Nossa rede

Aconteceu

Após matar ex-mulher, foragido liga para mãe da vítima exigindo ficar com filhas

Publicado

dia

Funcionária do Ministério dos Direitos Humanos foi morta a facadas na frente das filhas. Stefanno Jesus de Amorim é procurado pela Polícia Civil.

Stefanno Jesus de Amorim, de 21 anos, matou ex-mulher a facadas em Santa Maria, no Distrito Federal (Foto: Facebook/Reprodução)

O homem que está foragido suspeito de assassinar a funcionária do Ministério dos Direitos Humanos Janaína Romão Lucio, de 30 anos, ligou para o telefone fixo da família da vítima nesta segunda-feira (16), dois dias depois de cometer o crime.

Stefanno Jesus de Amorim, de 21 anos, conversou com a irmã de Janaína. Ele disse que queria ficar com as filhas e, em seguida, desligou. O telefonema foi feito a cobrar, pouco depois das 10h. A equipe da TV Globo estava no local no momento.

Assustada, a família ligou imediatamente para a polícia. Primeiro, no número 190, foi informada que deveria procurar a delegacia. A irmã de Janaína telefonou então para a 33ª DP, que investiga o caso.

Até a última atualização desta reportagem, Stefanno não havia sido preso.

O crime

Janaína foi esfaqueada cinco vezes, no peito e nas costas, e chegou a ser transportada pelo Samu ao Hospital Regional de Santa Maria, mas não resistiu aos ferimentos. O crime ocorreu por volta das 18h deste sábado (14).

Janaína Romão Lucio, de 30 anos, foi morta a facadas pelo ex-marido em Santa Maria, no Distrito Federal (Foto: Arquivo pessoal)

A faca utilizada para matar Janaína foi deixada no local e apreendida pela equipe de perícia da Polícia Civil.

De acordo com delegado-chefe da 33ª DP, Alberto Rodrigues, há informações de que Janaína “já havia registrado duas ocorrências de violência doméstica” contra o ex-companheiro. O caso está sendo investigado como feminicídio.

O enterro de Janaína está marcado para as 15h30 desta segunda-feira, no Cemitério do Gama.

Direitos Humanos

No Ministério dos Direitos Humanos, Janaína trabalhava como terceirizada na Coordenação-geral dos Direitos da População em Situação de Rua, que monitora, coordena e avalia políticas de atenção a este segmento social.

Segundo funcionários da pasta, ela era “uma moça jovem, alegre e tranquila”.

Stefanno Jesus de Amorim, ex-marido de Janaína Romão, comenta em publicação da mulher no Facebook (Foto: Facebook/Reprodução)

A última vez em que ela foi vista pelos colegas de trabalho foi na festa junina da autarquia, nesta sexta-feira (13). Na ocasião, ele levou as duas filhas. “Todo mundo ficou chocado [com o crime]”, disse uma funcionária.

Em nota de pesar publicada no site da pasta, o ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha, afirma que “repudia com veemência a violência contra as mulheres” e que está em contato com a Secretaria de Segurança Pública do DF para “acompanhar de perto as investigações do assassinato de Janaína.”

Fonte: G1 DF.

Comentário

Aconteceu

Morre gerente de mercado baleado na cabeça durante assalto no DF

Publicado

dia

Segundo a Polícia Civil do Distrito Federal, Gustavo Moreira ficou nervoso e não conseguiu tirar a aliança do dedo

Gustavo Moreira Ricardo, 18 anos, morreu nessa quarta-feira (10/10) no Instituto Hospital de Base (IHB). Ele estava internado desde a última segunda-feira (8) quando foi baleado na cabeça durante um assalto no supermercado onde trabalhava, em Samambaia.

Segundo a Polícia Civil do Distrito Federal, ele “ficou nervoso e não conseguiu tirar a aliança do dedo” durante o assalto. Os suspeitos ainda obrigaram o rapaz a deitar no chão. Ele teve sua corrente de ouro arrancada do pescoço. Outros funcionários do estabelecimento tiveram os celulares e pertences pessoais roubados e o dinheiro em espécie dos caixas também foi levado.

O crime ocorreu por volta das 9h30. Gustavo foi levado em estado grave pelo helicóptero do Corpo de Bombeiros ao hospital. A bala ficou alojada na cabeça do jovem.

Região perigosa
A 26ª Delegacia de Polícia, em Samambaia, investiga o caso. O delegado plantonista Reginaldo Alves Araújo classificou a região como “o centro do crime de Samambaia”. Segundo ele, Gustavo é genro do proprietário do estabelecimento assaltado e trabalhava como gerente..

Os criminosos fugiram de bicicleta do local do crime, levando dois celulares e R$ 100. Ainda de acordo com o delegado, o rapaz “não esboçou qualquer reação que provocasse a resposta dos assaltantes”.

Aos policiais, o proprietário afirmou que irá mudar da região. “Nos disse que a área é muito perigosa e a família está toda nervosa com o caso”, explicou o delegado. A polícia está à caça de três menores suspeitos do crime. Imagens de câmeras próximas ao mercado registraram a fuga do trio.

Vizinha do supermercado, Maria Natividade, de 69 anos, afirmou á reportagem que o sentimento é de insegurança na região: “Para dormir aqui, só Deus na causa. De noite é impossível de se sentir seguro. Dormimos com um olho aberto, sempre atentos”.

Ela conta que a neta ouviu o disparo que atingiu o rapaz e imediatamente saiu correndo para parte de trás da residência.

Fonte: Metrópoles

Ver mais

Aconteceu

Homem de 62 anos é preso por tocar em seios de passageira de ônibus

Publicado

dia

Abordado pelos policiais, ele confessou ter tocado nas partes íntimas da mulher e vai responder por importunação sexual

Um homem de 62 anos foi preso no fim da noite dessa quarta-feira (10/10), em um ônibus, na BR 020, em Planaltina. Ele é suspeito de molestar uma mulher que viajava na poltrona ao lado. A própria vítima entrou em contato com a Polícia Rodoviária Federal por meio do telefone 191 e denunciou que o passageiro tocou em suas partes íntimas.

Ao abordar o ônibus que realizava o itinerário entre os estados de Ceará e São Paulo, os policiais encontraram o homem e deram voz de prisão. Ainda segundo o relato da mulher, quando o homem começou a importuná-la, ela pensou que ele estivesse fazendo movimentos involuntários, devido à deficiência física do homem.

No entanto, alguns minutos depois, o passageiro passou a mão nos seios dela. A vítima questionou o homem, que por sua vez, não teve vergonha em assumir o ato. O passageiro foi retirado do ônibus e encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de Formosa (GO), na Região do Entorno do DF. Ele responderá por importunação sexual.

Fonte: Metrópoles

Ver mais

Aconteceu

Três homens suspeitos de vender drogas em redes sociais são presos no DF

Publicado

dia

Homem preso durante a “Operação Teia”, no Distrito Federal, suspeito de vender drogas pelas redes sociais — Foto: TV Globo/Reprodução

Três homens suspeitos de vender drogas pela internet foram presos na manhã desta quinta-feira (11) no Distrito Federal.

Eles são alvos da terceira fase da “Operação Theya” da Polícia Civil, que investiga um esquema de comércio de drogas pelas redes sociais desde o início do ano.

Outros sete traficantes são alvos de mandados de busca e apreensão. Cerca de 60 policiais foram deslocados para cumprir a operação.

Segundo o delegado João de Ataliba Neto, que coordena as investigações na 1ª DP, os traficantes são jovens e estudantes de classe média que compram drogas para uso pessoal e revendem uma parte para “sustentar o próprio vício”.

“São pequenos traficantes que atuam através de aplicativos, principalmente Whatsapp. Eles adquirem pouca droga, consomem e vendem uma parte para sustentar o próprio vicío. A maioria é droga sintética.”

Drogas sintéticas apreendidas durante a terceira fase da “Operação Theya”, pela Polícia Civil do Distrito Federal — Foto: TV Globo/Reprodução

Com os suspeitos detidos, foram encontrados R$ 4.800 em espécie, além de porções de maconha, haxixe e skank. Também foram apreendidos papéis de LSD e um tubo da droga na forma líquida, vendido por cerca de R$ 1.500.

Atuação em teia

A operação recebeu o nome “Theya” pela forma como a organização foi descoberta. “Na prisão de um traficante na primeira fase a gente viu que ele se relacionava com outros seis”, explicou Ataliba.

Porções de maconha apreendidas durante a “Operação Theya”, da Polícia Civil do DF, que combate o tráfico de drogas pela internet — Foto: TV Globo/Reprodução

“A partir da investigação deles, identificamos mais 31 e, destes, um que está preso desde a segunda fase nos ajudou a identificar mais dez.”

“Vamos puxando essa teia até onde a gente localizar traficantes atuando desta forma.”

Fonte: G1 DF.

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade