Nossa rede

Aconteceu

Chuva provoca acidentes, queda de árvore e deixa um morto no DF

Publicado

dia

Galhos atingiram caminhão na Estrutural; motorista morreu. Precipitações devem continuar nos próximos dias; veja previsão do tempo para semana.

Árvore despenca e mata motorista de caminhão na Estrutural, no DF — Foto: CBMDF/Divulgação

A chuva que caiu sobre o Distrito Federal, na manhã desta quinta-feira (19), causou uma série de acidentes e quedas de árvores. Na Estrutural, um homem morreu após ser atingido por um galho. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as precipitações começaram ainda na madrugada e devem se manter pelo menos até o fim de semana (veja mais detalhes abaixo).

Segundo o Corpo de Bombeiros, a vítima era o motorista de um caminhão. De acordo com os militares, o condutor passava no local quando uma árvore tombou e atingiu o veículo. O incidente aconteceu próximo ao Aterro do Jóquei, antigo lixão da cidade.

O condutor estava sozinho e não resistiu aos ferimentos. Os bombeiros não informaram a identidade do homem. O caso aconteceu por volta das 10h.

Na Asa Sul, a via entre as quadras 911/711 Sul, próximo ao Hospital Naval, precisou ser interditada após a queda de uma árvore. Desde às 6h16, o Corpo de Bombeiros atua para a desobstrução da pista.

Chuva atinge Distrito Federal nesta quinta-feira (19) — Foto: TV Globo/Reprodução

Chuva atinge Distrito Federal nesta quinta-feira (19) — Foto: TV Globo/Reprodução

Além disso, os militares registraram um acidente de trânsito na BR-020, próximo à Embrapa, em Planaltina. Segundo informações preliminares dos bombeiros, um caminhão tombou no local.

Outro acidente de trânsito foi registrado na Estrada Parque Taguatinga (EPTG), sentido Plano Piloto. Entretanto, o Corpo de Bombeiros não passou detalhes sobre o caso. Por volta das 8h, o trânsito na via seguia intenso.

Em Vicente Pires, um muro desabou próximo à um prédio comercial e residencial (veja imagem abaixo). O caso aconteceu na rua 12. De acordo com testemunhas, a estrutura desmoronou devido às chuvas, por volta das 6h desta quinta.

Muro desabada em Vicente Pires, no DF, após chuvas — Foto: Reprodução

Muro desabada em Vicente Pires, no DF, após chuvas — Foto: Reprodução

Apesar da chuva intensa pela manhã, de acordo com a Inframérica concessionária que administra o Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek – não houve impacto na operação do terminal, e pousos e decolagens ocorrem normalmente.

Previsão do tempo

Segundo a meteorologista Andrea Ramos, as chuvas na capital são provocadas por uma zona de convergência de umidade que vem da Amazônia, além de uma frente fria que chega da parte litorânea da região Sudeste do país.

“Essas chuvas pegam o centro do país e atingem regiões como Mato Grosso, Goiás, Tocantins Brasília e parte de Minas Gerais”, explicou Andrea. A especialista afirma que ainda há uma zona de convergência das águas do Atlântico Sul, o que provoca nebulosidade e chuvas.

Distrito Federal amanhece com chuva nesta quinta-feira (19) — Foto: TV Globo/Reprodução

Distrito Federal amanhece com chuva nesta quinta-feira (19) — Foto: TV Globo/Reprodução.

Durante a semana, o tempo instável deve continuar no Distrito Federal. Segundo o Inmet, o céu deve permanecer nublado, com nuvens e pancadas de chuvas e trovoadas isoladas.

Nesta madrugada, os termômetros registraram 18°C e podem chegar aos 27°C ao longo do dia. Apesar do tempo não estar frio, a meteorologista alerta que o quadro pode mudar nos próximos dias.

“Um ciclone no mar da região sul do Brasil está se deslocando para o Sudeste, o que pode impactar na temperatura do DF, fazendo que o tempo fique frio”, disse. Além disso, a umidade relativa do ar deve se manter alta e ficar em até 100% durante o período chuvoso.

Acumulado de chuva

Andrea Ramos explica que a média histórica de chuva no mês de novembro é de 226,9 milímetros (mm). Até o momento, as cinco estações meteorológicas da capital registraram, em média, 127,24 milímetros. Confira:

  • Sudoeste: 185,6 mm
  • Águas Emendadas (Planaltina): 153,2 mm
  • Brazlândia: 109,4 mm
  • Paranoá: 98 mm
  • Gama: 91 mm

O Distrito Federal está em estado de alerta para chuvas intensas desde segunda-feira (16). Segundo o Inmet, durante o período, os ventos podem chegar a 100 km/h.

Além disso, há riscos de corte de energia elétrica, queda de árvores, alagamentos e descargas elétricas.

Confira a classificação dos alertas de chuvas intensas do Inmet:

  • Amarelo: ventos entre 40 km/h e 60 km/h
  • Laranja: ventos entre 60 km/h e 100 km/h
  • Vermelho: ventos acima de 100 km/ha

Orientações da Defesa Civil para período de chuvas intensas:

  • Em situações de emergência, o Corpo de Bombeiros deve ser acionado pelo telefone 193;
  • Caso ocorra destelhamento da residência, a orientação é permanecer dentro da casa e procurar abrigo, como uma mesa ou cama;
  • Não segurar objetos metálicos longos, como varas de pesca e tripés, além de não empinar pipas ou aeromodelos com fio;
  • Evita lugares que ofereçam pouca ou nenhuma proteção contra raios, como celeiros, tendas ou barracos, e veículos sem capota, como tratores motocicletas ou bicicletas. Espaços abertos, como campos de futebol e estacionamentos também não são indicados;
  • Não entrar em piscinas ou lagos. Em rios e cachoeiras, o problema é agravado pela possibilidade de tromba d’água;
  • Se for motorista, não passa por locais alagados.

 

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Aconteceu

Alcoolizada e no celular, motorista bate o carro e quase atropela pedestres

Publicado

dia

Por

A jovem de 26 anos estava em um estacionamento em frente à Feira de Ceilândia quando acelerou bruscamente. Aos policiais ela disse que discutia com o ex-marido por telefone

(crédito: Divulgação/PMDF)

Quem passava pela Feira de Ceilândia na noite de segunda-feira (30/11) por pouco não testemunhou uma tragédia. Uma mulher embriagada acabou detida após acelerar o veículo bruscamente em direção a várias pessoas que estavam em um estacionamento, e colidir contra outros dois carros.

Quando a Polícia Militar chegou ao local, a jovem negou ter ingerido bebida alcoólica. O teste do bafômetro, porém, constatou 0,75 mg de álcool por litro de ar expelido, índice considerado crime.

A jovem foi encaminhada à 15ª Delegacia de Polícia (Ceilândia Centro), onde acabou presa e autuada em flagrante delito por embriaguez ao volante. A motorista disse que estava discutindo com o ex-marido pelo telefone e acabou acelerando e perdendo o controle da direção. Ela foi liberada após pagar fiança de R$1.050,00.

A motorista disse que estava discutindo com o ex-marido pelo telefone e acabou acelerando e perdendo o controle da direção.

Ver mais

Aconteceu

Homem é preso com arma, cocaína e balança de precisão em Águas Claras

Publicado

dia

Por

O homem foi detido após a PM receber denúncia anônima de tráfico de entorpecentes

(crédito: Divulgação/PMDF)

A Polícia Militar prendeu um homem suspeito de tráfico de substância entorpecente em Águas Claras. O detido foi encontrado após patrulhamento do Grupo Tático Operacional (GTOP 37) na área. Com ele, os militares acharam arma, munições, drogas e balança de precisão.

O caso aconteceu por volta das 18h da última segunda-feira (30/11). A PM recebeu informações de um possível tráfico no local e começou uma patrulha para localizar o suspeito. O homem foi encontrado com uma mochila e abordado.

Ele estava portando um revólver calibre .22, com sete cartuchos, e guardava na bolsa mais 14 balas, uma balança de precisão e três porções de cocaína. A polícia conduziu o homem à 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul) para registro da ocorrência.

Ver mais

Aconteceu

Princípio de incêndio na Rodoviária do Plano Piloto mobiliza Corpo de Bombeiros

Publicado

dia

Por

Militares usaram extintor para apagar chamas em lanchonete, na madrugada desta terça-feira (1º). Fogo começou após superaquecimento de fritadeira elétrica; não houve feridos.

Incêndio atingiu lanchonete da Rodoviária do Plano Piloto, no DF — Foto: TV Globo/Reprodução

Um princípio de incêndio atingiu uma lanchonete da Rodoviária do Plano Piloto, na madrugada desta terça-feira (1º), no Distrito Federal. Segundo o Corpo de Bombeiros, uma fritadeira elétrica superaqueceu e, ao queimar o óleo – que é de fácil combustão – provocou as chamas.

De acordo com os militares, não houve feridos. Os bombeiros usaram um extintor do local para conter o fogo. Em seguida, dispersaram a fumaça e fizeram o resfriamento do material.

Após o episódio, equipes de segurança do terminal ficaram responsáveis pela ocorrência. Além disso, a perícia de incêndio da corporação foi acionada para avaliar o estabelecimento, que fica no mezanino da rodoviária.

Uma fritadeira elétrica superaqueceu na Rodoviária do Plano Piloto, no DF, e provocou incêndio — Foto: TV Globo/Reprodução

Uma fritadeira elétrica superaqueceu na Rodoviária do Plano Piloto, no DF, e provocou incêndio — Foto: TV Globo/Reprodução

Ao todo, seis veículos do Corpo de Bombeiros e 24 militares participaram da ocorrência. Devido ao horário, não houve impactos na rotina do terminal.

Ver mais

Aconteceu

Jovem de 25 anos é morto a tiros em Taguatinga, no DF

Publicado

dia

Por

Suspeito chegou em carro e atirou contra vítima, que morreu no local. Crime é investigado como homicídio.

fachada da 17ª Delegacia de Polícia, em Taguatinga — Foto: Google/Reprodução

Um jovem de 25 anos foi morto a tiros, na noite deste domingo (29), em Taguatinga, no Distrito Federal. Segundo a investigação, um homem armado chegou em um carro, desceu em um veículo e atirou contra a vítima, que morreu no local.

O crime ocorreu por volta das 20h, na QNH 10. A Polícia Militar foi chamada e isolou a área. De acordo com o boletim de ocorrência, “havia várias cápsulas de arma de fogo deflagradas”.

O nome da vítima e a motivação do crime não foram divulgadas. O caso é investigado pela 17ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Norte) como homicídio.

Até a publicação desta reportagem, a Polícia Civil tentava identificar o suspeito. Ele estava acompanhado de um comparsa, que dirigia o carro. Os dois fugiram logo após o crime.

Ver mais

Aconteceu

Suspeito de roubo no DF bate em carro durante fuga e, no hospital, testa positivo para Covid-19

Publicado

dia

Por

Dupla assaltava paradas de ônibus quando foi abordada por policiais. Caso aconteceu em Santa Maria, na madrugada desta sexta-feira (27).

Suspeito de roubo bateu em carro durante fuga, no DF — Foto: PMDF/Divulgação

Policiais militares prenderam, na madrugada desta sexta-feira (27), dois homens suspeitos de roubar paradas de ônibus em Santa Maria, no Distrito Federal. Os criminosos tentaram fugir mas se envolveram em um acidente e ficaram feridos. No hospital, um deles testou positivo para a Covid-19.

De acordo com informações da PM, testemunhas abordaram uma equipe da corporação e informaram sobre um assalto em andamento na região. Os militares foram ao local e viram dois homens em uma motocicleta, cometendo o crime.

Ao serem abordados pelos policiais, os criminosos tentaram fugir. Porém, o suspeito que conduzia a motocicleta bateu em um carro e foi arrastado pelo veículo. Inconsciente e com várias lesões, ele foi atendido pelo Corpo de Bombeiros e levado ao Hospital Regional de Santa Maria (HRSM).

Na unidade de saúde, o suspeito testou positivo para o novo coronavírus e foi levado para área de isolamento, onde ficou sob escolta da Polícia Civil. O outro homem investigado foi levado à 20ª Delegacia de Polícia, no Gama.

O motorista do veículo foi apresentado como testemunha e para registro do acidente de trânsito.

Queda nos casos de violência

De acordo com um levantamento divulgado pela Secretaria de Segurança Pública do DF, entre janeiro e outubro deste ano, os homicídios tiveram redução de 6,78% na capital em comparação com 2019, passando de 339 para 316 casos.

Em contrapartida, a quantidade de latrocínios – roubo seguido de morte – cresceu. Nos dez primeiros meses do ano passado, o DF teve 21 latrocínios. Em 2020, o número de crimes dessa natureza passou para 24, ou seja, houve aumento de 14,2%.

Os casos de lesão corporal seguida de morte também apresentaram queda. No ano passado, foram quatro vítimas desse crime e, em 2020, três: uma redução de 25%.

De acordo com a SSP, esses delitos fazem parte dos Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI). A pasta informa que, ao todo, em outubro, foram 36 vítimas relacionadas a esse tipo de ocorrência, o menor número no mesmo mês dos últimos 21 anos.

Ver mais

Aconteceu

Após mãe e companheira que esquartejaram menino serem condenadas a 129 anos, avô de Rhuan desabafa: ‘Foi feita Justiça’

Publicado

dia

Por

Mãe do garoto foi sentenciada a 65 anos de prisão e a companheira dela pegou 64 anos. Corpo de Rhuan Maycon foi achado dentro de mala no Distrito Federal no ano passado. Avô diz que lembra do neto todos os dias e que não perdoa o que a dupla fez com a criança.

‘Feita Justiça’, diz avô após mãe e companheira que esquartejaram menino serem condenadas a 129 anos — Foto: Arquivo da família.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Após mais de um ano e cinco meses, a espera por Justiça pela morte brutal do neto chegou ao fim. É o que diz o senhor Francisco das Chagas, mais conhecido como Chaguinha, avô do menino Rhuan Maycon, de 9 anos, que foi assassinado em 2019.

O Tribunal do Júri de Samambaia, no Distrito Federal, condenou Rosana Auri da Silva Cândido e Kacyla Priscyla Santiago Damasceno Pessoa pelo assassinato da criança. O julgamento ocorreu nessa quarta-feira (25).

O corpo da criança foi encontrado na madrugada do dia 1º junho do ano passado, esquartejado, dentro de uma mala (veja mais abaixo). A dupla foi sentenciada pelos crimes de homicídio qualificado, lesão corporal gravíssima, tortura, ocultação e destruição de cadáver e fraude processual.

As penas foram fixadas em:

  • Rosana Auri da Silva Cândido, mãe do menino: 65 anos de reclusão e 8 meses e 10 dias de detenção
  • Kacyla Priscyla Santiago Damasceno Pessoa, companheira de Rosana: 64 anos de reclusão, além de 8 meses e 10 dias de detenção

Mesmo de longe, o avô do menino conta que acompanhou o julgamento das duas e que ficou satisfeito com o resultado do júri. Para ele, nada vai trazer a alegria de ter o neto em seus braços novamente, mas o fato de as duas acusadas pagarem pelo que fizeram ao menino já conforta o coração.“Para mim, ficou bom, achei que foi justo, apesar de que elas não vão passar esse tempo todo na cadeia. Foi feita Justiça, graças a Deus, tem gente que mata e pega menos tempo que isso. Hoje está como se tivesse acontecido agora esse crime, porque voltou tudo de novo, relembrei tudo, as pessoas ficam ligando para saber. É muito difícil, lembro dele todos os dias da minha vida e nunca vou esquecer. Mas, Deus dá o conforto pra gente seguir”, disse Chaguinha.

Questionado se tinha alguma chance de perdoar as duas mulheres, o avô do menino foi enfático: “Quem perdoa é Deus, eu não tenho esse poder. O que ela fez com meu neto destruiu toda família, a mais afetada, sem dúvida, deve ser ela [mãe de Rhuan].”

Mãe e companheira que esquartejaram menino foram condenadas a 129 anos de prisão — Foto: Divulgação PC/DF

Mãe e companheira que esquartejaram menino foram condenadas a 129 anos de prisão — Foto: Divulgação PC/DF

Julgamento

Segundo informações divulgadas pelo Ministério Público do DF (MPDFT), “durante o julgamento, Kácyla ficou em silêncio e assumiu a execução de todos os crimes, afirmando não haver nenhuma participação da companheira”.

No entanto, os jurados acataram na íntegra a denúncia do MP. Para o júri, as acusadas premeditaram o assassinato.

De acordo com a acusação, a dupla planejou como executar e destruir o corpo da criança. Na noite do crime, diz o MP, Rosana e Kacyla esperaram Rhuan dormir para cumprir o plano. A denúncia afirma que a mãe desferiu o primeiro golpe no peito da criança, que acordou com o ataque.

Já Kacyla teria segurado o menino para que a companheira desferisse os outros golpes. Segundo o Ministério Público, por fim, a mãe decepou a cabeça do filho ainda com vida.

A denúncia diz ainda que, após o assassinato, a dupla esquartejou, perfurou os olhos e dissecou a pele do rosto do menino. De acordo com o MP, as acusadas também tentaram incinerar partes do corpo em uma churrasqueira com o intuito de destruir o cadáver e dificultar o seu reconhecimento.

Como o plano inicial não deu certo, elas colocaram partes do cadáver em uma mala e duas mochilas. Rosana jogou a mala em um bueiro próximo à residência onde ocorreu o crime. Em seguida, moradores da região desconfiaram da atitude da mulher e acionaram a polícia.

Prisão

A mãe, Rosana Cândido, e a companheira dela, Kacyla Pryscila, foram presas na casa onde moravam com a criança e ainda com a filha de Kacyla, uma menina de 8 anos.

Em depoimento à polícia, Rosana contou que”sentia ódio e nenhum amor pela criança”. Segundo o Ministério Público do DF, a mãe de Rhuan arquitetou o crime por odiar a família do pai dele.

“Rosana nutria sentimento de ódio em relação à família paterna da vítima. Kacyla conhecia os motivos da companheira e aderiu a eles”, diz a denúncia.

 

Rhuan Maycon tinha quatro anos quando saiu do Acre com a mãe, segundo avô  — Foto: Arquivo da família

Rhuan Maycon tinha quatro anos quando saiu do Acre com a mãe, segundo avô — Foto: Arquivo da família

Ver mais

Hoje é

quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

Publicidade

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?