Nossa rede

Brasil

Brasil registra 147 mortes pela covid e quase 60 mil novos casos em 24h

Publicado

dia

No total, o Brasil tem 670.606 vítimas e 32.136.916 casos da doença

(Erlon Silva – TRI Digital/Getty Images)

O Brasil registrou 59.944 novos casos da covid-19 nesta segunda-feira, 27. A média móvel de testes positivos, que elimina distorções entre dias úteis e fim de semana, ficou em 54 4 mil, o que representa um aumento de 36% em relação à de duas semanas atrás. A última vez que o índice esteve nesse patamar foi no início de março, quando o País começava a se recuperar da alta circulação da variante Ômicron.

O País também notificou 147 novas mortes pelo coronavírus nesta segunda, enquanto a média móvel de óbitos ficou em 198, a maior desde 1º de abril, quando chegou a 207. No total, o Brasil tem 670.606 vítimas e 32.136.916 casos da doença.

São Paulo notificou sete mortes e pouco mais de 2 mil novos casos do coronavírus nas últimas 24 horas. O maior total para o período veio de Minas Gerais, que informou 49 óbitos e mais de 17 mil novos testes positivos nesta segunda-feira.

Os dados diários do Brasil são do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20h. Segundo os números do governo, 30,6 milhões de pessoas se recuperaram da doença desde o início da pandemia.

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde 8 de junho de 2020, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

O Ministério da Saúde informou que foram registrados 51,6 mil novos casos e mais 127 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas. No total, segundo a pasta, são 32.130.316 testes positivos para a doença e 670.532 óbitos. Os números são diferentes do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.

Brasil tem mais de 47% da população imunizada com a dose de reforço contra covid
O número de pessoas vacinadas com ao menos uma dose contra a covid-19 no Brasil chegou nesta segunda-feira, 27, a 179.037.699 o equivalente a 83,34% da população total. Nas últimas 24 horas 12,6 mil brasileiros receberam a primeira aplicação do imunizante, de acordo com dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa junto a secretarias de 26 Estados e Distrito Federal.

Entre os mais de 179 milhões de vacinados, 167,4 milhões completaram o esquema vacinal primário (duas doses ou vacina da Janssen), o que representa 77,92% da população total.

Nas últimas 24 horas, o País administrou 73,6 mil segundas doses e outras 2,6 vacinas de dose única.

A dose de reforço foi aplicada em 101.158.309 brasileiros, ou 47 09% da população total. Até o momento, 6,7 milhões receberam o reforço extra da quarta dose.

Somando todas as vacinas aplicadas, o Brasil administrou quase 883 mil doses nesta segunda-feira.

 

Brasil

Ciclone deve provocar chuva e ventos fortes no Sudeste e Sul; saiba mais

Publicado

dia

Por

O Inmet emitiu avisos de grande perigo para diferentes regiões do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e litoral paulista

Chuva em São Paulo: ciclone deve provocar chuva e ventos fortes no Sudeste e Sul; saiba mais (Nikada/Getty Images)

Um ciclone extratropical, que se formou na costa brasileira entre a noite desta terça-feira, 9, e a madrugada de quarta, 10, provocou quedas nas temperaturas, chuvas fortes e rajadas de ventos de até 100 km/h nos Estados do Sul e do Sudeste do País.

Por conta da mudança nas condições do tempo, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu avisos de grande perigo para diferentes regiões do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e também para as cidades do litoral paulista.

A previsão é que o ciclone se forme na costa paranaense e catarinense e de São Paulo e provoque rajadas de vento e chuvas nos três Estados ao longo da quarta-feira, sobretudo em cidades litorâneas. Minas Gerais e o Rio de Janeiro também deverão receber pancadas de chuva durante o dia, mas estão fora do radar de alerta do Inmet.

Em função da formação do ciclone, o Inmet divulgou alertas de perigo por conta de chuvas fortes e ventos costeiros de alta intensidade.

Ciclone extratropical

O que é?

O ciclone extratropical é resultado de uma confluência de ventos em direção a um centro de baixa pressão atmosférica, que está associado às chuvas e à instabilidade – a pressão atmosférica é um dos fatores que determinam as condições do tempo.

O fenômeno é comum no Brasil e tende a se deslocar pela costa gerando chuvas, ventos, altas ondas e ressaca. A sua formação, diferente dos ciclones tropicais (que são os furacões), acontece mais afastada dos trópicos – por isso o nome “extratropical”.

Na retaguarda do ciclone há um centro de alta pressão atmosférica que, por sua vez, está relacionado ao tempo estável. Ana Ávila, pesquisadora do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) da Universidade de Campinas (Unicamp) explica que quando há um desequilíbrio entre pontos de menor e maior pressão atmosférica ocorrem as rajadas de vento.

“Se há um ponto com menor pressão atmosférica e outro com maior pressão atmosférica, o vento tende a equalizar essa diferença. Então, esse ciclone extratropical vai gerar ventos fortes, de até 100 km/h, por conta desta situação”, diz a pesquisadora.

Previsão para a semana

A circulação dos ventos prévios da formação do ciclone já provocou, nesta terça, queda na temperatura e chuvas nos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, após um longo período de seca na região.

Quem mora na capital paulista também já pôde perceber os efeitos da instabilidade com a queda nas temperaturas com nuvens mais carregadas no céu.

À medida que o ciclone se afasta, as chuvas e os ventos perdem intensidade e dão lugar ao frio, que deve ser sentido a partir de quinta-feira, 11. “O declínio acentuado das temperaturas vem por conta de uma massa de ar de origem polar que vai acompanhar o ciclone e que vai invadir toda a região centro-sul do País”, explica Ana.

No Sul, a previsão do Inmet indica pequena chance de ocorrência de neve na serra de Santa Catarina e formação de geadas entre quinta e sexta-feira, 12, na serra gaúcha e nos planaltos catarinense e do Paraná. No sul do Mato Grosso e no nordeste de São Paulo, segundo o instituto, também há possibilidade remota de geada.

Chuva e vento forte

O alerta de chuvas volumosas foi direcionado para: Vale do Itajaí, Grande Florianópolis, região metropolitana de Curitiba, norte e sul de Santa Catarina, região Metropolitana de Porto Alegre, Serrana, e nordeste Rio-grandense. A previsão para essas regiões é de chuva superior a 60 mm/h ou maior que 100 mm/dia, com ventos superiores a 100 km/h.

Em relação aos ventos costeiros, o alerta se destina para as regiões metropolitana de Curitiba, no Paraná; litoral sul de São Paulo e também para Grande Florianópolis, norte e sul catarinenses, região metropolitana de Porto Alegre, Vale do Itajaí, Serrana, e nordeste Rio-grandense.

Por conta das condições do tempo, o instituto informa que há grandes riscos de “danos em edificações, corte de energia elétrica, de queda de árvores, descargas elétricas, alagamentos, enxurradas e grandes transtornos no transporte rodoviário.”

As recomendações frente a essas condições são: desligar aparelhos elétricos e quadro geral de energia; colocar documentos e objetos de valor em sacos plásticos, em caso de enxurradas; e evitar permanecer ao ar livre se for confirmada a situação de perigo.

(Estadão Conteúdo)

Ver mais

Brasil

Empresariado brasileiro quer democracia e eleições livres

Publicado

dia

Por

Pesquisa da Fundação Tide Setúbal e Instituto Sivis mostrou também que maioria está aberta a mudar a opinião que defende

(Fábio Pozzebom/Agência Brasil)

A maioria do empresariado brasileiro concorda que a democracia é a melhor forma de governo e para mantê-la é preciso garantir eleições livres. A maior parte acha aceitável haver divergência política numa sociedade e está aberta a mudar a opinião que defende se ouvir argumentos convincentes num debate com pessoas que pensam diferente. Entretanto, há uma fatia considerável insatisfeita com a atual situação da democracia no Brasil e existe uma pequena porcentagem que não se declarou contra a tortura, independentemente das circunstâncias.

Essas são algumas das conclusões de uma pesquisa da Fundação Tide Setúbal e Instituto Sivis divulgada nesta terça-feira (9), na qual foram ouvidos 417 empresários em todas as regiões do país, entre maio e julho deste ano. A pesquisa constatou também que os homens mais velhos se declaram mais interessados em política do que os mais jovens em geral e do que as mulheres. O objetivo do estudo, segundo seus coordenadores, foi revelar os aspectos da cultura política do setor empresarial, procurando caracterizar os seus principais valores, atitudes e comportamentos políticos.

Principais resultados:

GERAL

  • A imensa maioria dos empresários (91%) concorda que, apesar de ter alguns problemas, a democracia é preferível a qualquer outra forma de governo;
  • 74,1% dos empresários estão dispostos ou muito dispostos a mudar de opinião quando confrontados com argumentos convincentes em um debate com adversários políticos;
  • A imensa maioria dos empresários (98%) avalia que é importante que haja eleições livres e justas no país para que eles e seus negócios prosperem;
  • 79,6% dos entrevistados concordam totalmente ou em parte com a noção de que pessoas aprisionadas são também merecedoras de respeito e dignidade;
  • 82,5% da amostra concordou (totalmente ou em parte) que “ninguém deve ser sujeito à tortura, independentemente das circunstâncias”; 83,7% consideram “aceitável” ou “muito aceitável” a existência da divergência política;
  • “Em tempos difíceis, a mídia não deveria divulgar notícias que prejudiquem o governo ou os políticos que estiverem tentando melhorar a situação do país, mesmo que tais notícias sejam verdadeiras”. A maioria dos empresários (65,1%) discorda (em parte ou totalmente) de tal relativização;
  • 81,5% dos empresários concordam totalmente ou em parte que eles também são responsáveis por trabalhar pela solução dos problemas sociais do país.

GÊNERO

  • 89% dos empresários do sexo masculino sentem que entendem bem os assuntos políticos mais importantes do país, contra 68% das empresárias do sexo feminino;
  • 68% dos empresários do sexo masculino se dizem muito interessados por política, contra 39% das empresárias do sexo feminino;
  • A imensa maioria dos empresários (96%) julga que as mulheres devem possuir os mesmos direitos que os homens;

FAIXA ETÁRIA

  • 63,8% dos empresários idosos se consideram interessados pela política, contra 48% dos jovens;
  • 76,4% dos jovens discordam da relativização da democracia, contra 56,7% dos idosos;
  • 88% dos empresários idosos acreditam que ninguém deve ser sujeito à tortura independentemente das circunstâncias, contra 72% dos jovens;
  • 48% dos empresários idosos consideram que a meta de proteger a liberdade de expressão no país deveria ser prioritária nos próximos anos, ao passo que 41% dos jovens empresários acreditam que a meta prioritária deveria ser combater a inflação;
  • 67% dos empresários idosos estão insatisfeitos com o funcionamento da democracia no Brasil, contra 45% dos jovens empresários;

GRAU DE ESCOLARIDADE

  • 85% dos empresários com pós-graduação ou nível de escolaridade acima concordam que pessoas aprisionadas são também merecedoras de respeito e dignidade, contra 67% dos empresários com até ensino superior incompleto;
  • 75% dos empresários com pós-graduação ou nível de escolaridade acima relatam que frequentemente dialogam com pessoas com opiniões políticas opostas às deles, contra 58% dos empresários com até ensino superior incompleto;
  • Empresários mais escolarizados demonstram interesse substancialmente maior por política em comparação aos menos escolarizados – 72,7% com muito interesse entre os que têm pós-graduação ou nível de escolaridade acima, ante 59,8% entre os que têm até o ensino superior incompleto;
  • Empresários altamente escolarizados são mais propensos a rejeitar a relativização da democracia do que aqueles com menor escolaridade – 77,3% de discordância entre os empresários com pós-graduação ou nível de escolaridade acima, ante 61% entre aqueles com até ensino superior incompleto.

REGIONAL

  • 95% dos empresários da região Centro-Oeste acreditam que é importante obedecer às leis e ao governo independentemente de os políticos no poder serem aqueles nos quais votaram ou não, contra 82% dos empresários do Nordeste;
  • 90% dos empresários da região Centro-Oeste discordam de que, para pessoas como eles, tanto faz ser governado por um regime democrático ou não, contra 77% dos empresários do Norte.

O estudo envolveu 417 empresários brasileiros entre os dias 20/5 e 8/7. A amostragem utilizada seguiu a proporção de três variáveis-chave para caracterização das empresas: região do País (Sudeste, Sul, Nordeste e Centro-Oeste + Norte), setor (serviço, comércio e indústria) e tamanho (pequena, média e grande). Os resultados também podem ser recortados por gênero, faixa etária e grau de escolaridade.

Ver mais

Brasil

Inscrições para o Fies 2022 começam nesta terça-feira; veja como se inscrever

Publicado

dia

Por

Candidato tem até a próxima sexta-feira, dia 12, para fazer a solicitação

Fies: pode se inscrever o candidato que tenha participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir da edição de 2010 (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Começam nesta terça-feira, 9, as inscrições para o segundo semestre de 2022 do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). O candidato tem até a próxima sexta-feira, dia 12, para fazer a solicitação. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas, exclusivamente, pela internet.

Criado em 2001, o Fies é uma forma de o estudante financiar um curso superior da rede privada e com avaliação positiva no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), por meio do Ministério da Educação (MEC) e com taxa zero de juro.

Pode se inscrever o candidato que tenha participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir da edição de 2010 e tenha obtido média aritmética das notas nas provas igual ou superior a 450 pontos e nota superior a zero na redação.

Nesta modalidade, o aluno precisa ter renda familiar mensal bruta de até três salários-mínimos por pessoa. O financiado começará a pagar as prestações respeitando o limite de renda, fazendo com que os encargos a serem pagos diminuam consideravelmente.

Como se inscrever no Fies?

Aos interessados, o primeiro passo é acessar o sistema de seleção do Fies, informar os dados solicitados (CPF, data de nascimento e e-mail) e cadastrar uma senha. Depois é preciso se inscrever no SisFIES. O passo seguinte é validar as informações na instituição de ensino pretendida.

Para contratar o financiamento, o estudante, na companhia de eventual fiador, deve bater na porta de um agente financeiro do Fies em até dez dias e escolher o banco que intermediará o processo. Os atuais agentes financeiros à frente do programa são a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil.

Convém lembrar que não se trata de um programa de bolsas. E que os estudantes poderão se beneficiar de descontos atrelados ao pagamento com pontualidade (algumas instituições oferecem isso). Fique atento aos valores da mensalidade cobrada, pois depois de concluir o curso, você será o responsável pelo pagamento do financiamento.

Se o estudante é bolsista da instituição de ensino e atende aos requisitos para manutenção do benefício, o valor correspondente à bolsa será deduzido da mensalidade cobrada no financiamento. As inscrições no Fies são gratuitas.

Cronograma

– Inscrições: entre 9 e 12 de agosto.

– Resultado: 16 de agosto.

– Complementação de inscrições: 17 a 19 de agosto.

– Convocação da lista de espera: 22 de agosto a 22 de setembro.

Ver mais

Brasil

TSE recebe sete registros de candidatura à presidência da República; veja quem são

Publicado

dia

Por

Quatro candidados não apresentaram registro. Prazo vai até dia 15

Os registros de candidatura devem ser feitos até 15 de agosto. (EVARISTO SA/Getty Images)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu sete pedidos de registros de candidaturas à presidência da República. Os pedidos estão sendo protocolados desde a semana passada, após a aprovação dos nomes dos candidatos nas convenções partidárias.

A formalidade é necessária para que a Justiça Eleitoral possa verificar se os candidatos têm alguma restrição legal e não podem concorrer às eleições de outubro.

Os dois primeiros registros foram dos candidatos Pablo Marçal (Pros) e Sofia Manzano (PCB). Marçal indicou como vice Fátima Pérola Neggra (Pros). A chapa de Sofia terá Antonio Alves (PCB) como vice.

Em seguida, foi registrada a candidatura de Felipe D’Ávila (Novo) à Presidência da República. Como vice, foi registrado o nome de Tiago Mitraud (Novo).

Léo Péricles, do União Popular (UP), também solicitou registro no TSE. A chapa é composta pela candidata à vice, Samara Martins, do mesmo partido. Péricles, de 40 anos, técnico de mecânica, terá como vice Samara Martins, odontóloga de 34 anos. Ambos nasceram em Belo Horizonte (MG). O candidato declarou R$197,31 de patrimônio, provenientes de caderneta de poupança. Já Samara Martins declarou um total de R$3.364,55 em bens provenientes de valores em  poupança e conta corrente.

No sábado (6), foi registrada a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A chapa é composta pelo candidato à vice, Geraldo Alckmin (PSB).

O TSE também recebeu o pedido de registro de candidatura da senadora Simone Tebet (MDB-MS). A senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP) é a candidata à vice-presidência.

O último pedido foi protocolado pelo PSTU, que indicou Vera Lúcia para candidata à presidência. A candidata à vice-presidência é a indígena Raquel Tremembé (PSTU).

Oficialmente, a campanha eleitoral, quando os candidatos podem efetivamente pedir votos e divulgar seus números, começa no dia 16 de agosto. Os registros de candidatura devem ser feitos até 15 de agosto.

Para os cargos de deputado estadual, federal, distrital, senador e governador, o registro é realizado nos tribunais regionais eleitorais.

 

Ver mais

Brasil

Auxílio Caminhoneiro: pagamento do benefício de R$ 1.000 começa nesta terça-feira

Publicado

dia

Por

Neste mês, os motoristas recebem duas parcelas do benefício, ou seja, R$ 2 mil, referentes aos meses de julho e agosto

Caminhoneiros: os beneficiários podem consultar os valores pelo aplicativo Caixa Tem (Gian Masko/dpa/Getty Images)

A Caixa inicia, nesta terça-feira, 9 de agosto, o pagamento do Benefício Caminhoneiro. O auxílio é creditado em conta poupança social digital aberta automaticamente em nome do beneficiário, com movimentação pelo aplicativo Caixa Tem. De acordo com o Ministério do Trabalho, receberão nesta primeira etapa 190.861 caminhoneiros. O volume total de recursos é de aproximadamente R$ 381,8 milhões.

A medida prevê crédito mensal aos caminhoneiros de R$ 1 mil até dezembro de 2022. Neste mês, os motoristas recebem duas parcelas do benefício, ou seja, R$ 2 mil, referentes aos meses de julho e agosto. Os beneficiários podem consultar os valores pelo aplicativo Caixa Tem. É necessário digitar o CPF ou NIS.

Calendário de pagamento do Benefício Caminhoneiro

Duas primeiras parcelas de R$ 1 mil serão pagas na mesma data
Parcela Data de pagamento
1ª parcela 9 de agosto
2ª parcela 9 de agosto
3ª parcela 24 de setembro
4ª parcela 22 de outubro
5ª parcela 26 de novembro
6ª parcela 17 de dezembro

A Caixa atua como Agente Pagador do Benefício Caminhoneiro, que é gerido pelo Ministério do Trabalho e Previdência. Têm direito ao benefício os caminhoneiros cadastrados no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC) até 31 de maio de 2022, cadastro mantido pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) – Ministério da Infraestrutura, e que atendam aos demais critérios definidos na Portaria Interministerial MTP/INFRA Nº 6, de 1º de agosto de 2022.

Os caminhoneiros que tiverem dúvidas sobre o pagamento do benefício podem ligar para a Central de Atendimento Alô Trabalho, no número 158.

Pelo app Caixa Tem, é possível realizar compras em supermercados, padarias, farmácias e outros estabelecimentos com o cartão de débito virtual e QR Code, por meio de mais de nove milhões de maquininhas de cartão espalhadas por todo o Brasil. O beneficiário também pode realizar o pagamento de contas de água, luz, telefone, gás e boletos em geral pelo próprio aplicativo ou nas casas lotéricas.

Utilizando o app Caixa Tem também é possível realizar saques nas Casas Lotéricas, Correspondentes CAIXA Aqui e terminais de autoatendimento, por meio da geração de token diretamente no aplicativo.

Quem tem direito a receber o benefício

Receberão o Benefício Caminhoneiro-TAC os transportadores autônomos de carga, de acordo com o inciso I do art. 2º da Lei nº 11.442, de 5 de janeiro de 2007, devidamente cadastrados no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTR-C) até a data de 31 de maio de 2022. O benefício somente será pago a quem estiver com a situação cadastral “Ativo” no RNTR-C e com CPF regular.

Ver mais

Brasil

Eleições 2022: no debate do Rio, Castro esconde Bolsonaro e Freixo se associa a Lula

Publicado

dia

Por

Castro não citou o nome de Bolsonaro em nenhum momento, já Freixo, em mais de uma ocasião, ressaltou que tem o apoio do candidato Lula

Freixo, em mais de uma ocasião, ressaltou que tem o apoio do candidato do PT à Presidência (Band/Divulgação)

O governador do Rio, Cláudio Castro (PL), candidato à reeleição com apoio de Jair Bolsonaro (PL), evitou usar o presidente da República como cabo eleitoral no debate promovido pela Band na noite deste domingo, 7. Castro não citou o nome de Bolsonaro em nenhum momento do debate, do qual participou com Marcelo Freixo (PSB), Rodrigo Neves (PDT) e Paulo Gamine (Novo). Já Freixo, em mais de uma ocasião, ressaltou que tem o apoio do candidato do PT à Presidência, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Nas considerações finais, Freixo disse que “a democracia está ameaçada no Brasil de hoje”, agradeceu seu candidato a vice, o ex-prefeito César Maia (PSDB), e ao “presidente Lula”, com quem, segundo o candidato do PSB, iria colocar o “Brasil de pé”.

Ao longo do debate, em mais de uma ocasião, Freixo procurou associar negativamente Bolsonaro ao governo Castro. Segundo o deputado federal e candidato do PSB, o Rio foi o Estado do País que registrou mais mortes, proporcionalmente ao tamanho da população, por covid-19, “talvez pela proximidade” do governador com Bolsonaro.

Castro, por sua vez, ignorou as tentativas de associação. Em nenhum momento citou Bolsonaro nem procurou defender quaisquer políticas ou propostas do governo federal. Limitou-se a citar dados de abertura de empresas e de geração de vagas formais de emprego como indícios de recuperação do Estado do Rio.

Com o debate nacional relativamente de lado, o debate se concentrou em torno de temas como segurança pública, saúde e transportes.

O governador Castro e o deputado federal Gamine, do Novo, procuraram associar o histórico de defesa dos direitos humanos de Freixo à imagem de “defensor de bandidos”.

O candidato do PSB evitou rebater diretamente e procurou dar mais ênfase, em suas participações à necessidade de se valorizar as polícias e atuar na segurança pública com políticas de assistência social.

Num dos blocos, Neves, do PDT, e Gamine, do Novo, se uniram numa dobradinha para atacar Freixo. O deputado federal do PSB chegou a pedir direito de resposta – negado, já que a organização do debate não viu ataque pessoal nos comentários -, mas, nas participações seguintes, deixou o assunto de lado.

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade

Viu isso?