Nossa rede

Tecnologia

24 aplicativos e jogos para Android que estão grátis por tempo limitado

Publicado

dia

(Foto: Pexels)

Aplicativos são essenciais para qualquer smartphone. E quando estão de graça, é melhor ainda. De tempos em tempos desenvolvedores distribuem seus apps e jogos gratuitamente na tentativa de atrair novos usuários, já que muitos têm receio de experimentar conteúdo pago.

A lista abaixo contém os apps e games que estavam disponíveis gratuitamente no Google Play (Android) na manhã desta quarta-feira, 9 de janeiro, e foram verificados pelo Olhar Digital.

Os programas da lista estão de graça por período limitado, mas, se você decidir instalar algum, ele será vinculado à sua conta do Google para sempre. Ou seja, eles poderão ser baixados a qualquer momento depois sem que você tenha que pagar.

Vale observar, também, que as promoções podem ser encerradas a qualquer momento. Então, se você abrir um app da lista no Google Play e o botão de aquisição não mostrar mais a palavra “Instalar”, exibindo apenas o preço original do app, significa que ele voltou a ser pago, e se você baixá-lo, será cobrado por isso.

Aplicativos

  • Scientific Calculator | Complex Number Calculator
  • Drink Water Reminder – Activity Reminder Timer
  • Night Light Pro
  • Browse Simply Gold
  • RAM & Game Booster
  • Network Speed Meter Pro
  • Kosmos
  • QR and Barcode Scanner PRO
  • App lock & gallery vault pro

Jogos

  • Stickman Ghost 2: Gun Sword
  • Wonder Knights VIP : Retro Shooter RPG
  • The Celestial Tree VIP
  • Campo Minado Pro
  • Dungeon Shooter V1.2 : Before New Adventure
  • Timing Hero VIP : Retro Fighting Action RPG
  • Night Survivor PRO
  • The Epic of Legend 1 – The Tower of Lost
  • Infinity Dungeon 2 VIP – Zumbis
  • Sword Knights : Idle RPG (Premium)
  • Mystic Guardian VIP : Old School Action RPG

Customização

  • 3D Waterfall Pro lwp
  • Supercons – The Superhero Icon Pack
  • Oval – Icon Pack
  • Particle Live Wallpaper Pro
Comentário

Tecnologia

Google tomará uma atitude mais firme sobre fim do suporte ao Flash Player

Publicado

dia

O Google anunciou que até o final de 2020 deixará de oferecer suporte ao Flash Player. Ainda no mês de julho, agigante das buscas começará a dificultar ainda mais o acesso dos usuários ao recurso, e vai exibir uma notificação que alerta para o fim do plug-in no Chrome.

O objetivo principal desta ação é fazer o usuário optar por outros players como o HTML5, muitas vezes mais seguro. Porém, ainda parece existir uma certa preferência pelo reprodutor de multimídia da Adobe, visto que mesmo com todas as barreiras colocadas pelo Chrome, o serviço continua sendo muito utilizado.

Por essa razão, a abordagem do Google se tornará mais agressiva a partir de julho. O Chrome 76, última atualização do navegador, pedirá que o usuário reative o uso do Flash Player a partir das “Configurações” , se optar por continuar utilizando-o. Também será preciso conceder permissão explícita aos sites para executar o conteúdo Flash no Chrome.

No caso do uso do Flash Player por empresas, o Google irá liberar o funcionamento do recurso, sem a mensagem de aviso so fim do suporte. Portanto, a decisão de como lidar com o fim do suporte ficará nas mãos dos administradores.

Por sorte, quem não é muito antenado em tecnologia e ficou sabendo apenas agora da decisão, ainda terá 18 meses pela frente para se adaptar às mudanças do Chrome em relação à execução de conteúdo multimídia.

Fonte Olhar Digital

Ver mais

Tecnologia

YouTube detém quase 40% do uso mundial de Internet em dispositivos móveis, diz pesquisa

Publicado

dia

Alcance da plataforma de vídeo está muito à frente dos outros apps, sendo 29 pontos percentuais maior do que o segundo colocado, o Facebook, com 8,4% do total do consumo de Internet no mundo

 

Uma pesquisa realizada em fevereiro deste ano pela Sandvine, empresa norte-americana de equipamentos de rede e serviços de cibersegurança, apontou que o YouTube é responsável por 37% do tráfego mundial de Internet móvel, ou seja, quando acessada a partir de dispositivos como smartphones, tablets e smartwatches. Os dados foram divulgados no estudo The Mobile Internet Phenomena Report (em tradução livre, O Relatório de Fenômenos da Internet Móvel).

Em segundo lugar do ranking, bem lá atrás, vem o Facebook, com 8,4% do tráfego de dados mobile, quase 29 pontos percentuais a menos que o YouTube. A empresa de Mark Zuckerberg, no entanto, é seguida de perto pelo Snapchat, com 8,3%. Já o Instagram aparece em quarto com 5,7% do consumo mundial de megabytes dos usuários móveis; por fim, a quinta e sexta posições ficaram por conta, respectivamente, dos app de navegação na web (4,5%) e do WhatsApp, com 3,7%.

Reprodução

Fonte: Statia.

O player de vídeo do Facebook também marcou seu espaço, abrangendo 2,5% do tráfego mobile, número mais alto que o da Netflix, por exemplo. Curiosamente, a gigante de streaming e líder global do tráfego na Internet, é responsável apenas por 2,4% dos megabytes consumidos em dispositivos móveis. O índice pode ser explicado pelo próprio formato da plataforma, já que seu conteúdo é mais adequado para displays maiores, como TV ou notebooks, enquanto o campeão da lista, o YouTube, funciona bem em telas menores, como um smartphone. Além disso, como exibe conteúdos mais densos e que gastam mais os planos de dados, é possível também que os usuários prefiram utilizar redes Wi-Fi.

As lojas online de aplicativos da Apple e do Google ocuparam os últimos lugares do ranking. A App Store alcançou 2,1%, enquanto a Play Store ficou com 1,9%. E se você ficou curioso com os 23,4% de “Outros” (Others), é possível que seja a soma de diversos outros serviços que, sozinhos, não dariam nem 1% do consumo de tráfego. Nessa categoria, é possível que estejam apps como o Spotify, por exemplo.

Fonte Olhar Digital

 

Ver mais

Tecnologia

Novo navegador da Microsoft vazou; saiba tudo o que esperar do Edge no Chromium

Publicado

dia


 

A Microsoft está otimizando o navegador Edge usando o Chromium como base e, antes mesmo do software ser anunciado oficialmente, já sabemos tudo o que podemos esperar desta versão  melhorada do Edge. Confira abaixo.

Antes de vazar, o pessoal do The Verge teve acesso exclusivo ao software de testes e publicou uma espécie de primeiras impressões do Edge no Chromium. Depois do vazamento, o canal NeoWin também colocou as mãos sobre a nova versão. Com base nestas duas análises prévias, confira abaixo o que podemos esperar do Edge para Windows.

#1 Instalação funcional

Logo que o novo Edge para Windows é instalado, aparecerá uma mensagem perguntando ao usuário se este deseja importar a seleção própria de páginas favoritas, as senhas e o histórico de navegação dos navegadores Chrome e Edge (versão antiga). Depois disso, você poderá escolher o estilo do navegador que quer utilizar.

#2 Interface do usuário

De acordo com a análise do canal, a Microsoft não reinventou a roda, apenas optou por unir alguns estilos que já vimos no navegador do Google e no próprio Edge. Assim, você pode esperar por pequenos detalhes exclusivos da equipe de designers da Microsoft, porém, muito da IU já é conhecida do Chrome e Edge.

A empresa manteve as opções de acessibilidade do navegador anterior, como a leitura da página em voz alta. Contudo, o sistema de abas separadas ainda não foi implementado, bem como a opção de suporte para a caneta Stylus. Além disso, o Modo Escuro só estará disponível em forma de teste, ou seja, ainda não é um recurso padrão do sistema

#3 Suporte para extensões

Como já havia sido confirmado pela equipe do Edge, o navegador com base no Chromium agora oferece suporte para extensões, com uma página dedicada para tanto. A partir das configurações, também será possível usar extensões do Chrome no Edge, o que abre uma grande janela de possibilidades e melhora a experiência de uso do navegador. De acordo com os editores do The Verge, as extensões estão funcionando como se fosse no Chrome.

Contudo, não espere total suporte à sincronização das extensões e outras funções logo no início, pois isso pode demorar mais tempo para chegar, conforme descrito nas configurações do novo navegador. Assim, em um primeiro momento, será possível apenas sincronizar a pasta de favoritos. Desta forma, sincronizar recursos como configurações, histórico, extensões, abas abertas, senhas e informações de autopreenchimento ainda não é possível.

O Edge no Chromium está bem consistente

Infelizmente, não pude testar a versão do Edge no Chromium para Windows, além disso, o software para Mac ainda não está disponível. Contudo, observando a opinião dos editores do The Verge e do NeoWin, o novo Edge está bem consistente – mesmo que ainda não seja oficial.

O navegador é rápido e, mais importante, deve substituir o Chrome para Windows. Isso significa que o monopólio do Google pode estar com os dias contatos e, possivelmente, isso deverá abrir mais espaço para outros navegadores, como Opera e Firefox, pois quem abrir mão do navegador do Google pelo da Microsoft estará muito mais apto, no futuro, a querer testar outras plataformas.

Ainda não existe previsão de lançamento da nova versão do Edge construída em cima do Chromium. Porém, dado o atual estágio de desenvolvimento do navegador, é possível que vejamos a Microsoft anunciando o novo Edge nas próximas semanas. Como temos um grande update do Windows 10 agendado para abril, é possível que até o final do próximo mês você já esteja usando o Edge no lugar do Chrome.

Se você instalou e testou o novo Edge no seu computador, por favor, compartilhe a sua experiência e opinião do o navegador nos comentários abaixo.

Fonte Olhar Digital

Ver mais
Publicidade

Escolha o assunto

Publicidade