Nossa rede

Aconteceu

Motociclista é multado por não usar cinto de segurança no DF

Publicado

dia

Thayvid Fernandes levou duas multas do DER-DF. Ele afirma que sequer estava no local indicado pela notificação

Brasília(DF), 16/03/2018 Radares que mais multam no DF. Via S1, eixo Monumental, altura da catedral Rainha da paz – Sentido Rodoferoviária/Esplanada. Local: Brasília DF. Igo Estrela/Metrópoles

O bancário Thayvid Fernandes, 38 anos, foi surpreendido na quinta-feira (10/1) ao saber que foi multado pelo Departamento de Estradas e Rodagem do Distrito Federal (DER-DF), em 6 de janeiro, por não utilizar o cinto de segurança. No momento da autuação, conta, estava dirigindo sua motocicleta e não teria passado pela via onde supostamente ocorreu a infração. O valor cobrado é de R$ 195,23.

“O mais estranho de tudo é que não tenho carro. Essa multa é totalmente descabida. Não passei pela DF-001 neste horário, onde a notificação disse que eu estava. Vou tentar recorrer”, ressalta Thayvid. “É muito transtorno causado.”

Além da multa pelo cinto de segurança, o condutor foi autuado por dirigir sem atenção, conforme o código de infração nº 5207. Nesse caso, a cobrança é de R$ 88,23. O horário das duas infrações é o mesmo: às 11h35.

Thayvid conta que pretendia renovar a habilitação neste ano, mas o ocorrido pode atrapalhar seus planos devido à pontuação na carteira. “Já paguei todas as taxas, mas agora, com essa multa, não sei como vai ficar.”

A reportagem entrou em contato com o DER-DF, mas não obteve resposta do órgão até a última atualização desta matéria.

Aumento no número de infrações
Em balanço realizado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), verificou-se um aumento de 30% no número de infrações cometidas pelos motoristas no Distrito Federal na região do Entorno do DF. Em 2017, a instituição havia registrado quase 74 mil multas e, em 2018, o número subiu para aproximadamente 96 mil. Entre as mais graves, destacam-se a embriaguez ao volante, as ultrapassagens indevidas, a falta do uso de cinto de segurança e o excesso de velocidade.

O índice que mais aumentou na comparação entre os dois últimos anos foi o de trafegar acima da velocidade máxima permitida na via. Em 2018, a PRF intensificou a fiscalização desse tipo de infração e quase 49 mil motoristas foram flagrados nas rodovias que cortam a capital federal. Esse número representa um acréscimo de mais de 350% em comparação com o total de registros feitos em 2017.

Recentemente, a Superintendência da PRF do Distrito Federal adquiriu dois novos radares e, de acordo com a corporação, pretende intensificar ainda mais esse tipo de fiscalização em 2019, tanto na capital federal quanto no Entorno. Fonte: Metrópoles

Comentário

Aconteceu

SOS DF: pagamentos acima de R$ 300 mil passarão por análise prévia

Publicado

dia

Os auditores irão examinar licitações, compras e contratação de pessoal nas áreas de Saúde, Educação e obras


A Controladoria-Geral do Distrito Federal publicou portaria, nesta segunda-feira (21/1), definindo como será feito o acompanhamento dos processos referentes a licitações, compras e contratação de pessoal no âmbito dos órgãos e entidades do governo local envolvidos no SOS DF – um pacote de medidas nas áreas de infraestrutura, saúde e educação que tem como objetivo melhorar a qualidade de vida dos brasilienses.

No caso da Saúde, contratos acima de R$ 6 milhões e pagamentos acima de R$ 450 mil só serão liberados após passar pelo crivo da Controladoria. Quanto à área de Educação, os valores sujeitos à análise prévia são R$ 4 mil e R$ 350 mil, respectivamente. Já a Novacap, responsável pelo pacote de obras, terá de submeter à CGDF contratos acima de R$ 3,5 milhões e pagamentos superiores a R$ 300 mil.

De acordo com a regra, o acompanhamento realizado pela Controladoria-Geral deve observar prioritariamente processos que envolvam as seguintes ações: mutirões da saúde; manutenção dos hospitais; recuperação de escolas; abertura de delegacias; operação tapa buracos; conservação de meio-fio; abertura de vias; sinalização; tenda da cidadania; reforço na manutenção da ordem pública; limpeza das galerias pluviais; coleta de lixo; poda, manutenção, remoção e arborização; manutenção da iluminação pública e troca das lâmpadas.

O controlador-geral, Aldemario Araújo Castro, também estabeleceu que a análise prévia poderá ocorrer ao longo de todo o procedimento anterior à contratação, inclusive nos casos de dispensa, inexigibilidade de licitação, entre outros, até o momento da assinatura do contrato.

Com base na portaria, não serão objeto de análise prévia os pagamentos referentes às seguintes despesas: pessoal e encargos sociais e demais custeios relacionados às folhas de pagamento; a auxílio funeral; suprimento de fundos de caráter secreto; a formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep); e sentenças judiciais.

Mais poder à Controladoria
Na primeira semana do ano, Ibaneis assinou decreto ampliando a atuação da Controladoria-Geral. O texto estabelece que todos os dirigentes das unidades de controle interno sejam servidores de carreira.

O documento ordena, ainda, que todas as pastas do GDF cumpram os prazos das solicitações feitas pelos servidores ao órgão de controle e que estes tenham acesso a todas as dependências físicas e documentos que solicitarem. Outra norma é a utilização de formato que permita a divulgação das informações em dados abertos.

O objetivo das medidas é “combater, com mais efetividade, os atos de corrupção, desvio, fraude e improbidade administrativa”, segundo explicou o próprio governador.

Fonte: Portal Metrópoles

 

Ver mais

Aconteceu

Homem que matou agente socioeducativo do DF se entrega à polícia

Publicado

dia

O suspeito alegou legítima defesa. A bala atravessou o coração do servidor e se alojou na coluna

 

Um homem suspeito de matar o agente socioeducativo do Distrito Federal Wagner das Chagas Konig (foto em destaque), de 37 anos, em Valparaíso (GO), Entorno do DF, se entregou à delegacia do Céu Azul. Ele também apresentou a arma do crime. Um único tiro foi disparado e a bala atravessou o coração do servidor e se alojou na coluna. De acordo com informações preliminares, o suspeito alegou legítima defesa. Os dois teriam brigado em um bar. Mas as versões sobre o que realmente ocorreu ainda são controversas.

O delegado de Valparaíso, Rafael Abrão, detalhou que o suspeito foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. “As circunstâncias e motivos do homicídio estão sendo investigadas e o inquérito deve ser concluído até o final desta semana”, completou. Ele se apresentou na noite de sábado (19/1), no dia seguinte ao assassinato.

O velório de Wagner Konig será realizado nesta segunda (21), no Cemitério Campo da Esperança da Asa Sul, a partir das 12h. O sepultamento ocorrerá às 15h.

O crime
Na sexta-feira (18), a vítima havia saído para comprar o jantar para a família em um restaurante próximo à sua casa quando encontrou o suposto autor do disparo. De acordo com testemunhas, Wagner chegou ao estabelecimento e fez o pedido.

Depois, ele teria sentado à mesa de um homem para conversar. Os dois saíram juntos em direção ao carro do suspeito, quando este sacou uma arma e alvejou o agente, que morreu na hora. O criminoso entrou no automóvel e fugiu em seguida.

Wagner atuava na unidade de Internação de Santa Maria. Líder de uma igreja evangélica, era chamado de Pastor pelos colegas e internos. Ele costumava fazer orações pelos servidores e jovens, além de promover palestras para retirar os adolescentes da criminalidade. Também atuou no Caje e no Núcleo de Atendimento Inicial (NAI).

O servidor do DF deixou mulher e quatro filhos pequenos. “O Pastor era uma pessoa muito boa. Não tinha maldade nenhuma no coração. Todo mundo gostava dele, inclusive os internos”, disse Walter Matos, colega de trabalho da vítima e diretor-jurídico do Sindicato dos Servidores da Carreira Socioeducativa (SindSSE/DF).

A entidade divulgou nota de pesar pela morte do agente: “A diretoria expressa sinceras condolências aos familiares e amigos do excelente profissional Wagner Konig (Pastor)”.

A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) também emitiu nota lamentando “profundamente a morte do servidor”. Ele estava nos quadros do órgão desde 2010. A pasta informou que está acompanhando de perto as investigações da Polícia Civil para identificar “os reais motivos” que causaram o assassinato. Fonte: Portal Metrópoles

 

 

Ver mais

Aconteceu

DF: estudantes terão que comprovar necessidade para ganhar passe livre

Publicado

dia

GDF gasta cerca de R$ 600 milhões por ano para subsidiar a isenção no pagamento das passagens de alunos, pessoas com deficiência e idosos

Brasília (DF), 03/01/2016
Cartão Passe Onibus Estudante
Local: Rodoviária
Foto: Felipe Menezes/Metrópoles

Estudantes dos ensinos superior, médio, fundamental e técnico de escolas privadas e públicas do DF terão que comprovar a necessidade de terem o benefício do Passe Livre Estudantil. O governador Ibaneis Rocha (MDB) disse, nesta segunda-feira (21/1), que há alunos que são isentos de pagar passagem mesmo tendo condições financeiras de arcar com a despesa, o que sobrecarrega o sistema subsidiado pelos cofres públicos.

Segundo a Secretaria de Comunicação, ainda estão sendo feitos estudos para a implementação da medida e, até o início das aulas, as pesquisas estarão concluídas.

O benefício é concedido a estudantes de escolas públicas e privadas desde 2010, por meio da Lei Distrital nº 4.462/2010. Atualmente, aproximadamente 195 mil alunos do DF são beneficiados.

O Executivo afirma que gasta anualmente cerca de R$ 600 milhões para subsidiar a isenção no pagamento das passagens de alunos, pessoas com deficiência física e idosos. Mesmo assim, entra ano e sai ano, o benefício está entre os campeões de reclamações. Os problemas vão desde a longa espera pelos cartões, passando pelas filas, até o bloqueio.

No DF, por lei, o Passe Livre Estudantil é concedido a 100% dos estudantes matriculados em escolas, sejam elas públicas ou privadas. O benefício pode ser usado integralmente pelos alunos dos ensinos superior, médio e fundamental da área urbana, inclusive os matriculados em cursos técnicos e profissionalizantes e em faculdades teológicas.

De mais de 1 milhão de passageiros que circulam diariamente no transporte coletivo do DF, 33% não desembolsam nada pela tarifa. O número representa o dobro da média nacional de gratuidades, de 15%.

O sistema de bilhetagem também é investigado pela Polícia Civil do Distrito Federal, por meio da Operação Trickster. Em 15 de março de 2018, 34 pessoas foram presas, suspeitas de envolvimento no esquema fraudulento supostamente chefiado pelo auditor da Secretaria de Mobilidade Pedro Jorge Brasil e que teria desviado mais de R$ 1 bilhão.

Fonte: PortalMetrópoles

 

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade