Nossa rede

Cultura

Orquestra Sinfônica fará sete concertos gratuitos no DF em outubro; veja datas

Publicado

dia

Primeira apresentação acontece nesta terça; concerto vai premiar compositores que venceram concurso nacional. Mês também celebra 50 anos de relações diplomáticas entre Brasil e Cingapura.

Integrantes da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro (Foto: Tony Winston/Agência Brasília)

Integrantes da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro (Foto: Tony Winston/Agência Brasília)

Sete concertos integram a programação gratuita da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro durante o mês de outubro. Os músicos sobem ao palco do Cine Brasília (106/107 Sul) a partir desta terça-feira (3). O local tem capacidade de 620 lugares.

Para abrir a temporada do mês, a orquestra vai premiar os três vencedores do Concurso Nacional de Composição em homenagem aos 75 anos do maestro Jorge Antunes, carioca radicado em Brasília. Esta é a primeira edição do prêmio, que vai apresentar os compositores vencedores e as obras selecionadas ao público.

A solenidade começa às 20 horas, com a abertura da ópera “A cartomante”. Em seguida, os músicos executam “Azuis, variações para orquestra”, de Carlos dos Santos, terceiro lugar na competição. O objetivo da premiação, segundo o maestro Cláudio Cohen, é “incentivar novos talentos da música”.

A obra “Thermidor”, de Paulo Henrique Raposo, segundo colocado, é tocada em seguida pelos músicos. A composição “Segmentos” encerra o programa da noite, do compositor vencedor do concurso, Helder Oliveira. Todas as obras serão regidas por Jorge Lisboa Antunes, filho do homenageado.

Maestro Jorge Antunes é o homenageado no Concurso Nacional de Composição, em Brasília (Foto: Orquestra Santoro/Divulgação)

Maestro Jorge Antunes é o homenageado no Concurso Nacional de Composição, em Brasília (Foto: Orquestra Santoro/Divulgação)

Concerto internacional

Outro destaque da programação do mês é o concerto comemorativo de 50 anos de relações diplomáticas entre o Brasil e Cingapura, país do sudeste asiático. A apresentação acontece no dia 11, no Santuário Dom Bosco (702 Sul), às 20 horas.

Para a abertura da noite está prevista a execução da obra “O morcego”, de Johann Strauss. A apresentação será seguida por “Butterfly lover’s”, de Zhang Hao He e Gang Chen, uma composição clássica do país que conta a história de uma jovem que se transveste de menino para conseguir estudar. “A narrativa se passa em uma época que proibia a atividade para mulheres”, explica o maestro.

“É um concerto para violino. Será um espetáculo bem interessante.”

Integração cultural

Em 17 de outubro, o austríaco Johann Strauss terá parte de sua obra executada no “Concerto vienense”. De acordo com o maestro Cohen, uma apresentação mais descontraída, com um compositor conhecido como o “rei da valsa”.

O “Concerto húngaro”, em 24 de outubro, levará ao público “Danças de galanta”, do compositor Zoltán Kodály, e “Concerto para violino e orquestra nº 1”, de Béla Bartók. O violinista húngaro Antal Zalai será solista em “Violin concerto opus 23”, de Karl Goldmark.

Em 26 de outubro, o grupo participa da solenidade de entrega da medalha Mérito Brasília. O concerto aberto ao público terá clássicos universais eruditos.

Encerra a série do mês, em 31 de outubro, o “Concerto esloveno”, com o espetáculo “Slovenic Soul”. Na data, os músicos serão acompanhados pela soprano Manca Izmajlova, cantora representante da Eslovênia que transita entre o canto erudito e popular.

Confira a programação completa:

Programação da Orquestra de Brasília para o mês de outubro (Foto: Agência Brasília/Divulgação)

Serviço:
Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro 

Quando: 3, 10, 11, 17, 24, 26 e 31 de outubro
Locais: Cine Brasília (106/107 Sul) e Santuário Dom Bosco (702 Sul)
Entrada gratuita. Verificar lotação dos espaços.

Comentário

Cultura

Moraes Moreira retorna à capital com show intimista

Publicado

dia

O músico baiano toca em Brasília pelo projeto Clube do Choro Convida hoje e amanhã

 


Moraes Moreira se apresenta ao lado do acordeonista Meninão(foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)

Uma mudança radical. Depois de se apresentar acompanhado por banda em Salvador e no Recife, durante o carnaval, Moraes Moreira está de volta a Brasília para um show acústico hoje e amanhã, às 21h, no Espaço Cultural do Choro, pelo projeto Clube do Choro Convida, tendo ao seu lado em cena apenas um músico, o acordeonista Meninão.

“Num clima mais intimista, vou passear pelos clássicos da minha obra e por canções compostas mais recentemente. Na companhia do sanfoneiro Menina, com quem desfruto uma intimidade musical muito grande, me sinto à vontade para tocar e cantar ritmos diversos, de canções a frevos, de xote a sambas, além de recitar alguns poemas dentro da linguagem do cordel”, anuncia o coautor de algumas das músicas mais emblemáticas do legado dos Novos Baianos.

Aliás, a última vez que Moraes esteve em Brasília foi em 1º de julho de 2017, quando, com Baby do Brasil, Paulinho Boca de Cantor, Luiz Galvão e Pepeu Gomes, reuniu 10 mil pessoas no Ginásio Nilson Nelson. O concerto fez parte da vitoriosa turnê de Acabou chorare, comemorativa dos 45 anos do antológico álbum, que deu origem ao primeiro DVD, lançado pelo grupo, em 8 de novembro, pela Som Livre.

Paralelamente à turnê dos Novos Baianos, que vai ser retomada em abril, Moraes vem fazendo shows solo por todo o país. No domingo de carnaval, em cima de um trio independente, Moraes cantou para uma multidão na Praça Castro Alves, em Salvador. Já na terça-feira, num dos palcos instalados no Recife, acompanhado pela orquestra do maestro Spock, ele botou milhares de pessoas para dançar na Praça do Arsenal, no encerramento da folia na capital pernambucana.

Enquanto a turnê dos Novos Baianos não reinicia, o cantor e compositor segue cumprindo agenda de apresentações e tocando novos projetos. Em março, há shows marcados para São Paulo (Bar Brahma e Espaço das Américas), Minas Gerais (Congonhas e Ouro Preto). A gravação de um novo disco solo está bem encaminhado. Embora não revele mais detalhes desse trabalho, sabe-se que boa parte do repertório já está gravado.

Ferro na boneca

(foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)

Foi com o mítico espetáculo O desembarque dos bichos depois do dilúvio universal, apresentado no verão de 1968, em Salvador, que teve início a trajetória de Moraes, na companhia de Galvão, Paulinho, Baby, Pepeu e Dadi. No ano seguinte, eles participaram do 5º Festival de Música Popular Brasileira, promovido pela TV Record, com a canção De Vera. Logo em seguida, o grupo lançou o LP Ferro na boneca, que o apresentou ao Brasil.

Mas foi com o Acabou chorare, de 1972, que os Novos Baianos alcançaram sucesso e prestígio, com a execução pelas rádios e de todo o país de músicas como Brasil pandeiro, Preta Pretinha e a que dá nome ao LP. Tempos depois, numa enquete promovida pela revista Rolling Stone, foi escolhido por jornalistas, críticos musicais e especialistas como o melhor disco da história da música popular brasileira.

Depois de deixar os Novos Baianos, em 1975, Moraes começou a escrever sua história individual. Ele foi o primeiro cantor de trio elétrico, a bordo do trio de Dodô e Osmar. Pombo Correio, a marchinha que compôs com Osmar Macedo, foi seu primeiro grande sucesso. Outros, como Chão da praça, Meninas do Brasil, Festa do interior, La vem o Brasil descendo a ladeira e Chame gente também são destaques em sua obra, registrada em mais de 30 discos. Moraes lançou ainda o cordel intitulado A História dos Novos Baianos e Outros Versos.

Moraes Moreira

Show do cantor e compositor baiano, acompanhado pelo acordeonista Meninão, hoje e amanhã, às 21h, pelo projeto Clube do Choro Convida. No Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental, ao lado do Centro de Convenções Ulysses Guimarãeas). Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia para estudantes). Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3224-0599.

 

Ver mais

Cultura

O violonista Manassés faz show hoje e amanhã no Clube Choro

Publicado

dia

O show “Revendo amigos” tem repertório abrangente e participação de instrumentistas da cidade

 

Quando se radicou em Brasília, no início de 2010, Manassés de Sousa pegou muita gente de surpresa. Não faltou quem estranhasse a escolha da cidade como nova moradia pelo consagrado multi-instrumentista e compositor cearense, que, ao longo de 40 anos de carreira, trabalhou com nomes estelares da MPB, como Luiz Gonzaga, Roberto Carlos, Chico Buarque, Fagner, Zé Ramalho, Gal Costa e Nara Leão.
Esses oito anos na capital têm sido muito produtivos para o artista, que produziu 10 discos, gravou e lançou o álbum Mana Mano e faz incontáveis shows. Mas não é só: aqui conquistou novos amigos e tem trocado informações e experiências com músicos brasilienses de diferentes gerações. Ele está tão integrado à cidade que se matriculou na Escola de Música para, a partir deste primeiro semestre, estudar teoria musical. “Isso é algo que nunca fiz e estou na maior expectativa para que as aulas comecem”, revela.
Hoje e amanhã, às 21h, Manassés volta a ocupar o palco do Espaço Cultural do Choro com o show Revendo amigos. “Para mim, será uma ótima oportunidade para estar novamente ao lado de amigos, ligados à música, que conquistei em Brasília e outros que já conhecia, como Zelito Passos, Cacau Alencar, Luciano Góes e Myrla Muniz”, destaca. Há ainda a participação de João Bosco (violão), Oswaldo Amorim (contrabaixo), Carlos Pial (percussão) e Pablo Fagundes (gaita).
Mana (como os amigos o chamam) conta que produziu todos os discos de Zelito e que Myrla tem tomado parte dos seus shows em Brasília. “Luciano (médico, que também é cantor e compositor) é meu parceiro. Estamos gravando um CD, em que predominam músicas nossas, além das feitas em parceria com outros compositores. O lançamento está previsto para abril.”
 
Diverso
O repertório, segundo o instrumentista, é bem abrangente. “Desse trabalho com o Luciano, eu escolhi Algo sobre amizade, que ele cantará. Tem os temas autorais Andarilho e Terceira ponte, que fiz em homenagem a Brasília”. A eles se juntam os clássicos Asa branca (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira), Fado tropical (Chico Buarque e Ruy Guerra), Terra (Caetano Veloso), Mucuripe (Belchior e Raimundo Fagner), Santa Morena (Jacob do Bandolim), além de Eleanor Rigby (Beatles), Another brick in the wall (Pink Floyd), All the children (Stanley Jordan) e Tema de amor (Andrea Morricone) — da trilha do filme Cinema Paradiso.
Natural de Maranguape — portanto conterrâneo de Chico Anísio e Rachel de Queiroz — Manassés é músico profissional desde os 17 anos. “Comecei minha carreira tocando em banda de baile. Antes de obter reconhecimento no Brasil, fui morar na França e lá realizei algumas gravações com instrumentistas daquele país”, lembra. “Na volta ao Brasil, passei a fazer parte da banda do Fagner, na qual fiquei por muito tempo. Quando ele vem fazer show em Brasília,costumo acompanhá-lo”, acrescenta.
Durante a trajetória, o guitarrista e violonista participou de festivais de jazz e música instrumentais no Brasil – no Ceará, Piauí, Rio de Janeiro e Brasília –, e em países como Uruguai, Nicarágua, Fança e Rússia. Da discografia há o registro de 13 títulos, sendo sete álbuns solo. “Compus ainda trilhas sonoras para três balés”, conclui.
 
Manassés de Sousa
Show do multinstrumentista e compositor, acompanhado por banda e participação de convidados pelo projeto Clube do Choro — 40 Anos, hoje e amanhã, às 21h. No Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental, ao lado do Centro de Convenções Ulysses Guimarães). Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia para estudantes). Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3223-0599.
Ver mais

Cultura

Blocos nesta segunda: Galinho, Aparelhinho, Divinas Tetas e muito mais

Publicado

dia

Confira a programação de blocos do terceiro dia do carnaval 2018 em Brasília

(foto: Minervino Junior e Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

O carnaval brasiliense continua nesta segunda-feira (12/2) depois de dois dias de festa, nos quais os destaques foram os blocos Raparigueiros e Baratona, que juntos reuniram 70 mil pessoas no domingo, no Eixo Monumental; o Eduardo & Mônica, que juntou os fãs de rock do Setor de Indústrias Gráficas; e o Galinho de Brasília e a junção dos blocos Tuthankasmona, Tombando a Pyramide e Essa Boquinha Eu Já Beijei, que desfilaram no sábado.

Quem ainda tem gás para brincar, ou quer começar agora a folia, tem diversas opções, tanto no Plano Piloto quando em outras regiões administrativas. Confira abaixo uma lista de algumas das atrações do terceiro dia de Festa do Momo (horários fornecidos pelos bos próprios blocos). Os destaques prometem ser a segunda edição do Galinho; o Aparelhinho, que este ano começa às 10h; e o Divinas tetas:

Asa Norte

Concentra Mas Não Sai
CLN 404/405 Norte. Segunda-feira, das 16h às 0h. Diversas atrações culturais. Classificação indicativa: não informada.
Continua depois da publicidade
Ewè – Soul, Groove, Batucada
SCLN 216 Norte, bloco D. Terça-feira,  às 14h. Classificação indicativa: não informada.
Me beija
SCLN 216 Norte, Bloco D. Terça-feira, das 13h à 0h.

Eixo Monumental

Populares em Pânico
Torre de TV, Eixo Monumental. Segunda-feira, das 14h às 20h. Classificação indicativa: não informada.
Reveirock
Museu da República. Segunda-feira, a partir de 17h. Classificação indicativa: não informada.

Setor de Autarquias Norte

Bloco do Quadrado
Praça dos Prazeres, Setor de Autarquias Norte, em frente ao Banco do Brasil. Segunda-feira, das 20h às 22h. Classificação indicativa: não informada.
Bloco Infantil
Praça dos Prazeres – Setor de Autarquias Norte, em frente ao Banco do Brasil. Terça-feira, das 16h às 23h. Classificação indicativa: livre.
Espírito Celta
Praça dos Prazeres, Setor de Autarquias Norte, em frente ao Banco do Brasil. Segunda-feira das 17h às 20h. Classificação indicativa: não informada.

Setor de Autarquias Sul

Galinho Infantil – Pintinho de Brasília
Setor de Autarquias Sul, quadra 04. Segunda-feira, das 11h às 14h. Show com várias atrações culturais. Classificação indicativa: livre.
Galinho de Brasília
Setor de Autarquias Sul, quadra 04. Segunda-feira, das 15h30 às 22h. Show com várias atrações culturais. Classificação indicativa: livre.

Setor Bancário Norte

Divinas Tetas
Setor Bancário Norte. Segunda-feira, das 13h às 19h. Show com a banda Divinas Tetas e outras atrações. Classificação indicativa: não informada.

Setor Comercial Sul

Aparelhinho
Setor Comercial (Carnavalesco) Sul – Praça dos Artistas. Segunda-feira, das 10h às 16h30. Shows com vários DJs. Classificação indicativa: não informada.

Águas Claras

Esquenta Mas Não Queima
Estacionamento da Rua 17 sul – Águas Claras. Segunda-feira, a partir das 16h. Classificação indicativa: livre.

Areal

Lordes do Areal – Salve Jorge
QS 6 – Areal. Segunda-feira, das 15h às 22h. Desfile com a Lordes do Areal, além de outras atrações culturais. Classificação indicativa: livre.

Cruzeiro

Bloco Gagá Vião
Ginásio do Cruzeiro. Segunda-feira, das 14h às 20h. Classificação indicativa: livre.

Estrutural

Bloco 1% Cachaceiro
Quadra 5, conjunto 5, Setor Oeste – Estrutural. Segunda-feira das 17h à 0h. Classificação indicativa: não informada.

Guará

II Carnaval Infantil e da Melhor Idade
SRIA II, QE 25, Área Especial do CAVE – Guará II. Segunda-feira, das 16h às 20h. Classificação indicativa: livre.

Planaltina

Filhos de São Jorge
Estacionamento do Funções Múltiplas – Planaltina. Segunda-feira, das 16h às 23h40. Shows de percussão, forró, axé e pagode. Classificação indicativa: livre.

Recanto das Emas

Carna Recanto
QD 104/105 AE – Recanto das Emas. Segunda-feira, a partir de 20h. Shows com diversas atrações culturais. Classificação indicativa: não informada.
Coco da Ema
Quadra 101, no Estacionamento Público – Recanto das Emas. Segunda-feira, das 16h às 22h. Classificação indicativa: não informada.

São Sebastião

São Sebastião – Carnaval
Parque de Exposições de São Sebastião. Segunda-feira, das 17h à 1h. Classificação indicativa: não informada.

Taguatinga

Asé Dudu
Taguaparque – Taguatinga Norte. Segunda-feira, 18h30 às 00h. Show com várias atrações culturais. Classificação indicativa: livre.
Carnaval Mamãe Taguá
Taguaparque – Taguatinga Norte. Segunda-feira, 18h30 às 00h. Show com várias atrações culturais. Classificação indicativa: livre.
Tô de Revestrez
Coreto – Pistão Norte – Taguatinga Norte. Segunda-feira, a partir das 12h.

     

    Ver mais
    Publicidade

    Assine a nossa newsletter

    Escolha o assunto

    Publicidade