Nossa rede

Espaço Mulher

“Sim, eu tenho cabelos brancos e está tudo bem”

Publicado

dia

Joanna Moura tem fios brancos desde adolescência e é um exemplo de como é possível ter uma relação mais leve com essa característica natural.

Na coluna #VamosPensarSobreBeleza da nossa edição de julho, colocamos em pauta a pressão estética que, até hoje, mulheres sofrem por causa de algo natural que chega com o tempo: o cabelo branco. Apesar de estarmos vivenciando um momento de maior aceitação na moda e na beleza, ainda é raro ver campanhas que representem essa característica. É só reparar: os comerciais de produtos ainda focam na cobertura como única opção e não em tratamentos para deixar o cabelo saudável.

Com as redes sociais e mais tipos de beleza sendo expostos, perfis como o Advanced Style mostraram para o mundo que atributos que sempre foram criticados podem ser ressignificados — e também ajudaram a desmistificar a velhice, principalmente quando relacionada à moda. A questão de gênero também fica evidente, uma vez que, na maior parte do tempo, a idade para os homens é associada à sabedoria e os cabelos brancos, a charme.

E não é preciso ter mais de 60 anos para vivenciar esse tipo de pressão. A blogueira Joanna Moura é um exemplo. Dona de fios brancos desde a adolescência, ela começou a lidar bem cedo com os estereótipos. Neste depoimento, ela relembra os primeiros fios e reforça que a ideia não é ir contra pintar o cabelo quando se tem vontade — coisa que ela mesma faz — mas retirar os julgamentos das que escolhem mantê-los como estão. Leia abaixo:

Joanna Moura, do blog Um Ano Sem Zara:

Eu tenho cabelos brancos desde que me entendo por gente. Como eles apareceram bem cedo na minha vida — lá pelos meus 18 anos — eu não me incomodei. Pelo contrário, eu era novinha, não tinha rugas, não sentia que os fios grisalhos eram um sinal de velhice, olhava pra eles e achava legal, engraçado, uma particularidade minha, um pedacinho de mim que me tornava diferente.

Mas eu sempre gostei de brincar com cabelo, e o ato de pintar e cortar fazia parte dessa brincadeira. Então, por muito tempo, eu pintei o cabelo, o que acabava escondendo os brancos. Quando me mudei para Califórnia passei um tempo sem pintar. Eu não tinha um cabeleireiro de confiança por lá e resolvi que ia pintar de novo só quando fosse para o Brasil. Eis que a raiz foi crescendo, os brancos foram ficando superaparentes e eu fui deixando, abraçando o novo look sem nenhuma nóia. Lembro do meu marido falar que eu parecia a Vampira dos X-Men — tem elogio melhor?

A verdade é que eu só me dei conta do incômodo das pessoas com cabelos brancos quando começaram a aparecer comentários nas minhas fotos do Instagram perguntando se eu estava grávida ou se a mexa bem na frente do meu cabelo era branca ou loira, ou simplesmente questionando a razão por eu ter parado de pintar. O mais engraçado é que quando alguém ia lá comentar sobre os meus grisalhos, sempre aparecia alguém para me “defender” falando que obviamente não era grisalho, a luz da foto deveria estar ruim e o loiro ficou parecendo cinza.

Achei bem louco entender que as pessoas sempre tinham que tentar achar uma justificativa para o meu cabelo estar branco. Não passava pela cabeça delas que era uma escolha minha, que eu tinha optado por não pintar e estava me sentindo bem e bonita daquele jeito mesmo. Foi então que resolvi escrever um post sobre o assunto. Falando que, sim, eu tenho cabelos brancos e que estava tudo bem.

A gente vive em uma sociedade que celebra a juventude e condena o envelhecimento. E lógico que essa pressão por permanecer jovem é muito maior nas mulheres. Consequentemente, os fios brancos acabam sendo um sinal de velhice e devem ser escondidos a todo custo, senão é sinal de desleixo, de mulher que não se cuida.

Acho que quanto mais a gente falar sobre o assunto, mais chance temos de mudar essa percepção. Hoje ter cabelo branco é um sinal de ativismo, de luta contra um padrão de beleza que restringe e força as mulheres a estarem sempre se modificando. O que eu quero é que um dia ter cabelo branco seja normal. Apenas uma escolha individual.

Comentário

Espaço Mulher

20 nail arts divertidas, coloridas e perfeitas para usar neste verão

Publicado

dia

A estação mais good vibes do ano está entre nós e, para combinar com o clima de sol e praia, fizemos um compilado de unhas decoradas altamente inspiradoras.

(@manarin37/Reprodução Instagram)

Há dois tipos de pessoas quando o assunto é verão: as que odeiam o calor com todas as forças, e as que amam de paixão a temporada quente. Seja você parte da primeira ou da segunda categoria, a verdade é que a estação, por ter um clima naturalmente mais animado e positivo pairando pelo ar, permite que a gente faça algumas boas ~loucurinhas de moda e beleza (não que a gente deixe de fazê-las no restante do ano).

Ideias não faltam: aproveite para pintar o cabelo de lilás, o tom que, segundo o Pinterest, é tendência capilar máxima para este ano, montar um look coral da cabeça aos pés, para ficar bem alinhada com a proposta da Pantone e, também, para apostar sem moderação em unhas decoradas das mais coloridas e chamativas.

Vale tudo, viu? De pintar um dedinho de cada cor até se inspirar no fundo do mar, passando por nail arts cheias de glitter e frutinhas, do jeito que a gente gosta.

A seguir, uma seleção com as unhas de verão mais legais do Instagram!

Por que não uma unha (literalmente) laranjinha?

Por que não uma unha (literalmente) laranjinha?

Alô, sereias modernas, essa é para vocês:

Tem criatividade de sobra para as fãs de arte:

E sugestão divertidinha para quem quer substituir a francesinha tradicional:

Essa é das mais temáticas…

… enquanto essa promete agradar quem não dispensa uma boa estampa de onça

Aproveite que o amarelo está em alta e use sem medo, também, nas unhas:

Ou, então, apele para os tons pastel e pinte um dedinho de cada cor:

Tudo azul (e com bastante glitter), de preferência:

Bem fofa e a cara do verão:

Lavanda, cor-tendência, e com detalhes minimalistas:

Com melancias (!):

Morangos:

E para quem não abre mão das cores escuras:

Vá de nude tropical, se você fizer a linha discreta…

… ou de neon, para atrair atenção:

Apostar em uma vibe meio fundo do mar é show:

Assim como usar todas as nuances da caixinha de esmaltes:

Três cores, uma palavra: chique

Unhas floridas? Gostamos!

Ver mais

Espaço Mulher

Óculos de sol feminino em 2019: 7 modelos em alta

Publicado

dia

Com a grande variedade de itens disponíveis, separamos alguns modelos que prometem estar em evidência no próximo ano

(Reprodução/Instagram)

Acessório é indispensável ao cotidiano para proteger os olhos da radiação solar, os óculos de sol variam bastante no quesito armação, lentes e outros detalhes que trazem estilo ao objeto.

Pela grande variedade de óculos disponíveis no mercado, separamos alguns modelos que prometem estar em alta em 2019 – especialmente para quem busca estar sempre em alerta às tendências.

Óculos de sol em alta para 2019

Com lentes coloridas

Com armação estilo gatinho

Estilo mini

Clássicos com armação decorada

Com armação de metal

Estilo espelhados

Estilo retrô

 

Ver mais

Espaço Mulher

Conheça tratamentos anti-idade para o corpo

Publicado

dia

Conheça os produtos que evitam o surgimento precoce de manchas, rugas e flacidez

(Delmaine Donson/Getty Images)

Cremes e séruns que combatem o envelhecimento do rosto já fazem parte da rotina de beleza da maioria das mulheres. Agora, chegam às prateleiras embalagens bem maiores, com produtos anti-idade voltados exclusivamente para o corpo. “A pele como um todo sofre com o passar dos anos pela ação de fatores internos e externos. Entretanto, cada área tem características próprias e exige um cuidado específico”, explica o dermatologista Abdo Salomão, de São Paulo. Pernas e colo, por exemplo, possuem menos glândulas sebáceas. “A barreira de proteção natural é mais fraca que a da face, provocando ressecamento excessivo”, diz a dermatologista carioca Karla Assed. Já os tecidos da parte interna dos braços e das coxas têm tendência à flacidez.

Diferentemente dos hidratantes corporais comuns, os cosméticos recém-lançados contêm ativos antirrugas, antimanchas e firmadores já consagrados (e usados em cosméticos faciais). Em concentração e textura adequadas para essas regiões, reúnem três principais ações antienvelhecimento: hidratante, antioxidante e firmadora, que se completam na missão de adiar os sinais do tempo.

Ação Hidratante Os produtos anti-idade corporais se propõem a reforçar as barreiras da pele para que ela fique mais resistente às agressões. Procure no rótulo por ativos potentes, como o ácido hialurônico, responsável por reter moléculas de água na derme, e ômegas 6, 7 e 9, capazes de garantir a nutrição.

Ação Firmadora A perda de colágeno e elastina, proteínas naturais que dão viço e firmeza à pele, é inevitável, mas dá para desacelerar esse processo. Para evitar a flacidez, escolha cosméticos com carcinina (ativo protetor do DNA celular), extratos marinhos e vitamina C.

Ação Antioxidante Os famosos radicais livres atingem as células do corpo, comprometendo a estrutura da derme e levando ao surgimento de rugas e linhas finas. As vitaminas C e E reduzem essa ação nociva. “Elas aumentam o poder do organismo de reparar os danos acumulados e revitalizar a região”, diz Abdo Salomão.

Seus aliados

As novidades do mercado incluem versões para todos os bolsos

 (Divulgação/Divulgação)

1- Loção Anti-Aging Corporal, Adcos, R$ 99*

2- Antirrugas Corporal Essencele, Profuse, R$ 169*

3- Firmador Q10 com Vitamina C, Todos os Tipos de Pele, Nivea, R$ 28* (400 ml)

4- Ideal Body Loção Sérum Corporal, Vichy, R$ 79,90*

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade