Prefeitura aponta 93 novos casos confirmados de Covid-19 em Ribeirão Preto (SP), em comparação aos dados do dia anterior. No total, são 30.831 moradores infectados desde março.

novo balanço registrou ainda mais dois óbitos, elevando o total para 845. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, as mortes ocorreram nos dias 19 e 26 de outubro e são de duas pacientes, de 62 e 81 anos, que estavam internadas em hospitais particulares.

Ao todo, a cidade contabiliza 470 mortes de pacientes do sexo masculino e outras 375 de pacientes do sexo feminino.

Em comparação ao boletim de terça-feira (27), mais 174 moradores testaram negativo para o novo coronavírus, chegando a 38.432 suspeitas descartadas por exames.

Nesta quarta-feira, o número de pessoas que aguarda resultado de testes é de 1.031.

Hospitais

De acordo com o site leitoscovid.org, que mostra em tempo real a situação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e enfermaria na rede de saúde da cidade, às 18h desta quarta-feira, 86 pacientes em estado grave estavam internados nas 181 vagas disponíveis – 47,51% de ocupação, mesmo índice de terça-feira.

Só nos hospitais públicos, onde estão 116 vagas, 40 estavam ocupadas – taxa de 34,48%.

Na enfermaria, dos 225 leitos oferecidos no total, 85 estavam preenchidos – índice de 37,78%.

Ver mais

Brasil

TCE-PB condena ex-prefeito de São Sebastião de Umbuzeiro a pagar dívida de quase R$ 9 milhões

Publicado

dia

Por

Contas da prefeitura em 2014 foram rejeitadas porque ex-gestor não aplicou os percentuais mínimos em saúde e educação.

Prefeitura de São Sebastião do Umbuzeiro, PB. Ex-prefeito é condenado a pagar quase quase R$ 9 milhões por prejuízos aos cofres públicos. — Foto: Reprodução/Site da Prefeitura de São Sebastião do Umbuzeiro

O ex-prefeito de São Sebastião do Umbuzeiro, Francisco Alípio Neves, foi condenado a pagar quase R$ 9 milhões por prejuízos aos cofres do município, conforme decisão do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), nesta quarta-feira (28). As contas da prefeitura em 2014 foram rejeitadas porque não foram aplicados os percentuais mínimos em saúde e educação, e porque deixou de recolher 100% das contribuições previdenciárias, que garantem a aposentadoria dos servidores.

O G1 tentou entrar em contato com o prefeito, mas até a publicação desta reportagem não havia conseguido localizar o ex-gestor.

O TCE-PB multou o ex-prefeito em R$ 8.815,42 por transgressão a normas constitucionais e legais. Ele tem um prazo de 30 dias para efetuar o pagamento ao Tesouro Estadual, no Fundo de Fiscalização Orçamentária e Financeira Municipal.

Ainda de acordo com o TCE, o ex-prefeito cometeu diversas irregularidades, como déficit financeiro e orçamentário, despesas sem comprovação, sonegação de documentos junto ao TCE e omissão de gastos.

Nos percentuais mínimos, valor mínimo de recursos orçamentários do município que devem ser aplicado em ações e serviços públicos, o ex-prefeito aplicou apenas 2.95% em educação, sendo 25% o mínimo exigido por lei. Para a saúde, foram aplicados apenas 9.11%, dos 15% estabelecidos pela Constituição Federal.

Francisco Alípio Neves já foi condenado pelo TCE-PB, em 2019, por dívidas de cerca de R$ 53 mil aos cofres públicos causadas por contratação de despesas sem comprovação referentes à locação de carro de som no valor de R$ 9.800,00 e contratação de serviços de aração de terra no valor de R$ 42.790,00.

Ver mais

Hoje é

sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Publicidade

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?