Nossa rede

Brasília

Characteristics of Dating Site

Publicado

dia

If You Read Nothing Else Today, Read This Report on Dating Site

When the website is populated with scores of individuals who are not really seniors, it can prove be tough to find the most suitable person. Specially if you’re joining the online web-site just for the relationship possibilities, a completely free on-line site will make a great deal of excellent sense. Prior to deciding to choose the kind of dating web-site to choose you should carefully look at the sort of relationship that you want to find. You ought to use the internet site for a at no cost user without a lot of problem. Otherwise, however much you like their website, drop the thinking about selecting the exact same. Once you have picked the site that you would like to join check out all the various membership and even pricing choices that are available to you. There are several singel stockholm websites which provide an ideal meet.

Keep meeting in person right up until you’ve been chatting over the internet for a short time. Online dating together with romance was become standard trend for teenagers along with children. The folks running a legitimate internet dating service have years of knowledge in the proper means to greatest use their website. Online dating should be a pleasant and enjoyable expertise. Internet dating is among the most rapidly growing regions of the web, but before going registering with as many dating sites because you can find, you have to know they’re not all created equal. Internet dating has increased rapidly from the earlier 20 decades. Somebody on the internet would like to find out what you look such as.

The website is absolutely free to use, meaning people don’t need to spend any. You only have to be aware that most sites are not going to enable you to earn contact whilst in free trial. They allow you to join for free or on a exclusive trial. You can have all you need in an online dating website. The internet dating sites aren’t responsible in the members’ choice of dating candidates or the info which is transmitted between both parties. Internet dating sites which provide distinctive varieties of membership with particular charges provide different relationship features and solutions.

The most commonly known sites have received there because of national sales strategies, and by doing a superior work in raising the variety of testimonials which they have. Another reason to search for a dating site is that you’re able to come across thousands of individuals who have precisely the same interests within you which are much better than getting together with a person who share no commonalities with you. Internet dating has plenty of success stories and when you select a great dating website and you learn how to manage the procedure, then you too have the opportunity to find love and companionship based on what you’re looking for.

Several of the general sites are very excellent. Although good dating sites do all they can to guard their associates, always use your very own good good sense with each decision you earn. The very first thing that https://datingapps2019.com/women-seeking-men-in-monterey-4/ you ought to remember in naming your own internet dating website is that the name should reflect what you desire the site to get about.

Clique para comentar

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Política BSB

Prazo para adesão ao Refis vai até dia 31; saiba como fazer

Publicado

dia

Por

Aprovada pela Câmara Legislativa, prorrogação foi publicada no Diário Oficial na segunda. Interessados devem se cadastrar no site da Receita do DF até o fim deste mês. Dinheiro arrecadado vai para diversas áreas, inclusive para o combate à covid-19

(crédito: Joel Rodrigues/Agência Brasília)

O prazo de adesão ao Programa de Incentivo à Regularização Fiscal (Refis-DF 2020) foi prorrogado até o próximo dia 31. A ampliação do período foi aprovada em forma de projeto de lei complementar pela Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) na semana passada e publicada no Diário Oficial do DF na segunda-feira (1º/3). A medida vale para quem solicitou a inclusão no programa, mas não conseguiu finalizar. A lei ainda abre espaço para que devedores inscritos possam pedir nova adesão ao programa.

Pessoas físicas e jurídicas poderão realizar, de forma digital, os processos de inclusão, simulação de valores e condições, negociações e pagamentos das dívidas do Refis. Esses procedimentos são feitos pelo Portal de Serviços da Receita do DF (www.receita.fazenda.df.gov.br). No caso de pessoas jurídicas, o cadastro deverá ser feito mediante certificação digital. Já para as pessoas físicas, há a opção tanto de certificação digital quanto de login e senha.

Em relação às pessoas físicas, também é possível acessar o sistema com o cadastro único do governo federal (www.gov.br). A nova senha dá acesso a serviços integrados entre a União e o Governo do Distrito Federal (GDF) — entre eles, o Refis —, e equivale a uma certificação digital para pessoas físicas. Com a senha, basta acessar o site da Receita do DF, clicar no link do Refis-DF 2020 e optar pelo acesso via gov.br.

Parcelamento

A adesão ao Refis será, novamente, formalizada com o pagamento da dívida à vista ou da primeira parcela, quando a opção for o parcelamento. Após o primeiro pagamento, o contribuinte pode retirar certidão positiva com efeito de negativa, desde que não haja outros débitos em atraso atribuídos ao mesmo CPF ou CNPJ. Sem certidões negativas da Receita do DF, ou positivas com efeito de negativas, instituições financeiras não liberam crédito às empresas, que também ficam impedidas de participar de licitações.

Nos casos de parcelamento, o valor de cada parcela não poderá ser inferior a R$ 400, quando se tratar de débito de pessoa jurídica, e a R$ 100, quando for débito de pessoa física.

Distribuição

Em nota, a Secretaria de Economia do DF explicou que, diante da crise sanitária do novo coronavírus, parte do dinheiro obtido com o Refis 2020 será destinado ao combate à covid-19. Porém outras áreas também serão contempladas.

“Obviamente, nossa prioridade neste momento é o combate à pandemia, mas mesmo a luta contra a covid-19 envolve a destinação de recursos para outras áreas, como a social e a econômica. As necessidades públicas são ilimitadas, e o GDF trabalha em várias frentes para não desassistir nenhuma delas. Por isso, precisamos contemplar, com os recursos do Refis, a assistência social, segurança pública, educação e ainda a infraestrutura, como forma de fomentar o desenvolvimento da nossa economia e manter a geração de empregos”, esclareceu a pasta.

Entre 16 de novembro e 16 de dezembro de 2020, o Refis alcançou a expressiva marca de R$ 2,672 bilhões de débitos renegociados. A expectativa inicial de arrecadação era de R$ 500 milhões, meta que foi batida em apenas 11 dias.

Ver mais

Política BSB

Em 24 horas, três senadores anunciam que testaram positivo para Covid-19

Publicado

dia

Por

Lasier Martins (Podemos-RS), Major Olímpio (PSL-SP) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE) participaram de uma reunião do grupo parlamentar ‘Muda Senado’ na semana passada. Congresso voltou a funcionar remotamente.

Senadores Alessandro Vieira, Major Olímpio, Eduardo Girão, Soraya Thronicke e Lasier Martins, em reunião no dia 23 de fevereiro. — Foto: Reprodução/Twitter

Em 24 horas, de segunda (1º) para terça-feira (2), três senadores anunciaram que testaram positivo para a Covid-19. Lasier Martins (Podemos-RS), Major Olímpio (PSL-SP) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE) haviam participado de uma reunião do grupo Muda Senado uma semana antes.

O Distrito Federal registra um aumento no número de casos da Covid-19. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) anunciou que a Casa passará a ter sessões remotas a partir desta quinta-feira (4). Na tentativa de conter o avanço da doença, o governador Ibaneis Rocha (MDB) publicou um decreto que permite apenas o funcionamento de serviços essenciais.

Os três senadores diagnosticados com a Covid-19 disseram que estão isolados e se recuperam em casa. Os senadores Alessandro Vieira e Major Olímpio relataram que apresentam sintomas leves da doença.

Casos na Câmara dos Deputados

A assessoria de imprensa da Câmara dos Deputados informou nesta terça-feira (2) que o número de deputados e funcionários da Casa diagnosticados com Covid-19 quase dobrou na comparação entre os meses de janeiro e fevereiro deste ano.

Em fevereiro, segundo a Câmara, foram registrados 105 casos da doença. Em janeiro, 58. Em dezembro do ano passado, a Câmara registrou 72 contaminações por Covid-19.

Segundo a assessoria da Câmara, não é possível afirmar se as contaminações ocorreram dentro ou fora da Casa.

Em fevereiro deste ano, a Câmara aprovou um projeto de resolução que prevê um sistema híbrido de votações, com a possibilidade de participação presencial e remota dos parlamentares. Além disso, está permitido o retorno do trabalho nas comissões, paradas desde março do ano passado.

Aglomeração na Câmara

Na semana passada, visitantes que tentaram acesso ao Anexo IV da Câmara dos Deputados, em Brasília, se aglomeraram em uma fila extensa.

De acordo com pessoas ouvidas ,disseram que chegara a aguardar quase duas horas na fila para poder entrar e que o problema tem sido recorrente nesse início de ano legislativo.

Apesar de usarem máscaras de proteção, os visitantes não respeitavam as medidas de distanciamento.

Fila sem distanciamento no anexo IV da Câmara dos Deputados  — Foto: Câmara dos Deputados/Divulgação

Fila sem distanciamento no anexo IV da Câmara dos Deputados — Foto: Câmara dos Deputados/Divulgação.

Na ocasião, a Câmara dos Deputados disse, em nota, que as filas “estão relacionadas a uma demanda excepcional e não prevista dos prefeitos. Não têm, portanto, relação com o retorno gradual do trabalho presencial dos funcionários e servidores da Casa, que possuem identificações funcionais específicas e não precisam passar por controles de acesso”.

Covid-19 no Brasil

Um ano após o primeiro caso de Covid-19, o Brasil vive momento crítico, com 257.562 óbitos. O país registrou 1.726 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas – recorde desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias chegou a 1.274.

Já o balanço da vacinação registra que 7.106.147 pessoas já receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19, segundo dados divulgados até as 20h. O número representa 3,36% da população brasileira.

A segunda dose já foi aplicada em 2.166.982 pessoas (1,02% da população do país) em todos os estados e no Distrito Federal. No total, 9.273.129 doses foram aplicadas em todo o país.

Ver mais

Política BSB

PEC que viabiliza novo auxílio emergencial pode ser votada nesta quarta

Publicado

dia

Por

Para facilitar aprovação, relator retirou do projeto trecho que previa o fim dos gastos mínimos com educação e saúde

Plenário do Senado (Adriano Machado/Reuters)

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), marcou para esta quarta-feira, 3, a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que viabiliza o pagamento de uma nova rodada do auxílio emergencial. Para facilitar a aprovação, o senador Marcio Bittar (MDB-AC), relator da matéria, apresentou uma nova versão do parecer nesta terça-feira, 2, sem o trecho que acabava com os gastos mínimos obrigatórios para educação e saúde, ponto mais polêmico da proposta.

Bittar também retirou do texto a parte que acabava com o repasse de 28% do PIS/Pasep para o financiamento de programas de desenvolvimento econômico por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A intenção inicial era retirar essas transferências da Constituição, mas, após pressão de parlamentares, o relator voltou atrás, por entender que o assunto poderia “criar um óbice” e atrasar a tramitação da PEC.

Mesmo assim, a votação pode atrasar. Parte dos senadores insiste para que o plenário só vote nesta quarta-feira a parte do texto que permite a liberação do auxílio. As contrapartidas fiscais previstas na PEC ficariam para outra discussão. A pressão por uma tramitação mais simples aumentou nos últimos dias, diante dos recordes de casos de covid-19 e do endurecimento de medidas restritivas, que tornam ainda mais urgente a retomada do auxílio emergencial.

Para ser aprovada, a PEC precisa de pelo menos 49 votos favoráveis no Senado, o equivalente a três quintos dos 81 senadores, em duas rodadas de votação. Na Câmara, por onde o texto passará em seguida, o esquema é o mesmo: é preciso o apoio de 308 deputados, três quintos dos 513, em dois turnos. Segundo o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), a matéria será votada direto no plenário, sem passar por comissões.

“A maioria dos líderes da Câmara dos Deputados manifestou apoio à tramitação especial — direto em plenário — da PEC Emergencial, como forma de garantir o pagamento do auxílio emergencial já em março”, disse Lira, nesta terça-feira. A proposta viabiliza o pagamento do benefício sem respeito ao teto de gastos ou à regra de ouro, mas exige, em troca, uma série de contrapartidas que sinalizem comprometimento com a economia.

Gatilhos

Apesar de ter retirado a parte da desvinculação do Orçamento, Bittar manteve os dispositivos que podem gerar economia nos próximos anos, como o congelamento de salários de servidores públicos. O texto prevê gatilhos que deverão ser acionados se, no período de 12 meses, as despesas correntes da União corresponderem a mais de 95% das receitas correntes.

Nesses casos, o governo não poderá conceder reajustes salariais a servidores públicos, nem fazer novas contratações — inclusive por concursos públicos, que ficam permitidos apenas para preencher vagas já abertas. Se a PEC for aprovada sem mudanças, os salários do funcionalismo, já congelados até 31 de dezembro de 2021, ficarão sem reajustes por mais dois anos após o fim da calamidade pública.

Além disso, mudanças na estrutura de carreira que resultem em aumento de despesa ficam proibidas. O governo também suspenderá a criação ou o aumento de auxílios, vantagens, bônus ou outros benefícios, inclusive de cunho indenizatório. Em estados e municípios, os gatilhos poderão ser acionados pelos governadores e prefeitos quando a relação entre despesas e receitas correntes chegar a 85%. A decisão terá que ser aprovada pelo Legislativo.

Entre as medidas que podem ser adotadas em casos emergenciais, está ainda a vedação de criar ou expandir programas e linhas de financiamento e de renegociação de dívidas que aumentem as despesas com subsídios e subvenções.

 

Ver mais

Política BSB

Doria e Covas negociam 45 milhões de doses de Johnson, Pfizer e Sputnik

Publicado

dia

Por

Estados e municípios correm para negociar por conta própria vacinas contra a covid-19 após autorização de STF e Congresso

Vacinação de idosos contra a covid-19, em um posto de atendimento em formato drive-thru montado no Estádio do Morumbi, na zona sul da capital paulista. (MISTER SHADOW/ASI/Estadão Conteúdo)

Um dia após o Brasil bater novo recorde, com 1.726 mortes pela covid-19, estados e municípios aceleram a busca de vacinas por conta própria. Há uma semana, o Supremo Tribunal Federal autorizou que governadores e prefeitos comprem e distribuam vacinas por conta própria, caso o governo federal descumpra o Plano Nacional de Imunização.

Até agora, 7,1 milhão de brasileiros tomaram a primeira dose da vacina, e 2,16 milhões tomaram a segunda, segundo levantamento de um consórcio de veículos de imprensa. O número representa 3,36% da população brasileira. Novos lotes estão previstos, mas em ritmo lento.

Na quarta-feira o Instituto Butantan vai entregar 900.000 doses da Coronavac para o Ministério da Saúde. Outro lote de 14 milhões de doses já está vendido ao ministério. Uma leva de até 12 milhões de doses da AstraZeneca está em fabricação pela Fiocruz, no Rio. O consórcio de vacinas Covax Facility, da OMS, anunciou ontem que o Brasil deve receber 9,1 milhões de doses.

Mas estados e municípios querem mais agilidade, num momento em que todas as regiões do país veem piora nas internações. UTIs das capitais têm mais de 90% de ocupação. Ontem, governadores se reuniram em Brasília com o presidente da Câmara, Arthur Lira, para se movimentar pela compra de mais vacinas. A Câmara aprovou um texto, já votado no senado, que permite a compra de vacinas desde doadas integralmente ao Sistema Único de Saúde. O Fórum Nacional de Governadores negocia a compra de até 50 milhões de doses da vacina russa Sputnik V.

Em paralelo, governadores e prefeitos agem por conta própria. O secretário municipal de Saúde de São Paulo revelou na manhã desta quarta-feira à GloboNews que o município negocia a compra de 5 milhões de doses da vacina da Johnson e Johnson. O imunizante tem a vantagem de precisar de apenas uma dose, e está em fase final de aprovação pela Anvisa. Além disso, a capital paulista negocia a compra de doses da vacina da Pfizer.

Nesta terça-feira o governador de São Paulo afirmou que o estado pretende comprar 20 milhões de doses da vacina da Pfizer e outras 20 milhões de doses da Sputnik V. A Pfizer havia oferecido 100 milhões de doses de vacina ao governo federal, mas a equipe de Jair Bolsonaro não fechou acordo.

 

 

 

Ver mais

Política BSB

‘Não adianta você querer impor algo nacional’, diz Mourão sobre pedido de toque de recolher feito por secretários

Publicado

dia

Por

Vice-presidente defende vacinação e conscientização para reduzir casos de Covid-19 no país. Conass divulgou carta nesta segunda (1º) sugerindo medidas para evitar caos na rede pública e privada.

(crédito: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta terça-feira (2) que ‘não adianta querer impor’ medidas nacionais para restringir a circulação de pessoas e tentar reduzir os casos de Covid-19. Segundo ele, a solução é acelerar a vacinação e realizar de campanhas de conscientização da população.

Mourão fez o comentário após ter sido questionado a respeito da carta escrita pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) que sugeriu medidas urgentes contra o iminente colapso das redes pública e privada de saúde diante do aumento dos casos de Covid-19. Entre as sugestões está um toque de recolher nacional das 20h até as 6h da manhã.

“Cada população tem sua característica, se você analisar o país são cinco países diferentes em um só, o Norte é uma coisa, Nordeste é outra, etc e tal. Então, não adianta você querer impor algo nacional. E aí como é que você vai fazer isso para valer? A imposição? Nós não somos ditadura. Ditadura é fácil, sai dando bangornada em todo mundo”, afirmou ele em entrevista ao chegar ao Palácio do Planalto nesta terça (2).

Para Mourão, a população “cansou” das medidas de restrição e os brasileiros não gostam de ficar em suas residências, preferem sair à rua. O vice-presidente considera que o caminho para redução dos casos da Covid-19 seria realizar uma campanha de conscientização e acelerar a vacinação.

“Acho que tem que haver uma campanha em todos os níveis de conscientização da população. Acho também que tinham que ter alguma atitude em relação ao transporte urbano, acho que nenhum gestor se preocupou muito com isso aí. É por aí. E conseguir acelerar as vacinas. Acelerando as vacinas a coisa anda de forma boa”, afirmou.

Carta do Conass

A carta escrita pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) foi entregue na segunda-feira (1º). No documento, a entidade diz que o Brasil vive o pior momento da pandemia e divulgou medidas que deveriam ser adotadas no país. Em resumo, o Conass afirmou que:

  1. Brasil vive pior momento da pandemia, com patamares altos em todas as regiões.
  2. Falta condução nacional unificada e coerente da reação à pandemia.
  3. É preciso proibir eventos presenciais, inclusive atividades religiosas.
  4. É preciso suspender aulas presenciais em todo o país.
  5. É preciso adotar toque de recolher nacional; fechar bares e praias.
  6. É preciso ampliar testagem e acompanhamento dos infectados.
  7. Deve-se criar um Plano Nacional de Comunicação para esclarecer a população da gravidade da situação.

Situação no país

Um ano após o primeiro caso de Covid-19, o Brasil vive momento crítico, com 255,8 mil óbitos. Segundo consórcio de imprensa, na segunda-feira (1°) a média móvel de mortes nos últimos 7 dias chegou a 1.223, o quinto recorde batido nos últimos seis dias.

Já o balanço da vacinação registra 6,7 milhões de pessoas que receberam a primeira dose (3,2% da população brasileira).A segunda dose já foi aplicada em 2 milhões de pessoas (0,95% da população).

Ver mais

Política BSB

Após decreto, MPDFT pede retorno das aulas presenciais na rede pública

Publicado

dia

Por

A Promotoria de Justiça de Defesa da Educação (Proeduc) sugeriu que o retorno das aulas presenciais na rede pública seja feito de forma escalonada. Estudantes de 0 a 17 anos seria assistidos pela possível decisão

O órgão acredita que a volta às aulas presencial é necessária após um ano de escolas fechadas – (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A Press )

Nesta terça-feira (2/3), o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), por meio da Promotoria de Justiça de Defesa da Educação (Proeduc), anunciou o pedido de suspensão imediata dos efeitos do Decreto nº 41.849, publicado no sábado (27/3), que impõe restrições a aulas presenciais. Além disso, pede que o Governo do Distrito Federal (GDF) dê prioridade absoluta ao retorno das atividades presenciais na rede pública de ensino e conveniada, a crianças de 0 a 3 anos e, na educação básica, obrigatória e gratuita, dos 4 aos 17 anos.

A sugestão da Promotoria é de que ocorra o retorno das aulas de forma escalonada, progressiva e facultativa aos pais e responsáveis, sendo respeitados todos os protocolos de segurança sanitária nos ambientes escolares para impedir a propagação da covid-19.

Na segunda-feira (1º/3), foi peticionada à Vara da Infância e da Juventude do DF um novo pedido de tutela de urgência contra o GDF para a retomada das aulas presenciais na rede pública de ensino. No documento, o Ministério Público defende a educação como atividade essencial e que deve ter seu retorno definido com prioridade pelo governo local, antes de outras atividades não essenciais.

No pedido, as promotoras de Justiça destacam que “o que mais chama a atenção nesse novo decreto é que, sem sequer apresentar a motivação de seus atos, de forma clara e objetiva, como exigem os princípios da motivação e da publicidade dos atos administrativos, notadamente com o enfrentamento do princípio da proteção integral das crianças e adolescentes e de que a educação é atividade essencial, o Governador do DF deixou mais uma vez crianças e adolescentes em último plano nas suas políticas públicas de enfrentamento à pandemia, autorizando o funcionamento de atividades que de longe são essenciais comparadas à educação”, diz o texto da Proeduc.

O documento foi juntado a uma ação civil pública que obteve decisão judicial favorável, em outubro de 2020, para apresentação de plano de retorno às aulas nas creches e escolas de ensino infantil, fundamental e médio da rede pública de ensino, de forma escalonada. À época, o GDF apresentou recurso, que postergou a apresentação do planejamento, depois anunciou a retomada das atividades presenciais educacionais

Para a Promotoria, após vários meses, houve tempo suficiente para a estruturação das escolas públicas para a implementação dos protocolos sanitários. Diante disso, requer a derrubada da suspensão das aulas no decreto atual, e pede que a administração da educação passe a ser entendida como atividade prioritária para o retorno.

Estudos aulas presenciais

Segundo a Proeduc, as escolas públicas do DF estão fechadas há um ano, um dos períodos mais longos em comparação a outros países, o que vai de encontro ao posicionamento de organismos internacionais de proteção da infância. As promotoras de Justiça entendem que é preciso “priorizar as políticas públicas de proteção integral, assegurando o acesso à educação a crianças e adolescentes que dependem da rede pública de ensino e estão, flagrantemente, sendo violadas em seus direitos com o fechamento prolongado e indefinido das escolas públicas”.

Além disso, no entendimento da Proeduc, o fechamento prolongado das escolas pode causar impactos negativos como prejuízos na saúde mental e na aprendizagem dos estudantes, além de evasão escolar, gravidez na adolescência, trabalho infantil, abuso sexual, violência intrafamiliar, drogadição, insegurança alimentar e agravamento da desigualdade social. “Os danos ocasionados pelo fechamento prolongado de escolas são muitas vezes irreversíveis e podem refletir por toda a vida, em especial em crianças com maior vulnerabilidade social”, destaca a Proeduc no documento.

No pedido, o Ministério Público reuniu levantamentos internacionais e estudos sobre perda de aprendizagem. Na maioria dos 21 países pesquisados pela consultoria Vozes da Educação, com o apoio da Fundação Lemann e Imaginable Futures, o retorno às aulas presenciais não impactou a tendência da curva de contaminação pelo novo coronavírus.

“Essa constatação se alinha com o estudo realizado pelo Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças, publicado em dezembro de 2020. O documento ressalta que o aumento de casos identificados na Europa a partir da abertura das escolas se deu por causa do relaxamento de outras medidas de distanciamento, mas os focos de transmissão não foram os espaços escolares. Além disso, ressalta que o fechamento das escolas deve ser utilizado como último recurso de contenção da pandemia”.

Segundo a fundadora do Vozes da Educação, Carolina Campos, responsável pela pesquisa, as análises mostram que outros locais abertos, como bares, restaurantes e comércio, influenciaram muito mais na subida da curva de casos do que nas escolas. O estudo também indica que os países que ficaram menos tempo com a educação fechada também tiveram uma reabertura de sucesso. “Entre os fatores em comum estão uma comunicação transparente com a sociedade, monitoramento dos casos de covid e uma coordenação nacional da abertura, pontos também deficientes no Brasil”, argumenta a Promotoria.

*Com informações do MPDFT

 

Ver mais

Hoje é

quinta-feira, 4 de março de 2021

Publicidade

Disponível nosso App

Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?