Nossa rede

Espaço Mulher

Tratamentos pouco invasivos – e eficientes – para o corpo e o rosto

Publicado

dia

Em muitos casos, esses procedimentos são ainda mais decisivos do que as famosas cirurgias plásticas

cirurgia plástica não é a única alternativa. Antes dela, em muitos casos os médicos recomendam procedimentos menos invasivos ao corpo, e ainda (pasme!) mais eficientes. Confira nossas dicas de procedimentos mais simples e que dão resultado:

Barriga

Quando o assunto é diminuir medidas ou melhorar a aparência da pele, a associação de tecnologias é o que tem se mostrado mais eficaz. “Dificilmente uma pessoa escolherá tratar só gordura localizada, sem amenizar flacidez, por exemplo”, afirma o dermatologista Daniel Dziabas, de São Paulo.

Total Sculptor, um dos procedimentos recentes, realizado em consultório, une a criolipólise com contraste (tipo mais avançado que produz aumento de temperatura seguido de congelamento) com ultrassom macrofocado (que emite energia de alta intensidade).

“Os dois atuam juntos na destruição das células de gordura”, diz o médico. O protocolo inclui também estímulo muscular (por meio de corrente elétrica) e radiofrequência (aquecimento profundo que amplia a produção de colágeno). O efeito depende de cada caso, mas a promessa é que apareça em uma sessão.

Rosto

Existem atualmente diversas tecnologias para reduzir a flacidez e a perda de volume facial, como laser, ultrassom e radiofrequência. Destaca-se, porém, um procedimento pouco invasivo que utiliza fios de sustentação.

“Os do Mint Lift são feitos de polidioxanona, material naturalmente absorvido pela pele. Eles são inseridos no rosto por meio de cânulas e, fixados com garrinhas, são capazes de sustentar as estruturas da face”, explica o dermatologista Gustavo Limongi, de São Paulo.

A quantidade de fios pode variar, mas costuma-se usar um ou dois pares. De acordo com o médico, não há contraindicação para o método, que exige apenas anestesia local. Os resultados duram, em média, dois anos.

Nariz

Alguns dermatologistas recomendam experimentar a remodelação feita com preenchimento com ácido hialurônico antes de partir para a rinoplastia (cirurgia plástica no nariz). “É uma opção para pequenos ajustes, mas não deve ser considerada para maiores correções ou quando há questões de saúde envolvidas”, alerta a dermatologista Juliana Piquet, do Rio de Janeiro.

Como faria em uma ruga, a substância infla pequenos espaços das camadas internas da pele, oferecendo sustentação. Por isso, só funciona em casos mais simples, como elevar a ponta do nariz.

Diferentemente do procedimento cirúrgico, não requer tempo de recuperação e pode ser realizada em consultório médico, com possibilidade de anestesia local. O efeito lifting dura um ano em média.

Pálpebras

A flacidez não incomoda apenas quando se instala nos contornos da face ou pelo corpo. Nas pálpebras, pode deixar o olhar caído, dando a impressão constante de aparência cansada. Em geral, quem enfrenta o problema acaba optando pela remoção cirúrgica (blefaroplastia), mas a onda dos minimamente invasivos também contempla essa região.

“Com ponteira específica, semelhante a uma caneta, o ThermiSmooth aquece a superfície da pele a 45 graus, o que leva à contração do colágeno e à consequente melhora da flacidez”, explica a dermatologista Thais Pepe, de São Paulo. Segundo ela, o procedimento, feito com movimento contínuo, provoca uma leve – e suportável – sensação de calor. São necessárias de três a seis sessões para obter resultados.

Vale o investimento?

Embora não façam milagres, cosméticos com embasamento em pesquisas e tecnologia são coadjuvantes de peso na busca por firmeza da pele, preenchimento de volume e efeito lifting. Estas são algumas novidades das prateleiras:

 

(La Mer/Divulgação)

Sérum para área dos olhos,
The Lifting Eye Serum,

La Mer,
*R$ 1 250

(La Prairie/Divulgação)

Creme preenchedor
Skin Caviar Absolute Filler,
La Prairie,
*R$ 2 448

 

(Under Skin/Divulgação)

Sérum Revitalizante U.SK Desire Sculpt,
Under Skin,

*R$ 373

 

(Hinode/Divulgação)

Booster de efeito instantâneo
Age Reverse, Hinode,
*R$ 199

*preços sujeitos à alteração

Comentário

Espaço Mulher

Urban Decay lança nova paleta ‘Naked’ com tons que vão do rosinha ao roxo

Publicado

dia

Com pegada sexy e 12 novas cores, a Naked Cherry chega às lojas no próximo mês e é a mais recente aposta da marca.

