Nossa rede

Tecnologia

Quem a SpaceX vai levar para a Lua

Publicado

dia

O anúncio é considerado pela empresa um grande passo na comercialização de viagens espaciais

Quem será o primeiro turista na lua? Nesta segunda-feira, Elon Musk, presidente da companhia de exploração espacial SpaceX vem a público para divulgar quem será a primeira pessoa que irá pagar por um “voo” comercial até a lua. O contrato já foi firmado e foi anunciado por Musk em sua conta no Twitter na última sexta-feira.

“A SpaceX assinou com o primeiro passageiro privado do mundo para que voe ao redor da Lua a bordo de nosso veículo de lançamento Big Falcon Rocket (BFR)”, afirmou a empresa. Segundo a SpaceX trata-se de um grande passo para a aviação espacial comercial, um foco da companhia, que trabalha para reduzir os custos de viagens espaciais, tanto para passageiros quanto para cargas. No começo no ano, a empresa lançou o Falcon Heavy, um cargueiro espacial carregando um carro esportivo da montadora Tesla, outra das empresas de Musk.

O Falcon Heavy é uma nave com 70 metros de altura e capacidade de transporte de até 64 toneladas de carga comercial, o que o torna o quarto cargueiro mais potente já feito e o maior em operação atualmente. A nave foi enviada para uma órbita elíptica ao redor do sol, entre a Terra e Marte. Com capacidade de reciclar seus propulsores, ele também é um passo gigante na questão comercial. Segundo informações da própria SpaceX, o custo de lançamento da nave é de 90 milhões de dólares, um terço do custo do concorrente Delta IV Heavy, da United Launch Alliance.

Com a redução dos custos para viagens espaciais, a SpaceX tira a exclusividade  das viagens internacionais das mãos dos governos e começa a colocar nas mãos de alguns milionários. Musk, indagado por seus seguidores no Twitter se ele próprio seria o enviado à missão, respondeu simplesmente com uma bandeira do Japão, o que muitos consideraram a nacionalidade do tripulante.

Mas se as coisas vão bem na SpaceX, Musk ainda tem muito o que explicar e trabalhar na Tesla, a montadora de carros elétricos que também promete mudar o curso da humanidade. Investidores se viram desesperados no último mês quando Musk anunciou que iria tornar a empresa privada, apenas para voltar atrás dias depois. Para completar, o presidente apareceu em uma entrevista consumindo maconha — o que gerou severas críticas no conservador mercado de investimentos — e dois executivos deixaram a empresa, inclusive o diretor de contabilidade, que havia assumido pouco antes do anúncio de tornar a Tesla privada. São poucas boas notícias na SpaceX, mas muitas más notícias na Tesla.

Comentário

Tecnologia

Google Home já aceita comandos de voz em português do Brasil

Publicado

dia

Em fase beta de testes, recurso funciona apenas em iPhones

google-home

Google Home: aparelho atende a comandos de voz para controlar gadgets conectados da sua casa

São Paulo – Brasileiros que possuem o Google Home e Google Home Mini, versões do Google para os alto-falantes inteligentes, não precisarão mais recorrer ao inglês para dar comandos de voz aos aparelhos. Os dispositivos recebem atualizações que permitem responder a ordens, perguntas e Rotinas (como “bom dia” e “cheguei em casa”) dadas em português do Brasil.

A funcionalidade ainda está disponível apenas na versão beta e para usuários de iPhone. Segundo o perfil oficial de dispositivos da empresa no Twitter, a funcionalidade estará disponível oficialmente e também para Android dentro de alguns dias.

Para ativar a versão em Português (Brasil), basta abrir o aplicativo no iPhone, ir em “Mais configurações” > “Preferências” > “Idiomas do Assistente” e fazer a alteração. Caso não esteja disponível, pode ser necessário entrar no modo beta navegando pela opção “Dispositivos” > “Google Home” > “Configurações” > “Programa de testes” e seguir as instruções.

Veja a seguir um vídeo gravado por um usuário de Google Home Beta demonstrando a resposta do Google Home Beta à Rotina de “bom dia”:

 

Ver mais

Tecnologia

Photoshop ganha versão completa para iPad

Publicado

dia

Versão final do Photoshop CC para os tablets da Apple chega em 2019

Adobe

Sem limitações: Photoshop para iPads será igual ao dos Macs

São Paulo — A Adobe anunciou nesta segunda-feira (15), durante seu evento Adobe MAX 2018, uma nova versão do Photoshop para iPad. Ao contrário das versões anteriores, com menos recursos e ferramentas, o novo aplicativo será completo. O programa, inclusive, compartilha a mesma base de código do Photoshop CC para Macintosh.

O app permitirá aos usuários abrir e editar um arquivo .PSD em um iPad “usando as mesmas ferramentas com que já estão familiarizados”, conforme destacou Pam Clark, diretora responsável pelo gerenciamento da linha Photoshop, no blog da Adobe. Os documentos ficarão salvos na nuvem e poderão ser acessados depois no computador. Também será possível fazer o caminho inverso: um trabalho iniciado no computador poderá ser finalizado no tablet.

As mudanças na interface são sutis. De acordo com a Adobe, a barra de ferramentas traz todos os recursos tradicionais e o sistema de camadas. As diferenças estão nos tamanhos de alguns botões e na possibilidade de controlar o aplicativo com os dedos ou com uma caneta.

“Estamos repensando toda a experiência de usuário para um dispositivo moderno baseado em toque”, disse a executiva da empresa. “Desenhamos o Photoshop no iPad com os gestos naturais em mente para agilizar os fluxos de trabalho.”

A criação de uma versão completa do software para um tablet como o iPad era inviável até pouco tempo atrás, como a própria Clark ressaltou. “Foi só recentemente, com aparelhos mais poderosos, que pudemos transformar isso em um experimento real dentro da Adobe”, escreveu a diretora. A ideia, segundo ela, veio de dois engenheiros por trás do Photoshop, que receberam o aval da Adobe para tentar recriar o programa nos iPads — mas foram orientados a ficar quietos caso não desse certo. O experimento, no entanto, foi positivo.

Computadores e mobile mais próximos

A ideia de levar um app completo de desktops para tablets — e vice-versa — não é exclusiva da Adobe. A Microsoft já trabalha com essa ideia de “aplicativos universais” na chamada Plataforma Universal do Windows (UWP) no Windows 10, e a Apple, responsável pelos Macs e iPads, vem testando essa possibilidade. A empresa inclusive mostrou alguns resultados neste ano na WWDC, sua conferência anual para desenvolvedores, mas sua solução ainda está em fase de testes. Mais novidades devem vir em 2019, na próxima edição do evento.

No caso do Photoshop CC para iPad, uma edição prévia foi disponibilizada pela Adobe já nesta segunda-feira (15). O aplicativo finalizado, versão 1.0, será lançado só no ano que vem.

FONTE: PORTAL EXAME

 

Ver mais

Tecnologia

Dell apresenta monitor ‘super-ultra-wide’ de 49 polegadas e resolução QHD

Publicado

dia

A Dell anunciou um monitor monstruoso nesta segunda-feira, 15. A empresa apresentou o modelo UltraSharp U4919DW que tem proporção “super-ultra-wide” com uma diagonal de tela de 49 polegadas e resolução 1440p, além de uma tela curva, o que faz com que o produto seja único.

Com uma proporção de tela de 32:9, o monitor é efetivamente equivalente a dois monitores de 16:9 colocados lado a lado. É uma opção interessante para quem gosta de trabalhar ou jogar com duas telas, sem a necessidade de lidar com uma divisória no meio do painel. Na prática, é como se, em vez de um monitor gigante de 49 polegadas, estivessem sobre a mesa dois monitores menores, de 27 polegadas cada.

A resolução de tela também está além do que é comum para monitores do tipo, com 5120×1440, o que resulta em uma densidade de 109 pixels por polegada, com suporte a 100% do sRGB, contando também com uma curvatura de 3800R, que especialmente com um monitor desse tamanho é importante para facilitar a visualização das extremidades do painel.

Uma parte interessante do monitor é que ele pode ser usado para reproduzir vídeo de duas fontes separadas, então tecnicamente é possível conectar dois computadores na tela se você precisar, e cada metade do display reproduzirá imagens diferentes. O U4919DW também vem com um switch KVM (sigla em inglês para teclado, vídeo e mouse), que permite controlar dois dispositivos diferentes com apenas um teclado e um mouse por meio de um aplicativo da Dell.

Quem gostou do novo monitor da Dell pode se preparar para pagar uma pequena fortuna: nos EUA, o aparelho tem o preço sugerido de US$ 1.600, o que é praticamente R$ 6.000 na cotação atual do dólar sem incluir nenhum imposto na conta. Ainda não há previsão de lançamento no Brasil.

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade