Nossa rede

Aconteceu

Ataque de abelhas que matou 18 cães pode ter sido causado por fogos de artifício e latidos

Publicado

dia

Bombeiros suspeitam que barulho tenha irritado abelhas; cinco militares ficaram feridos em captura. Caso ocorreu em casa no Lago Sul.

Bombeiros resgatam cachorros após ataque de abelhas no Lago Norte, no DF (Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

O Corpo de Bombeiros do Distrito Federal informou que o barulho dos fogos de artifício disparados por moradores do Lago Sul após o jogo do Brasil contra o México pela Copa do Mundo e, como consequência, os latidos de cachorros podem ter provocado o ataque de abelhas desta segunda-feira (2). Por causa do incidente, 18 cães da raça yorkshire terrirer morreram.

“O mais provável é que tenham sido os fogos de artifício. Nós recebemos o chamado cerca de 1 hora e 30 minutos após o término da partida. Os cachorros ficaram agitados e as abelhas começaram a ficar alvoroçadas”, disse o sargento Raimundo Silva, que participou da ocorrência.

O militar informou que 8 animais morreram no local e 7 chegaram a ser transportados para uma clínica veterinária, mas não resistiram. Outros 28 que foram atacados pela abelhas conseguiram se recuperar dos ferimentos.

Além disso, duas pessoas que estavam próximas ao local relataram picadas, e cinco bombeiros também foram atacados.

Fachada da casa no Lago Sul, em Brasília, onde ocorreu ataque de abelhas que matou 15 cachorros (Foto: Letícia Carvalho/G1)

Moradora da casa onde ocorreu o ataque de abelhas, a aposentada Maria da Conceição Benício Rodrigues, de 64 anos, disse  que ficou assustada com o enxame e que também foi picada pelos insetos, mas não precisou de atendimento médico.

“Foi muito triste ver os cachorros completamente picados. É uma situação difícil. Chamamos um veterinário assim que vimos a situação e, logo depois, os bombeiros”.

O G1 tentou conversar com a mulher que cuidava dos cachorros por volta das 9h desta terça-feira (3), mas foi informado que ela estava dormindo. No portão da residência, apenas a aposentada Maria da Conceição conversou com a reportagem.

‘Grande heróis’

Os cachorros atacados pelas abelhas foram levados a uma clínica veterinária no Lago Sul. O médico veterinário e dono do estabelecimento, Cláudio Barbosa, disse ao G1 que os funcionários acabaram sendo picados durante o resgate dos animais.

Clínica no Lago Sul para onde foram levados cachorros atacados por abelhas (Foto: Letícia Carvalho/G1)

“Havia centenas abelhas nos animais. Meu funcionários foram os grandes heróis. Durante o resgate, eles também foram picados, mas conseguiram retirar do canil os cachorros.”

Na clínica, os cães receberam remédio e soro, mas, segundo o veterinário, a quantidade de veneno em muitos deles foi fatal. “Uma situação triste porque eu sei que a dona dos cachorros tinha muita afeição por eles. Ela, às vezes, gastava mais do que recebia com o canil”, disse Barbosa.

Segundo ele, no início da manhã desta terça (3), funcionários da clínica ainda limpavam e retiravam as abelhas que ficaram pelo local.

Captura

Os militares foram acionados por volta das 14h30, mas a captura dos insetos somente ocorreu à noite. Conforme explicou o sargento da corporação, durante o dia, as abelhas costumam ficar mais agitadas.

Bombeiros resgatam cachorros após ataque de abelhas no Lago Norte, no DF (Foto: Corpo de Bombeiros do DF/Divulgação)

“Fizemos a averiguação da área mais cedo e entramos em contato com apicultores [pessoas que criam ou tratam de abelhas]. Como nenhum se interessou, retiramos os animais com sacos plásticos e os soltamos em uma área de mata”, afirmou Silva.

Segundo especialistas, um grande número de picadas de abelhas pode causar problemas em vários órgãos e, em pessoas ou animais alérgicos, pode fechar as vias respiratórias. Em casos de grandes ataques, com mais de 500 picadas, por exemplo, a quantidade de veneno pode ser compatível ao ataque de uma serpente.

Comentário

Aconteceu

Suspeita de matar meninas de 11 e 12 anos é presa no RJ

Publicado

dia

Os corpos das meninas foram encontrados com marcas de cortes e tiros

Agentes da 121ª Delegacia Legal de Casimiro de Abreu, no interior do Rio de Janeiro, prenderam nessa quarta-feira (14/11) uma mulher de 20 anos suspeita de matar duas amigas de 11 e 12 anos.

Em informações divulgadas pela TV Globo, a delegada Juliana Rattes, encarregada da investigação, declarou que foi cumprido um mandado de prisão temporária e a suspeita foi presa em casa, no distrito Barra de São João, sem oferecer resistência.

A delegada ainda acrescentou que ao menos mais um suspeito de participação na execução das meninas está sendo procurado.

O crime
Os corpos das meninas foram encontrados no último dia 8, na Estrada Secundária, localizada no distrito de Rio Dourado, por moradores da região. Para os investigadores, as vítimas foram levadas para o local de difícil acesso para serem mortas.

Os corpos das vítimas tinham marcas de tiros e de cortes. Uma das meninas foi atingida com seis tiros e a outra por três.

Na última sexta-feira (9) uma das vítimas foi sepultada em São Fidelis, enquanto a segunda vítima foi enterrada no sábado (10) em Rio das Ostras.

Ver mais

Aconteceu

Homem é preso depois de enforcar e puxar cabelo da namorada no DF

Publicado

dia

Crime ocorreu no Guará 2 na madrugada desta sexta-feira (16/11). PMs faziam ronda na cidade quando flagraram agressão

Um homem de 26 anos foi preso na madrugada desta sexta-feira (16/11), no Guará 2, depois de ser flagrado puxando a bolsa de uma jovem e discutindo com ela no meio da rua.

Policiais faziam ronda na região quando se depararam com a cena e imediatamente abordaram o casal. Ao serem questionados sobre o que estava ocorrendo, a jovem de 18 anos disse que era namorada do homem e contou que teria sido agredida com puxões de cabelo, além de ser enforcada pelo companheiro.

Enquanto a dupla era abordada, apareceu no local um casal de amigos que confirmou as agressões. Os militares constataram lesões aparentes no pescoço da vítima. O acusado recebeu voz de prisão e foi levado para a Delegacia da Mulher (Deam), onde foi autuado em flagrante na Lei Maria da Penha.

Ver mais

Aconteceu

Homem vendia pedra de crack a R$ 10 no entorno de rodoviária do DF

Publicado

dia

PMs desconfiaram do homem e o abordaram. Com ele, foram apreendidos cerca de R$ 300, em dinheiro, e 28 pedras da droga

Um suspeito de tráfico de drogas foi preso pela Polícia Militar na noite dessa terça-feira (13/11) nas proximidades da Rodoviária Interestadual do Distrito Federal.

De acordo com a corporação, PMs do Grupo Tático Motociclístico (GTM) desconfiaram do homem e o abordaram. Com ele, foram apreendidos cerca de R$ 300, em dinheiro, e 28 pedras de crack.

Ainda segundo a PM, o acusado assumiu a propriedade da droga e informou que havia trazido o entorpecente de Planaltina de Goiás (GO), no Entorno do DF, para comercializar a R$ 10, cada, na capital federal.

Ele já tinha passagens pela prática de outros crimes e foi levado para a 5ª Delegacia de Polícia (Área Central), onde o caso foi registrado.

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade