Nossa rede

Ciência

Descoberta indica que Igreja Católica já teve uma mulher como Papa

Publicado

dia

PAPA JOANA TERIA DADO À LUZ UMA CRIANÇA, DIZ UMA TEORIA (FOTO: GIOVANNI BOCCACCIO/WIKIMEDIA COMMONS)

Lendas medievais afirmam que a Papisa Joana teria sido a primeira e única papa mulher do mundo. E uma nova pesquisa com antigas moedas de prata sugere que as teorias podem ser verdadeiras.

Segundo as histórias populares, um papa chamado Johannes Anglicus (ou João) que reinou em meados do século 9, era na verdade Joana, que chegou a dar à luz durante uma procissão da igreja. Contudo, há muito debate sobre a sua existência. Parte da dúvida vem da confusão na descrição das identidades dos papas naquele período. Por exemplo, uma cópia de “Liber Pontificalis” (livro de biografias de papas) não inclui o papa Bento III, conforme apontou Michael Habicht, arqueólogo da Universidade Flinders, na Austrália.

Quando Habicht estava investigando enterros de papas em Roma, na Itália, ele encontrou símbolos que mostram que a mulher pode ter realmente existido. “No começo, eu também acreditava que a história era mera ficção, mas quando fiz uma pesquisa mais extensa, surgiu a possibilidade de que havia mais por trás disso”, ele disse em entrevista ao portal Live Science.

O arqueólogo analisou moedas de prata conhecidas como deniers, que foram usadas na Europa Ocidental durante a Idade Média. O nome vem da antiga moeda de prata romana conhecida como Denário. “Elas são muito pequenas, talvez do tamanho de 1 centavo ou 25 centavos dos Estados Unidos”, comparou.

Os “deniers” foram cunhados com o nome do imperador dos francos de um lado e o monograma do papa – um símbolo com as iniciais de uma pessoa – do outro lado. Habicht concentrou-se em moedas anteriormente atribuídas ao papa João VIII, que reinou de 872 a 882.

REPRESENTAÇÃO DAS MOEDAS ESTUDADAS (FOTO: MICHAEL HABICHT)

Ele disse que, embora alguns deniers possuíssem um monograma pertencente ao papa João VIII, os anteriores tinham um monograma diferente. “O monograma que pode ser atribuído a João VIII tem diferenças na colocação de letras e no design geral”, afirmou Habicht.

Para ele, essas outras moedas podem ter pertencido a papa Joana. Habicht também estudou fontes históricas que sugeriam que um papa João reinou de 856 a 858. Por exemplo, o cronista Conrad Botho relatou que um papa Johannes coroou Luís II da Itália como Sacro Imperador Romano em 856. “O monograma foi o precursor da assinatura de hoje”, ele falou. “Assim, provavelmente podemos até ter uma assinatura da papa Joana.”

Habicht sugere que a sequencia dos papas em meados do século IX deveria incluir Leão IV de 846 a 853, seguido por Bento III de 853 a 855, Johannes Anglicus de 856 a 858 e Nicolau I de 858 a 867.

Segundo Habicht, textos da literatura científica sugerem que as moedas estudadas não são falsas. “Quase não há mercado de colecionadores para essas moedas medievais”, ele comentou. “Os falsários não estão interessados ​​em fingi-las Alguns anos atrás, algumas moedas de papas do século 9 foram oferecidas em um leilão em Nova York. A maioria não foi vendida e devolvida ao proprietário”.

Para o arqueólogo, descobrir se Joana existiu pode ajuar a entender o papel das mulheres na igreja. “O debate sobre a ordenação feminina na igreja ainda está em andamento. Alguns vão abraçar meu estudo e encontrar outras evidências para os sacerdotes do gênero feminino nos primeiros séculos do cristianismo”, disse Habicht. “Outros rejeitarão completamente a ideia e farão um grande barulho na mídia contra tais alegações.”

Fonte: Revista Galileu

Comentário

Ciência

Último livro do Stephen Hawking responde suas questões mais frequentes

Publicado

dia

Iniciado em 2017, a obra foi finalizada por parentes e amigos

São Paulo – Durante sua vida, o mais célebre astrofísico do século 20, Stephen Hawking, foi bombardeado com questões a respeito do universo e do futuro da espécie humana. Algumas das respostas podem finalmente ser encontradas no livro póstumo que acaba de ser lançado.

Intitulado “Breves Respostas para Grandes Questões”, o livro foi iniciado ano passado por Hawking, que faleceu em março deste ano, aos 76 anos de idade. Membros da família e amigos acadêmicos finalizaram a obra usando materiais de seu vasto arquivo pessoal.

Questões existenciais, tecnologia e universo

Na obra são abordadas questões diversas que habitavam a mente inquieta de Hawking, como a existência de Deus, o início de tudo, o que há dentro de um buraco negro, a possibilidade de prevermos o futuro ou viajar no tempo, se poderemos sobreviver no planeta Terra e se seremos superados pela inteligência artificial.

Algumas opiniões presentes no livro já eram de conhecimento do público que acompanhou a trajetória do astrofísico, como a de que os humanos não têm opção a não ser deixar a Terra. A obra pretende ser a junção de todos os pensamentos finais de Hawking sobre a humanidade, a tecnologia e o universo.

Para os acadêmicos saudosos, o cientista deixou um artigo sobre o cálculo da entropia de buracos negros, revisado por sua equipe de físicos e publicado no início deste mês.

O lançamento do livro no Brasil está previsto para o dia 14 de novembro e será publicado pela editora Intrínseca.

Ver mais

Ciência

Japoneses confirmam 1º caso de meteorito a atingir edifício em 15 anos

Publicado

dia

Meteorito de Komaki será agora enviado a uma organização com sede nos Estados Unidos para registro

Tóquio, 16 out (EFE).- Cientistas japoneses confirmaram o primeiro caso de um meteorito que atingiu um edifício no país asiático nos últimos 15 anos, anunciou o Museu Nacional de Ciências Naturais do Japão.

Trata-se de uma rocha do tamanho de uma mão e de aproximadamente 550 gramas, que foi batizada como “Meteorito de Komaki” em alusão à cidade do centro de Japão onde foi encontrado por um morador depois que o objeto atingiu o telhado de sua casa.

O meteorito caiu em Komaki em 26 de setembro e, desde então, foi analisado por cientistas do citado museu nacional para determinar sua origem e sua composição, conforme publicou nesta terça-feira o jornal japonês “Asahi”.

Os especialistas confirmaram que a rocha procede do espaço e que tem idade estimada em 4,6 bilhões de anos, similar à origem do sistema solar.

O último caso de um meteorito que caiu sobre um edifício no Japão aconteceu em 2003 em Hiroshima, no oeste do país.

Até o momento, caíram no total 52 meteoritos no arquipélago japonês que foram reconhecidos pela Meteoritical Society, a organização internacional de referência na matéria.

O Meteorito de Komaki será agora enviado a essa organização com sede nos Estados Unidos para que seja incluído no registro global de corpos celestes que caíram na Terra.

Ver mais

Ciência

Alunos da UFRJ criam bioplástico que muda de cor quando alimento estraga

Publicado

dia

Várias empresas e campanhas de conscientização vêm diminuindo o uso de sacolas, embalagens plásticas e outros derivados que causam grandes danos ao ecossistema e aos animais. Além disso, há um esforço mundial para reduzir o desperdício de comida e valorizar o uso dos recursos disponíveis.

Agora, uma iniciativa verde de estudantes de vários cursos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) traz uma alternativa bastante interessante a esse contexto: um bioplástico que pode indicar se o alimento está estragado. “Fomos premiados como melhor projeto de sustentabilidade na área de alimentos e ganhamos a consultoria do Sebrae. A ideia é internacionalizar o projeto do bioplástico, que é biodegradável e inteligente”, diz Lorena Ballerini, de 26 anos, aluna do último período do curso de Nanotecnologia, em entrevista ao Extra.

O projeto foi desenvolvido e premiado durante um hackaton promovido pela própria UFRJ e pelo Sebrae, no campus Xerém, em Duque de Caxias. Um ano depois, ele se transforma na startup Plasticor, que pretende criar embalagens ou fitas capazes de mostrar se os produtos ainda estão próprios para consumo.

Os integrantes da equipe já registraram o bioplástico na vaquinha coletiva Kickante, com o valor total de R$ 10 mil — até a manhã desta segunda-feira (15), a arrecadação tinha R$ 500, a 57 dias de seu fim. Entre os apoiadores, os alunos têm o Sindicato de Alimentos da Baixada Fluminense (Simapan), que conta com mais de 5 mil empresas associadas, das quais são mais de 2,3 mil padarias na região.

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade