Nossa rede

Brasília

A nave Insight, que verá as entranhas de Marte, chega ao seu destino

Publicado

dia

Missão InSight da NASA aterrissa no planeta vermelho

A InSight aterrissou com sucesso em Marte para a primeira missão espacial que estudará o interior do planeta e averiguará se está completamente morto ou ainda abriga alguma atividade em suas entranhas

A espaçonave da NASA entrou na fina atmosfera marciana a 20.000 quilômetros por hora para sofrer os chamados “sete minutos de terror”, o tempo durante o qual precisou frear o suficiente para pousar na superfície de Marte à velocidade de uma pessoa andando rápido. O aparelho pesa 360 quilos, de modo que não pôde usar o sistema de airbags empregado pelos robôs Spirit e Opportunity, mais leves. A espaçonave aproveitou o atrito com os gases que envolvem Marte para baixar de velocidade aos 1.500 quilômetros por hora. Quando estava a 12 quilômetros da superfície, abriu o paraquedas. A 1.000 metros de altura, ele se soltou e entraram em funcionamento o radar e um sistema de inteligência artificial que usou seus dados para controlar a intensidade de 12 retropropulsores para realizar a última fase de frenagem aos oito quilômetros por hora. A aterrissagem, tal como estava previsto, foi registrada às 17h54 de segunda-feira, horário de Brasília, e o primeiro sinal de rádio da superfície do planeta vermelho demorou mais oito minutos até chegar à Terra.

A espaçonave entrou na fina atmosfera marciana a 20.000 quilômetros por hora

Toda a equipe da NASA comemorou o sucesso da primeira fase da missão, já que se tratava de um complexo processo de aterrissagem governado por “meio milhão de linhas de código de programação. Qualquer sistema que não funcionasse ou atrasasse poderia ter colocado a missão a perder”, disse Jorge Pla-García, astrofísico do Centro de Astrobiologia (CAB) e operador da estação meteorológica a bordo da missão, que foi fabricada na Espanha.

A InSight pousou sobre a planície de Elysium, possivelmente o local mais tedioso da superfície marciana: plano, poeirento, quase sem acidentes geográficos, mas muito seguro para a aterrissagem e ideal ao objetivo principal da missão. Quarenta dias após pousar um braço robótico depositará sobre o solo um dos dois principais instrumentos da missão: um sismômetro “cujo pêndulo é capaz de detectar movimentos de cem mil milionésima parte de um metro”, diz Pla-García. Esse instrumento será o primeiro da história capaz de detectar movimentos sísmicos – martemotos – e também impactos de meteoritos a quilômetros de distância.

Primeira imagem de Marte enviada pela InSight.

Primeira imagem de Marte enviada pela InSight. HO AFP

O segundo instrumento foi apelidado de toupeira: um percutor que penetrará até cinco metros no solo marciano deixando sensores de temperatura em seu caminho. Com esses instrumentos será possível averiguar se Marte está completamente morto do ponto de vista geológico ou ainda conserva alguma vida geológica e térmica. A missão pode esclarecer as dimensões da crosta, o manto e o núcleo do planeta, que é rochoso como a Terra. É possível que as camadas externas do núcleo feitas de ferro fundido tenham se solidificado, o que por sua vez teria enfraquecido o campo magnético e permitido que o vento solar levasse boa parte da atmosfera do planeta, reduzindo drasticamente as possibilidades de que possa existir vida na superfície.

“Sabemos que no passado existiu grande atividade vulcânica durante longos períodos de tempo, de fato Marte tem os maiores vulcões do Sistema Solar, alguns mais altos do que o Everest”, diz Alberto González-Fairén, pesquisador do CAB e da Universidade Cornell (EUA). “Por ser menor do que a Terra, o que significa uma relação entre a superfície e o volume muito maior, Marte esfriou muito mais rápido, e qualquer tipo de atividade geológica que poderia existir cessou pouco a pouco. A InSight nos dirá se ainda resta algo de energia residual e quando Marte deixou de estar ativo”, afirma.

A área de aterrissagem “é perfeita para a formação de redemoinhos e tempestades de areia”

O ponto de aterrissagem da InSight é perfeito por mais uma razão. Um dos objetivos da estação meteorológica a bordo da nave é saber em que momentos há menos vento e é possível realizar medições sísmicas mais confiáveis. “Essa região é perfeita para a formação de redemoinhos, que chegam a 40 quilômetros por hora, e tempestades, que podem chegar aos 120 quilômetros por hora, pois ao contrário da área em que está o Curiosity, dentro de uma cratera, essa é uma área totalmente desprotegida”, diz Pla-García. Após a aterrissagem de segunda-feira será a primeira vez que existirão duas estações meteorológicas em Marte (InSight e Curiosity) desde as sondas Viking dos anos 70. As duas estações foram desenvolvidas na Espanha.

Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Comentar

Brasília

Em 30 minutos, motorista é flagrado dirigindo sob efeito de álcool duas vezes no DF

Publicado

dia

Por

Homem foi multado e teve veículo retido. No fim de semana de comemoração ao 13º aniversário da Lei Seca, capital teve 301 condutores autuados.

Ação de fiscalização do Detran-DF — Foto: Detran-DF/Divulgação

Um motorista foi flagrado duas vezes dirigindo sob efeito de álcool, em um período de cerca de 30 minutos, no sábado (19), em Taguatinga, no Distrito Federal. Ao todo, neste fim de semana, em que foi comemorado o 13º aniversário da Lei Seca, 301 condutores foram autuados por embriaguez ao volante, segundo o Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF).

Na primeira abordagem, o motorista da caminhonete foi parado em uma blitz na avenida Elmo Serejo. Os agentes do Detran-DF verificaram que ele estava embriagado. Por isso, o homem foi atuado e liberado, depois que um outro condutor habilitado, que não tinha ingerido álcool, assumiu a direção do veículo.

No entanto, cerca de meia hora depois, os agentes de trânsito se depararam com o mesmo motorista na direção do veículo, enquanto faziam atendimento a um acidente de trânsito, em Taguatinga Centro.

Segundo o órgão, na segunda abordagem, o motorista foi autuado por reincidência e teve o veículo removido. De acordo com o artigo 165 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), em caso de repetição da infração, a multa é aplicada em dobro, totalizando R$ 5.869,40.

Drogas, carro roubado e placa clonada

Ainda de acordo com o levantamento do Detran-DF, as equipes de fiscalização também registraram, no fim de semana, 521 autuações por falta do uso do cinto de segurança, e 398 veículos foram multados por estacionamento irregular. Além disso, foram flagrados 371 condutores utilizando o celular ao volante e 90 dirigindo sem habilitação.

No sábado (19), um motorista tentou fugir de uma blitz no Jardim Botânico, mas acabou batendo em uma viatura do Detran-DF. Após o acidente, o homem fugiu a pé.

Drogas apreendidas em operação do Detran-DF — Foto: Detran-DF/Reprodução

Drogas apreendidas em operação do Detran-DF — Foto: Detran-DF/Reprodução.

Dentro do carro, foi encontrada uma mochila com 10 quilos de drogas, como maconha, haxixe e cocaína. Segundo o órgão, o suspeito tinha passagens por tráfico de drogas. Na mesma operação, os agentes recuperaram um veículo roubado.

Já no Recanto das Emas, junto com a Polícia Militar, os agentes do Detran-DF encontraram um carro com a placa clonada. O motorista foi preso por receptação.

Ver mais

Brasília

Vacinação contra Covid-19 para grávidas sem comorbidades começa nesta semana no DF

Publicado

dia

Por

Vacinação no DF

Dados da Secretaria de Saúde, divulgados às 20h34 deste domingo (20), mostram que o Distrito Federal tem 891.587 pessoas imunizadas com a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Isso simboliza que 29,21% da população da capital.

Em relação à segunda dose, 329.879 pessoas receberam o reforço da imunização no DF. Isso simboliza 10,81% dos habitantes.

A campanha de vacinação em Brasília começou em 19 de janeiro. O serviço começou por profissionais da saúde, depois foi expandido para idosos, indígenas e pessoas com deficiências em instituições de acolhimento. Posteriormente, a imunização foi ampliada.

Ver mais

Brasília

Novos servidores tomam posse na Secretaria de Educação

Publicado

dia

Por

São 437 profissionais da carreira assistência que vão reforçar o quadro de pessoal, principalmente nas escolas

Para evitar aglomeração, os servidores foram divididos em grupos, pela manhã e à tarde. São 220 pessoas para apoio administrativo, 97 monitores e 85 secretários escolares. Outras seis categorias também receberam novos servidores | Foto: Mary Leal/Secretaria de Educação

Dia de muita emoção para os 437 servidores da carreira assistência à educação nomeados pelo governador Ibaneis Rocha. Chegou o momento da posse na Secretaria de Educação (SEE), que está ocorrendo no decorrer desta segunda-feira (21), no auditório da Regional de Ensino do Plano Piloto. Os novos servidores estão sendo recepcionados pelo secretário executivo da pasta, Fábio Sousa, que representa o secretário Leandro Cruz, e pelo subsecretário de Gestão de Pessoas, Idalmo Santos.

“Para a secretaria, essa nomeação é muito importante devido à carência histórica que temos nessas áreas da carreira assistência. É um concurso muito antigo, de 2016, que havia convocado poucos profissionais. Agora, temos uma convocação expressiva. É um momento muito esperado por todos. Tenho certeza que esses profissionais vão fazer a diferença para as nossas escolas, para a secretaria”, afirmou Fábio Sousa.

Idalmo Santos destacou que os novos profissionais já entram com a nova Política de Qualidade de Vida, Saúde e Bem-estar, instituída pela Portaria nº 281, publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) no dia 14 passado. “São ações que envolvem a capacitação dos servidores, trazendo uma nova visão de gestão. Vamos tratar de diversos temas, no intuito de melhorar o ambiente de trabalho, entre eles, a questão do estresse e o cuidado com a saúde mental”, adiantou o subsecretário.

Emoção

Ingressante na esfera pública, Marco Aurélio Soares tem o curso técnico de secretário escolar, exercia a atividade havia quase 30 anos e espera, com sua experiência, contribuir com a educação pública. “A ficha não caiu ainda. Parece que estou vivendo um sonho, porque foi uma luta, uma espera muito longa, mas hoje chegou o dia que a gente tanto aguardava. É fantástico”, disse o novo servidor.

Alessandro Brandão, 30 anos, atuava como advogado, mas o que ele almejava mesmo era um emprego estável. Agora, será monitor escolar. “Estou muito feliz; era o meu sonho passar em um concurso, estou me sentindo realizado. É o momento mais importante da minha vida”, declarou.

Reforço nos quadros

Para evitar aglomeração, os novos servidores foram divididos em grupos, com hora marcada, pela manhã e à tarde. São 220 pessoas para apoio administrativo, 97 monitores, 85 secretários escolares, 23 na área de psicologia, dois de direito, dois de contabilidade, dois de tecnologia da informação, dois de biblioteconomia e dois de administração.

Eles estão recebendo uma cartilha que apresenta a Secretaria de Educação e traz orientações gerais sobre os direitos e deveres dos profissionais. Do mesmo concurso, haviam sido nomeados outros 251 profissionais. Na carreira magistério, desde o começo da gestão, já são 1.679 nomeações.

*Com informações da Secretaria de Educação

Ver mais

Brasília

Painel interativo permitirá acompanhar registro de feminicídios

Publicado

dia

Por

Informações poderão ser acessadas de qualquer lugar e reunirão panorama completo dos casos ocorridos desde 2015

Painel interativo permitirá o acompanhamento de análises e estudos da Câmara Técnica de Monitoramento de Homicídios e Feminicídios | Foto: Divulgação/SSP

“Muito dificilmente um feminicídio é a primeira violência sofrida. Comprovamos isso por meio dos estudos”Milton Neves, subsecretário executivo de Segurança Pública

Para mais transparência e aumento da interação com os diversos segmentos da sociedade e do governo no enfrentamento à violência contra a mulher, a Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP) lança, nesta segunda-feira (21), o Painel Interativo de Feminicídios. O material será disponibilizado por meio de tecnologia de Business Intelligence (BI), semelhante ao Painel Covid, utilizado pelo Governo do Distrito Federal para divulgação dos dados referentes à pandemia no DF. O lançamento ocorrerá no Palácio do Buriti, com transmissão ao vivo pelo Instagram da SSP, às 14h30.

O painel trará, de forma dinâmica e interativa, as análises e estudos da Câmara Técnica de Monitoramento de Homicídios e Feminicídios (CTMHF), da SSP. Haverá informações detalhadas de todos os feminicídios ocorridos no Distrito Federal desde a publicação da Lei nº 13.104, em março de 2015. O material subsidiará os gestores públicos, o sistema de justiça, acadêmicos, imprensa e população. Os dados serão atualizados sistematicamente e poderão ser acessados por meio do site da SSP, inclusive pelo celular.

“Nosso principal objetivo é envolver cada vez mais todos os segmentos da sociedade no enfrentamento a toda e qualquer violência contra mulher”, explica o secretário de Segurança Pública, delegado Júlio Danilo. “Essa é uma prioridade da gestão do governador Ibaneis Rocha e da Secretaria de Segurança Pública. O painel interativo é, sem dúvida, um avanço essencial para continuidade de implementação de políticas cada vez mais assertivas e direcionadas. Utilizar a BI é inovador, e o acesso a informações qualificadas é essencial para a elaboração de políticas públicas e para o suporte à tomada de decisão e ao monitoramento de resultados.”

“O estudo mostra que existem muitos casos de mulheres que permanecem no ciclo de violência por conta da dependência financeira de seus parceiros, e o programa busca a autonomia financeira das mulheres”Ericka Filippelli, secretária da Mulher

A iniciativa integra o programa Mulher Mais Segura, lançado em março deste ano pela SSP para coordenar iniciativas de proteção e prevenção a crimes dessa natureza. É mais uma entrega que materializa o comprometimento do governo como um todo com essa causa”, resume o titular da SSP. “São inúmeras parcerias para que vítimas de violência tenham, cada vez mais, acesso às políticas de proteção, aos mecanismos de denúncia e aos órgãos de proteção e repressão deste crime.  O painel será essencial para transparência e gestão técnica das políticas públicas”.

O secretário executivo de Segurança Pública, Milton Neves, faz um alerta: “Muito dificilmente um feminicídio é a primeira violência sofrida. Comprovamos isso por meio dos estudos que estarão disponíveis no painel e que apontam que, em cerca de 80% dos crimes ocorridos no DF desde 2015, as mulheres nem sequer tinham registrado um boletim de ocorrência contra o autor. O que impressiona é que, no decorrer da investigação, familiares, amigos e vizinhos relatam nos processos que já tinham visto ou escutado que aquela mulher tinha sido vítima de violência”.

A secretária da Mulher, Ericka Filippelli, elogia a iniciativa: “A transparência da informação, de um estudo tão aprofundado e completo como o realizado pela Secretaria de Segurança Pública, é estratégica para direcionamento de ações e mostra a preocupação do governo com a prevenção desse crime. Na Secretaria da Mulher, utilizamos o estudo como base para nossas ações, como ocorreu com a elaboração do programa Empreender Mulher, por exemplo. O estudo mostra que existem muitos casos de mulheres que permanecem no ciclo de violência por conta da dependência financeira de seus parceiros, e o programa busca a autonomia financeira das mulheres”.

O coordenador da CTMHF, Marcelo Zago, avalia: “A possibilidade de manusear e realizar pesquisas, inclusive dos locais de maior incidência do crime, com buscas por idade ou regiões administrativas em que essas vítimas viviam, torna mais fácil o entendimento da dinâmica do crime e deixará em evidência a importância da denúncia ou registro de ocorrência, mesmo que de forma anônima, para que o Estado possa agir antes da morte dessa mulher”.

Transparência

“A divulgação dos fatores de risco presentes nos feminicídios é de extrema relevância para determinação de políticas públicas centradas na prevenção e proteção das mulheres em situação de violência doméstica e familiar”Luciana Lopes Rocha, coordenadora do Núcleo Judiciário da Mulher do TJDFT

Desde março deste ano, como parte das ações do programa Mulher Mais Segura, os dados da CTMHF passaram a ser disponibilizados no site da SSP. “A diferença é que, a partir de agora, os dados serão desmobilizados de forma interativa ao usuário e não somente publicados de forma estática”, explica Zago. A pesquisa de informações por meio da plataforma de BI possibilitará a busca segmentada de informações, argumenta. “Será possível, por exemplo, realizar a pesquisa dos feminicídios ocorridos em uma região administrativa específica ou ainda a motivação para os crimes num determinado ano”, detalha o gestor.

Para a coordenadora do Núcleo Judiciário da Mulher e titular do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), Luciana Lopes Rocha, a transparência de dados por meio da CTMHF tem sido fundamental para a prevenção ao feminicídio. “A divulgação dos fatores de risco presentes nos feminicídios, sejam eles tentados ou consumados, é de extrema relevância para determinação de políticas públicas centradas na prevenção e proteção das mulheres em situação de violência doméstica e familiar”, afirma.

A magistrada explica ainda que os estudos sobre fatores de risco que levam ao feminicídio são temáticas centrais das políticas públicas de vários países. “Trata-se de uma estratégia de atuação como perspectiva de gênero”, complementa.

Para a titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher II (Deam II), delegada Adriana Romana, a transparência dos dados será essencial para divulgar, também, o alto índice de elucidação dos feminicídios no DF. “A divulgação da quantidade de investigações que levaram à prisão dos autores é importante para que a população saiba que esta é uma temática prioritária em nossas investigações”.

A segmentação dos dados poderá contribuir com o direcionamento e organização das visitas feitas pelo Programa de Prevenção Orientada à Violência Doméstica (Provid), da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF). “Somente em 2021, entre janeiro e abril, o Provid realizou 6,2 mil visitas solidárias, monitorando 1,2 vítimas de violência doméstica e familiar”, informa a coordenadora do Provid, Adriana Vilela. “Desse total, mil eram mulheres. Os dados disponibilizados no novo painel vão contribuir muito com nosso trabalho”.

Proteção da mulher

“O Mulher Mais Segura nos proporcionou a possibilidade de implementar novas estratégias de ação e o fortalecimento daquelas já empregadas”Delegado Júlio Danilo, secretário de Segurança Pública

O programa Mulher Mais Segura reúne medidas, iniciativas e ações de enfrentamento aos crimes de gênero e fortalecimento de mecanismos de proteção a esse público. O lançamento ocorreu em março deste ano, como parte das ações pelo mês da mulher.

Entre as medidas, destaca-se o Dispositivo Móvel de Proteção à Pessoa (DMPP), que atualmente monitora cinco casos de Medida Protetiva de Urgência (MPU) encaminhados pelo Judiciário local. É um mecanismo inédito que permite acompanhar vítima e agressor de forma dinâmica, impedindo que se encontrem e informando ambos, em tempo real, caso haja invasão do perímetro de segurança estabelecido pela medida protetiva.

Mulher Mais Segura coordena ainda iniciativas já implementadas pela SSP, como Viva Flor, Aliança Distrital – Instituições Religiosas no enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar, reformulação da estratégia de divulgação dos vídeos de combate à violência de gênero da Turma da Mônica, Maria da Penha On-Line, Provid e delegacias especiais de atendimento à mulher (Deams). “O Mulher Mais Segura nos proporcionou a possibilidade de implementar novas estratégias de ação e o fortalecimento daquelas já empregadas”, resume o secretário de Segurança Pública. “Desta forma, garantimos mais sincronia entre as medidas e, consequentemente, mais eficiência do que já foi implementado, com ações sistemáticas e o comprometimento da segurança pública e do governo local.”

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública

Ver mais

Brasília

Agendamento está aberto para quem tem 49 anos

Publicado

dia

Vacinação começa no fim de semana em cinco pontos na modalidade drive-thru

A Secretaria de Saúde ampliou a vacinação contra a covid-19 para pessoas entre 49 e 59 anos. O agendamento pelo site vacina.saude.df.gov.br já está aberto. A partir das 15h, quem tem comorbidades com 18 anos ou mais também poderá agendar atendimento.

O Comitê Operacional da Vacinação decidiu que 32 mil doses serão utilizadas para a vacinação das faixas etárias, 4 mil para pessoas com comorbidades e 2,6 mil para as forças de segurança .

A vacinação para esse público começa no sábado (19), a partir das 9h, em seis locais que poderão ser escolhidos durante o agendamento: Torre de TV, Parque da Cidade, no estacionamento 12, Faculdade Uniplan, em Águas Claras, Taguaparque e Sesc de Ceilândia.

A ampliação ocorre com a chegada de 30,4 mil doses da vacina Pfizer/BioNTech, recebidas na manhã desta sexta-feira (18) e da expectativa do recebimento de 22,6 mil doses da CoronaVac (sendo dividida entre D1 e D2).

O Comitê Operacional da Vacinação decidiu que 32 mil doses serão utilizadas para a vacinação das faixas etárias, 4 mil para pessoas com comorbidades e 2,6 mil para as forças de segurança.

Vacinação dos vigilantes

A Secretaria de Saúde aguarda a listagem dos trabalhadores vigilantes e bancários para dar início a vacinação desse público. A partir do recebimento, a pasta irá elaborar a estratégia de vacinação e anunciar a data de início.

Até o momento, 849.476 pessoas foram vacinadas com a primeira dose e 328.391 com a segunda dose. A cobertura vacinal da D1 é de 36,77% para o público elegível a receber a vacina, que são pessoas com 18 anos ou mais. Com o reforço, 14,22% dessa população já foi imunizada.

*Com informações da Secretaria de Saúde 

Ver mais

Brasília

Programa de ‘emplacamento inteligente’ do Detran-DF pretende agilizar registro de carros novos ainda na concessionária

Publicado

dia

Por

Sistema foi lançado nesta quinta-feira (17) e, segundo órgão, vai emitir documento digital ‘em poucos minutos’. Veja o que muda.

Documento de carro digital — Foto: Divulgação

O programa 1º Emplacamento Inteligente (PEI), lançado nesta quinta-feira (17) pelo Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF), pretende agilizar a emissão “em poucos minutos” do Certificado de Registro de Veículos (CRV) novos ainda na concessionária, por meio do CPF do comprador e da nota fiscal.

A medida que autoriza as mudanças no processo de emplacamento foi publicada no Diário Oficial. Antes, o primeiro registro de carros ou motos exigia a apresentação de documentos e a realização de vistoria nas unidades de atendimento do Detran, o que podia levar até semanas.

Agora, de acordo com o órgão, o novo sistema vai permitir que o cliente já saia da concessionária com o documento do veículo baixado no celular. Em caso de compras financiadas, basta o usuário apresentar também o contrato do empréstimo.

Com o programa, o Detran contabiliza uma lista de cerca de 30 serviços no portal e no aplicativo Detran Digital. Até a publicação dessa reportagem, o órgão não havia informado se haverá mais custos para o consumidor durante o emplacamento.

Serviço nas concessionárias

Podem aderir ao PEI as concessionárias registradas no DF, mediante requerimento e apresentação da seguinte documentação:

  • Termo de Adesão ao Programa 1º Emplacamento Inteligente – PEI, assinado pelo representante legal da empresa, mediante reconhecimento de firma ou assinatura eletrônica
  • contrato social da entidade registrado na Junta Comercial do Distrito Federal
  • cartão do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica – CNPJ
  • alvará de funcionamento com data de validade em vigor
  • identidade e/ou documento equivalente do responsável pela empresa
  • prova de regularidade fiscal, trabalhista e previdenciária, mediante respectiva certidão com data de validade em vigor.

As empresas que aderirem ao programa deverão prestar, de imediato esclarecimentos sobre os emplacamentos realizados e as demais pendências decorrentes do processo , inclusive aqueles referentes à fiscalização, investigação e auditoria.

O Detran informa que serão cobrados valores da concessionária por cada acesso ao banco de dados e por cada solicitação de correção, alteração, cancelamento e baixa dos dados decorrentes de erros ou falhas no cadastramento. Os custos são de acordo com a Tabela de Preços Públicos do Detran-DF.

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade
Publicidade

Viu isso?