Nossa rede

Brasil

Coronavírus: Cascavel volta para bandeira vermelha, diz prefeitura

Publicado

dia

Segundo a prefeitura, índice de risco alto, apontado na matriz, foi puxado por aumento de mortes por síndrome respiratória aguda grave, em relação a 14 dias anteriores. Indicador acende alerta.

Pontos da matriz de risco aumentaram e Cascavel passou para bandeira vermelha — Foto: RPC/Reprodução

A Secretaria de Saúde de Cascavel, no oeste do Paraná, divulgou, nesta quinta-feira (19), que o município voltou para matriz de alto risco na pandemia do novo coronavírus.

Conforme a gerente de vigilância epidemiológica, Beatriz Tambosi, o dado ainda não é motivo de preocupação, mas causa um alerta para a população redobrar os cuidados preventivos nesse período de medidas flexibilizadas.

“O alerta tem que estar aceso, a gente tem que estar atento para que a gente não volte a ter aumento na ocupação de leitos, para que a gente não volte a ter aumento de casos graves com a possibilidade de óbito. A melhor maneira da gente fazer isso é fazendo uso das medidas não farmacológicas.”

Após quase um mês com a bandeira laranja, a matriz de risco aumentou dois pontos, em relação a semana anterior, e atingiu 20 pontos. Por isso, o município voltou para a bandeira vermelha.

De acordo com Beatriz, a mudança do número de pontos foi puxada pelo aumento de mortes no município, que é analisado pelo índice da variação de óbitos.

A gerente explicou que na semana epidemiológica número 30, foram computadas 12 mortes por síndrome respiratória aguda grave. Enquanto na semana 32, que equivale 14 dias depois, foram registrados 14 óbitos. Veja o vídeo acima.

Matriz de risco

De acordo com a matriz de risco do município, a bandeira vermelha é válida quando a pontuação dos fatores de risco varia entre 19 e 30.

A próxima bandeira é a roxa, com pontuação entre 31 e 40, que apresenta o risco muito alto de contaminação e determina a restrição máxima das atividades na cidade.

Veja o que a matriz de risco leva em consideração:

  1. Taxa de ocupação de leitos de UTI adulto exclusivos para pacientes com a Covid-19
  2. Taxa de ocupação de leitos clínicos adulto exclusivos para pacientes com a Covid-19
  3. Previsão de esgotamento de leitos de UTI
  4. Variação do número de óbitos pela Covid-19 nos últimos 14 dias
  5. Coeficiente de incidência de casos de Covid-19 por 100 mil habitantes
  6. Taxa de positividade para a Covid-19

Pandemia em Cascavel

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, até esta quinta-feira, Cascavel registrou 43.687 casos confirmados do novo coronavírus e 945 mortes pela Covid-19.

A cidade conta com 459 casos ativos da doença. Nesta quinta, foram registrados 198 novos casos.

Conforme o boletim, a taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é de 68,7% na cidade. Na enfermaria, a taxa é de 59,5%.

Brasil

Veja quantas doses do lote interditado da CoronaVac foram aplicadas em cada cidade do TO

Publicado

dia

Por

Djair Pedro/SEI (Fotos Públicas)

Das 29 cidades do Tocantins que receberam doses da CoronaVac dos lotes que foram interditados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) apenas três não fizeram nenhuma aplicação: Barrolândia, Novo alegre e Silvanópolis. A lista com a quantidade de doses que foram aplicadas em cada cidade foi divulgada nesta quinta-feira (23) pela Secretaria de Estado da Saúde. (Veja a lista ao fim da reportagem)

Segundo a SES, as cidades com mais doses aplicadas são Peixe, com 29 casos e Chapada da Natividade, com 24. Em todo o estado,226 pessoas receberam uma dose do lote com problemas. As outras 274 doses estão nos estoques dos municípios e devem ser recolhidas na próxima semana.

Apesar da interdição, o Instituto Butantan garante que o imunizante não traz riscos para os moradores. A questão é que o envasamento foi feito em uma fábrica não inspecionada pela Anvisa na China e por isso os lotes foram interditados preventivamente. Ainda não se sabe se quem tomou a vacina precisará receber uma dose extra.

A vacina CoronaVac permanece autorizada no país e possui relação benefício-risco favorável ao seu uso, desde que produzida nos termos aprovada pela Anvisa. As pessoas que tomaram a vacina estão sendo monitoradas.

Veja quantas doses cada cidade aplicou

  • Abreulândia – 9 doses
  • Aliança – 10 doses
  • Almas – 10 doses
  • Alvorada – 3 doses
  • Araguaçu – 1 doses
  • Arraias – 9 doses
  • Aurora – 10 doses
  • Barrolândia – Não aplicou nenhuma das doses recebidas
  • Brejinho – 10 doses
  • Chapada da Natividade – 24 doses
  • Combinado – 10 doses
  • Dianópolis – 9 doses
  • Fátima – 3 doses
  • Ipueiras – 10 doses
  • Jaú – 10 doses
  • Lavandeira – 8 doses
  • Mateiros – 1 doses
  • Monte do Carmo – 6 doses
  • Natividade – 4 doses
  • Novo Alegre – Não aplicou nenhuma das doses recebidas
  • Oliveira de Fátima – 10 doses
  • Palmeirópolis – 4 doses
  • Peixe – 29 doses
  • Pedro Afonso – 5 doses
  • Pindorama – 10 doses
  • Ponte Alta do TO – 1 doses
  • Silvanópolis – Não aplicou nenhuma das doses recebidas
  • Santa Rosa – 10 doses
  • Tupirama – 10 doses
Ver mais

Brasil

Campina Grande vacina contra Covid-19 adolescentes a partir de 17 anos sem comorbidades, diz prefeito

Publicado

dia

Por

Locais e horários da vacinação, que acontece na sexta-feira (24), ainda serão divulgados.

Vacinação de adolescentes em Campina Grande — Foto: Ascom PMCG/Divulgação

Campina Grande vai vacinar contra Covid-19 os adolescentes a partir de 17 anos sem comorbidades, na sexta-feira (24). O anúncio foi feito pelo prefeito Bruno Cunha Lima, em um perfil de rede social, no fim da manhã desta quinta-feira (23).

“A partir de amanhã, retomamos a vacinação da galera sub 18. Quem tiver 17+ fica ligado no Instagram da Secretaria de Saúde […] pra não perder tempo, entrar no vacinacao.campinagrande.pb.gov.br e garantir o agendamento pra botar a vacina no braço”, diz o gestor.

Os locais e horários da vacinação, que acontece na sexta-feira (24), ainda serão divulgados.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, até o momento, Campina Grande imunizou 88% da população vacinável:. Pelo menos 277.791 pessoas receberam as primeiras doses, 134.756 as segundas doses e 6.220 receberam o imunizante de dose única.

A imunização na faixa etária foi retomada uma semana após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, criticar campanha antecipada dos estados e falar que existem “eventos adversos a serem investigados”.

Ver mais

Brasil

Araraquara completa 96 horas sem registrar mortes por Covid-19; UTI tem 8% de ocupação

Publicado

dia

Por

Nesta quinta (23), foram confirmados 62 novos casos e cidade soma 30.115 infectados na pandemia.

Estrutura do coronavírus tem formato de coroa — Foto: Radoslav Zilinsky/Getty Images/Arquivo

Pelo quarto dia seguido, Araraquara (SP) não registrou nenhuma morte por Covid-19 e permanece com 584 óbitos em decorrência da doença, segundo boletim epidemiológico desta quinta-feira (23).

Foram confirmados mais 62 novos casos, o que eleva o total de infectados para 30.115 desde o início da pandemia, em março de 2020.

A taxa de ocupação de enfermaria está em 14% (quatro pontos percentuais a menos que quarta), enquanto a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) tem 8% dos leitos ocupados (mesmo percentual que quarta), contando com os serviços hospitalares públicos e privados.

Em fevereiro, a cidade de 238 mil habitantes foi o primeira do país a ter 10 dias de confinamento para conter a doença. Os números de internações, casos e mortes caíram após as medidas mais restritivas mas, entre maio e junho voltaram a crescer e a cidade voltou a fazer um lockdown de 7 dias. Os casos voltaram a ter queda. Atualmente a cidade segue o Plano São Paulo.

Casos

Os 62 casos positivos desta quinta-feira representam 6,6% de 936 amostras analisadas nos serviços públicos e privados de saúde e nos setores econômicos e sociais do município.

Considerando apenas os sintomáticos que procuraram os serviços de saúde, esse percentual sobe para 24,22%, sendo 48 positivados de 194 amostras.

Do total de confirmados, 181 permanecem em quarentena e 29.350 já saíram. Aguardam resultado de exames 119 amostras.

Internações

Nesta quinta, 14 pacientes estão internados. Destes, 10 confirmados estão em enfermaria e 4 confirmados estão em UTI.

O Hospital São Paulo tem 1 paciente, o Hospital São Francisco tem 5 pacientes, o Hospital de Campanha tem 5 pacientes e o Hospital Estadual de Américo Brasiliense (HEAB) tem 3 pacientes.

Do total de 14 internados, 13 são moradores de Araraquara e 1 é de Pirassununga, que está em leito de enfermaria.

Vacinação

Araraquara já aplicou 327.524 doses, sendo 193.558 da primeira dose, 126.495 da segunda dose, 6.063 de dose única e 1.408 de terceira dose.

Ver mais

Brasil

HC-UFTM realiza aula on-line sobre atendimento a paciente pós-Covid

Publicado

dia

Por

Evento será dia 23 de setembro, das 14h às 15h30, e não há necessidade de inscrição prévia

Crédito: NIAID (Fotos Públicas)

O Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM) vai realizar uma aula on-line, na próxima quinta-feira (23), com o objetivo de capacitar profissionais de saúde de Uberaba e demais municípios da região no âmbito da assistência ao paciente com Covid-19. O encontro ocorre das 14h às 15h30, no canal de vídeo da Unidade de Telessaúde do HC-UFTM na internet.

A aula tem como tema “Atendimento ao paciente no Pós-Covid-19: consequências neurológicas e cardiorrespiratória” e será ministrada pelos professores do Departamento de Fisioterapia Aplicada da UFTM, Gustavo José Luvizutto, Isabel Porcatti de Walsh, Luciane Pascucci Sande de Souza e Marilita Falangola Accioly.

A aula será transmitida ao vivo e não há necessidade de inscrição prévia. Além disso, haverá emissão de certificado. Após a apresentação dos professores, terá um tempo para perguntas dos participantes

Ver mais

Brasil

SP antecipa de 12 para 8 semanas aplicação da segunda dose da Pfizer

Publicado

dia

Por

Medida entra em vigor sexta-feira e vale para todo o estado

vacina Pfizer© Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

O governo de São Paulo decidiu antecipar em quatro semanas a aplicação da segunda dose da vacina contra covid-19 para aqueles que tomaram o imunizante da Pfizer/BioNTech como primeira dose. Com isso, em vez do intervalo para a segunda dose ocorrer após 12 semanas da primeira aplicação, a segunda dose será aplicada oito semanas após a primeira.

A medida entra em vigor na sexta-feira (24) e vale para os 645 municípios do estado de São Paulo. De acordo com o governo, a medida deve beneficiar cerca de 6,9 milhões de pessoas que já foram imunizadas com a primeira dose da Pfizer.

Especialistas têm recomendado a antecipação da segunda dose da vacina contra a covid-19 para tentar frear o aumento dos casos da Delta, que já é a variante predominante na cidade de São Paulo.

O governo recomenda que as pessoas que receberam a primeira dose da Pfizer/BioNTech confiram a sua carteira de vacinação e contem 28 dias antes da data anteriormente prevista para a aplicação da segunda dose.

Agência Brasil

Ver mais

Brasil

Rio: idosos que se vacinaram em fevereiro podem tomar dose de reforço

Publicado

dia

Por

Público já pode procurar postos para terceira dose contra a covid-19

© Tânia Rêgo/Agência Brasil

O Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 definiu hoje (22) que idosos com 60 anos ou mais que tomaram a segunda dose da vacina contra covid-19 até 28 de fevereiro na capital fluminense podem começar a receber a dose de reforço. Esse grupo já pode procurar os postos de saúde da capital fluminense para receber a terceira injeção contra o novo coronavírus.

O secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, informou à Agência Brasil que essa parcela da população abrange pessoas internas em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) e profissionais da saúde.

De acordo com o comitê, o calendário previsto para a dose reforço por idade permanece em vigor. Hoje (22), foram imunizadas pessoas com 87 anos ou mais. Amanhã, será a vez daquelas com idade igual ou superior a 86 anos, seguindo-se maiores de 85 no dia 24, e maiores de 84 anos, no sábado (25). A dose de reforço se destina às pessoas que receberam a segunda aplicação ou dose única do imunizante há, pelo menos, três meses.

Para as pessoas com alto grau de imunossupressão, o intervalo é reduzido para até 28 dias. A partir de hoje, serão vacinadas pessoas com 40 anos ou mais. Já a partir do dia 29, a imunização se destinará a pacientes com 12 anos ou mais. informou a Secretaria Municipal de Saúde do Rio (SMS). Agência Brasil

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade
Publicidade

Viu isso?