(Urban Decay/Divulgação)

A Urban Decay, marca californiana de maquiagens conhecida por criar uma das paletas de sombras mais vendidas do mundo todo, anunciou, nesta quarta (06), seu mais novo lançamento da categoria aqui no Brasil, a Naked Cherry.

E se você ama maquiagem colorida, tem motivos de sobra para comemorar. Isso porque a novidade, como o nome já adianta, é mais uma paleta da família-sucesso Naked, para olhos, que dessa vez traz doze diferentes cores de sombra em tons de cereja, do cor-de-rosa bem clarinho ao roxo escuro dramático.

Naked Cherry Urban Decay

A cartela, é claro, tem tudo a ver com as mais recentes tendências de beleza da estação: nela você encontra, além das nuances já citadas, um tom de coral, a cor de 2019 segundo a Pantone, e sombras em rosa vivo, que atualmente você vê nos olhos das principais influenciadoras de beleza do mundo. Vale ressaltar que todas as sombras da Urban Decay costumam ter boa fama por aí, muito por conta da ótima pigmentação.

Naked Cherry Urban Decay

Junto com a paleta, que mescla acabamentos foscos e metalizados, a linha completa da Naked Cherry conta, ainda, com opções de lápis de olhos e batons, em tonalidades que acompanham o conceito cereja.

Todos os produtos chegam às lojas físicas e virtuais da Sephora no Brasil a partir do dia 05 de março,e os preços variam entre R$ 349 (paleta de sombras), R$ 129 (lápis 24 horas) e R$ 89 (batons).

 

Ver mais

Espaço Mulher

Glitter ecológico já é hit do Carnaval! Aprenda como fazer e onde comprar

Publicado

dia

Para você brilhar muito neste Carnaval, sem prejudicar a vida marinha.

(Ile Machado/O Brilho da Tartaruga/Divulgação)

Já é fevereiro, garota, e o Carnaval está batendo na porta com tudo esperando a gente atender, né? Para muitas folionas, se tiver pouco brilho é melhor nem sair de casa, e o jeito mais comum de usar purpurina nos bloquinhos de carnaval é se banhar de glitter da cabeça aos pés. Mas essa ação, aparentemente inofensiva, pode impactar seriamente muitas vidas, incluindo as humanas.

Com até cinco milímetros de diâmetro, o glitter é produzido com micropartículas plásticas e de alumínio, que ao serem descartadas durante o banho, escorrem pelo ralo e vão parar diretamente nos oceanos, prejudicando a vida marinha. Parece que não é tão grave assim, mas mesmo sendo tão pequenos, os pedaços de plástico vão se acumulando no fundo dos oceanos, atingindo a cadeia alimentar ao serem ingeridos por peixes e outras espécies, como os humanos. Sim, você pode estar ingerindo plástico sem saber.

Preocupados com os impactos do uso desenfreado das micropartículas, especialmente nesse período do ano, algumas marcas surgiram no mercado trazendo alternativas ecológicas para os consumidores. Luciana Duarte, da Pura Bioglitter, explica que, por ser feito à base de algas marinhas, o material biodegradável se dissolve facilmente na água e não prejudica espécies marinhas. “Acreditamos que a consciência ambiental está crescendo e isso se reflete no aumento de pedidos que estamos tendo nesse carnaval”, conta a sócia da marca.

Para você poder se divertir com mais tranquilidade nas folias e evitar tanto transtorno para o meio ambiente e para o seu organismo, o MdeMulher separou algumas ideias super legais para produzir o seu próprio glitter de forma sustentável em casa e também sugestões de marcas que vendem os produtos prontinhos para você lotar seu corpo com muito brilho e deixar a sua fantasia de Carnaval ainda mais perfeita. 

Se você não quiser ter o trabalho de produzir o material, algumas marcas vendem potinhos fabulosos de glitter sustentáveis, veganos e cruelty-free (que não testam em animais). Além da comodidade de receber os produtos em casa, você tem diversas opções de cores para usar em todos os rolês possíveis, sempre com uma combinação diferente.

Com vendas pela internet, os produtos são comercializados pela loja da Chateliê, na Elo7. Em cinco cores, além da opção incolor, cada potinho contém cerca de 1,5g de glitter artesanal e 100% vegano, custando R$ 8,00 a unidade. A loja online também vende as chamadas “escamas brilhosas“, em unidades com 1g, custando R$ 7,00 cada.

Pura Bioglitter

 (Pura Bioglitter/Divulgação)

Com mais de 20 opções de glitter e pastas, a Pura Bioglitter é bem diversificada e seus produtos podem ser usados com tranquilidade durante muito tempo. Custando a partir de R$ 10,00, os colares de glitter vêm com correntinhas que podem ser levadas com você para se banhar de brilho em qualquer lugar, a qualquer hora. Para quem está com o espírito animalesco e quer um make fenomenal, vale a pena adquirir o “Vem, oncete!” para arrasar nos bloquinhos!

Lua Branca

 (Lua Branca/Elo7/Divulgação)

Também pela Elo7, a marca Lua Branca acertou em cheio nas escolhas da paleta e possui seis cores que vão deixar qualquer make um verdadeiro bafão! Feitos à base de algas e pó de pedras, os produtos da marca são fáceis de remover, sendo indicados para todos os tipos de pele, e não são testados em animais. Cada potinho contém 2g e custa R$ 10,00.

Glitter Glitter

 (Glitter Glitter/Divulgação)

Você vai pirar nas diversas opções de produtos que a Glitter Glitter preparou para um desfile de brilho e cores neste Carnaval. Além dos potinhos, a marca ainda vende o kit rainbow com sete cores + fixador por R$ 45,00.

O Brilho da Tartaruga

 

Além das opções em potinhos, O Brilho da Tartaruga também tem opções bacanas do material em garrafinhas com cerca de 3g de glitter. Cada unidade sai por R$ 8,00 e, segundo os idealizadores, até as tartarugas gostam

Ver mais

Espaço Mulher

Especial verão: como fazer o bronzeado durar mais?

Publicado

dia

O dermatologista Thales Bretas ensina como cuidar da pele antes, durante e depois da exposição ao sol para manter a cor de forma saudável

(Hugo Toni/CLAUDIA)

Por Thales Bretas, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira da Dermatologia, do Rio de Janeiro

Para fazer o bronzeado durar mais, devemos começar pela forma de se bronzear: a coloração gradual, obtida através da exposição com proteção solar adequada, é a mais duradoura. Aquele bronzeado que vem de uma queimadura solar, após a vermelhidão e a ardência, vai embora rapidamente na forma de descamação. O sol entre 10h e 16h deve ser evitado, justamente por ocasionar mais queimadura do que em si o bronzeamento.

A alimentação também é um ponto importante, já que alimentos ricos em carotenóides, como os vermelhos (tomate e melancia) e alaranjados (cenoura, laranja e mamão), auxiliam na pigmentação da pele e na fotoproteção, trazendo uma cor saudável e gradual, quando ingeridos junto à exposição solar.

Se você não tem muito tempo de sol disponível, pode usar o recurso dos autobronzeadores em spray ou cremes, que trazem cor através de uma reação química com células superficiais da pele, gerando o pigmento acastanhado chamado melanoidina, sem agredir ou modificar a estrutura desse nosso órgão de barreira.

Entre os cuidados depois do bronzeamento, o principal deve ser a hidratação vigorosa, tanto pela ingestão de líquidos quanto pelo uso de cremes ou géis hidratantes após o sol. Evitar banhos muito quentes ou esfoliações também ajuda a manter a hidratação da pele, conservando a cor adquirida.

Os banhos devem ser preferencialmente frios ou mornos, curtos, com sabonete hidratante e sem esponja, a não ser em partes críticas que exijam uma higiene mais rigorosa. Fonte: Cláudia

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade